6 de jun de 2011

Na agulha:Príncipe da Jovem Guarda, Ronnie Von em momento afro

Miguel Falabela fez visita a Joãosinho Trinta no UDI Hospial

    O carnavalesco Joãosinho Trinta, de 77 anos, foi transferido na última sexta-feira, 3, para a Unidade Semi Intensiva do UDI Hospital, em São Luís. Ele estava internado desde o dia 12 de maio na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com pneumonia e insuficiência cardíaca.
    Na sexta-feira, o ator Miguel Falabela que esteve em São Luís apresentando a peça "Gaiola das Loucas" no Teatro Arthur Azevedo foi até o hospital para visitar Joãosinho Trinta.
    De acordo com boletim divulgado pela unidade hoje, o maranhense Joãosinho respira sem o auxílio de aparelhos e permanece com sinais vitais estáveis.

Vander Lee solta os cachorros no circo

    O cantor e compositor mineiro Vander Lee não pretende por os pés tão cedo no palco do circo da Cidade. Na sexta-feira,3, Lee esteve no espaço administrado pela Fundação Municipal de Cultura, Func, para apresentar o show "Lado Bamba", acompanhado dos músicos Thiago Delegado (violão de sete cordas e direção musical), Sérgio Danilo (saxofone, flauta e clarineta), Matheus Bahiense (percussão e bateria) e Fabio Martins (percussão).
    No camerim o cantor deu de cara com o caos que Castelo impõe à cidade. Mais próximo a uma pocilga, o espaço apresentava o pior cartão postal oferecido por uma cidade que já teve o título de capital brasileira da cultura. Geladeira imunda, poltronas imprestável, tudo sujo.
    Os funcionários do circo, que leva o nome do saudoso Nelson Brito, são os primeiros a reclamar do abandono que a Func deu ao espaço, um dos poucos mantidos pelo órgão de cultura da prefeitura.
    "Não me convide mais para esse lugar", desabafou Vander Lee.
    Há registro histórico do tratamento vip dispensado aos artistas visitante no Maranhão. Em uma de suas passagens pela cidade, a comediante Derci Gonçalves reclamou do muquifo que reservaram para ela no Espaço Cultural. Desbocada a atriz denominou São Luís do c...do mundo. Como resposta foi considerada persona non grata pela Câmara Municipal de São Luís. Morreu nessa condição. Mas os vivos, como o presidente da Func, Euclides Moreira neto, deram continuação à história.

Semana do Meio Ambiente: Ria Anil carrega poluição para a baía de São Marcos

Lava-Bois faz prefeitura prorrogar inscrições para concurso em São José de Ribamar

    Foram prorrogadas, até o próximo dia 12 deste mês, as inscrições para o concurso público da Prefeitura de São José de Ribamar. Estão sendo oferecidas 400 vagas para cargos de nível superior, nível médio e nível fundamental.
    As inscrições para o concurso da Prefeitura de Ribamar continuam sendo feitas somente através dos sites www.fsadu.org.br e www.sousandrade.org.br. O edital do certame, já modificado, continua disponível na página eletrônica da Prefeitura (www.saojosederibamar.ma.gov.br) e no site da própria Sousândrade (www.fsadu.org.br).
    Juntamente com o processo de inscrição, que seria encerrado nesta segunda-feira, 6, a Prefeitura e a Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da UFMA, responsável pelo certame, decidiram remarcar a data de aplicação das provas de conhecimento, que acontecerá no dia 10 de julho e não mais no dia 03 do mesmo mês.
    A prorrogação das inscrições ocorreu justamente em função da alteração da data de aplicação das provas. No dia 3 de julho, além de ser o mesmo dia em que será realizado o concurso público do Tribunal de Justiça do Maranhão, acontece o tradicional Lava-Bois de São José de Ribamar, evento que encerra oficialmente a temporada junina no Estado, mobiliza praticamente toda a estrutura administrativa da Prefeitura e que atrai milhares de brincantes para o município.
    Para os cargos de nível fundamental, o valor da taxa de inscrição é de R$ 30,00. Já para os cargos de nível médio, o valor é de R$ 40,00. Os candidatos interessados em disputar as vagas para os cargos de nível superior deverão pagar taxa de inscrição no valor de R$ 60,00.

