1 de fev de 2011

O Mubarak do Maranhão e do Amapá ainda tem mais quatro anos

Vejam vocês como são as coisas, né? Hosni Mubarak já anunciou a aposentadoria. Não vai mais concorrer às eleições. Sarney, que está há mais tempo no poder do que o ditador Egípcio, ainda tem mais quatro anos…
Mubarak estava preparando o filho Gamal para ser sucessor. Pode esquecer. Já era! Já o Mubarak do Maranhão e do Amapá deixará descendentes.

Larga o meu pescoço, Nosferatu!
Tenho nesta posse o gosto da despedida, pois cumprirei meu último mandato. Espero fazer toda a doação de mim mesmo para servir esta Casa, que é um pouco da minha vida, um pouco do meu amor.”

“Não desejava o encargo [de presidente do Senado], dele não pude fugir tendo o alto preço do exercício dessas funções. Tenho visão desse compromisso com as instituições, com a independência do Poder Legislativo, principalmente de nossa Casa, que jamais pode ser submissa a nenhum poder nem tampouco afastada do interesse nacional”.
    A fala é acima e de José Sarney, ao assumir pela quarta vez a presidência do Senado. Eu já disse que dispenso a parte de seu sacrifício que me diz respeito. Por mim, ele fica em casa cuidando só de literatura. Sei que isso pode parecer má querença com arte tão nobre, leitor. Mas ler Sarney ainda é um ato volitivo, né? Tê-lo como presidente do Senado já parece uma maldição.
    Lembrei aqui uma frase de Paulo Francis sobre este senhor. Recorrendo a uma metáfora, perguntava se ninguém enfiaria uma estaca no coração do homem. Isso lá no começo dos 90. Que nada! Ele foi se alimentando de sangue novo…Consta que ficou muito emocionado no discurso.
Como é aquele chiste sobre o Brasil? “Prostituta se apaixona, traficante vicia, e cafetão tem ciúme”. Pois é… E oligarca se amociona.
Lindo!
Por Reinaldo Azevedo

Lambe-lambe: Casa de Erasmo Dias na Rua do Egito

Para Álvaro Dias votos do PSDB em Sarney são "difíceis de serem compeendidos"

     Segundo o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PA), seu partido e aliados não "puderam" se manifestar contrários à reeleição de José Sarney (PMDB-AP) à presidência da Casa. "Se reagíssemos, ficaríamos protegidos do desgaste político, mas, mais à frente, não teríamos instrumentos para atuar, porque estaríamos afastados das comissões e da Mesa", disse.
     O peemedebista foi eleito na presença dos 81 senadores. Destes, 70 votaram pela manutenção de Sarney na presidência da Casa e 8 optaram pelo senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), único adversário do governista na disputa. Houve ainda um voto nulo e dois em branco.
     "Se não participamos do entendimento, não mantemos nosso espaço", explica Álvaro Dias, para quem ainda é preciso explicar o posicionamento da oposição às bases eleitorais. Na avaliação dele, os votos do PSDB em favor de Sarney são "difíceis de serem compreendidos". "Mas esse é o jogo político daqui, fomos obrigados", completou, dizendo que "não tiveram outra saída".
    Ex-presidente da República e ex-governador do Maranhão, Sarney ocupa a presidência do Senado pela quarta vez - 1995, 2003, 2009 e agora em 2011. O peemedebista já foi alvo de uma série de denúncias de irregularidades na gestão da Casa, entre elas de participação no caso dos atos administrativos não publicados - conhecidos como atos secretos.
Do Jornal do Brasil

Câmara de São Luís inicia legislatura com corte de R$ 480 mil no orçamento e promessas de Castelo

