4 de mai de 2010

Livro "A ditadura da mídia" é lançado em São Luís

O jornalista Altamiro Borges (foto) lança nesta quarta-feira, 5, em São Luís o seu mais recente livro “A ditadura da mídia”. O evento será no auditório do Sindicato dos Bancários, às 19h. O lançamento da publicação na capital maranhense é promovido pelo Sinproesemma (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão) com o apoio da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras (CTB-MA) e do Departamento de Comunicação da UFMA e faz parte das comemorações pelos 40 anos do curso daquela universidade. Um pouco antes da sessão de autógrafos, Altamiro Borges ministrará a palestra “Mídia e democracia no Brasil”.

O lançamento oficial do livro ocorreu na I Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), realizada entre os dias 1º e 3 de dezembro, em Brasília. Na obra, Borges faz uma síntese do atual contexto da comunicação no mundo e no Brasil, enfatizando a manipulação de conteúdo feita por grandes grupos midiáticos. Além de apresentar a manipulação engendrada pelo capitalismo na mídia, o autor traz algumas propostas, com o objetivo de contribuir para os debates realizados na Confecom. Entre elas estão o fortalecimento da radiodifusão pública, a revisão dos critérios das concessões, o estímulo à radiodifusão comunitária e um novo marco regulatório para as comunicações.

“A ditadura da mídia” é composta de cinco capítulos, em que o autor escreve sobre “Poder mundial a serviço do capital e das guerras”, “A mídia na berlinda na América Latina rebelde”, “Concentração sui generis e os donos da mídia no Brasil”, “De Getúlio a Lula, histórias da manipulação da imprensa” e “Outra mídia é urgente: as brechas da democratização”.

O livro tem 176 páginas e é publicado pela editora Anita Garibaldi/Associação Vermelho. A produção do livro recebeu o apoio de 54 entidades sindicais, incluindo cinco centrais.

SOBRE ALTAMIRO BORGES
Ele é jornalista, membro do Fórum de Mídia Livre, secretário de Comunicação do PCdoB, diretor do Portal Vermelho e integrante dos conselhos das revistas Princípios, Crítica Marxista e Fórum e do jornal Brasil de Fato. É autor dos livros “Sindicalismo, resistência e alternativas” (2008), “As encruzilhadas do Sindicalismo” (2005) e “Venezuela: originalidade e ousadia” (2005); organizador das obras “Reforma sindical e trabalhista no governo Lula” (2004); “Para entender e combater a Alca” (2002) e “Administração sindical em tempos de crise” (1999); e co-autor, junto com Marcio Pochmann, do livro “Era FHC: a regressão do trabalho” (2002) .

Hino do Ficha Limpa

(ao ritmo de Cidade Maravilhosa)
Letra: Nelson Motta
Arranjo: Liminha

É hora
de por pra fora
nossa opinião
bandido é pra cadeia
não é pro Congresso não
(bis)

Ficha no lixo
se lixa pra nós
suja a democracia
rouba do povo e
compra eleição
pra não ir para
a prisão-ão-ão

É hora
de por pra fora
nossa opinião
bandido é pra cadeia
não é pro Congresso não

Frase de efeito

“Eu vejo o Senado promover horas e horas de debate e nem uma linha nos jornais. A imprensa vem para cá como quem vai a uma delegacia, em busca de escândalos”

Fernando César Mesquista,
diretor da Secretaria de Comunicação do Senado Federal

Max Barros e Fábio Braga fazem "barreira" para o prefeito de Tutóia acusado de pedofilia

  Até mesmo distante da mídia a CPI da Pedofilia do Legislativo Estadual segue espocando flashes. No início da noite desta terça-feira os holofotes foram desviados do alvo pelos deputados Max Barros (DEM) e Fábio Braga (PMDB). Eles fizeram barreira para que o prefeito de Tutóia, Raimundo Nonato Abraão Baquil (PSDB) acusado de abusar sexualmente de duas menores no município.

     Baquil chegou à sede do Palácio Manoel Bequimão, no Rangedor, acompanhado do advogado Carlos Sérgio de Carvalho que contestava a notificação do seu cliente para prestar depoimento na CPI. “A notificação era absolutamente genérica. Nada diz sobre qual assunto iria depor meu cliente e nem em que condições”, repetiu para imprensa o que constava em um documento encaminhado à CPI. Segundo o advogado, a notificação era clara na definição da data do comparecimento do seu cliente: dia 5 de maio às 15 horas.

