25 de ago de 2011

Bumba-meu-boi será avaliado como patrimônio cultural brasileiro no dia 30 de agosto

     A tradicional festa realizada no Maranhão e que tem conteúdo de várias manifestações culturais será avaliada no próximo dia 30, em reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. O seu registro poderá acontecer neste encontro que terá como palco a nova sede do IPHAN, em Brasília, localizada no Edifício Lucio Costa SEPS Quadra 713/913 – Bloco D – Asa Sul
     A proposta do Bumba-Meu-Boi foi apresentada em 2008 ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional pela Comissão Interinstitucional de Trabalho, integrada por vários organismos maranhenses. A celebração múltipla, mística e religiosa, congrega diversos bens culturais associados, divididos entre plano expressivo, composto pelas performances dramáticas, musicais e coreográficas, e o plano material, pelos artesanatos, como os bordados do boi, confecção de instrumentos musicais artesanais, entre outros. Em todo seu universo, destaca-se também a riqueza das tramas e personagens. O auto do Bumba-meu-boi é apresentado como a morte e a ressurreição de um boi especial.
     Profundamente enraizado no cristianismo e, em especial, no catolicismo popular, o Bumba-meu-boi envolve a devoção aos santos juninos São João, São Pedro e São Marçal. Os cultos religiosos afrobrasileiros do Maranhão também estão presentes, como o Tambor de Mina e o Terecô, caracterizando o sincretismo entre os santos juninos e os orixás, voduns e encantados que requisitam um boi como obrigação espiritual.
     Como complexo cultura, na região Norte do País ocorrem no período junino. Já nos outros estados do nordeste, os festejos se concentram próximo do Natal. A festa comporta diversos estilos de brincar – chamados de sotaques – praticados por homens e mulheres.
     O Conselho que avaliará os processos de tombamento e registro de bens do patrimônio cultural brasileiro, presidido pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições, do Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.
Do Brasilturis Jornal

Maranhão não reconhece atendimentos em Teresina

    Uma reunião entre treze deputados estaduais maranhenses e um grupo de parlamentares piauienses, além de gestores estaduais da área da saúde, foi realizada na manhã desta quinta, dia 25, na Assembleia Legislativa do Piauí, para tratar da contrapartida financeira a ser concedida pelos atendimentos médicos oferecidos em Teresina para pacientes provenientes do vizinho estado do Maranhão.
     A reunião se encerrou em meio a um impasse tendo em vista que não foi reconhecida a comprovação de gastos pelos gestores piauienses e foram questionados os critérios no encaminhamento dos enfermos pelo sistema de saúde do Maranhão. “A solução passa por uma organização no fluxo de pacientes que saem do Maranhão e que são transferidos para Teresina. A autoridade do Maranhão precisa saber o que está acontecendo para liberar o paciente para a capital e que se faça uma compensação para o Piauí”, disse o deputado piauiense Firmino Filho. O presidente da Fundação Municipal de Saúde, médico Pedro Leopoldino, disse que Teresina tem a receber cerce de R$ 4,412 milhões usados no atendimento à maranhenses desde 2004. “Eles só querem reconhecer os encaminhados“, aponta Leopoldino.
    O deputado maranhense Luciano Leitoa admite a dificuldade na marcação do encaminhamento dos pacientes, apontando um desvio cultural que dificulta a passagem dos enfermos pelo crivo do aparelho médico do Maranhão. “As centrais de marcação não são procurados no Maranhão. O cidadão prefere vim direto para Teresina. As centrais existem, mas falta orientação e atenção. É uma questão cultural”, disse Luciano. Em 2011, foram atendidos em Teresina cerca de 47 mil pacientes do Maranhão. O número representa 85% dos atendimentos feitos a pacientes de outros Estados.
Clicapiaui.com

Maranhão: Caixeiras tocam para o Divino e São Luís Rei de França no Terreiro de Yemanjá Abê

Confrontos entre o ministro Pedro Novais e o deputado Rigo Teles revelam um rio de mentiras