Veloz participará do CD e DVD “Ser do Norte”


O cantor e compositor Carlinhos Veloz
     O cantor e compositor Carlinhos Veloz terá música interpretada pelos cantores Nilson Chaves, Lucinha Bastos e Mahrco Monteiro que se reunirão para reeditar uma antiga trilogia musical. Eles vão registrar o encontro no CD e DVD “Ser do Norte”, que acontecerá no Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia (Belém – PA), gravado no dia 17 de junho, a partir das 22h. O evento promete ser uma noite inesquecível para os fãs da cultura amazônica e também para o público que ainda não conhece o poder das canções da terra.
    Neste grande evento, o trio reunirá composições de nomes expressivos do cenário musical regional. Carlinhos Veloz, do Maranhão; Aníbal Beça e Armando de Paula, do Amazonas; Joãozinho Gomes, do Amapá; Sergio Souto, do Acre; Bado, de Rodônia; Zeca Preto e Neuber Uchoa, de Roraima; Lia Sophia, do Pará; e Juraildes Cruz, do Tocantins, são alguns dos compositores que terão suas belas músicas interpretadas pelo trio. O espetáculo fala da Amazônia, como o próprio nome diz, Ser do Norte. Grandes artistas do Pará e de outras regiões, como o Acre, Rondônia, Amapá, Manaus.
    Por meio dessa interação cultural dos artistas da região, haverá a possibilidade de melhor acesso dos jovens à música de qualidade produzida na Amazônia, assim como o fortalecimento desse rico arsenal cultural. Neste sentido, os preparativos para o show acontecem há pelo menos um ano, com muita pesquisa e uma seleção bem elaborada do especial repertório. A expectativa é de superação do enorme sucesso alcançado há oito anos com o lançamento do primeiro trabalho. “Sentimos que o público espera ansiosamente por um novo espetáculo, já que o primeiro Trilogia foi realmente um sucesso tanto em número de pessoas, de fãs, quanto em qualidade. Por isso, preparamos um show fantástico e com muitas surpresas”, avalia Mahrco.
    Os arranjos do espetáculo serão uma atração a parte do show e contará com nomes de peso. A banda composta por Adelbert Carneiro na direção musical e baixo, Edgar Matos nos teclados, Davi Amorim na guitarra, Ismael Jr. nos violões, Edvaldo Cavalcante na bateria e Kleber Benigno na percussão, ficará responsável pelo apoio instrumental. O show terá direção artística de Ana Unger e direção geral de Roberto Fish.
Com informações do Diário do Pará

Ministério da Saúde mantém restrição à doação de sangue por gays e bissexuais

    O Grupo Matizes e a Liga Brasileira de Lésbicas receberam na sexta-feira,3, ofício do Ministério da Saúde, com a informação de que será mantida a restrição à doação de sangue por homens gays e bissexuais, prevista na RDC 153/2004. Ainda, segundo o documento, "estudos epidemiológicos recentes, publicados pelo Ministério da Saúde ainda consideram o alto índice de prevalência do HIV nessa população, o que caracteriza risco acrescido."
    O ofício é uma resposta do Ministério à solicitação feita pelo Matizes e pela LBL ao Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, no sentido de que fosse rediscutida a proibição imposta pela ANVISA aos homens gays e bissexuais. Quando esteve no Piauí, em fevereiro deste ano, Alexandre Padilha assumiu o compromisso com os militantes do Matizes e da LBL que convocaria as áreas técnicas do Ministério para rediscutir o tema, que é polêmico, havendo, inclusive, questionamento na via judicial.
    Desde 2006, tramita na Justiça Federal uma ação civil pública, com o objetivo de que a proibição de doação de sangue por homens gays e bissexuais seja declarada ilegal. A ação foi proposta pelo Ministério Público Federal, depois de uma representação do Grupo Matizes.
    Para Herbert Medeiros, do Grupo Matizes, a resposta do Ministério da Saúde para a manutenção da proibição aos gays e bissexuais não é convincente e, por isso, as entidades LGBT continuarão na luta objetivando a revisão da Portaria da ANVISA. “Continuaremos a campanha "Nosso sangue pela igualdade", que o Matizes e a LBL lançaram no início deste ano”, afirma o militante.
    O Matizes e a LBL já estão preparando mais um ato no Hemopi, para protestar contra a proibição da ANVISA. Essa ação deve ocorrer em data próxima ao 14 de junho, que é o Dia Mundial do Doador de Sangue: “Na ocasião, além do protesto, estaremos nos juntado a nossos parceiros para doar sangue no HEMOPI, a exemplo do que fizemos em janeiro deste ano”, informa Marinalva Santana, articuladora da Liga Brasileira de Lésbicas no Piauí.
Do 180 Graus



