24 de fev de 2011

Maranhão perdeu mais de mil vagas de empregos formais em janeiro de 2011

    O Maranhão teve saldo negativo na geração de empregos formais no primeiro mês deste ano. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, divulgados nesta quinta-feira o estado perdeu 1.064 vagas. Em relação aos outros estados do Nordeste o estado ficou em quarto lugar entre o com maior número de demissões.
    A região Nordeste foi a única do país a apresentar uma variação negativa na geração de vagas celetistas em janeiro, apurou o Caged. O declínio, no entanto, foi pequeno: -611 postos, o que sugere estabilidade no emprego. Refluxos sazonais relacionados ao complexo sucroalcooleiro foram os principais responsáveis pelo resultado na região.
    No acumulado dos últimos 12 meses a região obteve saldo de 457.108 empregos, um aumento de 8,61% com relação ao mesmo período do ano passado. A região ficou em segundo lugar em saldo de empregos superando inclusive a região Sul.
    Em janeiro, as maiores reduções ocorreram nos estados de Pernambuco (-5.957 postos ou -0,51%), Rio Grande do Norte (-2.243 postos ou -0,57%), Paraíba (-1.112 postos ou -0,34%),  Maranhão (-1.060 postos ou -0,26%) e  Ceará (-956), devido principalmente à influência de fatores sazonais relacionados ao complexo agroindustrial.
    Os setores que mais se destacaram foram os de Serviços (+2.852), da agropecuária (+1.801 postos), da Indústria de Transformação (+995) e da Construção Civil (+820).
Com informações do Ministério do Trabalho e Emprego

Na agulha: Caetano Veloso na antena da raça

Promotor pede demolição do mercado público de São Luís Gonzaga

Fachada do mercado municipal
    Em razão das péssimas condições estruturais e de higiene do mercado municipal de São Luís Gonzaga (localizado a 254km da capital), o Ministério Público do Maranhão ajuizou, no dia 23 de fevereiro, Ação Civil Pública, contra o município, representado pelo prefeito Emanoel Carvalho.
    Como medida liminar, a promotora de Justiça Samira Mercês dos Santos, titular da Comarca, solicita a interdição total, no prazo de 30 dias, das atividades dos feirantes no entorno do mercado, assim como o início dos trabalhos de demolição do prédio. Também foi pedido o cadastramento de todos os comerciantes da área, com o devido recolhimento das taxas e a concessão de licenças de funcionamento.
    Ainda como medida liminar, requereu a relocação dos feirantes, que trabalham no interior do mercado, para outro espaço público, com estrutura e condições de higiene adequadas, conforme a legislação sanitária. A prefeitura terá que apresentar, igualmente no prazo de 30
dias, o projeto de construção de um novo mercado municipal.
    Foi solicitada também a reforma de todas as feiras da cidade pela prefeitura.
Desabamento
Mercado Público: construção da década de 30 do século passado
    Construído há aproximadamente 70 anos, o mercado público situado na Praça do Mercado, no Centro de São Luís Gonzaga do Maranhão, encontra-se sem condições físicas e sanitárias de funcionamento. Há vários anos sem manutenção, parte do prédio do Mercado Público desabou no dia 19 de fevereiro.
    Para o Ministério Público, não basta que sejam retirados os comerciantes que trabalham no interior do prédio, mas todos aqueles que desenvolvem atividades no entorno do mercado.

OS Foliões convidam ministra da cultura a conhecer carnaval de São Luís

Em comentário à visita da ministra da Cultura, Ana Holanda, aos barracões das escolas de samba do Rio de Janeiro na sexta-feira passada, 18, o presidente do bloco tradicional Os Foliões, William de Moraes Correa, convida a mesma para conhecer o carnaval de rua de São Luís do Maranhão. Não recebeu resposta.

