13 de jul de 2010

Lei da Ficha Limpa poderá tirar 207 candidatos da disputa eleitoral no país

     A  Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) já poderá tirar da disputa eleitoral de outubro pelo menos 207 candidatos. Entre eles, pesos pesados da política, como Joaquim Roriz (quatro vezes governador do Distrito Federal), Anthony Garotinho (ex-governador do Rio e ex-candidato à Presidência da República) e Jader Barbalho (ex-governador do Pará e ex-presidente do Senado). Levantamento feito pelo Congresso em Foco nos sites das 27 unidades do Ministério Público Federal (MPF) mostra que os procuradores eleitorais procuraram passar um pente fino em todos os registros apresentados à Justiça Eleitoral até a última segunda-feira (5).

TRE-Maranhão
Agenor Almeida Filho
Antonio Homete Vieira da Silva
Antonio Joaquim Araújo Neto
Berckson Santos Ramos
Claudemir Machado Lopes
Cleber Verde Cordeiro Mendes
Emílio Ayoub Jorge
Flauberth de Oliveria Amaral
Francisco Bastos
Francisco Dantas Ribeiro Filho
Francisco Lázaro Carvalho Filho
Francisco Valbert Ferreira de Queiroz
Frncisco Wilson Leite da Silva
Graciete Maria Trabulsi Lisboa
Gracílio Cordeiro Marques
Heliomar Barreto Torres
Hemeterio Weba Filho
Humberto Dantas dos Santos
Ildon Marques de Souza
Jackson Kepler Lago
James Dean Gaspar Sodré
João Batista dos Santos
João Evangelista Mota
Jorge Henrique Rocha Campos
José de Ribamar Jansen Penha
José Edilson de Souza Silva
José Lima dos Santos Filho
José Maguino Cutrim
José Sarney Filho
José Vieira Lins
Josimar Alves de Oliveira
Manoel Gomes da Silva
Marcia Regina Serejo Marinho
Marco Aurelio Santos Cordeiro
Penaldon Jorge Riberito Moreira
Raimundo Nonato Alves Pereira
Raimundo Silva
Reginaldo Pereira Santos
Ricardo Antonio Archer
Themis Quintanilha Gerude

Artistas e atletas candidatos não declaram patrimônio milionário

     Representantes do meio artístico e até um ex-BBB também tentarão entrar na política. O maranhense Joãozinho Trinta, candidato a deputado distrital (Distrito Federal) está entre as celebridades que buscam na carreira política uma tábua de salvação para seus apertos financeiros. Na declaração de bens do carnavalesco que se celebrizou na Beija-Flor e pela frase "“quem gosta de miséria é intelectual, pobre gosta de luxo”, o patrimônio está avaliado em R$ 100 mil.
     Tatiana dos Santos Lourenço, a Tati Quebra Barraco, quer virar deputada federal pelo PTC. A funkeira declarou um carro de R$ 50 mil e uma casa de R$ 100 mil. A declaração de bens do ex-BBB Jean Wyllys, o professor que teve os 10 segundos de fama, mostra que o prêmio de R$ 1 milhão foi pulverizado. Ele declarou um apartamento de R$ 200 mil em Salvador, uma casa em Alagoinhas, de R$ 120 mil, e um Cross Fox 2007, que diz custar R$ 50 mil.
Aguiar, o próspero
     Fonte inspiradora de muitas das celebridades com olhos na política, o cantor Frank Aguiar (PTB-SP) indica que o mandato eletivo pode ser bom negócio. O forrozeiro entrou para o grupo dos milionários em quatro anos. Em 2006, quando venceu a primeira eleição para a Câmara, declarou patrimônio de R$ 543 mil. Agora, declarou R$ 3,8 milhões, sendo R$ 878 mil em dinheiro guardado em casa, uma vez que o valor não consta como depósito bancário. A fase de prosperidade trouxe uma casa de R$ 2 milhões, um Toyota Land Cruiser de R$ 181,7 mil, além de aplicações, previdência privada e uma conta bancária com R$ 259 mil.
     No caso dos ex-jogadores de futebol, quanto maior a fama, menor o número de bens acumulados.Alguns, como Túlio Maravilha (PMDB-GO), Maguila (PTN-SP), Mulher Melão (PHS-RJ) e Reginaldo Rossi (PDT-PE), apresentaram uma lista de bens "zerada". Veja a lista de bens dos famosos:
    
Fonte: O Estado de Minas

Aliança DEM-PSDB supera no país coligação governista PT- PMDB

     A coligação PT - PMDB, base de apoio à candidatura de Dilma Roussef, está em desvantagem no país em relação a aliança DEM - PSDB. Enquanto a coligação governista se reproduz em 14 eleições para o governo e o senado, os dois partidos de oposição que tem Serra como candidato sustentam 21 candidaturas para governador e para senador. A análise é feita pelo jornalista Fernando Rodrigues, do jornal Folha de S. Paulo, em post de seu blog.
     No Maranhão, parte do PT e PMDB estão junto na coligação "O Maranhão não pode parar" formada pelo PRB, PP, PT, PTB, PMDB, PSL, PTN, PSC, PR, DEM, PRTB, PMN, PV, PRP e PT do B. No Estado o DEM abandonou o PSDB e apoia a candidata lulista de Roseana Sarney (PMDB).
     PT e PMDB estão na coligação “Para o Brasil seguir mudando” (com PDT, PSB, PR, PC do B, PRB, PTN, PSC e PTC), que apoia Dilma Rousseff para presidente da República.
    Segundo Rodrigues, o líder do governo Lula no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), por exemplo, disputará a reeleição numa chapa junto com o DEM e com o PSDB – arquiinimigos do PMDB e do governo Lula em Brasília.
     PT e PMDB vão se enfrentar diretamente ou estão em coligações adversárias em 13 Estados: Acre, Amazonas, Amapá, Bahia, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Nos outros 13 Estados e no Distrito Federal, os partidos estão juntos.
     PSDB e DEM montaram a coligação “O Brasil pode mais” (que inclui PPS, PTB, PMN e PT do B), de apoio a José Serra (PSDB). Só que tucanos e demistas vão se enfrentar ou apoiar adversários em 5 Estados: Amazonas, Amapá, Maranhão, Rondônia e Sergipe.
      No Rio Grande do Sul, o DEM não participa de nenhuma chapa, então não apoia nem concorre com o PSDB. Nos outros 20 Estados e no Distrito Federal, democratas e tucanos estão juntos (em Sergipe, a aliança é apenas para o cargo de governador; os partidos integram chapas diferentes para o Senado).