    Com orçamento de R$ 96 milhões para gastar, a Câmara Municipal de São Luís retormou os trabalhos legislativos nesta terça-feira com a troca de dois vereadores: Marlon Garcia (PTdoB) e Edmilson Jansen (PTC), assumiram na vaga de Lourival Mendes (PTdoB) e Edvaldo Holanda Junior (PTC), respectivamente, eleitos deputados federais em outubro de 2010.
    O prefeito de São Luís, o tucano João Castelo, prestigiou a sessão inaugural. A permanência de Castelo no Palácio La Ravardière depende do apoio dos vereadores. Ele sabe disso e os prioriza com frequência.
   Gestador de projeto, Castelo aproveitou o ensejo para apresenta ao presidente da Casa, o vereador Isaías Pereirinha (PSL), um projeto da nova sede da Câmara. Foi festejado por mais essa exequível proposta de governo.
    As lamúrias de Pereirinha são em relação ao corte no orçamento da Casa. A perda é de R$ 480 mil este ano, correspondente a 0,5% do orçamento. Pereirinha diz que já recorreu para reaver o troco.
    Sobre mudanças na Lei de Zoneamento da Cidade, nem um pio. O assunto não faz parte dos "queixumes" que Pereirinha diz ouvir cotidianamente.

Charge do dia

Quanto custa cada parlamentar em Brasília

                                   Deputados                                               Senado
                           513 parlamentares                                       81 parlamentares
Salário ou subsídio(mês)  26.723,13                                        26.723,13
Possui 14º e 15º salários?*
Cotão (CEAP) (1)                      23.033,13                             35.503,04
Verba indenizatória (2)              não existe                                5.000,00
Verba de transp. aéreo             não existe                          6.045,20    27.855,20
Cota postal (3)                          não existe                         de 4 mil a 159.310 corresp.
Cota de telefone fixo (4)            inexiste                             de 500,00  a  1.000,00
Cota de telefone celular            inexiste                                  ilimitada
Auxílio-moradia (5)                    3.000,00                                3.800,00
Carro oficial (6)                          de 0 a 1                                de 1 a 2
Comb. para carro oficial (7)        inexiste                                 de 260,00 a 520,00
Servidores de gabinete (8)         de 0 a 25                              de 0 a 20
Verba de gabinete (9)                60.000,00                             82.000,00
Ressarc.  de desp. médicas       ilimitado                               ilimitado
Ressarc.  de desp. odont.          inexistente                           2.166,58
Total mensal     R$ 116.437,04-R$ 131.906,95      R$130.528,33-R$159.064,91
S/ verba de gabinete R$ 56.437,04-R$71.906,95  R$ 48.528,33 -R$ 77.064,91
Total anual dos 594 congressistas
                   Mínimo: R$ 843.659.970,39 Máximo: R$ 966.630.292,11
*Câmara e Senado pagam 13 salários a aos parlamentares. Embora o Senado informe não pagar 14º salário e 15º salário, a Casa admite que paga uma "ajuda de custo" no mesmo valor no início e no final de cada sessão legislativa, em fevereiro e dezembro de cada ano, no valor de R$16.512,09. Informação da Câmara obtida em discurso de Magela (PT-DF).
Na soma do total mensal, foram considerados três duodécimos, referentes ao 13º, 14º e 15º salários.
(1) Cotão inclui passagens aéreas, fretamento de aeronaves, cota postal e telefônica, combustíveis e lubrificantes, consultorias, divulgação do mandato, aluguel de escritórios políticos, assinatura de publicações e serviços de TV e internet, contratação de serviços de segurança.
(2) Verba indenizatória inclui fretamento de aeronaves, combustíveis e lubrificantes, consultorias, divulgação do mandato, aluguel de escritórios políticos, assinatura de publicações e serviços de TV e internet, contratação de serviços de segurança.
(3) A cota postal no Senado é limitada a duas correspondências para cada grupo de 1.000 habitantes. Líderes e membros da Mesa têm direito ao dobro da cota. Na Câmara, faz parte do 'cotão'.
(4) Líderes partidários no Senado têm direito a cota telefônica de R$ 1.000,00
(5) Parlamentares optam por morar em apartamentos funcionais ou receberem auxílio-moradia.
(6) Os deputados não êm direito a carro oficial. O presidente da Câmara tem direito a um.
Os senadores têm direito a um carro oficial. O presidente do Senado, a dois.
(7) Os senadores têm direito a 25 litros de gasolina ou 36 litros de álcool por semana para rodarem com seus veículos oficiais apenas em Brasília
(8) Senador tem à disposição 9 funcionários efetivos (salário variado) e mais 11 funcionários comissionados, sendo 6 assessores (salário de R$ 8.000,00) e 5 secretários (85% de um assessor ou R$ 6.800,00) (Dados do Senado e da ONG Transparência Brasil).
(9) Senador não tem verba de gabinete, mas funcionários à disposição. O cálculo do valor foi feito com base nos 11 comissionados a fim de comparar benefício semelhante ao da Câmara (dados da ONG Transparência Brasil).
(10) Na Câmara, o deputado só pode usar a rede de saúde particular e ser ressarcido se não houver atendimento no Departamento Médico (Demed).
(11) No Senado, o plano de saúde é vitalício. Os plano odontológico e psicológico é limitado a R$ 25.998,96 por ano (ou R$ 2.166,58 por mês). Para os ex-senadores, o limite do plano médico e do odontológico é de R$ 32.958,12 por ano.
Fonte: Congresso em Foco , com base em informações da Câmara, Senado, Transparência Brasil e, arquivo do Congresso em Foco, Ato da Mesa da Câmara 43/09 e Resolução do Senado 5/09, e discurso de deputados.
www.congressoemfoco.com.br