Frase do dia

"É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar preso na Casa de Detenção"
Placa de bronze afixada no Complexo de Carandiru que bem serve para explicar a prisão e imediata liberação do fazendeiro Manoel de Jesus Martins Gomes, mandante do assassinato do líder quilombola Flaviano Pinto Neto, o Bique, de 45 anos, morto em outubro de 2010, no município de São João Batista (MA)

Castelo não pode mostrar nem entrega de material escolar, nem tapa-buracos

    A Prefeitura de São Luís continua proibida de exibir propagandas em TV e distribuir peça publicitária referentes a entrega de material escolar e obras de asfaltamento, divulgadas em novembro de 2009, por caracterizar promoção do prefeito João Castelo e outros agentes políticos.
    A decisão da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), nesta quinta-feira, 24, confirma a determinação de dezembro de 2009, do juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de São Luís, Carlos Henrique Veloso.
    A determinação de primeiro grau atendeu a Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual (MPE) também de 2009, que se baseou em publicidade institucional indevida, por meio de inserções veiculadas, à época, diariamente na TV aberta, caracterizando promoção do prefeito João Castelo e outros agentes políticos, durante entrega de material escolar a alunos da rede pública de ensino e inauguração de obras.
    Diante dessas alegações, o MPE solicitou que se torne definitiva a obrigação do poder público de não fazer qualquer tipo de publicidade de promoção a qualquer autoridade pública.
    A defesa contestou a decisão, ressaltando que houve falta de embasamento, na medida em que a publicidade realizada em novembro de 2009, teve caráter informativo. Alega, ainda, que a veiculação não teve a finalidade de promover o prefeito João Castelo, pois o mesmo não concorrerá a cargo eletivo nas próximas eleições.
    O relator do processo, desembargador Stélio Muniz, observou, em seu voto, o fato de a Prefeitura de São Luís não ter demonstrado de forma satisfatória as insuficiências dos embasamentos questionados, incluindo a legalidade da propaganda institucional sob o argumento de que o gestor público não concorrerá a qualquer cargo eletivo.
    Os desembargadores Cleones Cunha e Anildes Cruz acompanharam a determinação.
Da Assessoria de comunicação do TJ-MA

Criolina, de Alê Muniz e Luciana Simões, abre Rumos da Música no Itaú Cultural em São Paulo

Alê e Luciana: Criolina
Durante quatro dias consecutivos, a Sala Itaú Cultural (Avenida Paulista - São Paulo) abriga atrações do mapeamento feito pelo projeto Rumos da Música, que apresenta 25 artistas selecionados em 2010. A iniciativa se propõe a apoiar e difundir o trabalho de músicos de todas as regiões do país.
    Encarregados de abrir a série nesta quinta (24), os maranhenses do Criolina sobem ao palco sob o comando de Alê Muniz e Luciana Simões, trazendo uma mescla de rock, funk, ska, além de levadas regionais do tambor de crioula, toadas, coco, merengue, boleros, carimbó e soca.
    Na sexta (25), o percussionista, baterista, compositor e produtor paulistano João Parahyba anima o público com músicas próprias e dos integrantes de sua banda, bem como releituras de clássicos como Sambou Sambou, de João Donato, e O Batráquio, de Amilton Godoy.
    O paranaense Carlos Carega, no sábado (26), e o alagoano Zé Barbeiro, no domingo (27), fecham a sequência. Enquanto o primeiro mostra sucessos como Meu Querido Santo Antônio e Qué Que Cê Qué, o segundo garante ritmos como choro, samba, gafieira, baião e rumba.
No Guia da Semana

