5 de ago de 2010

Prefeito de Trizidela do Vale demite secretária que participou de encontro com Jackson Lago

     O apoio a Roseana Sarney tem sido pautado pelo terrorismo. Argolados na justiça, os prefeitos estão sendo subjugados sob o domínio do medo, chegando às raias do reacionarismo. Ao menos um episódio ilustra o clima de coerção, irradiado a partir da coordenação política da candidata à reeleição. Na semana passada a professora e secretária municipal de Educação, Kariadne Maia, acompanhou como cidadã a visita do candidato a governador pela coligação "O Povo é Maior", Jackson Lago (PDT), ao município de Trizidela do Vale.
     Lideranças políticas de peso da região do Mearim, como o empresário Paulo Maratá, ex-candidato a prefeito de Trizidela nas eleições de 2008, e o candidato a deputado federal Simplício Araújo (PPS), acompanhavam Jackson Lago na visita a Trizidela.
      A professora Kariadne Maia, gestora de Educação da Região de Pedreiras na gestão Jackson Lago, estava entre as pessoas que receberam o pedetista no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Trizidela do Vale na Nova Rua, número 536.
      Dias depois viria a represália: por determinação do prefeito Jânio de Souza Freitas, Jânio Balé (ainda filiado ao PDT), a professora foi demitida do cargo. Juntamente com ela outras funcionários que recepcionaram o candidato adversário de Roseana Sarney.
     Com a medida o prefeito atiçou a indignação do sindicato dos professores do município que em comunicado público se solidarizam com a professora Kariadne Maia e declararam apoio ao pedetista nas eleições para governador em outubro deste ano.

Charge do dia: Sponholz

Votação da PEC dos Jornalistas é adiada para setembro

O Senado adiou para setembro a votação da Proposta de Emenda à Constituição 33/09, mais conhecida como PEC dos Jornalistas. Os senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) e Inácio Arruda (PC do B-CE), autor e relator da proposta, retiraram a matéria da pauta na sessão desta quarta-feira (04/08) por não terem certeza da aprovação.
     A PEC continua na pauta do plenário e deverá ser votada no próximo esforço concentrado, previsto para a primeira semana de setembro. Mesmo com o adiamento da votação, o presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Sérgio Murillo de Andrade, acredita que a proposta poderá ser aprovada e sancionada até o final de 2010.
     "É difícil, mas estou confiante que a exigência do diploma para profissão, algo que nos foi furtado pelo Supremo Tribunal Federal, volte a valer ainda este ano", disse Andrade.
     Ele também diz que a Fenaj está lutando para mobilizar sindicatos e jornalistas sobre a importância da aprovação da PEC. Andrade informou que o site da entidade vai disponibilizar, a partir desta quinta-feira (05/08), uma tabela com a tendência de voto dos 81 senadores, além de divulgar o e-mail de cada um. O objetivo é fazer com que estudantes e jornalistas entrem em contato com os parlamentares para cobrar apoio ao projeto.
Do Comunique-se

Projeto aprovado quer que eleitor possa ser preso em véspera de eleição

Mudança na legislação eleitoral aprovada quarta-feira (4) pela Comissão da Constituição e Justiça (CCJ) do Senado acaba com a regra que garante que nenhum eleitor será preso às vésperas das eleições. O PL 338/04, aprovado em caráter terminativo pelos senadores, terá ainda que passar pelo crivo dos deputados na Câmara, para começar a valer.
     De acordo com o art. 236, do atual Código Eleitoral, é vedada a prisão de eleitores no período de cinco dias antes e 48 horas depois da eleição. Hoje, nenhum eleitor pode ser preso às vésperas do pleito, exceto nos casos de crime em flagrante, sentença que condene alguém por crime inafiançável e desrespeito a salvo-conduto. Pelas atuais regras, mesários, fiscais de partido e candidatos tem garantia de não serem presos desde 15 dias antes da eleição.
     Pelo projeto aprovado no Senado, apenas candidatos a cargos eletivos, mesários e fiscais irão manter essa garantia. Os demais eleitores perdem esse direito. O autor da proposta, senador Marco Maciel (DEM-PE), justifica que a realidade do país mudou. O senador argumenta que hoje eleitores não estão mais tão suscetíveis a prisões por abuso ou ilegalidade como ocorria quando a regra foi estabelecida.
      O veto à prisão de eleitores às vésperas da eleição foi introduzido pelo Código Eleitoral em 1932. A regra foi criada para inibir a atuação, especialmente, de “coroneis” que intimidavam o eleitorado mais pobre e sem instrução. Em eleições de cidades pequenas, onde dois ou três votos decidem a disputa, era comum eleitores serem preso para não exercerem o direito de voto. A proibição de prender eleitor coibia também o uso da força policial para intimidar os votantes.
     “A realidade do país é hoje diversa daquela existente por ocasião da adoção da norma, quando ainda era expressivo o chamado 'mandonismo' local. Nos dias que correm em praticamente todo o país há uma opinião pública vigilante, meio de comunicação independente e um Ministério Público atento e ativo”, considerou em seu parecer, o relator da matéria, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).
Do Congresso em foco

