22 de abr de 2011

Lambe-Lambe: Campo de Perizes no feriadão da Semana Santa

Maioria dos trabalhadores demitidos da Hidrelétrica de Jirau (RO) é maranhense

    A maioria dos trabalhadores demitidos pela Camargo Correa, construtora da Usina Hidrelétrica de Jirau, em Porto Velho (RO), é do Maranhão. A demissão em massa no canteiro da obra foi motivada pela rebelião promovida pelos operários que protestaram contra as condições de trabalho escravo, violação de direitos e humilhações.
    A Camargo Corrêa foi uma das maiores financiadoras da campanha eleitoral da presidente Dilma Rousseff (PT). Na semana passada o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi esteve em Rondônia para fechar um acordo entre o sindicato patronal e a CUT.
    Para reprimir a rebelião no canteiro da UHE de Jirau foram enviados para o local 600 integrantes da Força Nacional, além de policiais federais e ABIN.
    Mais de 6 mil operários foram contratados pela Camargo Corrêa. Uma decisão do juiz federal do trabalho, Afrânio Viana Gonçalves, Titular da 3ª Vara do Trabalho de Porto Velho/RO, autorizou a construtora e o “Consórcio Energia Sustentável do Brasil” (ESBR) “a retomada gradual da obra” e a “exercer na plenitude seu poder diretivo sobre a mão de obra de seus trabalhadores contratados que inicialmente, com a retomada da obra, não será totalmente reaproveitada,” ou seja, demissão em massa.
    Pela decisão do juiz os operários terão que ser remetidos para seus locais de origem, tendo garantida em Convenção Coletiva de Trabalho a "baixada" (licença para ir para suas casas, após período de meses trabalhados). Com isso eles ficam impedidos de formular ação trabalhista para garantir seus direitos, uma vez que as provas testemunhais que poderiam ser produzidas encontram-se em Porto Velho. As homologações foram chanceladas pelo Sticcero, CUT e Força Sindical.
    São citados especialmente os casos de milhares de trabalhadores oriundos de outros estados, dentre eles os operários maranhenses que foram levados para a UHE de Jirau Eles foram levados por terceiros e até por "gatos", e cadastrados, perante a empresa Camargo Correia como se tivessem domicílio e origem em Porto Velho.



Lobão nutre sua fama de lenda do rock que errou

     Em uma passagem de seu livro autobiográfico,  "50Anos a Mil", o cantor Lobão conta que saiu de órbita em São Luís lá pelos idos anos 80, quando o rock brasileiro estava na moda, por conta de um ácido que havia ingerido. Relata ainda que foi chamado para um jantar na casa do Sarney e que viu bigode pra todo lado. É óbvio que declinou do convite, debochara de Sarney dizendo que o homem do bigode, tutor do ministro xará do cantor, se achava o cara, o eleito.
    No século XXI Lobão se envolve novamente em um episodio nebuloso no Maranhão. A fumaça já havia sido anunciado com o cancelamento do show em Recife. Depois de marcar e desmarcar o show na capital do Pernambuco, Lobão desmarcou a agenda no Nordeste. Na agenda do autor de "O roque errou", constavam shows em Imperatriz, segundo maior cidade do Maranhão, e Pinheiro; justamente a terra natal de Sarney. Algo meio nonsense devido ao restrito público que nutre afeição pelo cantor e sua obra na chamada Princesa da Baixada. A região é uma das mais pobres - de menor IDH- do segundo estado mais pobre da federação. Enfim, Lobão Elétrico seria a redenção dessa banda do planeta.
    Pelo twitter o cantor, compositor e apresentador de TV, ficou nesse vai e vém. Disse que não rolou o show por conta das estradas e da falta de infraestrutura do país. Talvez ele pensasse ser o Maranhão diferente do Brasil. Ao contrário de Jorge Murad e Roseana que pensavam que o Brasil era o Maranhão quando foram pilhados na Operação Lunus em 2002, conforme a revista Veja, dos Civita.
    Na noite de quinta-feira Lobão errou novamente. Segundo a lenda ele estaria em Imperatriz para fazer o show. Não apareceu e o clima explodia entre a plateia. Ingresso custa dinheiro. E ninguém é doido, ou doidão, a ponto de rasgá-lo. Vide os contratos com emissoras do porte da MTV e suas caras e bocas para a juventude endinheirada. 
    Lobão é bom, mas mau na avaliação de sua  plateia. Que Lobão tem uma parcela de responsabilidade por uma boa fatia do rock brasileiro é inegável. Mas, a empolgação roqueira não chega a ponto de desmiolar a todos em definir o cara com um forjador de lenda, da própria lenda. Pois assim se ganha mais dinheiro. Nem que seja preciso matar a mãe ou crianças em Realengo. Tudo em nome da celebrização nessa Sexta-feira Santa.

Charge do dia: Aroeira

No claudiohumberto.com.br

OS OSSOS DO BARÃO
Virou bagunça: o ministro Pedro Novais (Turismo), que pagou motel com dinheiro da Câmara, foi medalhado por Dilma com a Grã Cruz de Rio Branco, que a ex-ministra Erenice Guerra ganhou, em 2010.
ENGANA QUE ELES GOSTAM
O primeiro-ministro da Ucrânia, Mykola Azarov, anunciou que até 2014 construirá com o Brasil base de lançamento de foguetes em Alcântara (MA), rachando meio a meio as despesas. Os parentes dos 21 civis mortos na base em 2003 ganharam só R$ 100 mil de indenização.

Manchetes dos jornais

Maranhão
O ESTADO DO MARANHÃO – Via Sacra e Fogaréu reforçam fé católica
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Comer... Rezar... Amar...
FOLHA DE SÃO PAULO:'Maquiagem' de produtos crescem junto com Inflação
O ESTADO DE MINAS:Calvário nas estradas
O ESTADO DE S. PAULO:Dilma enquadra agências reguladoras
O GLOBO:Multas por sonegar imposto podem chegar a R$ 100 bi
ZERO HORA:Feriadão de Páscoa 2011. Por que as estradas pararam
Regional
DIÁRIO DO PARÁ: Vídeo agrava crise na AL
JORNAL DO COMMERCIO: Os muitos perigos na rota BR - 232
MEIO-NORTE:Acidentes de trânsito matam 15 no feriado
O POVO:Soldados da ronda são expulsos por assédio sexual