Maranhão ocupa décima quarta posição no ranking de assaltos a bancos

     Com 23 ocorrências de assaltos a bancos, o Maranhão ficou com a décima quarta colocação no ranking nacional desse tipo de crime em 2010. São Paulo lidera a lista, com 211 casos, seguido de modo surpreendente por Mato Grosso, com 136 ocorrências. O Rio de Janeiro, apesar dos altos índices de violência, ficou na oitava posição do ranking, com 55 casos, atrás dos estados nordestinos de Pernambuco (81 ocorrências), Bahia (76) e Paraíba (65).
    Os números são do Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região e foram apresentados na quarta-feira (23), com base nas informações dos sindicatos dos bancários em cada região e também das Secretarias de Segurança Pública e da Polícia Civil de cada estado.Os dados foram levantados a partir dos casos noticiados na imprensa, informações dos sindicatos dos bancários em cada região e também das Secretarias de Segurança Pública e da Polícia Civil de cada estado. A pesquisa compreende o período de janeiro a dezembro de 2010.
    Cidades do interior são as preferidas pelos assaltantes, pois as agências dispõem de menos equipamentos de segurança e o efetivo policial não é suficiente. As ocorrências mais graves geralmente são precedidas por sequestro e seguidas de ações violentas com reféns. De acordo com a Febraban, em 2009 foram registrados apenas 430 casos de assalto. De acordo com a pesquisa, 23 pessoas morreram em todo o País, vítimas de “saidinha bancária”, além de 14 vigilantes, em situações de transporte de valores e assaltos a banco.
Confira o ranking:
1. São Paulo – 211 casos
2. Mato Grosso – 136 casos
3. Rio Grande do Sul – 105 casos
4. Pernambuco – 81 casos
5. Bahia – 76 casos
6. Espírito Santo – 68 casos
7. Paraíba – 65 casos
8. Rio de Janeiro – 55 casos
9. Paraná – 52 casos
10. Ceará – 44 casos
11. Minas Gerais – 34 casos
12. Rio Grande do Norte – 30 casos
13. Pará – 27 casos
14. Maranhão – 23 casos
15. Alagoas – 21 casos
16. Goiás – 17 casos
17 Santa Catarina – 17 casos
18. Mato Grosso do Sul – 13 casos
19. Piauí – 11 casos
20. Tocantins – 8 casos
21. Rondônia – 7 casos
23 Amazonas – 7 casos
23 Sergipe – 7 casos
24. Acre – 6 casos
25 Amapá – 6 casos
26. Roraima – 2 casos
27. Distrito Federal – 1 caso
Fonte: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região

Museu de Tudo: Fonte do Ribeirão em fotografia de Barnabás Bosshart (1973)

Solto, Nenzim também quer fazer o melhor governo da "vida dele"

    Depois de se safar de uma mandado de prisão na Operação Astiages, deflagrada pela POlícia Federal para prender um bando acusado de desvior R$ 5 milhões da prefeitura de Barra do Corda entre 2005 e 2010, o prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, o ‘Nenzim’, agora quer mostrar serviço.
    Do jeito que vai ameaça superar sua protetora, a governadora Roseana Sarney (PMDB), na promessa de fazer o melhor governo da "sua vida". Pelo magote de obras que está anunciando toma a dianteira nessa corrida maluca.
    De uma só tacada "Nenzim", o ex-foragido, abriu concorrência pública para construção de um Centro de Convivência da 3ª Idade Fios de Prata, uma escola no bairro do Incra, uma praça no bairro da Cerâmica, sistema de abastecimento de água no povoado Barra Branco, além da aquisição de comionete e micro ônibus para atenbder a Secretaria de Educação e Administração, curiosamente fundidas no município.

Violência cresceu 46% em São Luís entre 2006 e 2010

    Em São Luís, capital do Maranhão, ocorreram 498 homicídios em 2010, de acordo com os dados da da Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA). O número é 46% maior em relação ao número de assassinatos registrados na capital maranhense durante o ano de 2006. No Estado, dados do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) indicam que 80% dos assassinatos na capital têm ligação com o tráfico de drogas. Somente no ano passado ocorreu um aumento de 540% no volume de crack apreendido apenas na capital maranhense.
Do IG 

Senadores maranhenses rejeitam mínimo de R$ 600 ou R$ 560

    Na sessão do Senado Federal desta quarta-feira, 23, que definiu o Salário Mínimo em R$ 545,00 os três senadores maranhenses rejeitaram as propostas de emendas que poderiam aumentar o piso para R$ 600 ou R$ 560.
    Presentes na sessão, Epitácio Cafeteira (PTB), João Alberto e Lobão Filho, ambos do PMDB, votaram não.
    Na votação da emenda dos R$ 600, foram 55 votos contra, 17 a favor e 5 abstenções. Na votação da emenda dos R$ 560, foram 54 contra, 19 a favor e 4 abstenções. A emenda que tiraria o poder de Dilma de conceder reajustes por decreto perdeu com 54 votos contra, 20 a favor e 3 abstenções.

