25 de ago de 2011

Confrontos entre o ministro Pedro Novais e o deputado Rigo Teles revelam um rio de mentiras

    Pedro Novais, o trepidante ministro do Turismo do governo Dilma, e o deputado estadual Rigo Telles (PV), filho do prefeito de Barra do Corda, Nenzim, confrontaram versões travestidas de verdade sobre denúncias de irregularidades na aplicação de emenda parlamentar de R$ 1 milhão destinada ao município.
    Em depoimento aos senadores, o ministro Novais,81 anos, afirmou que não houve nem licitação para a obra, uma ponte sobre o rio Corda, ligando o centro da cidade ao Balneário Beira-Rio. Peremptório, o deputado federal reeleito para o sétimo mandato em 2010, afirmou que a obra "nem mesmo havia sido iniciada. "
    Com ataques virulentos à imprensa, o deputado estadual Rigo Telles (PV), filho do prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano "Nenzim" (saiba mais sobre o prefeito aqui), também verde, ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão dia após a publicação da matéria para rechaçar as denúncias publica em reportagem no jornal Folha de S. Paulo.
    “A empresa vencedora da licitação foi a Planmetas Construção Engenharia e Serviço LTDA”, afirmou Rio Telles. Conforme documento apresentado pelo deputado estadual do PV, a empresa citada como de fachada na reportagem possui registro no CREA-MA. "O registro da empresa é de nº 7345 do Estado do Maranhão", com validade até 31 de dezembro de 2011.
    Rigo Telles disse no pequeno expediente da AL do Maranhão que "a pessoa" (o jornalista) nem "veio tomar conhecimento, não foi lá olhar o início da obra". A reportagem informa que "operários trabalham no local e há uma placa com o nome do engenheiro responsável (José Fernando Trindade Júnior) e a logomarca do ministério".
    Novais disse aos senadores que a obra não começou: "Não é verdade que empresa x, y ou z vá fazer a obra. Porque não houve licitação (...) Não há um metro de ponte iniciado".
    Telles corroborou sua verdade com descrições técnicas: "As fundações já foram dadas início para que sejam erguidos os pilares, para que seja construída essa ponte de 40 metros de concreto".
    Em zigue e zague o deputado estadual garantiu ainda que um centavo sequer foi recebido dos recursos empenhados no final do ano passado. "A Prefeitura vai fazer um convênio com a Caixa Econômica Federal, fazer o processo licitatório, processo licitatório esse que tem a homologação da Caixa Econômica, dando ordem de serviço, a Caixa Econômica só vai pagar depois que ela for lá e fiscalizar e medir a obra.
    Procurado pelo mesmo jornal que fez as denúncias após o depoimento, o minstro Pedro Novais informou que não houve mesmo repasse de recursos e que o contrato será suspendo.
    "Coitada da cidade", como disse o senador Valdir Raupp. Emendo, e da Panmetas.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!