Casa das Minas: Festa do Divino sem Dona Celeste

D. Celeste
Rosa Santos
 “No primeiro Pentecostes, depois da morte de Jesus, cinqüenta dias depois da páscoa, o Espírito Santo desceu sobre a comunidade cristã de Jerusalém na forma de línguas de fogo; todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme está nas Sagradas Escrituras (Ato dos Apóstolos 2,1-4). Pentecostes é uma palavra que vem do grego e significa “qüinquagésimo”.
     A Festa do Divino no Maranhão é uma festa de devoção e ritual ao Divino Espírito Santo relacionado a Pentecostes que celebra a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos e seguidores de Cristo. Pentecostes é o nome dado para o dia em que comemoramos a solenidade do Espírito Santo. Na Casa das Minas, na Casa de Nagô, em Alcântara, citando as mais conhecidas, obedecem o calendário litúrgico da Igreja.
    A Festa do Divino da Casa das Minas, em 2011, tem conotação grandiosamente saudosa: o encerramento de um ciclo de festa do Divino realizado por Dona Celeste. O ritual iniciou dia 29 de maio com abertura da tribuna e buscamento do mastro; levantamento do mastro, dia 1º de junho, e prossegue até dia 14 quando se dá o serramento do mastro e carimbó das caixeiras. Nesse ínterim, acontecem vários rituais que culminam no Domingo de Pentecostes. Mas a grande lacuna, neste ano, é a ausência de Dona Celeste. Ela sabia movimentar devotos e devotas do Divino Espírito Santo de todas as camadas sociais, propiciando interação entre as pessoas chamadas de elite e as menos favorecidas. Transformava a Festa do Divino num tempo de partilha e congraçamento entre pessoas de vários níveis sociais e intelectuais. Além de organizar a festa era também a caixeira-régia – aquela que comanda, junto com a caixeira-mor, o grupo de caixeiras que tocam em festas do Divino e é responsável pelo cumprimento do ritual da festa - cargo assumido por Jacy Gomes Santos, conhecida como Dona Jacy, caixeira-régia de várias festas em São Luis e sobrinha de Dona Celeste.
    Dona Cecé, como era carinhosamente chamada, possuía carisma das Grandes Mães-de-Santo brasileiras. Carisma que gerou, após sua morte, em 25 de outubro de 2010, incertezas quanto a continuidade da Festa do Divino na Casa das Minas. A festa é obrigação da casa, quando começou é difícil precisar, como a maioria das manifestações populares religiosas, mas os registros e depoimentos das vodunsis no livro Querebentan de Zomadonu, nome africano da Casa das Minas (Ferretti,1985), afirmam: Na casa das Minas a festa do Divino é uma tradição antiga e o pessoal diz que ela sempre foi feita. A festa do Divino é uma devoção de nochê Sepazim e é uma obrigação (preceito, dever) da Casa. Nochê sepazim é a princesa da família Davice, filha do Rei Dadarro e casada com o príncipe Daco-Donu. Ela portanto representa a imperatriz e a festa é organizada em sua homenagem pois ela adora o Divino Espírito Santo. Dona Celeste diz que ela dá esmolas aos pobres e doentes da família de Acossi e por isso na Festa do Divino as crianças representando imperadores, quando voltam da procissão, distribuem esmolas aos pobres na entrada da casa.
    O carisma de Dona Celeste a fez conhecida no Brasil e no exterior. Ela tinha a visão das grandes mulheres, sempre a frente do seu tempo, o que nos permitiu gravar um disco com as caixeiras. Em 1989, enquanto produtora do programa Santo de Casa da Rádio Universidade e Jurandir Serra, sonoplasta, acompanhamos todas as etapas do ritual da Festa do Divino – abertura da tribuna ao derrubamento do mastro - exigência de Dona Celeste para nos dar a licença para produzirmos o disco. A equipe da Rádio Universidade colocou, pela primeira vez, caixeiras da Casa das Minas num estúdio de gravação, fato inédito na história da casa.
    Participaram Maria Farias (caixeira-régia, na época) voz e caixa; Celina Rodrigues Pachedo, Ivete Rodrigues Sousa, Laudelina Apolonia Medeiros (Lalá), Maria Cesarina dos Passos Lisboa e Maria Celeste Santos (Dona Celeste), no coro e caixas. Todo processo, que antecedeu a gravação foi registrado em Akai, gravador de rolo, na operação de áudio de Jurandir com apoio técnico de Cristina Lima e Álvaro Junior, que resultou no Disco Batuque Universo (1993), em vinil, com direção e produção de Jurandir Serra e Roza Santos, um produto da Radio Universidade FM, em que foram gravados cânticos do Divino Espírito Santo da Casa das Minas; Boi de Zabumba do Monte Castelo, de Antero Viana; Boi de Pindaré II, de Gago e Tambor de Crioula “Amor de São Bendito, da Fé em Deus.
     A Casa das Minas surgiu na primeira metade do século XIX, fundada por negros africanos jeje. É um grande Templo em que os voduns se reúnem em famílias, estabelecidas em partes específicas da casa, espaços sagrados de cada família: voduns da família de Davice; voduns da família de Savaluno; voduns da família de Dambirá (voduns jeje); e voduns da família de Quevioçó que é nagô , eles são hóspedes de Zomadonu que deu o lugar a eles. Averequete e Abê (são nagôs) fazem o papel de toquens, são mensageiros. A parte da Casa destinada a eles (da família Quevioçó) são os dois quartos à esquerda do corredor de entrada (Ferretti,1985). Espaço da casa em que Dona Celeste que pertencia ao vodum Averequete morava. Ela nasceu em São Luis em 13 de abril 1924 e freqüentou a Casa das Minas desde 1945, dançou na Casa em junho de 1950 e meses após a morte de mãe Andresa foi para o Rio de Janeiro, onde trabalhou até 1967, morando no Rio ajudou a organizar várias festas do Divino. Voltou a São Luis em 1968, tomou a frente da realização da Festa do Divino e, a partir de 1976, quando Dona Amélia assumiu a chefia do culto, compartilhava a direção da casa, encarregando-se dos aspectos administrativos e materiais. Era a relações públicas.
     Este ano, o convite vem assinado por Dona Denil Prata Jardim, chefe espiritual da Casa; Euzébio Pinto, neto de Dona Amélia Pinto e huntó ( tocador-chefe); Edna Cardoso Lima e Onezinda Pinheiro, assissis (tratamento dado às pessoas amigas da Casa) que já assinam, há quarenta anos, com Dona Celeste, as cartas-convites para coleta de donativos para a festa.
    A Programação da Festa do Divino da Casa das Minas, prossegue: Dia 12 – Domingo de Pentecostes -Alvorada ao pé do mastro, às 5h; Missa na Igreja de Santana , às 8h, e cortejo dos Impérios até a casa das Minas; Almoço dos Impérios, 12h; Toque de Caixas ao pé do Mastro, às 17:30h; Jantar dos Impérios, às 19:30, e em seguida Ladainha. Dia 13 – Derrubamento do Mastro, às 19:30h: Jantar dos Impérios, às 20h; Ladainha, às 20:30h; e Fechamento da Tribuna e posse aos impérios, às 21:30h; Dia 14 – Serramento do mastro e carimbo das caixeiras com arroz de toucinho e camarão seco, às 17:30h; e Tambor de Crioula, às 19 horas.
(*) Rosa Santos é aposentada (Radialista) e membro da Comissão Maranhense de Folclore rozasantus@yahoo.com.br

