14 de jun de 2010

São João 2010 - Josias Sobrinho canta 'Três Potes" no show "Tudo é São João" no Arraial da Maria Aragão

Deputado quer ir à Justiça contra apoio a Roseana no Maranhão

     O deputado Domingos Dutra (PT-MA) completa nesta segunda-feira três dias em greve de fome, no plenário da Câmara dos Deputados, em protesto pela anulação do apoio do PT à candidatura de Flávio Dino (PCdoB), no Maranhão. Dutra disse que avalia ir à Justiça para reverter a decisão e acusou o PT de “doar o partido” para a família Sarney, que lançou a atual governadora Roseana à reeleição no Estado. “Se tivessem nos falado que o partido havia sido doado, eu estaria chorando, mas teria aceito”, lamentou o deputado.
     Na última sexta-feira, o Diretório Nacional do PT anulou o apoio à candidatura do deputado Flávio Dino e aprovou o endosso à reeleição da governadora Roseana. A decisão foi tomada por 43 votos a favor a 30 contra, com duas abstenções, revertendo a posição adotada anteriormente pelas instâncias regionais da legenda.
     O deputado recusou diálogo com Roseana para fazer com que a militância do partido apoie a governadora. No último sábado, durante convenção do PMDB, Roseana disse que estava aberta a conversas no Estado.
     Segundo Dutra, o líder do PT na Câmara, Fernando Ferro (PE), já foi visitá-lo, mas ele cobrou outros apoios. "Eles vão ter que responder se não vieram por conta da convenção que foi domingo, se estão com medo do Lula", alfinetou. O deputado disse que o limite da greve de fome é o dia 30 de junho. Ele espera o apoio dos demais membros do diretório petista e a visita de Flávio Dino.
Do IG - Último Segundo

Rodrigo Comerciário passa a fazer parte do grupo de amigos de Fernando S.

|Rodrigo Comerciário, primeiro à esquerda no grupo com Sarney
    

No episódio da cooptação do PT pelo PMDB no Maranhão, o ex-sindicalista Rodrigo Comerciário deixou seu papel de coadjuvante. Comerciário, ex-candidato a vice na chapa de Flávio Dino (PCdoB) para prefeito de São Luís, na eleições municipais de 2008, experimentou a sensação de ser protagonista de uma história, por mais sórdidos que sejam os fatos que certamente mais tarde emergirão.
     Meses antes da realização do Encontro de Táticas Eleitorais do PT maranhense que decidiu por maioria se aliar com o PCdoB no estado, o ex-sindicalista como Lula era visto com frequência diária no escritório do empresário Fernando Sarney, ora centro de um feixe de inquérito sob suspeita de práticas criminosas. O empresário despacha em seu escritório no Sistema Mirante de Comunicação.
     Para petistas mais ingênuos (se é que existem), as afinidades esportivas colocaram na mesma mesa Rodrigo Comerciário e o  dono de emissoras de rádio, TVs e uma infinidade de empresas que atuam no setor da construção, divertimento e tantos segmentos mais, além de vice-presidente regional da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).
     Depois de Lula enquadrar definitivamente o PT através do Diretório Nacional, Comerciário pousou para foto com o pai de Fernando, o senador José Sarney (PMDB-AP), ladeado por outros petistas do braço maranhense da corrente Construindo um Novo Brasil, CNB. O slogan encerra um pensamento tão verdadeiro quanto a propalada democracia interna no Partido dos Trabalhadores. Não obstante ter sido exclusivamente o presidente Lula feito a escolha de Dilma Rousseff para disputar sua sucessão, que entende mais como indicação que eleição propriamente dita.
     Num gesto de extrema sentido democrático, o líder petista dispensou a consulta formal até mesmo aos dirigentes partidários, pois antes mesmo do Processo de Eleição Direta, PED, no final do ano passado, Dilma já era "a candidata" do presidente Lula. Daí estranhar a postura do diretório nacional do PT em relação ao Maranhão é coadunar com o espírito petista que acredita nas relações espontâneas e descomprissadas entre Rodrigo Comerciário e Fernando Sarney.

