6 de jul de 2010

Saiba qual é o patrimônio declarado dos candidatos a presidente e seus vices

Dilma Rousseff (PT)
R$ 1.060.000,00
Vice – Michel Temer (PMDB)
R$ 6.052.779,19

Eymael (PSDC)
R$ 3.100.000,00
Vice – José Paulo da Silva Neto (PSDC)
R$ 119.000,00

Ivan Pinheiro (PCB)
R$ 355.800,00
Vice – Edmilson Silva Costa (PCB)
R$ 200.000,00

José Serra (PSDB)
R$ 1.420.000,00
Vice – Índio da Costa (DEM)
R$ 1.448.230,18

Levy Fidélix (PRTB)
R$ 150.724,54
Vice – Luiz Eduardo Ayres (PRTB)
R$ 219.390

Marina Silva (PV)
R$ 149.264,38
Vice – Guilherme Leal (PV)
R$ 1.197.000.000

Plínio de Arruda Sampaio (Psol)
R$ 2.100.000,00
Vice – Hamilton Moreira (Psol)
R$ 19.000,00

Rui Costa Pimenta (PCO)
R$ 80.000,00
Vice - Edson Dorta Silva (PCO)
Ainda não divulgado pelo TSE

Zé Maria (PSTU)
R$ 16.000,00
Vice – Cláudia Durans (PSTU)
R$ 0,00
Fonte: declaração de bens entregues ao TSE pelos candidatos.

Museu de tudo: Embarcação ancorada no Cais da Sagração, em São Luís

Agenda de Flávio Dino até domingo

Sexta, 09 de maio de 2010
AÇAILÂNDIA – CAMINHADA 65
8h - Concentração: Mercado Municipal

IMPERATRIZ – CAMINHADA 65
15h - Concentração: Praça de Fátima

Sábado, 10 de julho de 2010
SANTA INÊS – Caminhada na Rua do Comércio
8h - Concentração: Praça da Laranjeira

SANTA LUZIA – Festa da Abóbora
13h - Local: Povoado Faísca (125 Km do Município de Santa Luzia)

LAGO DA PEDRA – Vaquejada
18h - Local: Parque de Exposição

Domingo, 11 de julho de 2010
SÃO LUÍS – CARREATA 65
8h - Concentração: Praça Maria Aragão

Bia Aroso terá que repassar diferença de R$ 220 mil para Câmara de Paço do Lumiar

A prefeitura de Paço do Lumiar terá que repassar à Câmara Municipal aproximadamente R$ 220 mil referentes à diferença de complementação de repasses devidos ao legislativo no período de janeiro a abril de 2010. O efeito da medida se estende aos meses seguintes em que os valores tenham sido pagos a menor.
     A decisão é da 2ª Câmara Cível do TJ, em sessão desta terça-feira, 6. O descumprimento da determinação implicará no pagamento de multa diária de R$ 3 mil, a ser suportada pela prefeita do município, Bia "Venâncio" Aroso.
     A Câmara Municipal ajuizou Mandado de Segurança contra ato da prefeita, que deixou de efetuar o repasse integral do duodécimo mensal a que o órgão tem direito. A Câmara informou que a Lei Orçamentária determina o repasse mensal de R$ 186.200,75, mas a prefeitura efetuou repasses com valores abaixo do devido, o que teria causado sérios danos à autonomia financeira e estrutural do legislativo municipal.
     O juízo da comarca de Paço do Lumiar deferiu liminar para que fossem repassados os valores devidos. Em julgamento de recurso, a 2ª Câmara Cível do TJ manteve a decisão, com base em dispositivos constitucionais.
     A relatora do recurso, desembargadora Nelma Sarney, destacou que o valor destinado ao Poder Legislativo Municipal é um montante fixo, disposto no orçamento, considerando as receitas arrecadas no exercício imediatamente anterior, que devem ser transferidos em repasses duodecimais, diferenciados ou não, de forma que no final do exercício seja cumprido o valor fixado na Lei Orçamentária. “As parcelas devem ser suficientes ao efetivo funcionamento da Casa Legislativa”, frisou.
     O voto da relatora foi acompanhado pelos desembargadores Marcelo Carvalho e Raimundo Cutrim, e seguiu posicionamento da Procuradoria Geral de Justiça.

