14 de jan de 2011

Logomarca do "melhor governo da minha vida"

Roseana inicia distribuição de migalhas ao "Sempre PT"


Chocolate carrega bandeira com o vice Washington Luiz
    Depois de Nonato Chocolate, agora só falta Cesar Soares, o empedernido petista da Baixada Maranhense, ser nomeado para integrar a equipe do "melhor governo da minha vida". Ambos são companheiros da corrente "Sempre PT", que imagina ocupar espaço solar no governo Roseana Sarney (PMDB).
    O professor Nonato Chocolate é uma assumidade. Em outubro, acompanhado do cantor e ativista do movimento negro do Maranhão Tadeu de Abatalá, foi ao Rio de Janeiro participar do ato de apoio à candidatura de Dilma Rousseff à presidente, promovido por várias entidades nacionais do movimento social negro.
    Ex-candidato a deputado federal e ex-integrante da Secretaria Extraordinária de Igualdade Racial no governo Jackson Lago (2007-2009) o bacabalense acaba se ser nomeado como sub-chefe da Casa Civil, responsável pela interlocução com o Ministério da Igualdade Racial. Era previsível, e, no discruso dos companheiros, é coerente com a posição do partido nesse momento. (Veja foto).
     O "Sempre PT"  nasceu sob o signo da nobreza. Não obstante o fato de quase todos terem feito parte linha de frente da candidatura de Flávio Dino (PCdoB) para governador no ano passado, a pregação da unidade passou a ser imperativa entre seus integrantes. Daí a primeira providência foi convocar o vice do partido e comungar com esse momento tão importante da história do PT no Maranhão.
     Em dezembro o grupo deu start a uma campanha  que seria de "filiação",  objetivando colocar o PT do Maranhão em novos rumos.
    Soares é de competência exarcerbante. Ziguezagueou por diversas ocasiões entre petistas prós e contras aliança com os Sarney no Maranhão. Acredita que após a fase de autofagia, o PT do MA será estrela fulgurante do governo de Roseana Sarney. Nascido em Pinheiro, tem lá suas razões de conterraneidade que só aos céu confessa.

Jota Pinto critica manobra na Assembleia Legislativa do Maranhão e diz ser contra reeleição da Mesa

    O ex-verador de São Luis e deputado estadual diplomado Jota Pinto (PR) é contrário à releição de integrantes da Mesa Diretora na Assembleia Legislativa do Maranhão. Um dos pilares da votação obtida pela peemedebista Roseana Sarney nas eleições de 2010 para o quarto mandato de governadora, Pinto soltou a língua para o radialista Silvan Alves em entrevista à Rádio Educadora.
    Jota Pinto refutou o instituto da reeleição, citando situações em que nomes estacionm no  cargo por até quatro mandatos, impedindo a prática do que chamou de "rodízio" na Mesa. O pai da governadora, senador José Sarney (PMDB-AP), deve cumprir seu quarto mandato como presidente do Senado.
    Além de se posicionar contra a reeleição o ex-vereador fez críticas à composição da atual legislatura que, embora tenha sido renovada em quase 50%, decidiu pelos deputados que os sucederão na Casa a partir de primeiro de fevereiro.
    Junto com outros deputados de primeiro mandato Jota Pinto fará parte do bloco 2, segundo apêndice do blocão de apoio à governadora Roseana Sarney. É esse grupo que busca diálogo direto com o governo sem a interveniência do deputado Ricardo Murad (PMDB), dado como certo na presidência da Casa.
    Pela entrevista, deu para se mensurar o entendimento que integrante da Câmara Municipal de São Luís tem sobre a atividade parlmentar. "Vamos apoiar a governadora Roseana Sarney para que ela faça o melhor governo da sua vida", afirmou com amplidão. Equivoca-se no papel da sua epresentação conferida pelo voto. Acha ele que como deputado será um cabo eleitoral do grupo, e não um legislador na Casa do Povo. Seu norte é o Calhau, ou as ideias que emanarem dali com eterno intuito de manutenção do poder.