Ricardo Murad põe a carapuça de Leão na abertura dos trabalhos legilslativos

    Um dia depois de anunciar sua desistência de disputar a presidência da Assembleia Legisaltiva do Maranhão, o deputado estadual Ricardo Murad (PMDB), em nada lembrava aquele serelepe parlamentar a sorrir a sorrir.
    Com cara de pouquíssimos amigos - e isso é verdade - Murad se manteve distante de todo o movimento na eleição da Mesa Diretora. Preferiu o telefone às coversas de pé de ouvido.
    Na hora do juramente se aproximou do grupo sorrateiramente e logo se retirou. Na foto da bancada da legislatura que se inaugura o deputado ocupou um extremo difícil de ser alcançado até pela mais avantajada grande angular. Deu trabalho para os fotógrafos já que esperou apenas um flash para bater em retirada.

Arnaldo Melo derrota Manoel Ribeiro na eleição da mesa diretora da AL-MA

   O deputado estadual Arnaldo Melo (PMDB), decano da Assembleia Legislativa do Maranhão, da chapa União pelo Maranhão, com seis legislaturas consecutivas acumuladas, venceu a disputa pela presidência da Mesa Diretora da casa, derrotando o deputado Manoel Ribeiro nesta terça-feira,1º, na abertura da 17ª Legislatura que se estenderá até 2015.
     Duas chapas se inscreveram na disputa: a "União pelo Maranhão", encabeçada por Arnaldo Melo; e a Chapa 2, liderada por Manoel Ribeiro (PTB), deputado de quinto mandato. Com 26 votos dos 42 parlamentares, Mello quebrou um ineditismo que vinha tentanto ao longo das últimas três legislaturas.
    Junto com a aspiração de Manoel Ribeiro em retornar ao comando do legislativo do estado, onde permaneceu por dez anos ininterruptos, naufragou o projeto do PDT, liderado por Carlinhos Amorim, Graça Paz e Camilo Figueiredo. Sem espaço na mesa, os pedetistas foram lançados aos leões.
Perfil de Mello
    Ex-secretário de Cidades do governo José Reinaldo Tavares (PSB), o deputado Arnaldo Melo aglutinou na última hora antes da eleição votos do chamado "bloquinho" para minar as aspirações arrogantes do deputado Ricardo Murad (PMDB). Para aliados, inclusive da imprensa, a eleição de Murad eram favas contadas. A desistência do deputado da corrida frustrou os prognósticos otimistas.
    Nas duas últimas legislaturas Mello trocou de legenda por diversas ocasões. Trocou o PSD pelo PSDB e por último se filiou ao PMDB.
   Durante o governo do pedetista Jackson Lago, Mello se enfileirou no bloco Parlamentar de Libertação, da base governista. 
    Ao longo do governo Jackson Lago rasgou elogios a atitudes do governo como por ocasiões da visita do chefe do executivo a Buriti Bravo: "Nos últimos anos que acompanho as ações de um governo ainda não vi a determinação e a sensibilidade de um Chefe de Estado diante de uma cidade, de um povo vilipendiado, um povo saqueado, um povo abandonado, um povo até certo ponto humilhado", elogiou.
    Em alguns momentos exaltou o pedetista como "um governo correto, preocupado com o bem-estar do Maranhão" e que "tem dado todas as orientações aos seus secretários para que se executem as obras nas regiões mais carentes".
    Foi nesse período que trombou com Ricardo Murad, líder da oposição: "Será que a Casa Legislativa do Maranhão é tão ruim assim como diz o Deputado Ricardo Murad? Que não cumpre as nossas obrigações de delegados de policia, ou de procurador de Estado? Porque se nós pararmos para analisar o que foi dito aqui pelo Deputado Ricardo Murad, uma única finalidade nós vamos chegar, ele quer é na realidade demitir o Secretário da Casa Civil".
    Com aprovação da reeleição, Mello tem perspectiva de quatro anos à frente da Mesa Diretora da AL do Maranhão.