    Pedro Novais, o trepidante ministro do Turismo do governo Dilma, e o deputado estadual Rigo Telles (PV), filho do prefeito de Barra do Corda, Nenzim, confrontaram versões travestidas de verdade sobre denúncias de irregularidades na aplicação de emenda parlamentar de R$ 1 milhão destinada ao município.
    Em depoimento aos senadores, o ministro Novais,81 anos, afirmou que não houve nem licitação para a obra, uma ponte sobre o rio Corda, ligando o centro da cidade ao Balneário Beira-Rio. Peremptório, o deputado federal reeleito para o sétimo mandato em 2010, afirmou que a obra "nem mesmo havia sido iniciada. "
    Com ataques virulentos à imprensa, o deputado estadual Rigo Telles (PV), filho do prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano "Nenzim" (saiba mais sobre o prefeito aqui), também verde, ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão dia após a publicação da matéria para rechaçar as denúncias publica em reportagem no jornal Folha de S. Paulo.
    “A empresa vencedora da licitação foi a Planmetas Construção Engenharia e Serviço LTDA”, afirmou Rio Telles. Conforme documento apresentado pelo deputado estadual do PV, a empresa citada como de fachada na reportagem possui registro no CREA-MA. "O registro da empresa é de nº 7345 do Estado do Maranhão", com validade até 31 de dezembro de 2011.
    Rigo Telles disse no pequeno expediente da AL do Maranhão que "a pessoa" (o jornalista) nem "veio tomar conhecimento, não foi lá olhar o início da obra". A reportagem informa que "operários trabalham no local e há uma placa com o nome do engenheiro responsável (José Fernando Trindade Júnior) e a logomarca do ministério".
    Novais disse aos senadores que a obra não começou: "Não é verdade que empresa x, y ou z vá fazer a obra. Porque não houve licitação (...) Não há um metro de ponte iniciado".
    Telles corroborou sua verdade com descrições técnicas: "As fundações já foram dadas início para que sejam erguidos os pilares, para que seja construída essa ponte de 40 metros de concreto".
    Em zigue e zague o deputado estadual garantiu ainda que um centavo sequer foi recebido dos recursos empenhados no final do ano passado. "A Prefeitura vai fazer um convênio com a Caixa Econômica Federal, fazer o processo licitatório, processo licitatório esse que tem a homologação da Caixa Econômica, dando ordem de serviço, a Caixa Econômica só vai pagar depois que ela for lá e fiscalizar e medir a obra.
    Procurado pelo mesmo jornal que fez as denúncias após o depoimento, o minstro Pedro Novais informou que não houve mesmo repasse de recursos e que o contrato será suspendo.
    "Coitada da cidade", como disse o senador Valdir Raupp. Emendo, e da Panmetas.

Jura Filho poderá substituir Tadeu Palácio na secretaria de Estado de Turismo

    O nome do ex-deputado estadual e secretário de Estado de Assuntos Estratégicos, Jura Filho, apareceu também como um dos cotados para substituir o ex-prefeito de São Luís, Tadeu Palácio (Sem partido), na Secretaria de Estado do Turismo.
    A governadora Roseana Sarney optaria por uma escolha política dentro do grupo.Há especulações em torno do nome do ex-deputado estadual Alberto Franco, a ex-secretária de estado do turismo hoje ocupando o cargo em Berreirinhas, Kátia Lima, e até o do ex-secretário da pasta no governo Jackson Lago, João Martins. Este último estaria descartado, embora com apoio do trade nacional.
    Em seu retorno de Brasília, a governadora deverá escolher o sucessor de Palácio e anunciá-lo até o final desta semana.

