12 de mar de 2010

São Luís - Da lama ao caos





Rio Corda

* Olimpio Cruz

Estreito, e como linha de um colar
Que enfeita o seio de uma linda amante
Desliza o corda, nma voz cantante
Há séculos caminhando sem parar.

Desce tranquilo em busca do alto mar
Oferece uma curva ao navegante
E cansado qual velho caminhante
No patrio Mearim vai se abrigar.

E já perdendo o curso, as próprias águas,
Canta o Corda a canção das suas máguas
E depois uma elegia triste assim:

-Esbarro aqui, às portas da cidade
Onde suspiro cheio de saudade
E morro me abrançando ao Mearim


* O barracordino Olímpio Cruz (1909-1996) é autor do livro "Cauiré Imana, o Cacique Rebelde" que relata o episódio da guerra entre índios e jezuítas no povoado Alto Alegre no Século XX. O poema "Rio Corda" faz parte do livro "Canção do Abandono" editado em 1953 pela Tipogadia M. Silva.  dedicado ao "inolvidável" Maranhão Sobrinho. Na époc era prefeito de Barra do Corda o senhor Manoel melo Milhomem, ancestral do deputado estadual Carlos Alberto Milhomem.


Moacir Feitosa deixa Semed no dia 26 para se candidatar à Câmara Federal

A BBC vira ao Maranhão ainda este semestre para verificar o que aconteceu com os indicadores de educação no estado, principalmente em São Luís, no período de 2002-2009. Os avanços nesses indicadores esquentaram a pauta da TV britânica. Uma das fontes da reportagem será o professor Moacir Feitosa, atual secretário Municipal de Educação. 

     A partir do dia 26 de março, no entanto, Moacir Feitosa deixará o cargo para disputar uma vaga na Câmara Federal pelo Maranhão. Castelo não revela nem mesmo ao ainda titular da pasta quem será seu substituto. Será uma baixa significativa no quadro da Prefeitura sem destaque algum.

     A desincompatibilização de Feitosa alivia um desconforto que o tucano vinha tendo no abrigo ao único nome ligado ao PDT que integrava sua equipe. Vice-presidente municipal do PDT, Feitosa foi anunciado como integrante de sua pretensa equipe, antes mesmo que o ex-governador do estado vencesse apertado o deputado federal comunista Flávio Dino, em outubro de 2008, com auxílio luxuoso dos pedetistas de alto coturno, entre eles o então governador Jackson Lago.

     No cargo, Feitosa foi sofrendo desgaste na relação com a deputada Gardênia Castelo detentora de um poder paralelo na gestão do pai, fazendo e acontecendo em todas as secretarias. Dita desde o elenco da programação cultural da FUNC até a equipe da Comissão Central de Licitação. Empurrando o auxiliar para o desgaste, Castelo tem atrasado pagamentos do serviço de vigilância, professores contratados, etc, etc.

     Com uma folha de serviço prestado à educação do município de São Luís de relevância reconhecida até por correntes políticas adversárias, Moacir Feitosa busca o reconhecimento do eleitorado letrado da capital e região metropoliticana para chegar à Câmara Federal.

     Vice-presidente da UNDIME, desde 2002, na gestão do ex-prefeito Jackson Lago, até este mês, Feitosa entregou aos alunos de São Luís, 80 novas escolas, ampliando ofertas de vagas na rede pública. Onze delas construídas na administração João Castelo. A saída de Feitosa vai desfalcar a exangue equipe do tucano.

Tragédia tira vida do cartunista Glauco, criador do "Geraldão"

O cartunista Glauco Villas Boas, 53, foi morto nesta madrugada em sua casa, em Osasco, após uma tentativa de assalto e sequestro. Raoni, 25, um dos filhos do cartunista, também morreu durante uma discussão com dois homens armados que invadiram a casa, localizada em uma montanha da região.

     De acordo com informações de Ricardo Handro, advogado de Glauco, os dois homens invadiram o local por volta da meia-noite. Glauco negociou com os bandidos e iria sair de casa com a dupla, deixando a mulher e os filhos em casa.
    
     Quando deixavam o local, Raoni chegou em casa e houve uma discussão com os assaltantes, que atiraram e mataram pai e filho.
    
     Segundo informações do advogado, esta foi a primeira vez que a casa de Glauco foi invadida. O carro que estava com os assaltantes era roubado.

     Um boletim de ocorrência foi registrado do 1º DP de Osasco, e a polícia agora investiga o caso. Ninguém foi preso até o momento.

     Ainda não há informações sobre velório e enterro do cartunista e do filho.

Carreira

     Nascido em Jandaia do Sul, interior do Paraná, Glauco começou a publicar suas tirinhas no "Diário da Manhã", de Ribeirão Preto, no começo dos anos 70.

     Em 1976, foi premiado no Salão de Humor de Piracicaba e, no ano seguinte, começou a publicar seus trabalhos na Folha de maneira esporádica. A partir de 1984, Glauco passou a publicar suas tiras regularmente no jornal.