Conselho de Jornalismo volta à pauta na Câmara Federal

    A Câmara dos Deputados vai retomar a discussão do projeto que cria o Conselho Federal de Jornalismo, órgão que teria entre suas atribuições fiscalizar a atuação dos jornalistas, com poder para aplicar sanções.
    O projeto havia sido arquivado com o fim da legislatura passada, mas voltará à pauta devido a um pedido do deputado Sandes Júnior (PP-GO).
    O deputado pediu o desarquivamento de uma proposição sua que restabelece a obrigatoriedade do diploma para os jornalistas.
    Como o projeto dele estava anexado a outros que tratam de temas correlatos, todos que haviam sido engavetados voltaram à pauta.
    “Minha preocupação é com meu projeto, mas a regra acabou por desarquivar o outro também. Vou pedir ao relator (ainda a ser indicado) para desconsiderar o projeto do conselho”, afirmou Júnior. O relator, no entanto, pode acatar ou não a sugestão.
    O texto sobre o Conselho Federal que será analisado é de autoria do ex-deputado Celso Russomano (PP-SP) e estabelece um Código de Ética que definirá “deveres ético-profissionais do jornalista, as infrações disciplinares e as respectivas sanções”.
    Desde 1984 os deputados tentam criar um conselho nos moldes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para regular a profissão de jornalista. Já foram cinco tentativas nesse sentido.
Da Agência Câmara

