10 de ago de 2011

Na agulha: Tharyn Szpilman invoca Paul McCartney no Arthur Azevedo

Conheça um dos sambas-enredos do concurso da Beija-Flor de Nilopólis para 2012

    A Beija-Flor dá prosseguimento nesta terça-feira ao concurso que vai escolher o samba para o enredo “São Luís - O Poema Encantado do Maranhão". Até quinta-feira as 33 obras que continuam na disputa - que teve 39 sambas inscritos – voltam a ser apresentadas.
Um dos sambas é de autoria de Pablo Reis, Henrique Reis, Geraldo Reis, Thiago Martins, interpretado por Hudson e Beiço.
Confira a letra:
Vindo de terras distantes, os eternos navegantes
Vieram pra dominar
Reino de Tupinambá
Três coroas Européias querendo colonizar
Maldade, perversidade, ficou marcada a escravidão
Quando os negreiros aqui chegaram
Muito açoite e muito medo, marcados na escuridão
Ravardiere em homenagem ao Justo
Batizou São Luís do Maranhão
Mas os Portugueses é que ficaram
Com a colonização
Dos Yorubás, Jêje-Mina,
No Candomblé eles vieram encontrar
A dignidade na religiosidade
E os Orixás a sua vida abençoar

Tem folclore , cultura popular,
Bumba- Meu- Boi e Festa do Divino,
Dança do coco e do caroço,
Ó, meu Maranhão, que lindo

Ludovisense eu sou, com muita história pra contar,
Lendas e magias,
Ana Jansen vai te arrepiar
É alegria, é curtição,
Terra do reggae, São Luis do Maranhão

Bate forte o sentimento, São Luis é uma flor
Da cultura brasileira, que é feita com muito amor
Beija Flor chega com força para homenagear
São 400 anos pra comemorar
Clique aqui para ouvir:

Fialho diz ter sido marqueteiro de pai de Fialho

    O lobista Júlio César Fróes Fialho, que pode ejetar do cargo o ministro da Agricultura,  até 1992 quando foi preso por tráfico de cocaína se chamavca apenas “César Fialho” aifrma ter sido “marqueteiro” de Vicente Fialho, pai do diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviário, Antaq, Fernando Fialho que ensaia ser candidato a prefeito de São Luís.
    Ex-consultor do Senado, Júlio César Fróes Fialho  fundou o Instituto Antares de Ensino Superior e Projetos Educacionais para dar cursos de qualificação profissional na administração pública. Na semana passada Fróes Fialho agrediu o jornalista Rodrigo Rangel no Beirute, famoso bar em Brasília.

Os presos na Operação Voucher no Ministério do Turismo

Prisão Preventiva
Luiz Gustavo Machado
Colbert Martins da Silva Filho
Dalmo Antônio Tavares Queiroz
Francisca Regina Magalhães Cavalcante
Freda Azevedo
Frederico Silva da Costa
Gláucia de Fátima Matos
Hugo Leonardo Silva Gomes
Humberto Silva Gomes
Jorge Kengo Fukuda
José Carlos Silva Junior
Kátia Terezinha Patrício
Katiana Necchi Pupo
Kérima Silva Carvalho
Luciano Paixão Costa
Maria Helena Necchi
Mário Augusto Lopes Moysés
Wladimir Silva Furtado
Prisão Temporária
Alberto Luchetti Neto
Alexandre Ferreira Cardoso
Antônio dos Santos Junior
Dante Matiussi
David Lorran Silva Teixeira
Eduardo Alves Fayet
Errolflyn de Souza Paixão
Fabiana Lopes Freitas
Fábio de Mello
Fernando Rwer do Nascimento
Gerusa de Almeida Saad
Helen Luana Barbosa da Silva
Irene Dias da Silva
José Luiz Nogueira Marques
Lucas Nunes de Moraes
Luiz Fernando Ferreira
Meriam Guedes de Oliveira
Paula Ribeiro Leite Saad
Uyara Débora Schimidd
Quem é quem
Frederico Silva da Costa – Secretário executivo do Ministério do Turismo
José Carlos Silva Júnior – Sócio da empresa Luaxe
Colbert Martins da Silva Filho – servidor do Ministério do Turismo
Dalmo Antônio Tavares Queiroz – empresário
Francisca Regina Magalhães Cavalcante – servidora do Ministério do Turismo
Freda Azevedo Dias – servidora do Ministério do Turismo
Gláucia de Fátima Matos – servidora do Ministério do Turismo
Hugo Leonardo Silva Gomes – sócio da empresa Sinc Recursos Humanos
Kátia Terezinha Patrício da Silva – servidora do Ministério do Turismo
Kérima Silva Carvalho – servidora do Ministério do Turismo
Luciano Paixão Costa – servidor do Ministério do Turismo
Mário Augusto Lopes Moyses – ex-secretário executivo do Ministério do Turismo
Jorge Kengo Fukuda – diretor do Ibrasi
Katiana Necchi Vaz Pupo – secretária-executiva do Ibrasi
Maria Helena Necchi – diretora técnica do Ibrasi
Luiz Gustavo Machado – diretor executivo do Ibrasi
Sandro Elias Saad – diretor do Ibrasi

