3 de fev de 2011

Na TV:Zeca Baleiro é escalado para o cervejão da schin

Prefeito de Barra do Corda continua foragido da Polícia Federal


O prefeito Nenzim e a governadora Roseana no Palácio dos Leões
     Aliado de primeira hora da governadora Roseana Sarney, o prefeito de Barra do Corda, Manoel Maria Souza (PV), o Nenzim, continua foragido. No dia 27 de janeiro,  Nenzim esteve com a governadora no Palácio dos Leões, buscando um solução para o impasse. Sua prisão já era anunciada há cerca de 15 dias. Em seu blog, o jornalista Luis Cardoso foi o primeiro a noticiar. Como consequência, sofreu ameaças. Provalmente do filho pródigo de Nenzim, o deputado estadual Rigo Teles, um dos homens mais ricos do Maranhão.
Roseana e Nenzim na campanha em Barra do Corda
    Foram mobilizados mais de 100 policiais dos Estados do Maranhão, Piauí e Brasília para cumprir 18 mandados de busca e apreensão e 12 de prisão temporária, expedidos pelo TRF da 1ª Região. Na operação Astiages derrubou a casa dos Teles em Barra do Corta. Dois filhos de Nenzim estão atrás das grades. A mulher do prefeito, Francisca Teles de Sousa, a “Santinha”,  também escafedeu-se. Um genro e uma nora de Nenzim que faziam parte do esquema montado para desviar recursos públicos foram presos pela PF.
    O esquema que rendeu o pedido de prisão da Justiça Federal teria desviado mais de R$ 50 milhões da Prefeitura de Barra do Corda.Os acusados são investigados pelos crimes de desvio e apropriação de recursos públicos, lavagem de dinheiro, crimes contra a ordem tributária e formação de quadrilha.
    O superintendente em exercício da PF no Maranhão, Eugênio Ricas, informou à imprensa que a investigação em cima do esquema de desvio em Barra do Corda começou em fevereiro do ano passado a partir de relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). "O relatório mostrou uma variação patrimonial grande e a partir daí instaurou-se um inquérito para investigar o caso. Ele (prefeito) não tem como explicar a evolução patrimonial gigantesca em tão pouco tempo",  assegurou Ricas.
    Foram cumpridos, até o momento, nove mandados de prisão e todos os mandados de busca e apreensão. Já foram recolhidos pela PF um helicóptero, um avião, carros de luxo, joias e uma caixa repleta de relógios de luxo.
Opulência
Outra constatação do desvio de dinheiro em Barra do Corda, segundo a PF, são as casas das pessoas envolvidas na organização. De acordo com delegados que estão cumprindo os mandados, essas propriedades são tão luxuosas, que a classificação de mansões, para elas, ainda é pouco em comparação com a estrutura. "Elas são verdadeiras casas de cinema, segundo os agentes e delegados que estão em campo. Isso só reforça que essas pessoas estão envolvidas nos crimes", completou o delegado Mesquita.

Hospital Geral em Urbano Santos é retrato do abandono da saúde pelo governo do estado

Allcione vende nos quiosques da orla do Rio DVD gravado em São Luís com patrocínio do governo