Léo Magalhães emplaca sucessos nas rádios do país




Terra FM 104,3 Goiânia - GO - 1º Lugar
103 FM Aracaju - SE - 2º Lugar
Mega 95 FM Cuiabá - MT - 5º Lugar
Conquista FM 97,7 Ribeirão Preto - SP 3º e 7º Lugares
FM Super 94,5 Grande Vitória - ES  - 8º Lugar
Grande Vale FM 93,1 Ipatinga - MG -9º Lugar
Tupi FM 104,1 São Paulo - SP - 10º Lugar

Flávio Dino faz caminhada na Rua Grande como primeiro atividade oficial de campanha

     Será na tarde desta terça-feira, 6, a primeira atividade oficial da campanha de Flávio Dino ao governo do Maranhão. Uma caminhada pela Rua Grande, no Centro de São Luís, deverá reunir centenas de pessoas, entre lideranças partidárias e a população em geral. É a primeira ação após o registro da candidatura no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), feito na tarde da segunda-feira, 5. A concentração será a partir das 15h, na Praça João Lisboa.
     É esperada a presença de pelo menos três integrantes da chapa majoritária. O candidato ao governo Flávio Dino, a candidata a vice-governadora Miosótis e o candidato ao Senado, José Reinaldo Tavares. O candidato Adonilson Lima cumpre hoje agenda no município de Imperatriz.
     O grupo descerá pela Rua Grande com bandeiras. Além de chamar a atenção da população em geral para a campanha, a atividade vai mostrar a força da candidatura da chapa 65 para as pessoas. “Vamos encher aquela rua grande de gente. Vamos convencer cada homem e cada mulher de que a política pode ser feita de maneira honesta e diferente. Com alegria”, disse a candidata a vice-governadora, Miosótis Lúcio.
     Ao convocar a população e as lideranças para a caminhada, Flávio Dino também falou em alegria. “A nossa campanha tem uma coisa diferente, algo que os nossos adversários não possuem, que não existe do lado de lá. É a força da militância. E essa militância vai estar com a gente, com muita alegria. Se alguém tinha alguma dúvida da nossa candidatura, essa dúvida vai desaparecer agora”, garantiu.

Governo Roseana reconhece crescimento na educação na gestão de Zé Reinaldo e Jackson Lago

    O secretário de Estado de Educação do governo Roseana Sarney, Anselmo Raposo, reconhece o avanço na qualidade de ensino nos governo de José Reinaldo Tavares e Jackson Lago. Segundo Raposo, o Maranhão superou as metas na educação propostas pelo Ministério da Educação (MEC) para serem alcançadas em 2009, de acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado, na nesta segunda-feira (5).
     "Os índices educacionais demonstraram avanço na qualidade da educação em todas as etapas da Educação Básica", afirma o secretário em matéria divulgada pela Secretaria de Estado da Comunicação, Secom.
     Em 2009, os estudantes dos anos iniciais (4ª série - 5º ano)  do Ensino Fundamental da rede estadual  alcançaram a média no Ideb de 4.0. O estado ultrapassou a meta para o ano de 2009, que era de 3,6 e bateu a meta de 2011. Já os estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental, que obtiveram média 3,6, quando a meta era de 3,4 para 2009 e de 3,6 para 2011. O Ensino Médio, acompanhando o desenvolvimento da educação estadual, também superou o esperado e alcançou média de 3,0, ficando acima da projeção que era de 2,6 para 2009 e de 2,7 para 2011.
     Segundo os resultados da Prova Brasil/Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), as escolas da Rede Estadual de Ensino também avançaram em todos os níveis da Educação Básica. A meta para 2009 nas séries iniciais do Ensino Fundamental era de 3,6 e o resultado foi a média 4,0, alcançando a meta de 2011. Nas séries finais (5ª a 8ª série/ 9º ano), os alunos da rede obtiveram 3,6, quando a meta era de 3,4. No Ensino Médio, a projeção era de 2,6, e os estudantes alcançaram a média de 3,0.
     No Maranhão, de acordo com a Supervisão de Avaliação Educacional (Suave), foram avaliadas, em 2009, 3.098 escolas, 213.399 alunos nos 217 municípios, incluindo zona rural.
     “Isso mostra que a educação está sendo bem gerida", disse Anselmo Raposo que substituiu em abril deste ano o democrata César Pires na Seduc.

O que é ...
O Ideb foi criado em 2005 pelo MEC para medir a qualidade de cada escola e de cada rede de ensino. O índice utiliza escala de zero a dez pontos e é medido a cada dois anos. O objetivo é que o país, a partir do alcance das metas municipais e estaduais, chegue à nota seis em 2021 – correspondente à qualidade do ensino em países desenvolvidos.

