29 de abr de 2010

Jornal diz que caixa 2 de Arruda tem digitais de "'Sarney''


Um documento da contabilidade de caixa 2 da campanha do ex-governador José Roberto Arruda lista o nome "Sarney". A anotação manuscrita foi feita pelo próprio Arruda, como comprova perícia feita a pedido do jornal O Estado de S. Paulo. À frente do nome "Sarney", o documento registra a anotação de uma quantia e quanto teria sido efetivamente pago: "250/150 PG".
O apontamento isolado do nome "Sarney" não permite indicar a quem da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), supostamente se refere. Segundo a perícia, as letras "PG" foram escritas pelo tucano Márcio Machado, um dos arrecadadores do caixa 2 do governador cassado que, depois de vencida a eleição, virou secretário de Obras do Distrito Federal.

Em janeiro de 2007, no mês em que Arruda (ex-DEM, hoje sem partido) tomou posse, o secretário Márcio Machado esqueceu em cima da mesa de uma emissora de televisão, em Brasília, duas planilhas. A primeira, publicada pelo Estado no dia 4 de dezembro do ano passado, continha os nomes de 41 empresas que teriam doado para o esquema de caixa 2 da campanha de 2006 do então candidato do DEM ao governo do Distrito Federal. Machado admitiu que era o autor das anotações.

A segunda planilha, com nove nomes, é que foi submetida ao laboratório de perícia de Ricardo Molina. O perito afirma que foi escrita pela mão do ex-governador Arruda a relação de cinco desses nove nomes onde, na quinta anotação, aparece "Sarney - 250/150 PG". Para chegar a essa conclusão, Molina comparou o documento da contabilidade do caixa 2 com uma carta escrita recentemente por Arruda, também de próprio punho, no dia 11 de fevereiro. A carta, com horário registrado das 17 horas e intitulada "Aos amigos do GDF", foi escrita minutos depois de Arruda ter a prisão decretada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

"Conclusões seguras". A análise da perícia técnica diz que os trechos escritos "permitem conclusões seguras" sobre os nomes listados nesta ordem: "1-Izalci-300/200-OK", "2-Chico Floresta-80-OK", 3-Ronaldo-Via-OK-500/2x200-1x150", "4-J.Edmar-1.000/100PG+120+800" e "5-Sarney-200/150PG". E acrescenta: "Os nomes listados nos números de 1 a 5 foram certamente produzidos pelo punho escritor do governador Arruda." O trabalho da perícia, assinada no dia 7 de abril, concluiu de maneira categórica: "Acima de qualquer dúvida razoável, podemos afirmar que a escrita cursiva emanou do punho do governador José Roberto Arruda."

Em dezembro do ano passado, quando o Estado publicou a primeira reportagem sobre as anotações do caixa 2 de Arruda, Márcio Machado admitiu a autoria da tabela com os nomes das 41 empresas, mas disse que não saberia dizer quem era o responsável pelo documento que menciona "Sarney". Agora, o perito Ricardo Molina desfaz a dúvida: "Existe, portanto, uma conexão de fato entre os dois documentos questionados."

Anotação. Comparando os "PGs" da planilha de Machado, a perícia concluiu que a anotação "PG" à frente dos valores ligados a "Sarney" também é do arrecadador de Arruda que virou secretário de Obras. Por causa do escândalo do "mensalão do DEM", o PSDB exigiu a saída do tucano do governo e da presidência regional do partido no DF.

Em dezembro, Machado disse ao Estado, por meio de seu advogado, que a planilha era uma projeção de doações que seriam solicitadas às empresas por meio do tesoureiro oficial da campanha, José Eustáquio Oliveira. O tucano diz que não se recorda dos números nem acompanhou essas doações. Os dois documentos - o de Arruda e o de Machado - estão em poder do Ministério Público.

Senado paga R$ 26 mil para tratamento dentário de Paulinha Lobão


Cerca de R$ 26 mil saíram dos cofres do Senado para tratamento odontológico da apresentadora de televisão Paula Lobão(foto), mulher do suplente de senador e empresário de comunicação e outros negócios Lobão Filho, filho do ex-Ministro das Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB).

Lobão Filho ocupou por dois anos a vaga do pai, Edison Lobão (PMDB-MA), no Senado, na condição de suplente.  Antes de assumir o mandado ele foi acusado de usar uma empregada doméstica como laranja em uma distribuidora da cervejaria Schin no Maranhão. Por conta das denúncias pulou fora do DEM e se filiou ao PMDB, mesmo partido político do pai.

A despesa com o tratamento de dentes da mulher de Edinho (como é conhecido no Estado)foi publicada no Diário Oficial da União na quarta-feira. As informações sobre o caso foram publicadas na edição de hoje do jornal O Estado de S. Paulo.

Paula Lobão é apresentadora do programa "Algo Mais", da TV Difusora (Canal 4), que pertence à família Lobão, no Maranhão. Ele comanda uma carava que percorre o interior do estado em carros baus fazendo shows de payback.