     Durante parte da tarde, o prefeito de Tutóia permaneceu no gabinete do deputado Max Barros. Pouco tempo depois de terminado o depoimento do padre italiano Giovanne Antônio Garagiola, 70, acusado do mesmo crime, e vendo que a imprensa havia se retirado os deputados Max Barros e Fábio Braga procuraram a deputada Eliziane Gama (PPS), presidente da CPI, na tentativa de que o depoimento do prefeito fosse antecipado.

     “Ele vai depor agora ou não se fará presente amanhã”, ameaçou a colega Gama o deputado Max Barros. O democrata acusou a deputada Eliziane Gama de buscar os holofotes da mídia. Em resposta, a deputada avisou que caso Baquil se recuse a depor na CPI da Assembleia Legislativa irá pessoalmente até Brasília para comunicar o caso à CPI do Senado comandada pelo também evangélico senador Magno Malta.

     Barros e Braga defendem que o prefeito de Tutóia tenha o mesmo tratamento do prefeito de Pirapemas, Elizeu Moura, que prestou esclarecimento aos membros da CPI longe dos holofotes da mídia.

     Para o advogado Carlos Sérgio de Carvalho não há nada que motive a notificação do prefeito para prestar depoimento na CPI. No seu entendimento tudo partiu de uma denúncia anônima que atacou diversas pessoas em Tutóia. Ele argumenta ainda que Baquil foi inocentado pela Promotoria de Tutóia que colheu os depoimentos das supostas vítimas que tudo negaram ou ao menos livraram a cara do prefeito. Especula-se que elas tenham sido seduzidas desta vez apenas pelo dinheiro vivo do chefe do Executivo municipal.

     Há pouco menos de dez dias para encerrar os trabalhos a CPI endereçou outra representação ao juiz Márcio José do Carmo Matos Costa, em Tutóia, solicitando uma nova notificação do prefeito. Desta vez espera-se que pelo menos a notificação tenha efeito mais ativo.

MA: apoio a Dino ainda pode mudar, diz presidente do PT

Eliano Jorge

O PT do Maranhão está distante de encerrar a polêmica sobre o apoio à candidatura de Flávio Dino, do PCdoB, em detrimento da aliança com o PMDB da governadora Roseana Sarney, que tenta a reeleição. O presidente do diretório estadual petista, Raimundo Monteiro, anuncia que uma reunião pode modificar a decisão de se coligar aos comunistas, que teve 87 votos contra 85, em 27 de março.

"Nos dias 21 e 22 de maio, vai ter outro encontro para ver a questão das candidaturas de deputados. Se (o partido) achar que (o anterior) deve ser revisto, pode ser que haja uma revisão", revelou Monteiro.

Contrário a uma aliança com os peemedebistas, o deputado federal Domingos Dutra discorda da validade de novo pleito. "Já tínhamos marcado este encontro, se destina apenas para aprovar os candidatos a deputados estadual, deputado federal, vice-governador, senador e suplente de senador. O encontro estadual não pode rever outro encontro estadual, só o nacional", afirma.

Monteiro insiste na brecha: "Oficialmente, o encontro que vai decidir candidaturas é o dos dias 21 e 22". Dutra refuta mudanças. "Não, isso não existe, não tem amparo. É desespero, eles estão sem saber o que fazer com a derrota. Tem recurso, tem pedido de intervenção, e agora estão com essa história. Se tiver isso, vai virar uma guerra porque não pode. O partido tem regras. A primeira etapa foi escolher candidato de fora do PT, foi o que a gente fez, esse prazo já passou", argumenta.

O líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza, também espera que o diretório estadual modifique sua opção para que a direção nacional não precise fazer valer sua vontade por uma aliança com o PMDB, mas não entra nos meandros das questões locais. "É tentativa de golpe", brada Domingos Dutra. "Aí, pode dizer que vai morrer gente aqui porque o encontro não acontece, isso aí é irresponsabilidade. (Se) perderam, perderam. Se o diretório nacional quiser fazer intervenção, faz", acrescenta.