     Entre seus personagens estão Geraldão, Cacique Jaraguá, Nojinsk, Dona Marta, Zé do Apocalipse, Doy Jorge, Ficadinha, Netão e Edmar Bregman, entre outros.

     Em 2006, ele lançou o livro "Política Zero", reunião de 64 charges políticas sobre o Governo Lula publicadas na página 2 da Folha.

     Glauco também era líder da igreja Céu de Maria, ligada ao Santo Daime e que usa a bebida feita de cipó para fins religiosos.

Em defesa do PT e de um Maranhão livre

 
* Sílvio Bembem

     O PT do Maranhão terá papel decisivo nestas eleições. A participação do Partido dos Trabalhadores no pleito de 2010 decidirá se o Maranhão continuará no atraso, ostentado os piores indicadores sociais do País e submetido à tirania de uma família ou se iniciamos o processo de mudanças capaz de construir um Maranhão livre, próspero e justo para todos.

     Os maranhenses não agüentam mais a dor da pobreza, a corrupção deslavada, a concentração ilícita de riqueza e o poder autoritário e excludente de uma oligarquia que humilha, debocha e massacra o povo.

     Há 42 anos o Maranhão é dominado por apenas uma família, sendo o único Estado do Brasil que não houve alternância de poder com a redemocratização. Para manter a escravidão no estado, controlar os espaços públicos e privados; manter o controle da mídia e sufocar as forças democráticas, o Senador Sarney, parentes e aliados se agarram com unhas e dentes nas estruturas do governo federal e em quem se elege Presidente da República.

     A oligarquia Sarney se serviu dos governos militares e da mesma forma se aproveitou dos governos Collor, Itamar, Fernando Henrique Cardoso e agora mais do que nunca do Governo do Presidente Lula. Dos políticos que serviram a ditadura, Sarney é o único que continua mandando na República: de Presidente da Arena e do PDS tornou-se cacique no PMDB; com quatro votos do TSE “elegeu” sua filha governadora do Maranhão; Preside o Senado Federal após derrotar o petista Tião Viana; controla com mão de ferro o setor elétrico nacional e manda e desmanda nos cargos federais em Brasília e na quase totalidade dos cargos públicos no Maranhão e no Amapá.

     Nestes 30 anos o PT tem sido um dos poucos partidos que nunca teve relações políticas com o grupo político do Senador Sarney. Agora a oligarquia quer se apossar do PT no Estado, com a falsa desculpa de que é para o bem da candidatura da companheira Dilma.

     O 4º Congresso Nacional do PT aprovou uma resolução justa e equilibrada, pois temos completa concordância de que a eleição da companheira Dilma é a nossa primeira prioridade, para continuar os programas, projetos e políticas públicas iniciadas pelo Presidente Lula que tem reduzido as desigualdades sociais e regionais e colocado o Brasil com potência internacional.
 
     Compreendemos que o PT enquanto partido nacional tem em seu diretório nacional a instância legítima para acompanhar, mediar e orientar de forma democrática e transparente o processo eleitoral nos estados.

     Consideramos legítimo o esforço da direção nacional visando construir palanques únicos nos estados aonde houver esta possibilidade, bem como aplaudimos a decisão do Congresso de ratificar a nossa democracia interna ao garantir a existência de dois ou mais palanques nos estados aonde não for possível um único palanque, como é o caso do Maranhão.

     Assim, o PT, PSB, PCdoB e possivelmente o PRB, PCB, PMN e o PPS, apoiados pelos movimentos sociais constituirão um palanque forte, democrático e limpo para a candidatura da companheira Dilma, vez que o PCdoB já disponibilizou o nome do Deputado Federal Flávio Dino para ser o candidato ao governo. O PT tem bons nomes para ser vice. O PSB tem o ex – governador José Reinaldo como candidato ao Senado e o PT tem o nome de Bira do Pinadré como outro nome para completar a chapa majoritária. Estes e os outros possíveis partidos formarão uma forte chapa para a Câmara Federal e Assembléia Legislativa com possibilidades reais do PT dobrar a sua bancada de deputados estaduais e deputados federais.

     O palanque do PT, PSB, PCdoB e outros aliados se harmoniza com as diretrizes dos nossos programa de governo aprovado no 4º Congresso, sendo o espaço natural e único dos movimentos sociais na luta permanente na defesa dos direitos humanos, da reforma agrária, da igualdade racial e do desenvolvimento sustentável, que potencializará a campanha de nossa candidata no Estado.

     O palanque PMDB, PV e o DEM será o suicídio político, eleitoral e ético do PT e dos demais partidos do campo progressista e popular. Neste palanque o PT não elegerá senador, nenhum deputado federal e terá enormes dificuldades de manter a bancada estadual, uma vez que fundadores do partido e militantes históricos não serão candidatos. A oligarquia Sarney deseja unicamente se apossar do PT para se apropriar da popularidade do Presidente Lula e tentar se manter no poder por mais 40 anos, pois de qualquer maneira haverá dois palanques no Maranhão, pois o PSB, PCdoB e PDT não se juntarão no palanque controlado pela família Sarney.

