5 de dez de 2010

Sob Lobão, ANP beneficiou suspeito ligado a Lobinho

Lobão
    Prestes a ser reconduzido por Dilma Rousseff ao Ministério de Minas e Energia, Edison Lobão vê surgir uma pedra no seu caminho.
A pedra atende pelo nome de Ricardo Magro. Empresário do ramo de combustíveis, opera no Rio. Encontra-se sob investigação.
    Suspeito de chefiar uma quadrilha de sonegadores de tributos, Magro tem os negócios esquadrinhados em inquérito da polícia civil carioca.
    Deve-se aos repórteres Chico Otavio e Maiá Menezes a notícia que interpõem o suspeito de sonegação no caminho do quase ministro.
Eis o resumo da encrenca:
1. O suspeito Ricardo Magro é protagonista de uma operação policial chamada Alquila. Apuram-se fraudes tributárias praticadas contra a Fazenda do Rio.
2. Os malfeitos envolvem sonegação de ICMS de distribuidoras de combustíveis. Pela conta da polícia, a burla resulta em prejuízo anual de R$ 162 milhões ao Estado.
3. No curso das investigações, a polícia civil recorreu às escutas telefônicas. Uma delas revela que o suspeito Magro reuniu-se com um filho de Lobão.
4. Chama-se Edison Lobão Filho. Lobinho, como é chamado, recebeu Magro em setembro do ano passado.
Edison Lobão Filho, o Edinho
5. Nessa época, Lobinho ocupava, na condição de suplente, a cadeira de senador do pai. Lobão respondia pelo Ministério de Minas e Energia.
6. O encontro de Lobinho com Magro foi agendado, indicam os grampos, por Cesar Ramos Filho.
7. Amigo de Magro, Cesar Filho era, à época, superintendente de Abastecimento da ANP (Agência Nacional de Petróleo). Continua na agência, agora como assessor.
8. A ANP pende do organograma do ministério que era chefiado por Lobão e para o qual Dilma cogita renomeá-lo.
9. Depois de encontrar-se com Lobinho, o investigado Magro tornou-se beneficiário de decisões tomadas por dirigentes da ANP nomeados por Lobão.
10. As decisões favoreceram empresas do grupo de Ricardo Magro. Todas elas envolvidas no inquérito de sonegação conduzido pela polícia civil carioca.
11. Numa das decisões, de fevereiro de 2010, a ANP autorizou a Distribuidora Manguinhos, de Magro, a adquirir da Petrobras uma cota extra de gasolina.
12. Coisa de 2,7 mil metros cúbicos de gasolina tipo A. Um extra que teria contrariado normas internas da ANP.
13. A autorização traz a assinatura de Dirceu Amorelli, superintendente de Abastecimento da ANP. Assina também um diretor da agência, Allan Kardec.
14. Em fevereiro, época da expedição do documento, Lobão ainda se encontrava no ministério. Deixou a pasta em fins de março, para disputar a reeleição ao Senado.
15. Responsável pelo inquérito que tem em Magro o principal suspeito, a juíza Maria Elisa Lubanco, da 20ª Vara Criminal do Rio, viu-se forçada a enviar os autos ao STF.
16. Tomou a decisão porque passaram a freqüentar as folhas do processo personagens que dispõe da chamada prerrogativa de foro.
17. Menciona-se no processo a presença de um “deputado federal”, um “senador da República”, um “ministro de Estado e seu filho”.
18. O caso corre no Supremo sob o selo do “segredo de Justiça”. As novidades vem à tona um dia depois de Dilma quase ter reconduzido Lobão à Esplanada.
19. Reeleito senador pelo eleitorado do Maranhão, Lobão esteve com Dilma na quinta (2). Encontraram-se na Granja do Torto.
20. Na conversa, Dilma convidou Lobão a retornar à pasta de Minas e Energia. Vai ao posto como apadrinhado de José Sarney, na cota do PMDB do Senado.
21. A formalização do nome de Lobão deveria ter ocorrido na sexta (3). Só não ocorreu porque o PMDB não deixou.
22. O partido do vice-presidente eleito Michel Temer obteve de Dilma a oferta de ocupar quatro pastas. Reivindica uma quinta cadeira. Daí o adiamento de Lobão.
23. Beneficiária de uma protelação que não desejava, Dilma talvez devesse encomendar uma pesquisa sobre o inquérito da Polícia Civil do Rio.
24. Não haverá de enfrentar obstáculos, já que a polícia segue a voz de comando do governador aliado Sérgio Cabral (PMDB).
Do Josias de Souza- Nos Bastidores do Poder