Monteiro atesta que o PT maranhense permanece distante de um consenso. "Está dividido, cada metade para um lado. Eu não tenho opinião definida, vou acatar o que for definido", esquiva-se. Na votação sobre a coligação, ele seguia as diretrizes nacionais, que recomendam acordo com os Sarney, adversários históricos da sigla. "Que fizesse aliança com o PMDB porque é uma estratégia do PT nacional, e o Maranhão faz parte desta estratégia. Minha prioridade é a eleição de Dilma Rousseff. Não adianta eu ganhar o Maranhão e perder o nacional", diz.

"A gente sabe que o Sarney continua pressionando o presidente Lula. A Roseana deu duas secretarias para o pessoal do PT que apoia ela. Estamos na pré-campanha (de Dino). Não acreditamos que haverá intervenção aqui nem anulação de encontro porque não ferimos nenhuma norma do partido", opina Dutra.

Por enquanto, a presidenciável Dilma Rousseff conta com os palanques de PCdoB e PMDB. O pré-candidato tucano José Serra estaria representado na campanha do ex-governador cassado Jackson Lago, do PDT. "PSB e PCdoB são aliados históricos do PT. O PMDB nunca foi nosso aliado, portanto é um casamento de urubu com elefante. O candidato que definimos (Flávio Dino) é deputado federal da base do governo, nosso palanque é competitivo, forte e, sobretudo, limpo", queixa-se Domingos Dutra.

A escolha pelo PCdoB, em São Luís, foi observada presencialmente pelo secretário nacional de organização do PT, Paulo Frateschi, e pelo presidente, José Eduardo Dutra, que atestaram a lisura do evento. "José Eduardo Dutra veio para cá pedir para todo mundo fazer o encontro político, não ter briga para não repercutir na ministra Dilma, nós acatamos, fomos para lá e enfrentamos a máquina do Estado, estávamos dispostos a aceitar o resultado. Agora, no tapetão assim, não toma não", reage o parlamentar maranhense. A troca de aliança, então, precisaria ser imposta. "O diretório nacional tem poderes para fazer intervenção. Se entender que a aliança com PSB e PCdoB prejudica a Dilma, ele pode. O problema é encontrar argumento pra isso", desafia Domingos Dutra.

Nessa esfera, há outro impasse sobre procedimentos legítimos. "Eu considero extremamente difícil (intervir). É preciso 60% do diretório (nacional), haver uma intervenção, destituir a direção estadual", explica o deputado Dutra. Vaccarezza simplifica o método: "Aprovamos, no congresso (do PT), que quem decide as alianças estaduais é o diretório nacional". E Dutra analisa: "Politicamente, se o diretório entender que, aqui no Maranhão, para o bem da ministra Dilma, só deve ter o palanque da Roseana, pode. Mas até nisso não resolve porque o Flávio Dino já disse que é candidato com ou sem o PT".

A alteração da parceria com o PCdoB em favor do PMDB ameaça causar danos à campanha inteira e à participação do PT na política maranhense. "Estamos no PT há 30 anos, não é justo fazer uma intervenção no PT do Maranhão pra matar dois terços do partido. Porque, se houver intervenção, eu e tantos outros não seremos candidatos a nada", promete Dutra, listando nomes históricos da legenda local.

"A gente ser morto pra dar vida a uma oligarquia? Enquanto a gente lutava para fortalecer o PT e o Lula, eles usavam a máquina deles contra nós, contra o partido, contra o Lula", denuncia o deputado, em referência à velha rivalidade com o grupo político de Sarney.

Do Portal Terra

Sinproesemma esclarece sobre afastamento de Fernando Silva do sindicato

Em nota oficial o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão esclarece sobre o afastamento do sindicalista Fernando Silva da direção da entidade por questões estatutárias. Silva passou a integrar a equipe do governo Roseana Sarney (PMDB).

Segundo o documento assinado pelo presidente Júlio Pinheiro, a nomeação de Fernando Silva, vice-presidente do sindicato, para secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Educação, automaticamente o afasta da direção da entidade.