A Prova Brasil é um teste de Leitura e Matemática para turmas de quarta e oitava séries (ou quinto e nono anos) do Ensino Fundamental. Os alunos do ensino médio fazem o Saeb, avaliação por amostra, que também indica habilidades em Língua portuguesa e matemática. No ano passado, as avaliações foram aplicadas a 2,5 milhões de alunos da quarta série (quinto ano), 2 milhões da oitava série (nono ano) e 56 mil do ensino médio.

A cara do PMDB

     O deputado Michel Temer, do PMDB, recebeu, em meados de abril de 1998, um jovem advogado, cuja família conhecia de longa data, para um almoço tête-à-tête na residência oficial da presidência da Câmara dos Deputados. Mal haviam começado a comer quando o rapaz criticou a nomeação do senador Renan Calheiros para o Ministério da Justiça. "Não sei como o presidente Fernando Henrique pôde fazer uma escolha tão desastrosa", disse. Temer olhou com um pouco mais de interesse o interlocutor e, sem alterar a expressão e a voz, respondeu: "O Renan foi escolhido pelo PMDB; portanto, é uma escolha minha." E levantou-se logo em seguida, alegando que precisava dar um telefonema. Não voltou. Um mordomo pediu ao moço que se retirasse, dizendo que Temer estava ocupado e não poderia continuar o almoço. O PMDB é isso: lealdade.
     Passados sete anos, Renan Calheiros chamou Temer ao seu gabinete. Era uma conversa crucial para o deputado. Ele se lançara candidato à presidência da Câmara pela segunda vez. Precisava do apoio do companheiro de partido, que tinha ascendência sobre um grupo de parlamentares e era respeitado pelo governo petista. O senador garantiu que diria ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que Temer era a escolha do PMDB. Naquela mesma noite, Temer soube que, na reunião com Lula, ao invés do seu nome, Calheiros defendera o de seu principal oponente: Aldo Rebelo, do Partido Comunista do Brasil. Com o apoio do Planalto, o deputado do pcdob elegeu-se presidente da Câmara. O PMDB é isso: traição.
     Michel Temer chegou à presidência do partido no início de 2007. Pouco depois, a jornalista Mônica Veloso trombeteou que tivera um affaire e uma filha com Renan. Também revelou que quem pagava a pensão da criança, em dinheiro vivo, em nome do senador, era a empreiteira Mendes Júnior. Parlamentares de vários partidos entraram com um pedido de cassação de Renan, então presidente do Senado. Temer marcou um jantar na casa do senador e, assim que entrou, apertou a mão que o apunhalara e disse: "O PMDB não vai te abandonar." Renan teve que sair da presidência do Senado, mas o partido garantiu os votos que lhe impediram a cassação. O PMDB é isso: reconciliação.
     Na maior crise do governo Lula, a do mensalão - o esquema de compra de votos de parlamentares em benefício do Planalto, que veio a se tornar público em 2005 - o PMDB negociou o apoio ao presidente e mais que dobrou o seu plantel de ministros, que passaram a ser cinco. Em 2007, numa reunião de cinquenta minutos entre Michel Temer e Lula, o partido passou a integrar oficialmente o governo. Em troca, levou mais dois ministérios e dezenas de cargos de direção em empresas estatais. O PMDB é isso: fisiologismo.
Da Revista Piauí

Calendário eleitoral - A semana

6 de julho – terça-feira
1. Data a partir da qual será permitida a propaganda eleitoral (Lei nº 9.504/97, art. 36, caput).

2. Data a partir da qual os partidos políticos registrados podem fazer funcionar, das 8 horas às 22 horas, alto-falantes ou amplificadores de som, nas suas sedes ou em veículos (Lei nº 9.504/97, art. 39, § 3º).

3. Data a partir da qual os candidatos, os partidos políticos e as coligações poderão realizar comícios e utilizar aparelhagem de sonorização fixa, das 8 horas às 24 horas (Lei no 9.504/97, art. 39, § 4o).

4. Data a partir da qual, independentemente do critério de prioridade, os serviços telefônicos oficiais ou concedidos farão instalar, nas sedes dos diretórios devidamente registrados, telefones necessários, mediante requerimento do respectivo presidente e pagamento das taxas devidas (Código Eleitoral, art. 256, § 1o).