MEI e CES faturam alto com expedição de cartão estudantil

    Ao menos duas entidades do movimento estudantil estão alinhadas com a política da Prefeitura de São Luís: o Movimento Estudantil Independente e a Central Estudantil Secundarista. "Militantes" do MEI e CES abordam pais e estudantes em dois turnos de segunda a sexta na Rua do Sol, centro de São Luís, nas imediações do Cental de Atendimento Estudantil na tentativa de atrair clientes para a expedição de cartões estudantis que dão direito á meia-entrada e meia-passagem.
    A CES, apesar do nome emblemático, atualmente é presidida pela estudante Clarissa Almeida, regularmente matriculada na Faculdade São Luís, instituição privada de ensino superior. Como universitária, Clarissa teve seu cartão expedido pela CES, uma conquista segundo contam do ex-presidente, Lucivaldo.
    Desde a adminsitração Tadeu Palácio (2002-2008) podem emitir o cartão, o Movimento Estudantil Independente (MEI), a Central de Estudantil (CES), a União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), a Federação Municipal dos Estudantes Secundaristas (Fesma) e a União dos Estudantes do Ensino Superior Particular (Unipar).
    Tanto a CES como o MEI possuem sede instaladas nos altos da central da SET e SEMTU, na travessa da Passagem, 191."Hoje não disputamos mais com o pessoal do MEI", diz o "estudante" com uma pilha de fichas na mão, atento ao movimento de estudante e pais na central de atendimento estudantil.
    A taxa para o cartão para estudante secundarista é R$ 12,00, enquanto para matriculados em instituição de ensino superior, incluindo a UFMA, é R$ 20,00.
     Em São Luís mais de 100 mil estudantes utilizam meia-passagem, um direito adquirido às turras com durante o governo João Castelo em 1979.

É HOJE

Jogo beneficente organizado pelo Chico Escórcio foi retumbante fiasco de público e renda

     Não foi o sucesso retumbante alardeado pela mídia oficial o jogo beneficente organizado pelo deputado federal Chico Escórcio (PMDB), reunindo no mesmo campo as estrelas Arcelino Popó (PSDB-BA), Romário (PSDB-RJ)  e Tiririca (PR-SP), atualmente deputados federais, e os deputados estaduais do Maranhão no estádio Nhozinho Santos, em São Luís (MA), no sábado passado,7. Romário retornou a São Luís depois de promover um tumulto no Hotel Rio Poty, mesmo hotel de triste recordação para Escórcio, em outubro do ano passado, logo após ser eleito deputado.
    Com renda revertida para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, APAE, e Hospital do Câncer Aldenora Belo, a partida não atraiu o grande público esperado. Menos de 30 por cento dos 13.500 lugares do estádio administrado pela prefeitura de São Luís foram ocupados pelos torcedores.
    No total foram vendidas 813 ingressos para cadeiras e 2.997 para arquibancada, rendendo R$ 46.230, sem desconto de nenhum imposto ou recolhimento de taxas para o estádio. Tamanha transparência é algo inédito no estádio, um sumidouro de renda justificada pela liberação para credenciados e convidados.
     Considerando que os deputados federais se deslocaram para o Maranhão sem nenhum custo ao erário - com despesas pagas como missão oficial - , a renda seria insuficiente para fazer frente às despesas com  a (essa sim, retumbante) campanha publicitária que o jogo demandou junto à diretoria de comunicação da Assembleia Legislativa. Mais uma vez nos só nos resta imitar o Tiririca.