Ao assumir o governo do estado por determinação do Tribunal Superior eleitoral, Roseana Sarney nomeou Paulinha (como é conhecido entre os seus fãs e funcionários da emissora repetidora do SBT no Maranhão) secretário de Estado da Mulher. Foram poucos dias à frente da pasta. Ela desistiu diante das críticas do movimento de mulheres no estado. Alegou tem muitas ocupações com o seu programa, mas disse que iria continuar ajudando as mulheres como faz em seu programa levado ao ar aos sábados.

O gabinete de Edison Lobão no Senado foi procurado pela reportagem do jornal, mas nenhuma resposta foi obtida. Também procurada pela reportagem, Paula Lobão disse que desistira de usar o dinheiro após a publicação da despesa no Diário Oficial. "Meu marido declinou de sua prerrogativa legal e assumirá, integralmente, as despesas relativas a esse processo, não tendo, portanto, sido utilizado nenhum recurso público nessa situação", afirmou à reportagem do jornal de São Paulo. Concluisse que Paulinha usa algo mais além da verba publicitária do seu programa para manter a forma
 
Com informações de O Estado de São Paulo e Terra

Deputados governistas votam contra adicional noturno para PMs

Deputados estaduais rejeitaram no início desta semana a Proposta de Emenda Constitucional, PEC, apresentada pelo deputado estadual Rigo Teles (PV), do Bloco Parlamentar Democrático de apoio ao governo, que estabelecia o adicional noturno para os policiais militares. Os que votaram contra alegaram ser a matéria insconstitucional. O líder do governo, Chico Gomes (DEM), foi um dos que votaram contrário à aprovação da PEC. Gomes acredita que a governadora Roseana Sarney (PMDB) deve enviar mensagem sobre a matéria para o Legislativo antes da eleição. Todos os deputados que votaram contra são da base parlamentar de apoio ao governo na Assembleia.

Veja como votaram os parlamentares:
Contra o adiconal norturno aos PMs
Arnaldo Melo (PMDB)
Antonio Pereira (DEM)
Carlos Braide (PDT)
Fábio Braga (PMDB)
Fátima Vieira (PP)
Francisco Gomes (DEM)
José Lima (PV)
Jura Filho (PMDB)
Max Barros (DEM)
Paulo Neto (PHS)
Stênio Rezende (PMDB)
Valdivino Cabral (PV)

A favor:
Alberto Franco (PMDB)
Camilo Figueiredo (PDT)
Cleide Coutinho (PSB)
Edivaldo Holanda (PTC)
Eliziane Gama (PPS)
Gardênia Gonçalves (PSDB)
Helena Barros Heluy (PT)
Irmão Carlos (PSDB)
Marcelo Tavares (PSB)
Marcos Caldas (PRB)
Penaldon Jorge (PSC)
Raimundo Cutrim (DEM)
Rigo Teles (PV)
Rubens Pereira Júnior (PCdoB)

Ausentes:
Afonso Manoel (PMDB)
Antonio Bacelar (PV)
Carlos Alberto Milhomem (DEM)
César Pires (DEM)
Chico Leitoa (PDT)
Domingos Paz (PSB)
Fufuca Dantas (PMDB)
Graça Paz (PDT)
João Batista (PP)
João Evangelista (PSDB)
Manoel Ribeiro (PTB)
Nonato Aragão (PSL)
Pavão Filho (PDT)
Ricardo Murad (PMDB)
Valdinar Barros (PT)
Victor Mendes (PV)

Grito da Terra dará prioridade aos temas da Terceira Idade

Os problemas e as dificuldades dos trabalhadores rurais que estão na terceira idade constituirão um dos principais temas apresentados pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) nas negociações com o governo, nos próximos dias, durante o movimento Grito da Terra do Brasil.

De acordo com a entidade, 7,5 milhões dos 25 milhões de trabalhadores rurais encontram-se na terceira idade.

“Nossas preocupações vão desde a fraude, que transformam aposentados e pensionistas em vítimas de golpes com o crédito consignado, até a reivindicação para que o governo doe aos idosos do campo uma pequena terra com habitação, para evitar que tenham que se mudar para favelas das grandes cidades, após serem demitidos pelo patrão”, explica o secretário de Terceira Idade da Contag, Natalino Cassaro.

A edição deste ano do Grito da Terra do Brasil,criado em 1995, está marcada para 12 de maio, em Brasília, e deverá reunir 10.000 trabalhadores e trabalhadoras rurais.

Com informações do Brasil Confidencial

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Barbaridade na Areinha
CORREIO DE NOTÍCIAS - Castelo dá posse a novo secretário
GAZETA DA ILHA - Meteu bala no olho do vizinho
JORNAL EXTRA - Anciã é morta a pauladas e queimada em caeira
JORNAL PEQUENO - Flávio Dino garanti: "Não retiro candidatura nem se Lula pedir"
O DEBATO - Igreja Universal é acusada de enviar R$ 400 mi ao exterior
ESTADO DO MARANHÃO - Comerciante denunci fraude e grilagem em Barreirinhas
O IMPARCIAL - Os milhões por trás da eleição da Fecomércio
TRIBUNA DO NORDESTE - Maranhão continua exportando doentes