As chapas que concorreram:
União pelo Maranhão
Presidente: Arnaldo Melo (PMDB)
Vice-presidente: Marcos Caldas (PRB)
2ºvice-presidente: Neto Evangelista (PSDB)
3º vice-presidente: Afonso Manoel (PMDB)
4º vice-presidente: Francisca Primo (PT)
1º Secretário: Hélio Soares (PP)
2º secretário- Jota Pinto (PR)
3º secretário-Edilázio Júnior (PV)
4º secretário- Cleide Coutinho (PCdoB)

Chapa 2
Presidente: Arnaldo Melo (PMDB)
Vice-presidente: Antonio Pereira (PMDB)
2ºvice-presidente: Rigo Teles (PMDB)
3º vice-presidente: César Pires (DEM)
4º vice-presidente: Carlos Filho (PV)
1º Secretário: Vaney Bringel (PMDB)
2º secretário- Graça Paz (PDT)
3º secretário-Valéria Macedo (PDT)
4º secretário- Roberto Costa(PMDB)



COMO VOTARAM OS DEPUTADOS
Afonso Manoel (PMDB) - União pelo Maranhão
Alexandre Almeida (PTdoB) - União pelo Maranhão
André Fufuca (PSDB) - União pelo Maranhão
Antônio Pereira (DEM) - Chapa 2
Arnaldo Melo (PMDB) - União pelo Maranhão
Bira do Pindaré (PT) - União pelo Maranhão
Camilo Figueiredo (PDT) - Chapa 2
Carlinhos Amorim (PDT) - Chapa 2
Carlinhos Florêncio (PHS) - União pelo Maranhão
Carlos Filho (PV) - Chapa 2
César Pires (DEM) - Chapa 2
Cleide Coutinho (PSB) - União pelo Maranhão
Dr. Pádua (PP) - União pelo Maranhão
Edilázio Júnior (PV) - União pelo Maranhão
Eliziane Gama (PPS) - União pelo Maranhão
Edson Araújo (PSL) - União pelo Maranhão
Eduardo Braide (PMN) - União pelo Maranhão
Francisca Primo (PT)  União pelo Maranhão
Gardênia Castelo (PSDB) - União pelo Maranhão
Graça Paz (PDT) - Chapa 2
Hélio Soares (PP) - União pelo Maranhão
Hemetério Weba (PV)  - Chapa 2
Jota Pinto (PR) - União pelo Maranhão
Leo Cunha (PSC) - União pelo Maranhão
Luciano Leitoa (PSB) - União pelo Maranhão
Marcelo Tavares (PSB) - União pelo Maranhão
Marcos Caldas (PRB) - União pelo Maranhão
Manoel Ribeiro (PTB) - Chapa 2
Max Barros (DEM) - Chapa 2
Neto Evangelista (PSDB)  -União pelo Maranhão
Raimundo Cutrim (DEM) - Chapa 2
Raimundo Loro (PR) - União pelo Maranhão
Ricardo Murad (PMDB) - União pelo Maranhão
Rigo Teles (PV) -Chapa 2
Roberto Costa (PMDB) - Chapa 2
Rogério Cafeteira (PMN) - União pelo Maranhão
Rubens Pereira Jr. (PCdoB) - União pelo Maranhão
Valéria Macedo (PDT) - Chapa 2
Vianey Bringel (PMDB) - Chapa 2
Victor Mendes (PV) Chapa 2
Stênio Rezende (PMDB) - Chapa 2
Zé Carlos (PT) - União pelo Maranhão

Peso dos empresários na Câmara

A bancada empresarial na Câmara Federal a partir deste 1º de fevereiro é formada por 246 deputados federais, um fato inédito na histórica do legislativo.