Maranhão: Cristo Redentor em Caxias

Máfia dos combustíveis recebida por senador Lobinho, filho do ex e futuro ministro Lobão

Chico Otavio e Maiá Menezes, O Globo
    Gravações da Polícia Civil do Rio revelam que o empresário Ricardo Magro, suspeito de chefiar uma quadrilha de sonegadores de tributos na área de combustíveis, foi recebido, no ano passado, pelo então senador Edison Lobão Filho (PMDB-MA), em Brasília.
    O encontro foi agendado por um assessor da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Depois disso, decisões tomadas por dirigentes da ANP, indicados pelo então ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, pai do senador conhecido como Lobinho, favoreceram as empresas do grupo Magro, todas envolvidas em sonegação.
    As gravações foram produzidas pela Operação Alquila, investigação iniciada no ano passado pela Delegacia de Polícia Fazendária do Rio sobre fraudes para burlar o recolhimento do ICMS praticadas por distribuidoras que gravitam em torno da Refinaria de Manguinhos.
    Fiscais da Secretaria Estadual de Fazenda estimam um prejuízo anual de R$ 162 milhões com as fraudes.
    Como a polícia constatou o envolvimento de um "deputado federal ou senador da República", de um "ministro de Estado e de seu filho", além de funcionários da ANP no esquema (os nomes não foram identificados), a juíza Maria Elisa Lubanco, da 20 Vara Criminal, decidiu remeter o inquérito para o Supremo Tribunal Federal (STF).
No Blog do Noblat

Livro e exposições marcam 2011 como Ano da Itália no Brasil

    A imigração italiana no Brasil foi intensa no final do século XIX e início do XX, deixando um precioso legado para a cultura do país. As referências são diversas, em áreas como artes plásticas, música, arquitetura, religião, entre outras. Para tratar desta questão, tão presente em nosso dia-a-dia, os historiadores Alexandre Hecker, professor da Universidade Mackenzie (Brasil), e Vittorio Cappelli, professor da Universidade da Calábria (Itália), lançaram, recentemente, na Itália, o livro Italiane InBrasile – rotte migratorie e percorsi culturali (Editora Rubbettino).
    No próximo ano - consagrado o Ano da Itália no Brasil - a obra chegará ao nosso território. Trata-se de um livro que abrange os vários aspectos da influência dos italianos na cultura brasileira, não só circunscrita ao sul e sudeste.
    O livro traz artigos de vários pesquisadores. A presença italiana no bairro do Bexiga, em São Paulo, a festa de Nossa Senhora Achiropita, também no Bexiga, a música de Adoniran Barbosa, o mito de Garibaldi e a presença italiana no Norte e Nordeste do Brasil são alguns dos temas tratados.
    Além do lançamento do livro, o ano será ainda marcado por outras ações que mesclam as duas culturas. No Memorial da Imigração está prevista uma exposição, com a curadoria de Hecker, sobre a história dos italianos no Brasil. O Instituto Italiano de Cultura e a Embaixada Italiana no Brasil também estão preparado outras atividades para lembrar o quanto é extensa e importante a influência dos italianos na vida dos brasileiros.

5ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul - Programação deste domingo,5

13h30
GROELÂNDIA - Rafael Figueiredo (Brasil, 17 min, 2009, fic)
MUNDO ALAS - León Gieco, Fernando Molnar, Sebastián Schindel (Argentina, 89 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

15h30
CARRETO - Marília Hughes, Claudio Marques (Brasil, 12 min, 2009, fic)
BAILÃO - Marcelo Caetano (Brasil, 17 min, 2009, doc)
DEFENSA 1464 - David Rubio (Equador/ Argentina, 68 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos

17h30
O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS - Cao Hamburger (Brasil, 110 min, 2006, fic)
Classificação indicativa: 10 anos

19h30
EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO - Daniel Ribeiro (Brasil, 17 min, 2010, fic)
IMAGEM FINAL - Andrés Habegger (Argentina, 94 min, 2008, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
* O formato de exibição dos filmes é DVCAM

Favela escolhe samba-enredo para o Carnaval 2011

    A Sociedade Recreartiva Favela do Samba, escola do bairro do Sacavém escolhe neste domingo, a partir das 19 horas, na quadra na escola na avenida dos Africanos,  o samba-enredo para o desfile do carnaval 2011. Quatro sambas enredos sobre o tema "O boi é festa" participam da segunda etapa do concurso iniciado no domingo passado.