Veja abaixo a nota do Sinproesemma

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Diante do pedido de licença do seu primeiro vice-presidente, Fernando Silva, para composição da equipe do atual secretário de Estado da Educação, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) vem a público:

1. Comunicar que o pedido de licença do vice-presidente Fernando Silva foi apresentado oficialmente ao Sinproesemma no dia 27 de abril em reunião da Diretoria Executiva, cumprindo o que determina o artigo 93 do Estatuto da entidade: “não poderão candidatar-se ou exercer cargos eletivos das instâncias deliberativas do Sinproesemma, sócios que exerçam cargos de confiança dos governos estadual ou municipais”;

2. Informar que a assunção de Fernando Silva a cargo de auxiliar na equipe do atual Secretário de Educação, Anselmo Raposo, se deu por decisão individual e do grupo político-partidário do PT a que o diretor é vinculado e que por interesses específicos passou a integrar o governo Roseana Sarney (PMDB);

3. Esclarecer que a participação de Fernando Silva como secretário-adjunto de Educação não implica em aval ou compromisso do Sinproesemma com as decisões políticas e administrativas do governo Roseana Sarney;

4. Anunciar que o Sinproesemma continuará na luta pela construção de um Estatuto do Educador, democrático e inclusivo, e por eleições diretas para diretor de escola, entre outras questões, sempre de forma autônoma e independente quanto a qualquer governo instituído.

São Luís, 4 de maio de 2010
Júlio Pinheiro
Presidente

Cineclube Casarão exibe filme sueco nesta quarta no MHAM

Nesta quarta-feira, 5, tem sessão do Projeto Cinema no Museu, às 19h, no Museu Histórico e Artístico do Maranhão (Rua do Sol – Centro), com a exibição do coloridíssimo filme “Bem-vindos”, do diretor sueco Lukas Muodysson. A entrada é franca.

CADA UM NA SUA
Por Eduardo Júlio *

Se você assistiu a “Os Idiotas”, filme que deflagrou a estética dogma nos anos 90, saiba que “Bem-vindos” é mais interessante, mais engraçado, mais humanista e bem menos idiota.

Dirigido pelo sueco Lukas Moodysson, o longa se passa numa comunidade urbana hippie, na Suécia dos anos 70. Na casa, em meio a pôsters de Che Guevara, Lenin e Mao Tse Tung, convivem comunistas, homossexuais e hippies radicais. Eles colocam em prática todas as regras ideológicas da época: não comem carne, não consomem produtos norte-americanos e não assistem à televisão. De vez em quando, andam nus e, é claro, praticam meditação e transam à vontade.

A rotina do grupo é quebrada quando aporta no local a burguesa Elizabeth, irmã de um dos hippies. Ela e seus dois filhos trazem costumes estranhos ou nocivos à comunidade, o que vai determinar a grande lição do filme: o convívio humano é mais rico e harmonioso em meio à diversidade.

Apesar de não pertencer ao movimento dinamarquês dogma, o diretor Lukas Moodysson utiliza todos os clichês daquela estética debochada e revolucionária. Afinal, ele também é escadinavo: câmera na mão, narrativa documentarista e diálogos em excesso. Até o recurso do zoom, totalmente ultrapassado, está presente com toda naturalidade. Seja bem-vindo espectador!

*Trecho da crítica escrita para o jornal O Imparcial em 2002.

SERVIÇO
Projeto Cinema no Museu
Filme: “Bem-vindos”, de Lukas Muodysson (2000)
Quando: Quarta-feira, 5, às 19h
Local: Museu Histórico e Artístico do Maranhão – MHAM (Rua do Sol – Centro)
Promoção: Cineclube Casarão 337 e MHAM
Entrada franca

Bia "Aroso" é denunciada por prática de nepotismo em Paço do Lumiar

A 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar ingressou com uma Ação Civil Pública contra o município e sua prefeita, Glorismar Rosa Venâncio, a Bia "Aroso". O Ministério Público recebeu duas representações denunciando a prática de nepotismo e a contratação de parentes de vereadores do município.

Após a promotora de Justiça Gabriela Brandão da Costa Tavernard ouvir diversas pessoas citadas na denúncia, ficou comprovado que há diversos casos de nepotismo e contratações de parentes de vereadores. Entre os parentes da prefeita contratados pelo Município estão Thiago Rosa da Cunha Aroso, seu filho (chefe de gabinete); Francisco Morevi Rosa Ribeiro, seu sobrinho (secretário municipal de orçamento e gestão); e Maria do Socorro Rosa Siqueira, sua irmã (secretária municipal de cultura, esporte e lazer).