Sampaio Correa tem a maior torcida entre os times maranhenses

    O Sampaio Correa é o time maranhense com a maior torcida entre os maranhenses, segundo pesquisa Torcida Virtual realizada pelo portal IG. No ranking das maiores torcidas de times nacionais, incluindo as equipes locais, o Vasco da Gama lidera a preferência dos torcedores do Maranhão. 
    A diferença entre o número de torcedores participantes do Vasco da Gama e "bolivianos" é grande. Enquanto o time carioca conta até o momento com 131 torcedores virtuais, o Sampaio Correa tem apenas 43. Entre os dois está o Flamengo com 63 torcedores.
    O Pernambuco é o estado do Nordeste onde os times locais são os primeiros na preferência dos torcedores. Sport, Santa Cruz e Náuticos, são respectivamente o primeiro, segundo e terceiro com o maior número de votos,maior da região.
    O segundo estado com maior número de equipes locais no ranking dos preferidos é o Rio Grande do Norte. O ABC e América são os dois primeiros colocados no Torcida Virtual da IG.
    Na Bahia o Bahia é o primeiro para os torcedores. No Ceará dois times estaduas, o Ceará e o o Fortaleza ocupam as duas primeiras colocações do ranking dos preferidos da torcida. O Vasco é o com maior número de torcedores na Paraíba, para em segundo vir o Treze.
    Em Alagoas, o CRB lidera. No estado de Sergipe a terceira vaga entre os torcedores está com o Confiança. A maioria dos sergipanos são flamenguistas, antes de torcer por um time local.
    O Piauí é o único estado da região em que não há time local ocupando as três primeiras posições no ranking das maiores torcidas.

Para ministros, Sarney não poderia usar helicóptero

Senador afirma ter o direito de viajar com aeronave da PM do Maranhão
O modelo foi comprado por R$ 16,5 milhões para garantir serviços de segurança e saúde públicas no Estado
DE BRASÍLIA
    Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e um especialista em direito administrativo ouvidos ontem pela Folha entendem que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não tem direito de usar o helicóptero da Polícia Militar do Maranhão durante os fins de semana.
    Trata-se, segundo eles, de "desvio de finalidade".
    Sarney, por sua vez, acredita que "não prejudicou ninguém" quando viajou até sua residência na Ilha de Curupu (MA) na aeronave, como revelou a Folha.
    O modelo foi comprado por R$ 16,5 milhões -com ajuda do Ministério da Justiça- para garantir serviços de segurança e saúde públicas.
    Por ser presidente do Poder Legislativo, ele entende ter os mesmos direitos do presidente da República, já que a Constituição diz que os três Poderes são "harmônicos e independentes".
    Um decreto de 2008 diz que autoridades do Poder Executivo da União têm direito a veículos de representação "em todo território nacional" -garantindo o uso ao presidente inclusive nos finais de semana.
    A regra não cita o presidente do Congresso, mas Sarney, ao evocar a Constituição, diz, em outras palavras que, o que vale para o Executivo, vale para ele também.
Sarney também alega que recebeu um convite de sua filha, a governadora Roseana Sarney (PMDB), para viajar.
    Três ministros do Supremo, que conversaram em caráter reservado, avaliam que não existe qualquer legislação que garanta às autoridades federais a utilização de veículos estaduais.
    E o agravante, segundo os ministros, seria que o helicóptero da PM não é um veículo de representação, aqueles utilizados apenas para o transporte de autoridades.
    A própria norma que garante os tais "veículos de representação" às autoridades fala em outra modalidade: os "de serviços especiais", como o helicóptero da PM do Maranhão, que só podem ser usados para segurança e saúde públicas, fiscalização e segurança e coleta nacionais.
    "Ainda que não fosse um veículo da PM, não faz o menor sentido o Estado assumir o ônus. É uma responsabilidade da União [pagar o transporte de autoridades]", diz Carlos Sundfeld, da FGV. (FELIPE SELIGMAN)

ENTREVISTA
Ceará ofereceria avião para presidente do Senado, diz Cid Gomes
DE BRASILIA - O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), disse ontem que também ofereceria transporte aéreo ao presidente do Senado em viagem de passeio pelo seu Estado.
    "Se fosse uma autoridade vindo ao Ceará e pedindo um deslocamento, o Estado já fez isso. Não vou nem dizer que faria. Já fez", disse em entrevista à Folha e ao UOL, para o programa "Poder e Política".
    Ele não revelou para quais autoridades já forneceu transporte, mas fez uma ressalva: não emprestaria um helicóptero da Polícia Militar. Cid afirmou que o Estado usaria "aeronaves fretadas".
    Ele disse ainda considerar que a presidente Dilma Rousseff "fica na mão" do PT e PMDB no Congresso.
    Segundo Cid, a presidente deveria estabelecer "contrapontos", e assim "colocaria no seu devido lugar" o PMDB.
    Ele pretende lançar o irmão, Ciro Gomes, como candidato ao Senado em 2014. Sobre a sucessão presidencial, repetiu sua tese de que Dilma deve oferecer a vaga a Lula.

