3 de ago de 2010

Museu de Tudo: Agostinho Reis compôs Hinos do Governo Luiz Rocha

     Editados em 1983 num compacto duplo, os Hinos do Governo Luiz Rocha foram compostos por Agostinho Reis, compositor contemporâneo de Antonio Vieira, Cristovão Alô Brasil e Lópes Bogea. Juntos eles gravaram "Moleques Travessos".
     Gravado no estúdio da TV Educativa, Cana 2 , com produção da Babaçu Produções LTda., o disco teve direção artística de Ermelindo Sales. No Lado A, os dois hinos são interpretados pelo Coral São João sob regência do maestro Fernando Mouchereck. No Lado B a banda da Polícia Militar do Maranhão  executa as duas faixas sob a regência de Luiz Pereira. O técnico de som foi o maestro Nonato. Fotos de Valdo Melo. 


Hinos do Governo Luiz Rocha

"O Maranhão dos nossos sonhos'
Autor: Agostinho Reis
Muito trabalho e grande dedicação
Luiz Rocha na frente
Com o seu governo de ação
Queremos ver um verdadeiro matrimônio
O Governo com o povo
E o Maranhão dos nossos sonhos

Vai Maranhão vai andando buscar
o progresso que cedo virá
sempre o teu povo esperou
Mas, agora, mudou,
não vai mais esperar...
Queremos ver um verdadeiro matrimônio
O Governo com o povo
E o Maranhão dos nossos sonhos

Oh! como o povo sorrir satisfeito de ver
nossa terra crescer,
É o Governo Luiz Rocha com as soluções
que o povo vai ter,
Queremos ver um verdadeiro matrimônio
O Governo com o povo
E o Maranhão dos nossos sonhos

Maranhão, Estado Tradição
I
Estado, Tradição, Marahão,
um dos mais ricos da nação
Agricultura e pecuária
De extraordinária inclinação...
Abundas rios navegáveis
Lagos e mares piscosos
MInários em profusão, Maranhão,
Estado-Tradição
II
Rica flora e fauna privilegiadas,
Áreas de terra, imensas baixadas,
Matos e campos, fartos manguezais...
Palmeiras de babaçu, vários tipos de solo,
Expressiva reserva de trabalho jovem,
O Maranhão tem riqueza de mais!...

Frase de efeito

"Na guerra, um general ruim é melhor que dois bons"
Napoleão Bonaparte

Candidato a deputado federal pelo PSL comete crime eleitoral em Bacabeira

     O candidato a deputado federal, Carlos Welligton (PSL), o Welligton do Curso, mal começou a sua campanha e já cometeu crime eleitoral. O candidato patrocinou a Vaquejada de Bacabeira, que ocorreu nos dias, 29, 30 e 31 de julho desse ano, inclusive os banners, cartazes e outdoor levavam o nome de sua empresa: “Curso Welligton”.
     De acordo com a legislação eleitoral é estritamente proibida qualquer doação em dinheiro, bem como troféus, prêmios, ajudas de qualquer espécie feita por candidato.
     Durante a realização do evento, os organizadores acabaram confirmando o patrocínio do candidato: “Gostaríamos de agradecer ao Welligton do Curso por nos ajudar a realizar esteve grande evento...”
     A legislação é clara ao impor que candidatos não podem ser patrocinadores em nenhum evento, confira o que diz o código eleitoral em seu artigo 334: “É PROIBIDO. E Constitui crime, punível com detenção de seis meses a um ano e cassação do registro se o responsável for candidato, utilizar organização comercial de vendas, distribuição de mercadorias, prêmios e sorteios para propaganda ou aliciamento de eleitores”.
Polêmica
     No dia 20 de julho, gerou polêmica no TRE o julgamento do registro de candidatura do candidato Wellington do Curso (PSL). Alguns juízes entenderam que ele vem usando a propaganda do curso do qual é proprietário para fazer campanha antecipada. Três juízes votaram nesse sentido e pediram que ele fosse registrado apenas como Wellington. Advogados presentes à sessão lembraram do caso do prefeito Luiz da Amovelar (Coroatá). O sobrenome é referência a uma loja de propriedade do político.
     O juiz Sérgio Muniz chegou a lembrar o exemplo de Pinto Itamaraty (PSDB). “Mas o Pinto é Itamaraty desde a época em que ele ainda era ovo”, brincou. Resultado: a votação acabou empatada em 3 a 3. Coube ao presidente do TRE, Raimundo Cutrim, liberar o nome Wellington do Curso. Os membros da Corte, no entanto, lembraram que caberá ao Ministério Público propor alguma ação por abuso contra o candidato a deputado federal pelo PSL.
     Com isso, Welligton fez propaganda irregular durante o evento em Bacabeira, já que divulgou seu nome e ainda foi patrocinador de uma vaquejada realizada no último final de semana no município. Não bastasse, ainda subiu no palco para garantir a simpatia dos presentes.
     A equipe do Diário Bacabeirense irá encaminhar ao Ministério Público Eleitoral as fotos junto com a matéria para devidas providências.
Do Diário do Povo de Bacabeira