Confira os sambas:
SAMBA 1
Autores: DÍO E MAGÉ

Viajando de volta no tempo
Do Sacavém a Favela vai
Ao antigo Egito, com os hebreus fugindo
E Moisés irado, contra o boi dourado

Apis, a reencarnação de Osíris
Deus da agricultura e da fartura
Divino, maldito, profano e sagrado
Ao lado de Isis nos rituais
Num majestoso cortejo desfilam
Festejando a primavera e a chegada do sol

DA GRECIA À CHINA, PRA IBÉRICA
A CAMINHO DAS ÍNDIAS, CHEGOU NAS AMÉRICAS
TOURADAS, OLÉS, FESTANÇAS E FARRAS
A BRINCADEIRA, NO BRASIL COMEÇAVA.....
E O BOI VOOU.....

O boi voou em Pernambuco com Nassau
Virou Cara Preta, na cantiga de ninar
No Maranhão e Piauí, bumba meu boi
No Amazonas e Pará, meu boi bumbá

O boiadeiro já foi moda em Paris
Japão, Nova York e Milão
Vermelho e azul, Garantido ou Caprichoso
Quem será o grande campeão (?)

Aqui quando aparece, o touro negro encantado
Salve o rei-menino, Dom Sebastião

NOITE JUNINA OU NATALINA
OS BUMBÁS ESTÃO PRESENTES
CANTANDO E DANÇANDO, FAZENDO ZOADA
NAS SUAS TOADAS, A VIDA DA GENTE....

SAMBA 2
Autores: GILVAN MOCIDADE / ZÉ LOPES

VaLEU MEU BOI! BARRETOS É FESTA
VOU NESSA FARRA PRAS TOURADAS EM MADRID
NA ÍNDIA ADORAÇÃO
LÁ NOS LENÇOIS SALVE O REI SEBASTIÃO!

NO LOMBO DO MEU BOI
EU BORDEI UMA AQUARELA
VIAJEI DA CHINA PRO EGITO
PRA IR COM ISÍS E OZIRÍS PRA FAVELA
ORQUESTRA, PINDARÉ, MATRACA É TRADIÇÃO
ZABUMBA, COSTA DE MÃO
O BOI DÁ SAMBA EM SÃO LUÍS DO MARANHÃO

VERMELHO PRA GARANTIR
AZUL PRA CAPRICHAR
FOI A FAVELA QUEM FEZ ESSE BOI VOAR
VERMELHO PRA GARANTIR
AZUL PRA CAPRICHAR

É A FAVELA QUE FAZ NOSSO BOI URRAR (BIS)

PROFANO, SAGRADO
CORRA O MINOTAURO VEM AI!
ATRAVESSOU OS MARES
PROÍBIDO EM PORTUGAL
ILHA DO AMOR EM CADA RUA UM ARRAIAL

EM ROMARIA... VOU PAGANDO A PROMESSA
DE VER ESSE BOI ÁPIS
COM A ESTRELA NA TESTA
NUM GUARNICÊ ONDE A LUZ SE MANISFESTA

URRÔ, URRÔ MEU BOI
DEIXA A FAVELA PASSAR
É UM OLÉ DE ALEGRIA
QUE CONTAGIA A CULTURA POPULAR (BIS)

SAMBA 3
Autores: Carlinhos Diniz, Sílvio Rayol e Paulinho Rayol

A Lira da Favela me encanta e me conduz,
Viajei com alegria, muita cor, cheio de luz
A Lira da Favela levantou o meu astral,
Hoje é dia de festa, hoje o Boi é carnaval (Lá no Egito...)