7 de julho – quarta-feira
1. Último dia para os candidatos, escolhidos em convenção, requererem seus registros perante o Tribunal Superior Eleitoral e tribunais regionais eleitorais, até as dezenove horas, caso os partidos políticos ou as coligações não os tenham requerido (Lei no 9.504/97, art. 11, § 4o).

8 de julho – quinta-feira
1. Data a partir da qual os tribunais eleitorais convocarão os partidos políticos e a representação das emissoras de televisão para elaborarem plano de mídia para uso da parcela do horário eleitoral gratuito a ser utilizado em inserções a que tenham direito (Lei no 9.504/97, art. 52).

NOTA DE SOLIDARIEDADE E REPÚDIO

     A Comissão Arquidiocesana Justiça e Paz de São Luís profundamente sofrida com o assassinto de que foi vítima o seminarIsta Máio Dayvit Pinheiro Rego, ocorrido ontem, às 20h30, vem se solidarizar com a Igreja de São Luís e com a sua família pela tragédia que tirou a vida de um jovem idealista, entusiasta da vida sacerdotal para a qual se preparava com serenidade, compromisso e muito amor.
     O seminaria Mário Dayvit é mais uma vítima das que morrem todos os dias, pela violência que grassa na cidade de São Luís. Diante dessa triste e brutal realidade, buscaremos conhecer junto às autoridades competentes, projetos que dêem lugar à paz em nossa cidade. Da dor que atinge todos e todas que integram a Comissão Justiça e Paz nasce a esperança de que o sacrifício mposto a Mário Dayvit seja a semente a fortalecer o compromisso de todos os jovens seminaristas e das Pastorais Sociais, movimentos e organismos da Igreja Particular de São Luís.
São Luís, 5 de julho de 2020
"A PAZ É OBRA DA JUSTIÇA"
Cecília Aparecida Amim Castro
Secretaria_Executiva da CJP

Com excecão de Guilherme Leal, patrimônio de candidatos é irrisório diante de gastos de campanha

     Pela declaração de bens apresentada pelos candidatos a vice-presidente e presidente da República observa-se que a política não é uma atividade rentável. Se depreende também que ela é tão-somente uma paixão nacional, assim como o samba, futebol, mulata, cerveja e outras espécies do nosso caráter de traço cultural diversificado.
     Há contradições óbvias entre o patrimônio das grandes expressões políticas nacionais com os que desempenham outras atividades que independem do voto popular, mas apenas de sua arpovação.
     No geral os vice são mais ricos que os titulares. Ao menos em bens declarados. Com excessão de Guilherme Leal. 
     O deputado federal Michel Temer (PMDB), por exemplo, três vezes presidente da Câmara Federal acumulou em mais de um quarto de século de vida pública como parlamentar um patrimônio declarado de pouco mais de R$ 6 milhões. A soma é irrisório se comparada com a do vice da ambientalista Marina Silva (PV), o empresário Guilherme Leal, dono da Natura.     
     Candidato a vice-presidente na chapa da petista Dilma Rousseff, segundo declarou Temer seu patrimônio acumulado durante sua vida pública se restringe a um prédio em São Paulo no valor de R$ 720 mil; um carro audio, ano de fabricação 2003, avaliado em R$ 282 mil, e mais R$ 1,2 milhão em aplicações financeiras, entre outros bens.
     Guilherme Leal tem bens avaliados em R$ 1,197 bilhão. Sendo, R$ 658 milhões em aplicações financeiras; apartamento de R$ 1,7 milhão e duas casas de veraneo de R$ 1,5 milhão em São Paulo; dois terrenos em Ilha Bela (São Paulo), avaliados em R$ 21 mil, juntos; lancha de R$ 608 mil; um espaço na marina do Iate clube de Santos no valor de R$ 127 mil; e R$ 5,7 milhões em joias e obras de arte.
    O jovem deputado federal Índio da Costa (DEM), vice de Serra, acumulou mais que o titular em sua breve biografia pública, ainda anônima em escala nacional. Costa declarou bens avaliados em R$ 1,448 milhões, sendo estes representados por um ultraleve, uma embarcação, dois terrenos e R$ 41,7 mil em fundo de investimento financeiro.
     A ex-ministra de Minas e Energia e Casa Civil; e, três vezes secretária de estado no Rio Grande do Sul, Dilma Rousseff, por exemplo, declarou patrimônio de R$ 1,7 milhão. Entre outros possui três apartamentos, uma casa, um lote, R$ 53 mil em joias e R$ 113 mil em dinheiro vivo.
     José Serra, ex-ministro da Saúde e ex-governador do Estado de São Paulo, declarou patrimônio avaliado em pouco mais que Dilma. Avaliado em R$ 1,42 milhão, o patrimônio do tucano inclui três salas comerciais, uma casa de veraneio avaliada, R$ 3,55 mil em poupança e R$ 240,67 em fundo de investimento financeiro, entre outros.
     Pobre de maré é a senadora Marina Silva, candidata do Partido Verde. Segundo declarou tem patrimônio de R$ 149,3 mil, diluído em uma casa no acre no valor de R$ 60 mil; R$ 47 mil de saldo em conta corrente e seis lotes de terra no valor de R$ 42 mil, entre outros.
     Diante dos quase meio bilhão de reais (R$ 427 milhões, segundo previsão de gastos dos três)  que irão gastar em campanha, Guilherme Leal aparentemente não está em seu ambiente natural. Ou isso tudo não passa de perfumaria.