Bancada do Maranhão contou com 23 deputados federais

     Entre janeiro de 2007, quando teve início a atual legislatura da Câmara Federal, e o dia 31 de janeiro de 2011, quando se encerra o período de recesso na Casa e, consequentemente, o mandato dos eleitos em 2006, 23 deputados federais integraram a bancada maranhense. A representação do Maranhão é composta por 18 parlamentares.
    Do cinco suplente o primeiro a assumir foi o ex-prefeito de Bacabal,  Zé Vieira (PR) que passou a ocupar definitivamente a vaga do hoje prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira (PSDB), a partir de janeiro de 2009.
     Entre os suplentes com data marcada de permanência na Câmara dos Deputados, o vice-governador Washginton Luiz (PT) foi que teve vida mais longa. Permaneceu por um período em que foram realizadas 103 sessões deliberativas. Mesmo assim, participou somente de 74 destas, faltando a 29 (28,2% de ausência).
     A passagem mais breve pela Câmara foi do prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho (PMDB), sobrinho do senador José Sarney (PMDB-AP). Ele ficou apenas 43 sessões deliberativas. Mesmo assim faltou a seis, correspondente a 14% de sua particicipação em plenário.
     Duas vezes suplente, Bene Camacho (PTB), que assumiu pela segunda vez este ano substituindo Pedro Novais (PMDB), ministro do Turismo de Dilma Rousseff, foi um dos mais assíduos dos parlamentares do Maranhão com data de vencimento. Marcou quase 95% de presença. Superou até mesmo o também suplente pela segunda vez e ex-deputado federal Costa Ferreira (PSC), desde 4 de janeiro no lugar do deputado federal reeleito e atual secretário de Estado de Cidades, Pedro Fernandes (PTB).

Cultura terá orçamento ainda menor

    Apesar da promessa da então candidata Dilma Rousseff de ampliar os equipamentos de cultura e reforçar a indústria cultural, o orçamento destinado ao setor este ano sequer alcança o volume de recursos previstos no ano passado. Já contabilizadas as emendas parlamentares - principal instrumento para reforçar os investimentos públicos -, o Ministério da Cultura (MinC) tem à sua disposição R$2,09 bilhões, 7,2% a menos do que o previsto em 2010.
    Se não fossem as emendas, que atendem aos interesses regionais de cada parlamentar, o Fundo Nacional de Cultura (FNC), braço executor de programas, projetos ou ações culturais, teria um orçamento 63,2% menor do que há um ano. O ministério afirma que não fez a conta, mas que, se todo valor contabilizado em emendas fosse destinado ao FNC, o prejuízo seria de 23% em relação ao exercício anterior.

Prefeito de Anajatuba abandona cidade

   O presidente da Câmara Municipal de Anajatuba, Edinilson Dutra, recorreu ao edital de notificação para dar o ultimato ao prefeito Nilson Lima (PV) para que no prazo de dez dias este apresente defesa prévia por escrito sobre denúncias de impobridades administrativas cometidas em sua administração.
   O vereador presidide a Comissão Processante criada mediante sorteio para apurar as denúncias. O rol de denúncias está à disposição da população na sede da Câmara.
   Desde que a Câmara instalou a comissão o prefeito sumiu da cidade. O prazo para apresentação das provas termina no dia 21 de janeiro.

Pitomba será lançada nesta sexta no Bar do Porto

    O Bar do Porto (Praia Grande) recebe a festa de lançamento da revista Pitomba nesta sexta, a partir das 19h. A noite contará com discotecagem de Bruno Azevêdo, leituras de poemas e a presença de vários colaboradores da publicação.
    Pitomba é uma revista com 36 páginas. Sem periodicidade, privilegia a produção inédita de artistas contemporâneos das regiões Norte-Nordeste, poetas, prosadores, artistas plásticos, músicos, ilustradores, quadrinhistas e fotógrafos de fora do centro do mapa cultural brasileiro. Editada por Bruno Azevêdo, Celso Borges e Reuben da Cunha Rocha.
    Pitomba, a primeira, que não é necessariamente a número um, tem capa assinada pelo piauense Antônio Amaral, traduções e colagens de Reuben da Cunha Rocha, prosa de Bruno Azevêdo, Carolina Mello, Carlos Augusto Lima e Guaracy Britto Jr, poesia de Celso Borges e Eduardo Jorge, samba de César Teixeira, fotos de Márcio Vasconcelos e André Lucap, ilustração de Fernando Mendonça e quadrinhos de Ricardo Sanchez. O projeto gráfico é de Bruno Azevêdo, com colaboração de Celso e Reuben. Sai com o apoio das livrarias Poeme-se, Vozes e do jornal Extra.

Charge

Manchetes dos jornais

O ESTADO DO MARANHÃO -  Dilma visita áreas devastadas pelas chuvas no Rio
O IMPARCIAL - Tabelião de Imperatriz perde família no Rio
O QUARTO PODER - Jornalista é ameaçado de morte em São Luís