Lá no antigo Egito, sagrada mistificação...
Da grandeza de Osíris à beleza do Boi Ápis,
A crença da reencarnação

A ira de Moisés ao povo hebreu
Condenava um Bezerro de Ouro,
Adorado, festejado aos pés do Monte Sinai

O Minotauro, a vingança de Netuno,
Sete filhas, sete filhos devorou (E na Índia...)
Na Índia, o Boi também é sagrado
Na China, um majestoso ritual
Nas touradas dá olé!
E com Maurício de Nassau

Tem Boi voando nesse carnaval (Mas, eu sou...)

Eu sou Garantido, eu sou Caprichoso,
Meu coração é vermelho, é azul
A festa de peão boiadeiro
Vai levantar poeira no Brasil de Norte a Sul
E quando soprarem as lendas do Maranhão,

O Touro Negro Encantado
Pela praia dos Lençóis é Dom Sebastião
Balança teu maracá,
Guarnece o teu batalhão!
Vem cantar meu Boi... Oh! Meu São João
Vem sambar meu Boi... Faz tremer o chão


SAMBA 4
Autores: LUZIAN FILHO, JOSIAS FILHO, WESLLEY PÉRICLES E JOTHA JUNIOR

CONTAM QUE A IRA DE MOISÉS LÁ NO EGITO
FOI UM BEZERRO DE OURO
NA GRÉCIA UM MINOTAURO APARECEU
METADE HOMEM, METADE TOURO
PELOS LABIRINTOS DA VIDA

CHEGUEI AOS CAMPOS DA CHINA
FARTURA NA MESA NÃO PODE FALTAR
ENTÃO BOTA ESSE TOURO PRA BRIGAR
MEU BOI É FESTA , É FARRA, VIROU MODA

NA TOURADA DOU OLÉ (OLÉ OLÉ)
CARNAVAL ME CONTAGIA, A DOR PERDE PRA ALEGRIA
FAVELA É SHOW DE SAMBA NO PÉ
O SONHO DE NASSAU FEZ MEU BOI VOAR (VOAR, VOAR)
NUM LAÇO DE RODEIO FUI PARAR NO BOI BUMBÁ
AZUL ANIL DESSE CÉU, VERMELHA A COR DA PAIXÃO
VOU GARANTIR E CAPRICHAR TEU CORAÇÃO
DESCI A DUNA DE AREIA NOS LENÇOIS DO MARANHÃO
FUI NO BAILADO DE DOM SEBASTIÃO
VEM OUVIR O SOM DOS MEUS CLARINS
MISTURO ORQUESTRA COM ZABUMBA,
MATRACAS E PANDEIRÕES
EU VOU COM A ‘CARCARÁ’ EM LOUVAÇÃO
PRA SÃO PEDRO, SÃO MARÇAL E SÃO JOÃO
VOU ASCENDER A FOGUEIRA
INCENDIAR A PASSARELA (EU VOU, EU VOU)
NO AUTO DO MEU BUMBA BOI
VOU GUARNECER MINHA FAVELA (FAVELA, FAVELA)