Ministro que vendeu sentença ganha pena máxima: a aposentadoria

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) puniu nesta terça-feira com aposentadoria compulsória o ministro do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Paulo Medina. Ele foi condenado, por unanimidade, pela participação em esquema de venda de sentença judicial em favor de bicheiros e donos de bingos.
     Foi a primeira vez na história que o conselho afastou definitivamente um ministro de um tribunal superior. A decisão ainda pode ser contestada no STF (Supremo Tribunal Federal).
     Ele também responde a uma ação penal no próprio Supremo, onde será julgado por prevaricação e corrupção passiva.
     No CNJ, ele respondeu a um processo administrativo disciplinar e recebeu a pena máxima prevista na Lei Orgânica da Magistratura Nacional, que é a aposentadoria.
     Por conta das investigações, Medina já estava afastado do cargo há mais de três anos. O CNJ foi criado em 2005 para realizar o controle externo do Judiciário e é formado por 15 membros.
Do UOL

Quatro deputados da bancada maranhense estão entre os mais faltosos

     Os deputados federais Roberto Rocha (PSDB), Sarney Filho (PV), José Vieira (PR) e Clóvis Fecury, estão entre os que lideram a bancada faltosa na Câmara Federal. Eles aparecem em levantamento realizado pelo site Congresso em Foco com 59 faltas, cada um deles, em sessões deliberativas sem dar  qualquer justificativa para ausência. Com um simples ofício as faltas seriam abonadas, conforme regimento interno da Casa.
     Nos casos de falta injustificada, a Casa opera cortes de subsídio calculados sobre cada dia útil de ausência.
     O deputado Roberto Rocha , candidato ao Senado, é o segundo em ausências não justificadas. Foram 22 faltas sem dar explicações e 16 ausências justificadas. Zé Vieira (PR-MA), que figura entre os dez mais faltosos no ranking geral da assiduidade, é candidato à reeleição.
     Segundo o inciso II do artigo 56 da Constituição Federal, o parlamentar não perderá o mandato se estiver “licenciado por motivo de doença, ou para tratar, sem remuneração, de interesse particular, desde que, neste caso, o afastamento não ultrapasse centro e vinte (120) dias por sessão legislativa”.
     No caso, a sessão legislativa em questão é cada ano de uma legislatura – que são quatro para deputados e oito para senadores.
Veja abaixo o ranking dos faltosos:

Lambe-lambe: ciclista anônimo em Pedreiras

Em Paulo Ramos o nepotismo segue em grande escala

     Em muitas prefeituras do Maranhão a Súmula Vinculante nº23, que veda a contratação de parentes aos agentes públicos, é ignorada sem cerimônia. Entre as várias espalhadas pelos quatro pólos do estado está Paulo Ramos, onde o nepotismo é imperativo.
     No município da região do Médio Mearim, ponto de início da famigerada estrada invisível ligando este ao município de Arame (supostamente construída na administração do segundo mandato de Roseana Sarney),  o prefeito Dr.Tanclêdo afronta a empregando ao menos três parentes diretos na estrutura da máquina administrativa.
     O irmão do prefeito, Johnson, é titular da Secretaria de Transportes do Município,, embora nem mesmo exista sinalização vertical ou horizontal na sede do município. A filha Tatiana responde atualmente pela Secretaria Municipal de Administração. Um outro irmão, Kinka, ocupa a pasta de gestor da Educação em Paulo Ramos, desde a morte do secretário Lindomar Carvalho. Antes estava na Administração e Finanças. Por lá vai ficando.
     A Súmula do Supremo Tribunal Federal proíbe toda e qualquer contratação de parente em até terceiro grau para cargos em comissão ou de confiança. Tancredo segue à risca o exemplo dado pelo próprio STF que contratou um casal para cargos de confiança da presidência da corte suprema.
     Sem ser incomodado pelo Ministério Público no muicípio, Dr. Tanclêdo segue afrontando. Herdeiro de um hospital construído pela família, a primeiro providência tomada pelo prefeito foi reformá-lo para estabelecer um contrato generoso pago pelo erário.

Morre Magno Cruz

O engenheiro Magno Cruz, conhecido militante do Movimento Negro, faleceu na manhã desta terça-feira, 03 de agosto. Acometido de câncer no pâncreas,tinha passado por uma cirurgia, mas não resistiu.
     Magno foi um dos fundadores do Sindiacto dos Urbanitário da Caema, ex-presidente do CCN, ativista na rádio comunitária Conquista e dos direitos humanos.
     O velório ocorre na residencia da família, no Cohaserma, Rua 19, Quadra 'O', Casa 07, por trás da sede do MAC. O enterro acontece só nesta quarta-feira (04) pela manhã, no Cemitério Parque da Saudade (Vinhais).

Zazen

Fernando Abreu *
apraz ao samurai
morrer sem nem um
ai

fundir alto & seta
eis a meta
do arqueiro zen

oriente:
o horizonte
se expande
além da mente

* Fernando Abreu é poeta maranhense. Do livro "O umbigo do mudo" (Clara editora), de 2003.

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Chega!
GAZETA DA ILHA - No mês do desgosto...Irmão mata irmão em Paço do Lumiar
JORNAL A TARDE - TCU já condenou 15 ex-prefeitos em 2010 por merenda irregular
JORNAL EXTRA - Fim de semana sangrento na ilha: Matador de gerente pode pegar 30 anos de cheirosa
JORNAL PEQUENO - TRE confirma candidatura de Zé Reinaldo ao Senado
O DEBATE - Escolas reiniciam ano letivo
O ESTADO DO MARANHÃO - Contrato para exploração de gás deve sair neste mês
O IMPARCIAL - Fora do ar: 63% dos voos atrasam em São Luís
TRIBUNA DO NORDESTE - Zé Reinaldo tem a Ficha Limpa para ganhar senado