Duas filhas do vereador Francisco Pereira Filho também foram contratadas pela Prefeitura. Jéssica Cristina Carvalho Pereira, de 19 anos e sem qualquer experiência profissional, foi convidada para um cargo de confiança, assessorando o secretário municipal de orçamento e gestão (sobrinho da prefeita). Para atender telefonemas, receber ofícios e encaminhar documentos, em um expediente de seis horas, Jéssica Pereira recebe R$ 1.800,00.

A outra filha do vereador, Jerônima Cristina Carvalho Pereira, graduada em administração hospitalar e pós graduada, foi convidada pela prefeita Bia "Aroso"  Venâncio para ser diretora do Posto de Saúde da Vila São José I, trabalhando em jornada integral e recebendo R$ 1.200,00, salário menor que o de sua irmã, que faz trabalhos estritamente burocráticos.

Leandro Furtado França, filho da vereadora Orlete Mafra Furtado, também foi contratado pela Prefeitura de Paço do Lumiar. Outro vereador que tem familiares nos quadros do Município é Raimundo Pedro Silva. Além da esposa, Ana Santos Silva, sua filha, Fabiana Santos Silva, exerce o cargo de diretora adjunta da Escola Pe. Paulo Sampaio, embora ainda não tenha concluído o curso de Pedagogia.

Outra pessoa ouvida nas investigações, Silvania de Jesus dos Passos também foi contratada como professora do município após pedir ao vereador “Raimundo Careca” que desse “uma força” junto à prefeita para que seu currículo fosse aprovado. Silvania dos Passos trabalhou no CEI Pe. Paulo Sampaio entre março e dezembro de 2009.

Para a promotora Gabriela Tavernard, as contratações de parentes, principalmente as que caracterizam nepotismo cruzado, ocorreram para premiar aliados políticos que compõem a base de sustentação do governo municipal da Câmara de Vereadores.

“Ao efetuar contratações de parentes até o terceiro grau para comporem o primeiro escalão da administração municipal, bem como de parentes de, pelo menos, três vereadores, a chefe do Executivo Municipal violou os princípios constitucionais da legalidade, moralidade e impessoalidade, praticando ato de improbidade administrativa”, afirmou a promotora de Justiça.

Na ação, o Ministério Público requer o afastamento imediato dos parentes da prefeita Glorismar Rosa Venâncio (Bia) e dos vereadores Francisco Pereira Filho, Raimundo Pedro Silva e Orlete Mafra Furtado contratados, até o julgamento final da questão. Além disso, a promotora pede a anulação de todas as nomeações, contratações e designações para funções comissionadas de cônjuges, companheiros e parente da atual prefeita, vice-prefeito, secretários municipais e vereadores, que não tenham sido feitas mediante aprovação em concurso público; a proibição de realização de novas contratações irregulares; bem como a imposição de multa diária à prefeita no caso de descumprimento da decisão.

Após o reconhecimento da prática de nepotismo direto e cruzado pela Justiça, a promotoria requer a condenação de Glorismar Rosa Venâncio por ato de improbidade administrativa.

FUNC vira condomínio dos Frota e dá calote em comissão julgadora do Carnaval

  Quase 80 dias depois da Quarta-feira de Cinzas e, até agora, a Fundação Municipal de Cultura ainda não pagou a comissão julgadora do Carnaval da passarela do Samba. Aguardam o pagamento 57 convidados a integrar a comissão sob promessa de receber R$ 400 por dia de julgamento.

     No Carnaval de 2010 o órgão da prefeitura de São Luís se resumiu a organizar o desfile de passarela e a realizar alguns bailes carnavalescos, entre eles o da escolha da Corte Momesca, durante o baile dos Artistas.

     Com gastos mantidos sob o manto do subterfúgio costumeiro a passarela montada no Anel Viário ficou à cargo da mesma empresa responsável pelo carnaval de 2009 - o primeiro da administração João Castelo (PSDB) – , 2008 e 2007, na administração de Tadeu Palácio (PDT). Nem sombra do legal processo licitatório.

     Tudo ao bel prazer do presidente de plantão na FUNC. A alegação de que não há recursos não cola para os jurados, muito menos para os foliões ainda endividados. Mal terminou o carnaval, o empresário da cultura Guilherme Frota embolsou R$ 70 mil por conta dos serviços prestados à FUNC. O privilégio causou defecções na equipe do presidente Euclides Moreira Neto (foto). Indignado com a deferência ao produtor cultural, o jornalista Joel Jacinto, militante histórico do carnaval maranhense, provocou a primeira baixa na equipe do ex-diretor do DAC-UFMA.
    