A cantora Alcione, a Marrom
    A cantora Alcione  inciou ontem, nos quiosques da orla do Rio de Janeiro, a venda de seu CD/DVD ‘Acesa Ao Vivo, em São Luís do Maranhão’, gravado no ano passado com tomadas na Praça Maria Aragão e patrócínio do governo do estado do Maranhão. O patrocínio girou em torno de R$ 500 mil. A maranhense faz temporada no Asa Branca.
    "Gostei muito da ideia porque as pessoas sabem que a gente tem um grande concorrente, que é a pirataria nos calçadões. Então vamos levar meu CD/DVD original para os quiosques”, avisa a Marrom. Ela se prepara para lançar CD novo e um selo próprio, Marrom Music.
Um quarto do lucro com a venda será revertida para obras sociais da Rio Orla, como rampa para cadeirantes e serviço ampliado nos postos da praia e no atendimento a crianças e idosos. Por enquanto, não há notícia de que ela fará doação para instituições de carida em sua terra natal.
“O Brasil nunca prestou muita atenção neles (os deficientes). Tinha que ter sempre transporte adaptado, calçadas, shoppings. Ninguém alivia para o deficiente físico”, critica.
    Sobre o repertório dos shows que apresentará no Rio, Alcione avisa que não há mudanças à vista.“Os críticos pararam de reclamar (da mudança para o repertório romântico), já me respeitam do jeito que sou, sabem que nunca vou fazer um disco linear. Eu gosto de cantar tambor de crioula, reggae, Stevie Wonder, bons sambas, tudo aquilo que me emociona”, garante Alcione.
    A temporada de shows no Asa Branca acontece de hoje a sexta-feira e, depois, na quinta e na sexta-feira da semana que vem, sempre às 22h. A estreia vai ter ingresso promocional a R$ 20 para quem levar um kit para as vítimas das chuvas no estado (lata de leite em pó, 2 garrafas de 1 litro e meio de água e 1 pacote de fraldas descartáveis), com 80% da renda revertidos para a região serrana. Nos outros dias, a entrada inteira custa de R$ 50 a R$ 60.
Com informações de O Dia

Comissão lança nota de apoio aos defensores de direitos humanos no Maranhão

    A Comissão de Direitos Humanos e Minorias lançou nota ontem,2, em apoio ao ingresso de militantes do Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia (MA), no Programa Nacional de Proteção de Defensores dos Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. O manifesto deve-se às graves ameaças de morte que enfrentam.
    A nota ressalta que Açailândia, município situado no Sul do Maranhão, está no epicentro de uma região em que perduram o uso da mão de obra escrava, os assassinatos e a impunidade de pistoleiros. A nota cita a reportagem do programa “Fantástico”, da Rede Globo, que mostra o fazendeiro Adelson Veras de Araújo frequentando bares de Açailândia, apesar de ter prisão preventiva decretada desde abril de 2009 pela morte de dois trabalhadores que lhe cobraram uma dívida por serviços não pagos.
    Junto com a Frente Parlamentar Contra o Trabalho Escravo e outras instituições, a comissão se compromete a redobrar esforços para acompanhar os processos judiciais sobre os conflitos agrários no Maranhão, e as ameaças aos defensores de direitos humanos naquele estado.
Audiências
    A comissão participará de audiências públicas que serão promovidas pelo programa no próximo dia 10, em São Luís, com autoridades e sociedade civil, em busca de providências concretas para inibir o trabalho escravo, a grilagem e as ameaças a defensores de direitos humanos. “A erradicação do trabalho escravo é uma tarefa política urgente e imperiosa para o poder público e para o conjunto da sociedade brasileira”, enfatizou a presidente da comissão em exercício, deputada Janete Pietá (PT-SP).
Do Portal da Câmara

Tiririca mostra seu lado nada "abestado"

    O deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva (PR-SP)), Tiririca, provou nas urnas que de "abestado" nada tem. Mais votado no pais, o cearense Everardo agora lustrou seu currículo apresentando-se como "ator", deixando no passado a profissão de "palhaço".  Na cerimônia de posse dos deputados, Tiririca apareceu acompanhado da mulher que chamou atenção mais do que o "comediante" de terno.

