28 de nov de 2010

Mostra reúne 45 filmes sobre Direitos Humanos produzidos na América do Sul

     Tem início nesta segunda-feira, 29, a 5ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, em São Luís. A mostra acontece no Cine Praia Grande (Centro de Criatividader Odylo Costa, filho - Praia Grande), com capacidade para 111 pessoas por sessão, até o dia 5 de dezembro. A entrada é franca.
    A abertura da programação será com a exibição do filme "Vidas deslocadas", produção brasileira de 2009, dirigido por João Marcelo Gomes, conta a história do casal palestino Faez Abbas e Salha Nasser, que derdem o direito de permanecer no Iraqui após a queda de Saddam Hussein. Desde 2003, quando deixam o Iraque, vivem em campos de refugiados em Al-Ruweyshed, entre o Iraque e a Jordânia.
    Em setembro de 2007 o casal foi reassentado no Brasil, junto a outros 120 refugiados palestinos. Único povo até então reconhecido pela Iraque como refugiados, de acordo com a ONU, existem atualmente cerca de 4,7 milhões palestinos no mundo todo.
    A partir de quarta-feira às sessões das 13h30 serão reservadas a pessoas com deficiência visual, denominada sessão audescrição. Embora a maior parte da produção seja de filmes brasileiros (26 dos 45 filmes produzidos, sendo um em coprodução com o Uruguai) a mostra reúne filmes produzidos na Argentina, Chile, Uruguai, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

Programação
29/11 - SEGUNDA-FEIRA
19h30 – Sessão de Abertura
VIDAS DESLOCADAS - João Marcelo Gomes (Brasil, 13 min, 2009, doc)
PERDÃO, MISTER FIEL - Jorge Oliveira (Brasil, 95 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 14 anos

30/11 – TERÇA-FEIRA
13h30
A VERDADE SOTERRADA - Miguel Vassy (Uruguai/ Brasil, 56 min, 2009, doc)
ROSITA NÃO SE DESLOCA - Alessandro Acito, Leonardo Valderrama (Colômbia/ Itália, 52 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
15h30
ENSAIO DE CINEMA - Allan Ribeiro (Brasil, 15 min, 2009, fic)
108 - Renate Costa (Paraguai/ Espanha, 91 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
17h30
A BATALHA DO CHILE II – O GOLPE DE ESTADO - Patricio Guzmán (Chile/ Cuba/ Venezuela/ França, 90 min, 1975, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
19h30
ABUTRES - Pablo Trapero (Argentina/ Chile/ França/ Coréia do Sul, 107 min, 2010, fic)
Classificação indicativa: 16 anos

01/12 – QUARTA-FEIRA
13h30 – Audiodescrição
AVÓS - Michael Wahrmann (Brasil, 12 min, 2009, fic)
ALOHA - Paula Luana Maia, Nildo Ferreira (Brasil, 15 min, 2010, doc)
CARRETO - Marília Hughes, Claudio Marques (Brasil, 12 min, 2009, fic)
EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO - Daniel Ribeiro (Brasil, 17 min, 2010, fic)
* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual.
Classificação indicativa: 12 anos
15h30
HÉRCULES 56 - Silvio Da-Rin (Brasil, 94 min, 2006, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
17h30
DIAS DE GREVE – Adirley Queirós (Brasil, 24 min, 2009, doc)
PARAÍSO - Héctor Gálvez (Peru/ Alemanha/ Espanha, 91 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 12 anos
19h30
CARNAVAL DOS DEUSES - Tata Amaral (Brasil, 9 min, 2010, fic)
MEU COMPANHEIRO - Juan Darío Almagro (Argentina, 25 min, 2010, doc)
LEITE E FERRO - Claudia Priscilla (Brasil, 72 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 16 anos

02/12 – QUINTA-FEIRA
13h30 – Audiodescrição
PRA FRENTE BRASIL - Roberto Farias (Brasil, 105 min, 1982, fic)
* Sessão com audiodescrição para público com deficiência visual.
Classificação indicativa: 14 anos
15h30
A CASA DOS MORTOS - Debora Diniz (Brasil, 24 min, 2009, doc)
CLAUDIA - Marcel Gonnet Wainmayer (Argentina, 76 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 14 anos
17h30
ALOHA - Paula Luana Maia, Nildo Ferreira (Brasil, 15 min, 2010, doc)
AVÓS - Michael Wahrmann (Brasil, 12 min, 2009, fic)
CINEMA DE GUERRILHA - Evaldo Mocarzel (Brasil, 72 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
19h30
KAMCHATKA - Marcelo Piñeyro (Argentina/ Espanha/ Itália, 103 min, 2002, fic)
Classificação indicativa: livre

