21 de fev de 2010

Ministério da Cultura homenageia o rapper maranhense Preto Ghóez


O rapper maranhense Preto Ghóez (foto), do grupo Clã Nordestino, que morreu de acidente automobilístico em 2004 em Santa Catarina, será homenageado pelo Ministério da Cultura com o prêmio Cultura Hip Hot 2010. Na época o então ministro da Cultura, Gilberto Gil, lamentou a morte do artista maranhense, líder do Movimento de Hip Hop Organizado do Brasil, MHHOB, uma das organizações nacionais do segmento.
      "É uma imensa perda. Como artista, líder e articulador talentoso do Hip Hop, Ghóez deixou um trabalho sedimentado, voltado para a construção de políticas para a juventude brasileira. Ele era uma inteligência a serviço dessa revolução silenciosa que os grupos culturais promovem hoje nas centenas de periferias do país", afirmou Gil.
      As inscrições para o prêmio que irá distribuir R$ 1,7 milhão entre os ganhadores começam no mês de abril. O edital vai premiar 128 trabalhos inscritos.
     “A Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural tem a tradição de realizar uma homenagem às lideranças dos segmentos que atua. Preto Ghóez foi um grande articulador do Hip Hop nacional”, afirma o secretário Américo Córdula. Para o secretário do MINC a premiação valoriza o talento e cultura da juventude. Ele acredita que o prêmio Hip Hop possa fomentar o apoio de instituições privadas ao movimento.

     Para a viúva do artista, Miriam Bezerra, o Ghóez conseguiu chegar onde queria: naqueles que poderiam tomar decisões nos ministérios, estado, prefeitura, e o presidente. O vocalista do grupo Racionais, Edi Rock, define Preto Ghóez como um ícone do Nordeste.

Confira as categorias do prêmio:

Reconhecimento: Personalidades ou entidades importantes para o desenvolvimento da cultura Hip Hop.

Sócio-Educativa – Escola de Rua: Iniciativas que já existem e que visem a utilização dos elementos do hip hop em ações sócio-educativas, através de oficinas e arte-educadores.

Geração de Renda: Iniciativas que visem a soluções que gerem renda. Por exemplo, distribuição de Cds e Dvds, oficina de moda, oficina de serigrafia, etc.

Difusão/Conhecimento (5° Elemento): Iniciativas que visem a realização de encontros, seminários ou painéis que reúnam atores do hip hop, ou à projetos que visem a produção de mídias para a difusão do hip hop. Por exemplo: jornais, fanzines, programas de rádios comunitárias, documentários, sítios de internet, etc.

Difusão Menções Honrosas: Valorizar as iniciativas que incorporem, associem, incentive o intercâmbio com outras formas artísticas à cultura hip hop, em particular das expressões culturais afrodescendentes.

Menção Honrosa: Inovação: Iniciativas socio-educativos que incorporam novos elementos à cultura de rua, além dos 4 elementos.

Menção Honrosa: Diáspora: Prêmio concebido a iniciativas que contribuam ativamente para a difusão/compreensão do significado da diáspora, por meio da difusão de informação ou a incorporação de outras formas artísticas negras à cultura hip hop.



Quem foi Preto Ghóez

Nascido em São Luís do Maranhão, o rapper passou parte da infância nos mangues, vivendo da pesca de caranguejos. Foi interno da Febem. Desenvolveu ali seu trabalho musical e, a partir daí, ajudou a organizar o movimento Hip Hop nas regiões Norte e Nordeste.
Ghoez foi idealizador, em parceria com o MinC, do projeto "Fome de Livro na Quebrada", previsto para ser implantado em oito estados do Brasil no primeiro mandato do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
"Era um intelectual orgânico das periferias brasileiras, dos grotões. Sua compreensão da cultura era ampla. Defendia o rap como variação do repente e dos ritmos nordestinos. Tenho certeza que o movimento que ele ajudou a construir continuará vivo" disse ainda o ministro Gilberto Gil.
Três meses antes de morrer aos 31 anos de idade, Ghóez também integrava um grupo de trabalho destinado a desenvolver parcerias entre ações do governo e o movimento Hip-Hop. O grupo, criado a pedido do presidente Lula era composto de representantes do movimento Hip-Hop de todo o país, além de membros do governo. O corpo de Ghóez foi enterrado em São Luís.





Manchetes dos jornais

Atos & Fatos – TJ derruba portaria do estado sobre vencimentos de policiais

Correio de Notícias – Pré-candidata, Dilma fala em coalização

Gazeta da Ilha – Polícia desarticula quadrilha no Parque Vitória

Itaqui-Bacanga – Prisões e Morte em São Luís

Jornal Extra – Washington Macaxeira:Aliança do PT no MA ainda está como merda n´água

Jornal Pequeno-Unidos da gastança: Folia milionária de Roseana deixa maranhenses indignados

O Estado do Maranhão – PT lança Dilma