     Desde que foi indicado para presidir a FUNC, sob a promessa de que no futuro seria elevado ao estatus de Secretário Municipal de Cultural, Euclides Moreira Neto é uma espécie síndico do condomínio dos Frota no órgão de cultura.
  
     Além de Guilherme, uma outra Frota tem ascendência sobre Neto, a ex-presidente da Fundação Sousândrade hoje aposentada da UFMA com passagem pela SECMA, Fátima Frota. Outros Frota povoam a fundação. Guilherme Frota é uma espécie de eminência parda da cultura municipal. Suas produções – via de regra restritas a um público seleto dado os valores dos ingressos - quase sempre contam com apoio da Prefeitura, quer explícita ou indiretamente.

Confira a lista da Comissão Julgadora do Carnaval 2010 da FUNC:
ESCOLAS DE SAMBA
LETRA : Celso Borges, Fernando Novaes  e Iran Mesquita Gomes
M. SALA E PORTA BANDEIRA: Raimundo João de Carvalho Antunes, Milliane Moreira e Luíza Souza
COMISSÃO DE FRENTE:André Lobão, Elianne Propp e Sandra Oka
EVOLUÇÃO E CONJUNTO:Urias de Oliveira, Claudiana Soares Cutrim e Olinda Saul
FANTASIA: Cláudio de Aquino Melo Gomes, Paola Faria Calvi e Cristiana Machado Bezerra
ALEGORIAS E ADEREÇOS: José de Ribamar Cordeiro Filho, Fabio Vidotti e Didi Muniz
MELODIA: Enilson Pires dos Santos, Vitor Manuel Sousa Castro e João Neto
BATERIA: George Wemerson Santos Campos, Jairo Pereira e Marco Aurélio
ENREDO: Plínio Santos Fontenelle, Ricarte Almeida Santos e Edilson Brito

BLOCOS TRADICIONAIS DO GRUPO “B”
DESFILE: Gilson Cesar Nunes, Josismael Caldas e Sandra Regina Castro
FANTASIA: Alaim Jorge Vilhema Moreira Lima, Étia Maria Silva do Vale e Dalton Costa das Chagas
RITMO: Celmarg de Jesus Santos Nascimento, Leonardo Corrêa Botta Pereira e José Luis Carvalho dos Santos
MELODIA: Raimundo Luís Ribeiro, Abrão Estrela e João José Soeiro
LETRA: Baltazar Silva, Anallete Sousa e Márcia Andréa Teixeira

BLOCOS TRADICIONAIS DO GRUPO “A”
DESFILE:Henrique Serra, Joila Moraes e Uimar Júnior
FANTASIA: Domingos Tourinho, Dilton Bezerra e Maria Odete
RITMO:José Edmar Aguiar Macedo, Rogério Chaves e Thaynara Cristina Santos Oliveira
MELODIA: Cristiane Costa Sousa, Paulo Santos Cardoso e Leonardo Correa Botta Pereira
LETRA: Herbeth de Jesus Santos, Fábio Henrique Gomes Brito e Dyl Pires

BLOCOS ORGANIZADOS
DESFILE: Inara Rodrigues e Moisés Nobre
FANTASIA: Fausto Aurélio Oliveira Lima e Marinilde de Brito Sousa
BATERIA: Zé Lopes Filho e Marcelo Moreira
LETRA: Geraldo Iensen e Joana Bittencourt
MELODIA: Raimundo Luís Ribeiro e Rogério Chaves
Fonte: Func

Manchetes dos jornais

ATOS & FATOS - Padre e defensor público são acochados na CPI
CORREIO DE NOTÍCIAS - Paraguaios cobram Lula por tráfico
JORNAL A TARDE - Ministério Público propõe ação civil pública contra a OI
JORNAL EXTRA -Vereador acusa primeiro-damo de contratar gogoboy para seduzi-lo
JORNAL PEQUENO- Roseana, com mandato-tampão, tenta perpetuar o poder da família Sarney
O DEBATE - MP encontra graves irregularidades em escolas da zona rural 
O ESTADO DO MARANHÃO - Lançada a TV Mirante Digital
O IMPARCIAL - Maranhenses participam do golpe dos R$ 700 milhões