03/12 – SEXTA-FEIRA
13h30
DOIS MUNDOS – Thereza Jessouroun (Brasil, 15 min, 2009, doc)
AMÉRICA TEM ALMA - Carlos Azpurua (Bolívia/ Venezuela, 70 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
15h30
VLADO, 30 ANOS DEPOIS - João Batista de Andrade (Brasil, 85 min, 2005, doc)
Classificação indicativa: 14 anos
17h30
A HISTÓRIA OFICIAL - Luis Puenzo (Argentina, 114 min, 1985, fic)
Classificação indicativa: 12 anos
19h30
XXY - Lúcia Puenzo (Argentina/ França/ Espanha, 86 min, 2006, fic)
Classificação indicativa: 16 anos

04/12 – SÁBADO
13h30
MÃOS DE OUTUBRO - Vitor Souza Lima (Brasil, 20 min, 2009, doc)
JURUNA, O ESPÍRITO DA FLORESTA - Armando Lacerda (Brasil, 86 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
15h30
HALO - Martín Klein (Uruguai, 4 min, 2009, fic)
ANDRÉS NÃO QUER DORMIR A SESTA - Daniel Bustamante (Argentina, 108 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 12 anos
17h30
MARIBEL - Yerko Ravlic (Chile, 18 min, 2009, fic)
O QUARTO DE LEO - Enrique Buchichio (Uruguai/ Argentina, 95 min, 2009, fic)
Classificação indicativa: 14 anos
19h30
O FILHO DA NOIVA - Juan José Campanella (Argentina/ Espanha, 124 min, 2001, fic)
Classificação indicativa: livre

05/12 – DOMINGO
13h30
GROELÂNDIA - Rafael Figueiredo (Brasil, 17 min, 2009, fic)
MUNDO ALAS - León Gieco, Fernando Molnar, Sebastián Schindel (Argentina, 89 min, 2009, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
15h30
CARRETO - Marília Hughes, Claudio Marques (Brasil, 12 min, 2009, fic)
BAILÃO - Marcelo Caetano (Brasil, 17 min, 2009, doc)
DEFENSA 1464 - David Rubio (Equador/ Argentina, 68 min, 2010, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
17h30
O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS - Cao Hamburger (Brasil, 110 min, 2006, fic)
Classificação indicativa: 10 anos
19h30
EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO - Daniel Ribeiro (Brasil, 17 min, 2010, fic)
IMAGEM FINAL - Andrés Habegger (Argentina, 94 min, 2008, doc)
Classificação indicativa: 12 anos
* O formato de exibição dos filmes é DVCAM.

Alteração do fuso horário do Acre depende de assinatura de Sarney

    Falta apenas o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) homologar o resultado do referendo sobre a hora legal do Acre para que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), assine um Ato Declaratório reintegrando o Estado, a partir do dia 2 de janeiro de 2011, à faixa de fuso horário de Greeenwich menos cinco horas, ou seja, de duas horas a menos em relação ao horário de Brasília.
    No dia 31 de outubro, 56,87% dos eleitores do Acre rejeitaram em referendo a Lei nº 11.662, de 24 de abril de 2008, de autoria do senador Tião Viana (PT-AC), sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que extinguiu o quarto fuso horário brasileiro, de cinco horas a menos em relação ao horário de Greeenwich.
    O movimento político para alterar o fuso horário começou após entrar em vigor a portaria 1.220/07, do Ministério da Justiça. A portaria determina que as emissoras de TV adaptem suas transmissões aos diferentes fusos horários vigentes no País em função da classificação indicativa dos programas.
Do Blog da Amazônia

Favela promove primeira eliminatória da escolha do samba-enredo

    A Sociedade Recreativa Escola de Samba "Favela do Samba" promove neste domingo, 28, em suja quadra, no bairro do Sacavém, a primeira eliminatória do concurso de sdamba-enredo para o carnaval 2011.
    A escola disputa o título de hexacampeã do carnaval de São Luís com o enredo "O boi é festa", desenvolvido pelos carnavalescos Júlio Matos e Pedro Padilha. Seis propostas estão selecionadas para este domingo:
1- Dio e Magé
2 -Luizan Filh, Joca, Jota Júnior e Wesley
3-Silvio Rayol, Carlinhos Diniz e Paulinho Rayol
4-Joelson Braga,Nestor, Ananias e Miolo
5 -Darlan Oliveira e Lucas Mendes
6 - Gilvan Mocidade e Zé Lopes