O ritual no Congresso Nacional nesta terça,1º

- às 10h, Câmara e Senado realizam sessão para a posse de deputados e senadores. Tomam posse os 513 deputados (288 reeleitos e 225 novos parlamentares) e 54 senadores (os demais 27 têm mais quatro anos de mandato).
- No Senado, o juramento de posse será lido pelo senador Itamar Franco (PPS):
"Prometo guardar a Constituição Federal e as leis do país, desempenhar fiel e lealmente o mandato de senador que o povo me conferiu e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil." Os demais senadores dirão: “Assim prometo”.
- Na Câmara, será feito o seguinte juramento:
"Prometo manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro e sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil."
- Logo em seguida, os deputados se movimentam para formar blocos parlamentares, que definirão a distribuição dos cargos da Mesa e das presidências das comissões permanentes. Às 15h, haverá reunião de líderes para a escolha dos candidatos que disputarão os cargos da Mesa, formada pelo presidente, de dois vice-presidentes, quatro secretários e quatro suplentes.
-Às 18h, tem início a sessão para a eleição dos cargos da Mesa. A votação na Câmara será por urnas eletrônicas. A expectativa é de que a votação esteja encerrada, caso não haja segundo turno, em três ou quatro horas. Para ganhar em primeiro turno, o candidato precisa de 257 votos a favor. Se nenhum deles alcançar esse número, será realizado segundo turno entre os dois mais votados, em que será eleito o que tiver o maior número de votos, informa a Câmara.

A nova Assembleia Legislativa do Maranhão

Afonso Manoel (PMDB)
Alexandre Almeida (PTdoB)
André Fufuca (PSDB)
Antônio Pereira (DEM)
Arnaldo Melo (PMDB)
Bira do Pindaré (PT)
Camilo Figueiredo (PDT)
Carlinhos Amorim (PDT)
Carlinhos Florêncio (PHS)
Carlos Filho (PV)
César Pires (DEM)
Cleide Coutinho (PSB)
Dr. Pádua (PP)
Edilázio Júnior (PV)
Eliziane Gama (PPS)
Edson Araújo (PSL)
Eduardo Braide (PMN)
Francisca Primo (PT)
Gardênia Castelo (PSDB)
Graça Paz (PDT)
Hélio Soares (PP)
Hemetério Weba (PV)
Jota Pinto (PR)
Leo Cunha (PSC)
Luciano Leitoa (PSB)
Marcelo Tavares (PSB)
Marcos Caldas (PRB)
Manoel Ribeiro (PTB)
Max Barros (DEM)
Neto Evangelista (PSDB)
Raimundo Cutrim (DEM)
Raimundo Loro (PR)
Ricardo Murad (PMDB)
Rigo Teles (PV)
Roberto Costa (PMDB)
Rogério Cafeteira (PMN)
Rubens Pereira Jr. (PCdoB)
Valéria Macedo (PDT)
Vianey Bringel (PMDB)
Victor Mendes (PV)
Stênio Rezende (PMDB)
Zé Carlos (PT)
* Eleitos em 2006 e reeleitos em 2010

Manchetes dos jornais

ATOS E FATOS - Murad joga a toalha e desiste da Assembleia
CORREIO DE NOTÍCAS - Ricardo Murad desiste da Mesa Diretoria da Assembleia
JORNAL A TARDE - Ricardo Murad retira-se da disputa pela presidência da AL
JORNAL  PEQUENO - José Sarney segue à frente do Senado sem fazer reformas
O DEBATE - Concursos com inscrições abertas têm 32,2 vagas abertas
O ESTADO DO MARANHÃO -Indefinida a corrida para a presidência da Assembleia
O IMPARCIAL -Eleição na Assembleia Legislativa: Embaralhada
TRIBUNA DO NORDESTE - Saída de Ricardo deixa presidência aberta na AL