Da Folha de S. Paulo

No Painel da Folha de S. Paulo

Em outra
Comentário recente de José Sarney sobre Dilma: "Ela é muito gentil comigo, me dá o braço para descer a rampa, mas não me pergunta nada...".
Por Renata Lo Prete

Que vá de jumento?

Ricardo Melo
SÃO PAULO - Mesmo num país com costumes políticos tão degradados, certos comportamentos ainda espantam. A atitude da família Sarney no Maranhão, ao usar um helicóptero público em convescotes privados, é um escárnio não apenas pelo fato em si mas também pela reação que se seguiu.
    Não basta que o passeio tenha sido feito em prejuízo do socorro a doentes. Tampouco que o companheiro de patuscada da família do presidente do Senado e de sua filha tenha sido um empresário de ficha duvidosa. É preciso mais, como que para convencer o povo de que as coisas são assim, e pronto.
    "Queria que o presidente [do Senado] fosse andar em jumento? Queria o quê? Enfrentar um engarrafamento? Esse helicóptero, é claro, tem que servir os doentes, mas tem que servir as autoridades, esta é a realidade."
    Foi assim, com essa naturalidade e desfaçatez, que o vice-líder da governadora Roseana na Assembleia do Maranhão defendeu a família Sarney. Magno Bacelar, do Partido Verde, também reverberou as infames palavras do então presidente Lula sobre o senador: "Ele não é uma pessoa qualquer".
    Ao colocar em plano semelhante "doentes e autoridades", Bacelar fez duas coisas. Primeiro, refrescou na memória de todos por que o Maranhão está na lanterna de qualquer ranking de bem-estar, conforme destacou, com o talento habitual, Fernando de Barros e Silva neste mesmo espaço.
    Segundo, não falou toda a verdade. O povo local já estaria satisfeito caso tivesse direitos ao menos parecidos aos dos coronéis do sarneysismo, num Estado onde a "realidade" é ostentar certos sobrenomes.
    O parlamentar que nos desculpe, mas o Maranhão precisa de tratamento de choque. Para tomar emprestada sua própria imagem, só vai dar certo no dia em que os enfermos tiverem preferência e os políticos, montados em jumentos, enfrentarem engarrafamentos quando quiserem se refestelar na praia.
Da Folha de S. Paulo

Na coluna do Anselmo Góis

Ponto Final
Supersalários de volta ao Senado
Com aval de Sarney, casa reverte decisão da Justiça contra vencimentos acima de R$ 26 mil
Sarney tenta explicar helicóptero
Em sua decisão, o presidente do TRF-1 disse que a liminar ameaçava a ordem pública.
Sarney, dia sim, outro também, dá razão ao Barão de Itararé, que costumava dizer: "De onde menos se espera... daí é que não sai nada."

De O Globo

Manchetes dos jornais

Maranhão
O DEBATE - Justiça indefere ação contra criação de municipios
O ESTADO DO MARANHÃO - Justiça mantém Resolução sobre criação de municípios
O IMPARCIAL - Prefeituras receberam mais de R$ 6 bilhões em 2010
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:O gênio da Apple sai de cena
FOLHA DE S. PAULO:Rebeldes oferecem prêmio por ditador vivo ou até morto
ESTADO DE MINAS:BH: Capital dos bares, das mulheres, do pão de queijo, das montanhas... Da inflação
O ESTADO DE S. PAULO:Chanceler de Kadafi admite derrota, mas conflito continua
O GLOBO:Rebeldes ainda combatem, mas já prometem em eleições
VALOR:Crescimento não alivia contas de Estados do NE
ZERO HORA:Uma incursão sob tiros à capital Líbia conflagrada
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Todo Pará vai votar no plebiscito
JORNAL DO COMMERCIO: Estado reforça uso da ciência contra o crimes
MEIO-NORTE:Dilma é a 3ª mulher mais poderosa do mundo
O POVO:Confissões de um estuprador: "Foi só uma brincadeira"