Museu de Tudo: Foto do álbum Arte da Cidade da pinacoteca do extinto BEM

Lou Reed cancela participação na Flip

     O compositor  e cantor Lou Reed cancelou sua participação no evento. Em comunicado, o escritório do compositor alegou “motivos pessoais” como razão da desistência. A presença de Reed estava confirmada desde o mês de março e seus assessores mantinham contato regular com a Flip e com a Companhia das Letras, sua editora no Brasil, para acertar os detalhes de sua participação. A Companhia das Letras também lamentou o ocorrido e informou que o livro "Atravessar o fogo", está na livrarias.
     A nova composição da mesa será anunciada em breve. A organização da Flip sugere aos que já tenham adquirido ingressos para a mesa de Reed que aguardem o anúncio do novo convidado. Os ingressos adquiridos para a mesa do Lou Reed serão válidos para a nova programação.
O comunicado de Tom Sarig, empresário do cantor:
     "Lou Reed teve que cancelar por motivos pessoais, lamentamos profundamente o ocorrido e esperamos poder visitar o Brasil num futuro próximo. Pedimos desculpas pelo transtorno ocasionado àqueles que lutaram para conseguir os ingressos e à organização do festival”.

Homem é acusado de estuprar e matar uma galinha

     Um homem conhecido como Pretinho foi denunciado pela vizinha identificada como Ednalva por ter estuprado e matado a galinha dela. Ela levou as fotografias da galinha morta e com o pescoço todo depenado para a delegacia e exigiu que Pretinho fosse preso.
     Segundo o agente da polícia civil Cícero Alves, que fez a ocorrência, Ednalva chegou transtornada, querendo que ele pagasse pelo que fez. Ela disse que ele mordeu a galinha toda.
     Depois de uma conversa de conciliação, os dois entraram em um acordo e Pretinho teve que pagar a ave.
Fonte: Jornal Meio Norte

Pai de prefeita dá nome a escola que homenagearia Aluísio Azevedo

     Para agradar à prefeita de São João do Sóter, a governadora Roseana Sarney (PMDB), candidata a um quarto mandato, permitiu que a Secretaria de Estado da Educação, Seduc, trocasse o nome do centro de ensino médio no município.
     Antes de ser entregue o centro prestava homenagem ao escritor maranhense Aluísio Azevedo, autor dos clássicos "O Cortiço" e "O Mulato". Prestes a ser inaugurado, o governo resolver renomear o prédio trocando o nome por Inácio Rocha, genitor da prefeita Luiza Rocha, aliada de Roseana.
     São João do Sóter tem colégio eleitoral formado por pouco mais de 10 mil eleitores. A estratégia de Roseana é não deixar que se repita o ocorrido em 2006. Naquela eleição, em que foi derrotada nas urnas por Jackson Lago (PDT), os eleitores soterense deram a maior votação à pefelista no primeiro turno.
     O candidato ao governo pelo PSB, Edison Vidigal, que na eleição de outubro concorre ao Senado Federal, obteve a segunda maior votação com 1.547 votos. A votação de Jackson Lago em São João do Sóter que somou apenas 844 votos no primeiro turno, subiu para 2.257 votos. Esse quadro Roseana quer afugentar a todo custo. Daí a ascensão de Inácio Rocha.

Primeiro debate vai “ditar o ritmo” da campanha, diz Mitre

Anderson Scardoelli
     A Band vai apresentar às 22h desta quinta-feira (05/08) o primeiro debate do ano entre candidatos à Presidência da República. Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda (PSOL) confirmaram presença.
     O diretor nacional de jornalismo da Band, Fernando Mitre, diz que a maior importância desse debate é fazer com que os eleitores tenham o primeiro contato com os candidatos, podendo comparar as propostas e até ter a oportunidade de ver discussões entre presidenciáveis.
     "Por ser o primeiro debate, ele vai repercutir mais entre os partidos e telespectadores. Além de ditar o ritmo de cada candidato", afirmou Mitre, que lembrou a tradição da emissora do Morumbi em realizar o primeiro debate eleitoral.
     Mitre fez questão de dizer que desde dezembro de 2009, quando começou a se reunir com os partidos para definir as regras e o formato do debate, não houve candidato que pensou em não ir ao debate promovido pela Band.
Formato e candidatos "nanicos"
     O formato deste debate foi aperfeiçoado, segundo Mitre. Para ele, o modo em que foi planejado faz com que ele seja "bonito e funcional". Porém, um fator ajudou a Band em organizar e aperfeiçoar o debate: a desistência de Ciro Moura (PTC), Mario Oliveira (PT do B) e Oscar Silva (PHS) em disputar a Presidência. Se confirmassem a candidatura, os três teriam que ser convidados, o que poderia atrapalhar o andamento do debate.
     "Com apenas quatro é bem melhor. Os que desistiram da campanha nos ajudaram", diz.
     O encontro será mediado por Ricardo Boechat e terá participação dos jornalistas José Paulo de Andrade e Joelmir Beting.
Da Band

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Tarado entra na taca
ATOS & FATOS -Impugnação: Jackson Lago e Roseana são inocentados pelo TRE
JORNAL A TARDE - TRE libera candidaturas de Deus, o mundo e seu Raimundo
O ESTADO DO MARANHÃO-Confirmadas candidaturas de Roseana e Jackson Lago
O IMPARCIAL - Limpos
O QUARTO PODER - Mais um pedófilo: Menina é abusada por homem de 69 anos
TRIBUNA DO NORDESTE -TRE aprova Jackson Lago para conquistar governo