Flávio Dino:"Vamos mobilizar o nosso estado pela renovação"

     A coligação “Muda Maranhão” composta pelos partidos PCdoB, PPS e PSB registrou no meio da tarde de segunda-feira, dia 5, a candidatura de Flávio Dino (PCdoB), ao governo do estado. Também foram registradas as candidaturas ao Senado de Zé Reinaldo e do professor Adonilson Lima, além dos deputados estaduais e federais. Flávio Dino chegou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) acompanhado de sua vice Misiótis Lúcio (PPS) e de lideranças políticas dos partidos coligados e do PT e de membros dos movimentos sociais e sindicais. Na ocasião, Dino entregou ao presidente do Tribunal, desembargador Raimundo Cutrim, uma cópia do seu programa de governo.
      Flávio Dino disse que aquele era um momento de uma grande vitória, uma vitória da determinação e da coragem de levar adiante uma candidatura, representativa da classe trabalhadora, dos movimentos sociais e fruto de uma aliança política do PCdoB, PPS, PSB e a maioria do PT. “Vamos mobilizar o nosso estado pela renovação”, garantiu Flávio Dino. Ele disse que sua candidatura vai priorizar aqueles que nunca são vistos pelo poder público. “Formalizamos nesta segunda-feira a candidatura que representa a mudança”, afirmou.
     O candidato da coligação “Muda Maranhão” disse que fará uma campanha pautada no debate de idéias e com muito diálogo. Afirmou, ainda, que vai priorizar o contato direto, olho no olho com toda a população maranhense, discutindo, democraticamente e com tranqüilidade, as propostas para governar o Maranhão. “Vamos fazer uma campanha com a marca da alegria, da militância engajada, da espontaneidade com a convicção de quem sabe o que está fazendo e que tem um bom programa de governo para o Maranhão”, afirmou.
     De acordo com o candidato, o programa de governo da coligação “Muda Maranhão” apresenta idéias capazes de transformar a realidade econômica e social do Maranhão. O documento, segundo explicou, está dividido em dois eixos centrais: o econômico e o social. Na área econômica defende um modelo de desenvolvimento pautado nas múltiplas vocações e na economia real, eliminando, de uma vez por todas a idéia de que somente os grandes projetos podem resolver o problema econômico do estado. Na área social, a meta é perseguir a superação dos péssimos indicadores sociais. “Precisamos combater aquele que é o principal mal, a marca negativa do estado que são os péssimos indicadores sociais. O Maranhão é um estado rico, mas com uma população pobre, precisamos mudar isso”, concluiu.

Manchetes dos jornais

AQUI –MA – Adeus, homem de Deus
ATOS & FATOS – Inelegibilidade: Adversários querem impugnar candidatura de João Alberto
CORREIO DE NOTÍCIAS – Vale abre 180 vagas
GAZETA DA ILHA – Crime sem perdão
JORNAL EXTRA – Fim da picada: Quase padre é morto com tiro no adbômen
JORNAL PEQUENO –Jackson Lago e Flávio Dino arrancam para a campanha ao governo
O DEBATE – Propaganda liberada
O ESTADO DO MARANHÃO – Comida racionada no Socorrão II
O IMPARCIAL – Candidados vão gastar R$ 43 milhões na campanha
O QUARTO PODER – Procura-se dono da Euromar