No Painel da Folha de S. Paulo

Às compras
Único convênio assinado pelo ministro Pedro Novais até junho passado, a construção da Via Expressa de São Luís foi apelidada no Maranhão de "shopping a shopping". Vai ligar o shopping Jaracaty, que tem José Sarney (PMDB-AP) como sócio, a outro empreendimento ainda em obras.
Por Renata Lo Prete

CorrupTur

Fernando de Barros e Silva
SÃO PAULO - O mundo está de pernas para o ar e Londres, literalmente, pega fogo. O que segue no lugar de sempre é a corrupção brasileira.
    A PF desbaratou ontem mais uma quadrilha no cafofo do Turismo. Este é um daqueles ministérios-cumbuca, que serve à roubança capilarizada, onde todo mundo dá um jeitinho de meter a mão.
    É ótimo que a PF esteja fazendo o seu trabalho. Mas fica, ao mesmo tempo, a sensação de que o país nessa área está enxugando gelo.
    Trata-se, mais uma vez, de um caso envolvendo desvio de dinheiro de emenda parlamentar. Em torno de R$ 3 milhões da verba que deveria, supostamente, servir à "capacitação" de profissionais do turismo em Macapá foram destinados a empresas de fachada. É um esquema já clássico de pilhagem, do qual a pasta do Turismo se tornou uma espécie de agência de viagem.
    Entre 33 pessoas, foram presos o atual número 2 e o ex-secretário-executivo do ministério. Não há, por ora, evidências de que o ministro Pedro Novais (PMDB) esteja diretamente implicado no episódio.
     Novais é o deputado maranhense que usou verba de gabinete para pagar uma noitada no Motel Caribe, arredores de São Luís, caso que veio à tona em dezembro. O ministro não deveria ter assumido o cargo. Sua presença à frente da pasta é uma espécie de cartão de visita a indicar a vocação do lugar.
    Diferentemente do que se passou nos Transportes, desta vez o alvo não é o PR, mas o consórcio entre PMDB e PT. Há diferenças substantivas entre eles? E semelhanças?
    O Turismo é uma pasta periférica. Além de abrigar falcatruas, emendas para eventos suspeitos e patrocinar favores a apaniguados, para que serve esse ministério?
    Não há como resgatá-lo da cultura da corrupção? A Copa não será suficiente para dar ao Turismo uma feição mais séria, um papel estratégico ou menos decorativo, de fato público? Como existe hoje, melhor extingui-lo logo. Seria uma economia de dinheiro e de vexames.
Da Folha de S. Paulo

No claudiohumberto.com.br

NÃO FOI ELE
Só quem ignora os bastidores do poder em Brasília acredita que o ministro Pedro Novais (Turismo) foi indicado pelo senador José Sarney.
DIGITAIS
A indicação de Pedro Novais foi ideia do deputado Henrique Alves (RN), líder do PMDB, e principalmente de Eduardo Cunha (RJ).
PENSANDO BEM...
A gestão do ministro Pedro Novaes lembra o caso de Ronaldo com os travestis na Barra da Tijuca. Começou no motel e acabou na delegacia.
ESPELHO MEU
As maracutaias no Ministério do Turismo com emendas parlamentares foram reveladas primeiro nesta coluna, em dezembro de 2009.
LONGE DA PF
A Operação Voucher fez lembrar por que ministros sob suspeita só anunciam investigação da Controladoria Geral da União: é que chamar a Polícia Federal pode representar chave de cadeia.
SASSARICANDO...
O ministro Pedro Novais (Turismo) deve ter sido poupado pela Polícia Federal em respeito ao Estatuto do Idoso.

Manchetes dos jornais

Maranhão
AQUI-MA - Esqueleto assaltava e traficava
ATOS E FATOS - PF prende 38 por corrupção no Ministério do Turismo
CORREIO DE NOTÍCIAS - Escândalos podem derrubar Pedro Novais do Ministério
JORNAL A TARDE - Avanços tributários debatidos em encontrod e governadores no DF
JORNAL EXTRA - Suruba na mira da lei
JORNAL PEQUENO - Zé Sarney diz que não indiciou Novais, após prisões no Ministério do Turismo 
O DEBATE - Servidores do judiciário iniciam paralisação no Maranhão
O ESTADO DO MARANHÃO - Maioria reprova o embargo da Via Expressa
O IMPARCIAL - Desemontado esquema de corrupção do turismo
4º PODER - Polícia prende esqueleto em SL
TRIBUNA DO NORDESTE - Corrupção no Turismo leva 39 para cadeia
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Turismo atrás das grades
FOLHA DE S. PAULO:Devassa no Turismo leva PF a prender 35 pessoas
ESTADO DE MINAS:Dia de faxina em Brasília
O ESTADO DE SÃO PAULO:PF prende 35 em escândalo no Ministério do Turismo
O GLOBO:PF prende 35 no Turismo, e governo reclama de 'abuso'
VALOR:Pânico cria 'pechinchas' na bolsa
ZERO HORA:Abalo global - Dilma pede a aliados ajuda contra crise
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Ana Júlia abusou de irregulariades
JORNAL DO COMMERCIO:
MEIO-NORTE:Piauí Vencedor revela campeões para o Brasil
O POVO:82% dos municípios têm alunos na UFC