Esquema de fraude com empresas fantasmas "enquanta" madeira ilegal no Maranhão

João Domingos
    Um esquema que envolve a criação e a homologação de empresas fantasmas por parte do poder público tem garantido fraudes contínuas na emissão de Documentos de Origem Florestal (DOF), levando à legalização de astronômicas quantidades de madeira retiradas ilegalmente na Amazônia.
    Na região de Açailândia e Itinga do Maranhão - respectivamente a 575 e 670 quilômetros ao sul da capital São Luís -, por exemplo, a Gerência Executiva do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Imperatriz vistoriou os dados das guias usadas por seis empresas e descobriu que elas são fantasmas - não têm endereço, pátio ou serraria.
    Mesmo assim, elas movimentaram, do ano passado até o primeiro semestre deste ano, 58.780 metros cúbicos de madeira serrada (o suficiente para encher cerca de 2 mil carretas) e 201 mil metros cúbicos de carvão (3.665 carretas).
    O Estado obteve uma cópia do relatório. Os endereços fornecidos ao poder público pelas seis empresas foram todos visitados pela reportagem na última quinta-feira. Umas das empresas está numa rua - Bartolomeu Igreja, Centro -, em Açailândia, que não existe.
    Diante da dúvida, o Estado foi à prefeitura para ver o mapa da cidade. De fato, não há na região do centro de Açailândia nem nos bairros vizinhos nenhum logradouro que se chame ou tenha nome parecido com Bartolomeu Igreja.
    Bem perto da prefeitura fica a Rua Paraguai, no Bairro Parque das Nações. Consta na documentação de posse do Ibama que lá existe a WC Madeiras. Só que ninguém ouviu falar dela.
    A única coisa que se parece com uma madeireira nessa rua são as sucatas de uma velha serraria, já desativada, onde mora um homem. Este, respondendo de trás de uma janela e sem se identificar, disse que nunca ouvira falar em tal estabelecimento.
    O endereço que ele ocupa tem nas paredes a inscrição Madeireira Morais. A Rua Paraguai é um local ermo, cheio de buracos, que termina nas encostas de uma fazenda.
No oceano. Esses, como outros que envolvem fraudes, são casos graves. Mas não os mais curiosos. Em Itinga do Maranhão, a cerca de 100 quilômetro dali, na fronteira com o Pará, a empresa JNC Santiago se registrou como tendo sua sede na Rua das Mangueiras, 1.130, Praça do Mercado. No local não existe nenhum número correspondente ao endereço dado pela empresa.
    Pior: as coordenadas geográficas indicadas no registro (latitude 2º23" 1,7" Sul e longitude 43° 08"3,5" Oeste) vão dar no meio do Oceano Atlântico.
    Vizinha dela consta que existe a Dilma Ferreira Souto-Comércio, à Rua Duque de Caxias, 49. Como a outra, também não existe e ninguém ouviu nada a seu respeito.
    No lugar onde deveria estar o número 49 fica uma praça. Na documentação aparece ainda a empresa André Correia Martins, com endereço na BR-010, km 40, em Açailândia. Acontece que o tal km 40 fica a pelo menos 300 quilômetros de distância, próximo da cidade de Estreito, divisa com Tocantins.
    Num único dos seis casos foi possível descobrir a pista de uma dessas empresas fantasmas. Na saída de Itinga para Açailândia existe a Madeireira Alto da Pipira, que funciona regularmente, com documentação e tudo. De acordo com os proprietários, os irmãos Maurício e James Aguiar, em julho de 2007 eles arrendaram o local para uma pessoa conhecida por Izaque Leal de Almeida, que lá tocou a Madeireira Mundo Novo. Mas o contrato foi desfeito no primeiro semestre do ano passado.
    De acordo com a Gerência do Ibama de Imperatriz, a segunda maior cidade do Maranhão, mesmo sem sede e sem pátio, a Mundo Novo ainda declarou ter 47.572 metros cúbicos de carvão vegetal e 8.667 metros cúbicos de carvão.
De O Estado de S. Paulo

Manchetes dos jornais

ITAQUI-BACANGA- Semana sangrenta no Rio de Janeiro
JORNAL EXTRA - Bandidos em fuga: Polícia do Rio empurra os "capetas" para o Nordeste
JORNAL PEQUENO - Um juiz contra a cidadania: Mais de 60 entidades repudiam "atos arbitrários" do juiz de Dom Pedro
O ESTADO DO MARANHÃO - Construção deverá crescer 25% este ano no Maranhão
O IMPARCIAL - Reeleição na AL pode embaralhar sucessão
TRIBUNA DO NORDESTE - Estudantes de São Luís não vão perder o Bolsa Família