     O Senador Sarney usa mais uma vez o nome da Ministra Dilma para atender os seus interesses, pois se realmente tivesse empenho na eleição da nossa candidata impediria que o PMDB de Pernambuco, do Paraná, Santa Catarina, Bahia e Rio Grande do Sul estejam no palanque do PSDB.

     Que o PMDB faça o seu palanque e deixe os partidos do campo democrático e popular fazerem o seu. O PT não pode ser apossado pela oligarquia. Não é justo a oligarquia querer se apossar da nossa honra e da nossa história. Construiremos um palanque forte e, sobretudo limpo, ético e progressista para nossa candidata. Vamos vencer as eleições para governador, senador e elegeremos uma grande bancada na Assembléia Legislativa e na Câmara Federal, verdadeiro medo da oligarquia.

     Desta forma ratificamos a apresentação do nome do Deputado Federal Flávio Dino para candidato ao governo do Maranhão nas eleições de 2010, apresentado na reunião do Diretório Estadual do dia 27 de fevereiro e a conseqüente formação de uma frente popular, democrática e progressista com o PT, PSB, PCdB e possivelmente o PCB, PMN e o PPS

     Assim, apelamos aos nossos delegados e delegadas, aos dirigentes nacionais do PT e à cidadania brasileira que nos compreendam e não permitam a morte do PT do Maranhão e a ditadura de uma oligarquia que deseja no governo democrático e popular do Presidente Lula se eternizar no poder.

São Luís (Ma) 04 de março de 2010.


Adrovando Brandão de Brito
Arlindo de Sousa Cavalcante da Silva
Augusto Lobato
Dep. Domingos Dutra
Ester Sá Barreto
Franklin Douglas
Genilson Alves d
Ivo Fonseca
Janete Amorim
José Pereira
Manoel Conceição-Presidente de Honra do PT/MA
Márcio Jardim
Maria Adelina de Sousa Chagas
Maria Nice Machado Aires
Paulo Sérgio Oliveira
Pedro Tavares
Raimundo de França Dutra
Raimundo Nonato R. da Silva
Raimundo Nonato Silva Júnior “Chocolate”
Silvia Cristina Pessoa
Sílvio Bembem
Terezinha Fernandes
Bira do Pindaré
Dep. Valdinar Barros


* Silvio Bembem é membro da Executiva Estadual do PT e ex-secretário de Estado da Igualdade Racial

Ciro critica imposições do PT nos Estados

* PAULO PEIXOTO
     O deputado federal e ex-ministro Ciro Gomes (PSB), pré-candidato a presidente, criticou ontem o PT por impor alianças a seus diretórios estaduais por conta do acordo nacional entre PT e PMDB.

     Ciro citou os casos da senadora Roseana Sarney (MA) e do ministro e senador Hélio Costa (MG), ambos do PMDB.

     "O pessoal está mandando o PT votar na Roseana Sarney no Maranhão. Olha que eu sou amigo deles [da família Sarney], mas a política é outra coisa. O pessoal está mandando o PT votar no Hélio Costa aqui em Minas Gerais. O que é isso? Não concordo", disse Ciro.

     Para favorecer eleitoralmente a pré-candidata do PT a presidente, a ministra Dilma Rousseff, o governo federal e PT trabalham para impor arranjos políticos nos Estados.

     Em palestra a empresários mineiros promovida pela revista "Viver Brasil", com apoio do grupo Usiminas, Ciro afirmou que a coalizão PT-PMDB não ocorre por "governabilidade, mas por tráfico de minutos de televisão para conservar o poder e despolitizar".

     Ele disse que nem Dilma e nem o governador José Serra (SP), pré-candidato do PSDB a presidente, mudarão isso.

     "Ao contrário, esses dois botam isso de barato no centro do poder. Nem sequer se aproveitará a oportunidade das eleições gerais para deixar o povo dar uma renovada: ampliar a bancada do PDT, do PC do B, do PT, do PSB, ampliar a bancada das pessoas corretas do PMDB. Hoje está o inverso."

     Ciro disse que considera "fundamental" a realização de alianças e que com elas podem até aparecer aliados "problemáticos", mas que é preciso haver critérios. "Quando eu fizer uma aliança, vou anunciar o código de procedimento e o programa. Aí tudo bem, as contradições se diluem nisso."

da Agência Folha, em Nova Lima
 

Manchetes dos jornais

AQUI-MA – Sacavém: Execução do tráfico
ATOS & FATOS – Vale é condenada a pagar indenização de 300 milhões
CORREIO DE NOTÍCIAS – Covardia da Câmara traz sofrimento à população
JORNAL A TARDE – Secretaria de Transportes melhora serviços de estudantes da UFMA
JORNAL EXTRA – Empresário mata cliente com 5 tiros
JORNAL PEQUENO – Polícia Federal decide indiciar Fernando por evasão de divisa
O DEBATE – Porto do Itaqui está entre os mais importantes do BR
O ESTADO DO MARANHÃO – Itaqui terá R$ 505 milhões para obra de ampliação
O IMPARCIAL – Fim da greve do lixo
O QUARTO PODER – PM é preso por corrupção
TRIBUNA DO NORDESTE –Igreja pede mais ações para agricultura familiar