No Painel da Folha de S. Paulo

Concílio Momentos antes do lançamento do Brasil sem Miséria, na quinta, José Sarney (PMDB-AP), Marco Maia (PT-RS) e Michel Temer (PMDB-SP) se debruçaram sobre um problema que cada vez mais começa a preocupar o Planalto: a mudança no rito das medidas provisórias.

Deixa comigo Na antessala de Dilma, Maia avisou aos colegas que o relatório de Aécio Neves (PSDB-MG), do jeito que está, será derrubado pela Câmara sem que o Planalto precise fazer qualquer pressão, já que tira prerrogativas da Casa.

Como fica? Sarney ponderou que algo precisa ser feito para mudar a tramitação das MPs. Maia sugeriu que o Senado ganhe a garantia de 15 dias para analisar as medidas, independente do tempo que a Câmara usar.

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL PEQUENO - Adolescente é morto a golpes de faca durante festa no Ceprama
O ESTADO DO MARANHÃO - E.Coli jpa matou 22 pessoas na Europa
O IMPARCIAL - Governo federal paga R$ 15,5 bilhões a terceirizados
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:E vêm aí transtornos...
FOLHA DE SÃO PAULO:Despachantes lucram com dado sigiloso do Detran
O ESTADO DE MINAS:Governo paga R$ 4 bi ao ano a filhas de militares
O ESTADO DE S. PAULO:Dilma decidirá futuro de Palocci após parecer do procurador-geral
O GLOBO:Aliados cobram de Dilma a solução sobre Palocci
VALOR: Investidores acham brechas para escapar do IOF maior
ZERO HORA:Blitz da Balada Segura flagra quatro vezes mais embriagados
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:
JORNAL DO COMMERCIO:Porto e aeroporto novos para o Estado
MEIO-NORTE:PRF aprende madeira e droga
O POVO:Professor+Gestor+Pais-A matemática que dá certo