Justiça complacente

Ferreira Gullar
    "VIVEMOS NUM regime democrático, logo os presos têm direito a receber parentes, amigos, advogados e visitas íntimas", afirmou um jurista.
    A pergunta é: os traficantes respeitam as normas do Estado democrático? Na verdade, os bandidos dominam as comunidades pobres, impõem a pena de morte a quem não os obedece, expulsam de casa os moradores quando lhes convém, enfim mantêm a comunidade sob terror. Ou seja, não respeitam os direitos de ninguém, mas, quando presos, gozam dos direitos democráticos que não respeitam.
    Veja bem, não pretendo que os bandidos presos sejam tratados do mesmo modo que tratam suas vítimas; apenas pergunto se não seria mais equânime e sensato usar de maior rigor para impedir que, através das visitas, passem orientações e decisões que os mantêm atuando criminosamente.
    A polícia do Rio encontrou, recentemente, uma carta entregue a uma visita por um preso da penitenciária de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná, dando ordem a seus asseclas para desencadear os atentados que aterrorizaram a população da cidade do Rio. Não seria mais justo para com todos nós impedir que os chefes do tráfico continuem a comandar suas gangues de dentro do presídio?
    Sei muito bem que pega mal dizer coisas como essas. Muitos temem opinar contra certas medidas, estatutos e leis que têm, teoricamente, como objetivo fazer justiça a determinados setores da sociedade.
Não faz muito tempo nossa Justiça decidia que o benefício da progressão da pena (cumpri-la fora da cadeia depois de algum tempo encarcerado) deveria ser estendido aos condenados por crimes hediondos, uma vez que a lei deve ser igual para todos. Depois, parece que voltou atrás e fez um remendo nessa decisão desastrosa.
    O estatuto do menor é outra peça intocável. Todo mundo sabe que os bandidões usam menores de idade para consumar seus crimes porque para eles, na prática, não há punição. Se um menor, a seu mando, mata alguém, o máximo que lhe acontece é ser internado por três anos numa casa de recuperação, donde foge com a ajuda do próprio mandante. Mas vá dizer que o estatuto deve ser modificado! Será tachado de desumano e retrógrado.
    Alguém acredita, em sã consciência, que um rapaz de 16 anos, quando rouba ou mata, não sabe o que faz? Não conheço ninguém que tenha a coragem de afirmá-lo, olho no olho. Mas os defensores do estatuto lançam mão de todo tipo de subterfúgio para mantê-lo intocado.
    Agora mesmo, durante essa onda de terror que aterrorizou a população carioca, a polícia constatou que muitos dos autores desses atentados eram menores. Entravam armados nos ônibus, mandavam os passageiros descer, espalhavam gasolina no veículo e ateavam fogo. Tudo isso sem saber o que faziam.
Muitos deles, presos e encaminhados para uma casa de recuperação, de lá foram retirados pelas mães, que chegaram chorando e lamentando terem sido eles desencaminhados pelos traficantes. Em breve, estarão nas ruas tocando fogo em outros ônibus e assaltando, certos de que nada lhes acontecerá.
    Semanas antes disso, em São Paulo, um menor atacou um rapaz, batendo-lhe violentamente com uma lâmpada fluorescente no rosto. Pertencia a um grupo de desordeiros que andava pela cidade agredindo pessoas. Quando o rapaz atingido, com o rosto sangrando, tentou revidar, foi espancado brutalmente pela patota e só se safou graças ao vigia de um prédio em frente. A polícia os prendeu, mas, na manhã seguinte, os que eram menores de idade foram soltos para, se o quiserem, voltar a cometer novas agressões.
    Durante a tomada pelas forças policiais do Complexo do Alemão, aqui no Rio, foi preso o bandido Zeu, um dos matadores do jornalista Tim Lopes. Cortou-o aos pedaços e o assou num "micro-ondas". Não obstante, condenado, foi agraciado com a prisão-albergue. Saiu e não voltou mais.
    Certamente, não se pode achar que todo jovem delinquente seja um bandido em potencial, mas a nossa tolerância com os criminosos é tal que se tenta aprovar, agora, no Congresso, uma lei para proteger os direitos da vítima, já que a legislação em vigor só cuida dos direitos do condenado. Vivemos numa democracia. O termo "demo" vem do grego e quer dizer "povo". Será que o povo está de acordo com uma Justiça que não o protege?
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

ATOS & FATOS - Caso de cadeia:Faculdade fajuta derrama diplomas falsos em Cururupu 
CORREIO DE NOTÍCIAS - Exigência faz Dilma cancela anúncio de ministros do PMDB
GAZETA DA ILHA - Despejado no baruco
ITAQUI-BACANGA - Castelo assina contrato para construção dse 596 casas na Bacia do Bacanga
JORNAL EXTRA - Gerando emprego e renda: Bandidos do PCC e CV compram mansões e empresas no Nordeste
JORNAL PEQUENO - Maranhão perde recursos por falta de bibliotecas
O DEBATE- Cerca de 300 escolas sem água vão receber recursos o MEC
O ESTADO DO MARANHÃO- Promotores ameaçados por ações contra caça-níqueis
O IMPARCIAL-Qual é o limite?Censo causa briga entre municípios maranhenses

No Painel da Folha de S. Paulo

Pão e leite.Na próxima quinta-feira, o presidente receberá para um café da manhã a bancada do PT na Câmara que ainda sonha em ter um ministro para chamar de seu no governo Dilma. As chances são reduzidas.