Greve de Dutra rende manchete no Extra

  

Fátima Travassos - O passado que a condena

     A Procuradora-Geral de Justiça, Fátima Travassos, já não apresenta o mesmo perfil de antes de seu primeiro mandato. Ostensivamente vaidosa, num intervalo de pouco mais de dois anos à frente do Ministério Público do Estado do Maranhão Travassos jogou no lixo quase todos os compromissos assumidos com os colegas. Travassos assume hoje o segundo mandato consecutivo em solenidade de gala no Teatro Arthur Azevedo. Reprisa a festa da posse em 2008, acrescentando ainda mais pompa ao seu feitio.
     Publicadas em forma de revista - serviço disponível no âmbito doméstico da ex-promotora, já que o genro é detentor de vários títulos em circulação - as propostas de campanha da procuradora Fátima Travassos  foram todas jogadas no lixo.
     Senão, lembremos as propostas da então candidata (2008) que assumiu compromisso de consolidar o Ministério Público:

Anomalia de lavrador de Experimento é vergonha do Maranhão que Sarney quer esconder do mundo

Deixemos de banda as anomalias. Obviamente, José Agostinho Bispo Pereira (foto), 54, o lavrador pinheirense que por quase duas décadas perpetrava dentro de casa crimes de pedofilia contra a filha e sobre os quais tenta transparecer total desconhecimento não é normal.
     Mas é normal sua condição de analfabeto. É por assim dizer, ecológica. Afinal, a trava do analfabetismo, que no estado oficiosamente é de 24%, mas que na realidade percentualmente alcança o dobro disso, faz parte do meio-ambiente e da tolerância política há muito mais décadas. Na ilha de Experimento, na terá natal do presidente do Senado Federal, não podia ser diferente do restante do Estado, segundo no ranking do anafalbetismo do país.
     Afora o crime hediondo de Bispo, podemos arrolar outros mais ou menos responsáveis nessa teia de responsabilidades.
     À priori, os Conselhos Tutelares Municipais, no sentido amplo de sua missão, encarregados da vigilância do ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, embora autônomos, sabe-se que nas sociedade com extremo grau de dependência do poder público ele se imbrica com a administração. Há casos em que está sob a tutela deste, quando há interesse na liderança dos seus membros para fins eleitoreiros. Este ano os interesses afloram com maior vinco.
     No caso de Pinheiro, em Experimento de forma particular, o Conselho Tutelar está isento de responsabilidade da maneira como arquitetou o isolamento o próprio lavrador pedófilo. Considerando que uma das crianças nasceu em hospital, e na família a renda advinha do programa Bolsa Família, supõe-se que o poder público tinha conhecimento da prole da menor, filha e mãe dos filhos de Bispo.
     É o município que gere o Bolsa através do cadastro. Ao cadastrar o único membro o (a) pequeno (a) Bispo Pereira, não é possível que não haja algum requisito no questionário que vincule o inscrito à família. Se não houver, é um erro propositalmente perpetrado. De tamanha proporção como o crime do lavrador.
     Se considerarmos que essas crianças foram até hoje criadas como se o mundo estivesse nas trevas – nesse tempo de Luz para Todos –, como não incluí-las nos programas de saúde, é uma pergunta gritante.  Embora saibamos que os índices de cobertura vacinal no Maranhão não são essa coca-cola toda,  aparentemente as secretarias buscam preencher fichas para fazer frente às despesas do SUS.
     Pinheiro, todos sabem, é terra dos Sarney – pai (desembargador) e filho (político). É berço de um deputado estadual (Victor Mendes, do Partido Verde) e de um secretário de estado (das cidades), Filuca Mendes (pai de Victor e ex-prefeito de Pinheiro). Tanto quanto Bispo eles deveriam ser responsabilizados pelas consequências de uma política voltada para esconder verdades atrozes e medonhas como a de Experimento.
     E, por fim, ainda vêm com essa de dizer que a oposição a eles expõe o Maranhão à vergonha. O que dizer agora. Melhor é o silêncio e destacar as anomalias sexuais, que dá audiência e desvia o debate do foco principal.

À propósito dos filhos do lavrador de Pinheiro

Filhos da Sombra
Monteiro Lobato

     A rotação da terra produz a noite; a noite produz o medo; o medo gera o sobrenatural: - divindades e demônios têm a origem comum da treva.
     Quando o sol raia, desdemoniza-se a natureza. Cessa o Sabá. Satã afunda no inferno, seguido da alcatéia inteira dos diabos menores.
     A bruxa reveste a forma humana. O lobisomem perde a natureza dupla. Os fantasmas diluem-se em névoa. Evaporam-se os duendes. Os gnomos subterrâneos mergulham no escuro das tocas. A capora deixa em paz o viajantes. As mulas-sem-cabeça reencambeçam-se e vão pastar mansamente. As almas penadas trancam-se nas tumbas. Os sacis param de assobia e, cansados, duma noite inteira de molecagens, escondem-se nos socavões das grotas, no fundo dos poços, em qualquer couto onde não penetre a luz, sua morta inimiga.
     Filhos da sombra, ela se arrasta consigo mal o Sol anuncia, pela boca da Aurora, o grande espetáculo em que a Luz e sua filha ac or esplendem numa fulgurante apoteose.
     A treva, batida de todos os lados, refoge para os antros onde moram a coruja e o morcego. E nessas nesgas de escuro apinha-se a fauna inteira dos pesadelos tal qual as rãs e os peixinhos aprisionados nas poças sem esgoto, quando as grande enchentes as águas descem., E como nas poças verdinhentas a traíra permanece imóvel e a rã muda, assim toda a legião dos diabos se apaga. Inutilmente tentaríamos surpreender unzinho sequer.