Sarney manobrou para manter feudo no setor elétrico

Sabem aquela carona estranha que o senador e ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) pegou após a posse da presidente Dilma, enfiando-se no avião presidencial que levou Lula de volta a São Paulo?
    Pois bem, há sinais de que Sarney deu um jeito de introduzir na conversa durante o voo discretas, discretíssimas queixas sobre mudanças que Dilma pretende fazer no comando de estatais do setor elétrico.
    Como manda ao velho patrimonialismo que rege o Estado brasileiro, o setor elétrico é há muito tempo “área do Sarney”, que faz e desfaz presidentes e diretores de estatais e, inclusive, ministros de Minas e Energia.
    Essa situação atravessou os governos Itamar Franco (1992-1995), FHC (1995-2003) e Lula (2003-2011). Assim, vale a pena observar nos próximos dias o que se passará com essa eventual troca de comandos.
    A presidente teria combinado com o ministro Edison Lobão – velho menino de recados de Sarney – pelo menos uma mudança de peso: na Eletrobrás, sairia o engenheiro eletricista José Antonio Muniz Lopes Filho, ex-presidente da Chesf e da Eletronorte, e entraria outro engenheiro, Flávio Decat, ex-diretor da própria Eletrobrás e de outras estatais do setor, hoje atuando na iniciativa privada (na Rede Energia, gigante do setor que atua em seis Estados, inclusive os dois maiores, São Paulo e Minas Gerais, e mais de 500 cidades brasileiras).
PODEROSO E MATREIRO, COM TENTÁCULOS POR TODO O PAÍS
    Sempre agradável e simpático pessoalmente, mas poderoso e matreiro — um dos políticos mais importantes do país, em conversa comigo, já o qualificou como “uma enguia”, peixe elétrico de mordida mortal — , Sarney tem poder de fogo para reagir e dar o bote.
    Dispõe de centenas de pessoas de sua confiança, que lhe devem favores, espalhadas em cargos por todo o Estado brasileiro, inclusive em governos estaduais, e uma influência polivalente, com tentáculos que se estendem da Academia Brasileira de Letras, de que é membro, até a Confederação Brasileira de Futebol e passando pelas Forças Armadas.
    Vale lembrar que, teoricamente aliado de FHC, e também como presidente do Senado, infernizou o chantageou o presidente incontáveis vezes, sempre com seu ar sorridente e impassível.
    Agora, será interessante ver a reação de Sarney não apenas em relação à presidente Dilma – não nos esqueçamos de que novamente, pela quarta vez, ele estará presidindo o Senado –, como também para com o ministro Lobão.
    Vamos aguardar, de camarote ainda mais porque, aparentemente, as mexidas da presidente não irão parar na Eletrobrás.
     De todo modo, raposa espertíssima, o ex-presidente, nessa história, como uma espécie de compensação, já passou a perna no PT, que detinha o comando do INSS desde 2003, e lá emplacou o procurador Mauro Hauschild, indicação feita em comum com o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), outra flor do orquidário fisiológico peemedebista.
    Embora seja indicação política, Hauschild atende a exigência da presidente Dilma de que os abençoados por parlamentares tenham DNA técnico. Confira o currículo de Hauschild.
De Ricardo Setti, de VEJA

No Painel da Folha de S. Paulo

Tiroteio
'O povo agradece o "sacrifício pessoal" de Sarney, mas, se pudesse escolher, teria mandado o senador para casa.'
DO PRESIDENTE DO PSTU, JOSÉ MARIA DE ALMEIDA, sobre o peemedebista, que, ao assumir pela quarta vez o comando do Senado, disse que "não desejava o encargo".
De Renata Lo Prete

Morre Ulisses Braga


O jornalista Ulisses Braga (dir)

    Morreu no final da tarde de sábado, 30 de janeiro, em Araguaína (TO), onde se encontrava hospitalizado, o advogado, jornalista e escritor, membro da Academia Imperatrizense de Letras, Ulisses Azevedo Braga, 80 anos, vítima de problemas pulmonares.
    Ulisses era natural de Carolina-MA, cidade onde voltou a morar nos últimos dez anos, antes tendo vivido em Brasília, onde foi vice-presidente da OAB, defendeu perseguidos da Ditaura Militar, depois por mais de uma década morou em Imperatriz, cidade onde desenvolveu grande atividade política, tendo sido o mentor do Fórum da Sociedade Civil, entidade que congregou a sociedade organizada imperatrizense para a tomada da prefeitura no dia 18 de janeiro de 1995, afastando o então prefeito Salvador Rodrigues e levando a governadora Roseana a decretar a intervenção no município de Imperatriz. A chamada "Revolução de Janeiro" completou este mês 16 anos.
Do Blog de Josué Moura

Charge do dia - Nani

Ueba! A múmia Sarneykamon!