Padre mediará debate de candidatos em TVs católicas

     O padre Antônio Cesar Moreira Miguel, de 64 anos, será o mediador do primeiro debate de candidatos à Presidência da República realizado por duas emissoras de televisão católicas, a TV Aparecida e a Canção Nova, no dia 23 de agosto.
     Também formado em jornalismo e diretor-geral da TV Aparecida, padre Cesar diz que o evento deve contar com a presença dos principais presidenciáveis, e promete um debate "espinhoso" com os temas que interessam à Igreja, como aborto, pesquisas com células-tronco, Plano Nacional de Direitos Humanos e exposição de símbolos religiosos em repartições públicas.
Para o padre, "falar que não se deve misturar política e religião é ignorância". A candidata do PT, Dilma Rousseff, ainda não teve a participação confirmada pela sua assessoria de imprensa.
Blocos
     O debate será composto de quatro blocos. O primeiro terá uma pergunta inicial feita a todos pelo padre Cesar, fora da temática religiosa. Em seguida, haverá o sorteio de perguntas pré-selecionadas, feitas pelo padre a todos os candidatos.
     No segundo bloco, as perguntas serão formuladas por três jornalistas convidados pelas emissoras. No terceiro bloco, membros de pastorais e movimentos ligados à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) serão os autores das perguntas. "Queremos mostrar a cara da Igreja, que não é feita apenas de padres", disse.
     No último bloco, haverá o sorteio de temas relativos a algum problema do País. Cada candidato terá de responder à pergunta "Como você resolverá o problema?". A seguir, os candidatos farão as considerações finais. Uma equipe de advogados deve acompanhar a realização do debate.
Da Agência Estado

Cidade, Difusora e Mirante devem promover debates entre candaditos ao governo do estado

     Até o momento a  TV Cidade (Record- Canal 6) é a única emissora de televisão que já tem agendado programa de debate entre os candidatos ao governo do estado. O programa vai ao ar no dia 26 de setembro, uma semana antes da realização do pleito deste ano.
     No Maranhão está assegurado a participãção de todos os seis candidatos com registros no Tribunal Regional Eleitoral. Não há restrição para candidatos que estiverem mantidos por liminar na disputa. Ao menos dois candidatos ao governo estão até o momento nesta situação: Jackson Lago (PDT), da coligação "O Povo é Maior", e Saulo Ancangeli, do PSOL.
     O programa vai ao ar na noite de domingo e deverá ter duração de duas horas. A ideia da direção  nacional de jornalismo da Record é fazer o debate de candidatos aos governos dos estados nas 27 unidades da federação na mesma data.
     A TV Mirante (Globo - Canal 10), do Sistema de Comunicação dos Sarney, tem reservado na grande de programação o debate entre candidatos. Estuda ainda a data com a central de jornalismo da Globo, assim como os critérios de participação. É certo que não deve convidar os seis candidatos. Adotará critérios de exclusão comuns entre as afiliadas.
     Por enquanto, a direção da TV Difusora (SBT-Canal 4) ainda estuda a data para promover o debate entre candidatos ao governo no Maranhão.  A  TV Maranhense (Band - Canal 12), do suplente de deputado estadual  Manoel Ribeiro (PTB)  não deve promover programa de debate, por ser repetidora e somente levar ao ar programa gravado.  

Morre o músico Paulo Moura

O compositor, saxofonista, arranjador e clarinetista Paulo Moura, 77 anos, morreu de câncer, no fim da noite de segunda-feira (12), na Clínica São Vicente, na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro. As informações são da assessoria do hospital. Paulo Moura estava internado desde o dia 4 de julho. Ainda não há informações sobre o enterro do músico.
     Na década de 80 Paulo Moura esteve no Maranhão, realizando pesquisa sobre a música ancestral dos negros na região de Codó.
     Paulista de São José do Rio Preto, Paulo Moura nasceu no dia 15 de julho de 1932, numa família de instrumentistas. Aos 9 anos, ele pediu para estudar música e começou a tocar clarineta. Aos 14, ele entrou para o conjunto do pai.
     Paulo Moura gravou o primeiro dos 40 discos em 1956. Ele chegou a integrar a orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Moura tocou com grandes nomes da MPB, como Elis Regina e Milton Nascimento.
     Um dos saxofonistas e clarinetistas mais requisitados no Brasil e no exterior, Paulo Moura foi reconhecido no ano 2000 com o Grammy - o maior prêmio da música mundial, com seu trabalho "Pixinguinha: Paulo Moura e os Batutas”. Em 2009, ele se apresentou na Tunísia e no Equador., e lançou o CD AfroBossaNova.

PAULO MOURA TOCA COM O VIOLONISTA MARANHENSE TURÍBIO SANTOS

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Aumenta a lista de políticos com candidaturas impugnadas no MA
O ESTADO DO MARANHÃO - Alessandro Martins: "Vou sair mais forte e ficar no Maranhão"
O IMPARCIAL - Os miseráveis