Do livro “idéias de Jeca Tatu”


No Painel da Folha de S. Paulo

Ferida. Irado com a cúpula do partido que determinou o apoio forçado à roseana Sarney no Maranhão, Domingos Dutra (PT-MA) desabafou com um petista de São Paulo: "O que fizeram conosco foi como obrigar o PT paulista a apoiar Maluf".

Manchetes dos jornais

AQUI - MA - Sindicalista assassinado
O ESTADO DO MARANHÃO - Dilma diz que vai continuar o Brasil de Lula
O IMPARCIAL - Dilma e Serra dão a largada

Flávio Dino recebe apoio da juventude maranhense

     O deputado federal Flávio Dino (PCdoB), pré-candidato ao governo do Maranhão, recebeu no domingo, dia 13, o apoio da juventude maranhense durante o 7º Congresso Estadual da União da Juventude Socialista (UJS) que reuniu jovens de diversos municípios maranhenses.
     O apoio ao nome do candidato do PCdoB se deu durante um ato realizado no Grand Hotel, em São Luís, do qual participaram diversas lideranças políticas, entre elas, o presidente da UNE, Augusto Chagas, o ex-governador do Maranhão e pré-candidato, José Reinaldo, o deputado estadual, Rubens Júnior (PCdoB), o deputado federal Flávio Dino, os pré-candidatos Bira do Pindaré e Terezinha Fernandes.
     Flávio Dino foi recebido com entusiasmo por centenas de jovens que participavam da manifestação. Presente ao ato, o presidente da UNE, Augusto Chagas, lembrou a importância histórica dos jovens ao longo das vitórias conquistadas nos últimos anos fruto, segundo ele, da luta política da juventude brasileira.
     “Cada vitória que conquistamos como o aumento das vagas nas universidades públicas, o ProUNI, tem a marca combativa da nossa luta”, discursou. Chagas classificou de “infeliz” a decisão do Diretório Nacional do PT de não apoiar Flávio Dino ao governo do Maranhão. E concluiu afirmando que o estado terá uma “grande oportunidade de eleger um governador comprometido verdadeiramente com a juventude, com os movimentos sociais”.
     O deputado Rubens Júnior, por sua vez, também destacou a força da juventude e aproveitou para lamentar o fato de centenas de jovens maranhenses serem obrigados a deixar o Maranhão para trabalhar em outros estados. “Muitos tem que deixar a escola para trabalhar”, protestou.
     Bira do Pindaré e Terezinha Fernandes, ambos do PT, aproveitaram o ato para criticar a decisão do Diretório Nacional do seu partido e conclamar os jovens a irem às ruas para elegerem Flávio Dino.
     Eles se solidarizaram com o deputado Domingo Dutra e com Manoel da Conceição, ambos em vigília no plenário da Câmara Federal, em protesto contra a decisão do PT. “Não vamos baixar a cabeça”, garantiu Bira do Pindaré. Quem também pediu o empenho da juventude na campanha de Flávio Dino, foi o ex-governador do estado, e pré-candidato ao Senado pelo PSB, José Reinaldo. Disse, ainda, que o povo maranhense clama por mudança e que Flávio Dino é o único candidato a representar o novo no Maranhão.
     Flávio Dino iniciou o seu discurso lembrando os péssimos indicadores sociais do estado. Falou, inicialmente, do elevado número da mortalidade infantil no estado. Segundo ele, de cada mil crianças nascidas 33 morrem antes de completar um ano de idade. Disse, ainda, que 25% dos jovens não conseguem concluir o ensino médio. “Temos um grande desafio pela frente”, ressaltou. Para Flávio Dino, o Maranhão reúne todas as condições favoráveis para crescer, mas não cresce por culpa de um modelo de desenvolvimento equivocado, que predomina no estado. “Nos ajudem nessa caminhada e vocês não vão se envergonhar”, conclamou Dino.