José Simão
    BUEMBA! BUEMBA! Macaco Simão Urgente! O esculhambador-geral da República!
    E olha a placa atrás do Fórum de Pindamonhangaba: "DOUTORA MAZINHA, advogada". Rarará! Essa é predestinada mesmo!
    E o Éramos revela: uma das pragas do Egito sobrevive até hoje no Brasil. SARNEYKAMON. Avô do Tutankamon! Rarará! Isso! A Múmia Brasileira: Sarneykamon. E ele vai começar os discursos assim: "Egípcios e egípcias"! Rarará!
    E vamos lançar a campanha: "Vamos Enfaixar o Sarney". E mandar pro Egito! Mas como gritou o outro: "Enterra bem fundo!". Rarará!
    E o pessoal fica revoltado com o Sarney eternamente no Senado. Mas ele não é imortal?
    Literalmente! O Moribundo de Fogo! O Finado Vivo! Mas sabe o que ele parece mesmo? Uma coruja empalhada. E a declaração dele: "É a minha última vez". Mentira!
    Diz que a família Sarney tem embrião congelado. Pro senado de 2030! E o Brasil quer saber: quando o Sarney morrer, se ele morrer, na hipótese remota de ele morrer, o Maranhão fica pros filhos dele ou volta pro povo? Rarará!
    E o Egito? E o Agito? Manchete do Sensacionalista: "Brasil manda Capitão Nascimento pro Egito: Mubarak, pede pra sair". Rarará! E o Cabral vai instalar uma UPP no Egito! E esse Mubarak vive no universo paralelo?
    E o encontro da Dilma com a Cristina Quiche! Primeiro, fizeram um acordo nuclear. Pra ver quem explode primeiro. Rarará!
    Depois Dilma e Cristina Quiche conversaram sobre o Mercosul, menopausa e a última receita de pão de ló da Ana Maria Braga!
    E um amigo meu tá preocupado: um mês de governo Dilma e nenhuma TPM! Tenho medo que acumule. TPM acumulada. Rarará!
    E eu sei como vai ser a gestão Dilma: quatro anos de piadas machistas. Rarará!
    O Brasileiro é cordial! Mais uma do Gervásio. Cartaz na empresa em São Bernardo: "Se eu descobrir quem é o fofoquito abelhudo que fica falando onde eu vou com a minha família nos finais de semana, eu vou fazer esse Nelson Rubens do Paraguai comer uma banana de dinamite acesa. Conto com todos. Assinado: Gervásio".
    Vamos mandar o Gervásio pro Egito: "Se esse cabrunco do Mubarak não se picar, eu vou fazer ele engolir aquela tintura negro corvo e sentar na ponta da pirâmide e escorregar até a base. Conto com todos!". A situação tá ficando egípcia. Nóis sofre, mas nóis goza!
    Que eu vou pingar o meu colírio alucinógeno!
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

AQUI-MA- Tibiri: Pânico no busão
ATOS & FATOS - Deputados negam traição e dão aviso a Roseana Sarney
JORNAL A TARDE - Vereador tira o dela da reta e deixa João Castelo no veneno
JORNAL PEQUENO - TRT considera ilegal greve de agentes de endemias em São Luís
O ESTADO DO MARANHÃO -No Congresso, Dilma propõe pacto contra pobreza
O IMPARCIAL - Atrasos e demissões na obra da refinaria
TRIBUNA DO NORDESTE - Independência é a palavra de ordem na Assembleia

Na agulha:Chico Correa mistura tudo na Paraíba