Por que Bethoven era mau

David Coimbra
    As pessoas olhavam para Beethoven e nele viam um homem mau. É fácil perceber isso ao ler qualquer de suas tantas biografias. O próprio Beethoven não fazia nada para suavizar essa imagem. Ao contrário, tratava-se de um irritadiço que não poupava as pessoas da mediocridade em que viviam.
    Como era um gênio alçado muito acima da platitude dos mortais, pouco ligava para a caridade, a solidariedade ou a justiça social. Numa carta para um amigo, escreveu:
    “Não quero saber de seu sistema ético. A força é a moralidade de um homem que se destaca do resto, e eu a tenho”.
    De arrepiar. Alguém poderia dizer que isso era darwinismo puro uma geração antes de Darwin, ou Nietzsche puro duas gerações antes de Nietzsche, ou nazismo puro quatro gerações antes de Hitler. Não era nada disso. Era solidão.
    Obtive a prova ao deparar com uma carta que Beethoven escreveu aos seus irmãos, reproduzida num livro precioso e já esgotado, não adianta procurar: “As Grandes Cartas da História”, de Lincoln Schuster.
Nesse livro há uma carta de Alexandre, o Grande, para o homem que derrubaria e levaria à morte, o rei persa Dario III. Há uma carta de Agripina para seu filho Nero, ressaltando o amor de mãe, aliás inutilmente, já que logo depois ele ordenou que ela fosse estrangulada.
    Há cartas escritas pelos amantes proibidos Abelardo e Heloísa; pelo descobridor equivocado Cristóvão Colombo; pelos gênios Michelangelo e Leonardo da Vinci; por Blaise Pascal, o homem que contestou Descartes e disse que conhecemos a verdade não apenas pela razão, mas também pelo coração.
    E ainda há cartas de Spinoza, o meu filósofo favorito. Lá estão pulsando cartas de Voltaire, Benjamin Franklin e Thomas Jefferson, de Washington, Robespierre e Danton, de Napoleão a Josefina, de Faraday a Sara Barnard, de Victor Hugo, Byron, Keats, Poe e Dostoievski, de Dickens, Lincoln, Wagner e Tchaicovsky. De Zola. De Trotsky. E de Lênin, que advertia ser Stalin “um homem demasiado rude”.
Há uma troca de correspondências es-pe-ta-cu-lar entre dois dos homens que mais admiro na História: Will Durant e H. L. Mencken. Em 1933, Durant perguntou a vários intelectuais qual era, para eles, o sentido da vida. Mencken respondeu:
    “O senhor me pergunta, em suma, que satisfação encontro na vida, e por que razão trabalho. Trabalho pela mesma razão que uma galinha põe ovos. Há em toda criatura viva um impulso obscuro mas poderoso de funcionamento ativo.
    A vida quer ser vivida. A inação, a não ser como medida de recuperação entre duas fases de atividade, é penosa e arriscada para a saúde do organismo – e de fato é quase impossível. Só os moribundos podem ser realmente ociosos”.
    E por aí vai, atirando pérolas pelos parágrafos afora.
    Pena que você jamais, eu disse JAMAIS!, vai ler esse livro. Porque esgotou-se, e eu não empresto.
    Mas dizia que nesse livro há cartas de Beethoven. Algumas para sua namorada misteriosa, que ele chamava de “Amada Imortal”, e a tal, que me referi acima, para seus irmãos, nunca enviada, para ser lida apenas depois de sua morte. No texto, Beethoven discorreu pungentemente sobre sua surdez:
    “Ó homens que me considerais ou me fazeis passar por odiento, cabeçudo ou misantropo. Como sois injustos para comigo! (...) Nascido com um temperamento fogoso e ativo, acessível mesmo às distrações da sociedade, cedo tive de me afastar dos homens, de levar uma vida solitária (...), castigado pela experiência redobradamente triste da minha surdez. (...)
    Não me era possível dizer às pessoas: fale mais alto, grite, que eu sou surdo. Como me seria possível revelar a fraqueza de um sentido que eu deveria possuir num grau mais perfeito do que os outros homens, um sentido que dantes tinha em mim a maior perfeição?”
    Beethoven continua carta abaixo confessando que havia pensado até em suicidar-se, mas decidiu viver por amor à arte – ainda havia muito a fazer, e ele fez. Suas maiores obras, compôs surdo.
    Por isso Beethoven parecia um homem mau – ele se afastava das pessoas de medo delas. Com medo de que percebessem sua deficiência e o julgassem menor do que era, ele que era imenso.
    Que trágica ironia, o homem que, junto com Mozart, foi o maior gênio da música, terminar os seus dias sem poder ouvir. O sentido mais importante para Beethoven, o sentido que, sem trocadilho, dava sentido à sua vida, ele o perdeu. Ronaldo, um gênio da bola, não viveu algo semelhante, ao encerrar a carreira sendo encarado pelos medianos mortais como não mais do que um centroavante gordo?
    Riam de Ronaldo, como Beethoven temia que rissem dele. A mediocridade é cruel. Mas, quando a poeira da História toma assento, é o gênio que fica, e só o gênio, nada mais.

Manchetes dos jornais

AQUI-MA- Incesto: Outro monstro
CORREIO DE NOTÍCIAS - PM prende homem suspeito de abusar da filha em Pirapemas
JORNAL A TARDE - Secretário Sérgio Macedo recebe dirigentes de jornais
JORNAL EXTRA- Inscrições do Minha Casa, Minha Vida serão revisadas
JORNAL PEQUENO - Professores do estado entrarão enm greve na próxima terça-feira
O DEBATE- Polícia aborta fuga em massa em Imperatriz
O ESTADO DO MARANHÃO - Reforma do Italuís sai ainda este ano
O IMPARCIAL - Polícia descobre outro pai-avô no Maranhão
TRIBUNA DO NORDESTE - Cutrim vai ao MP contra fantasmas na Assembleia
NO PAÍS
CORREIO BRAZILIENSE: Mínimo fica em R$ 545. IPVA não baixa no DF
FOLHA DE S. PAULO: Cerco a ditador cresce, e Europa teme êxodo árabe
O ESTADO DE MINAS: Presos PMs acusados de execução na Serra
O ESTADO DE S. PAULO: Militares aderem à oposição; Kadafi apela a mercenários
O GLOBO: Petróleo líbio cai à metade e preço dispara no mundo
VALOR ECONÔMICO: Vale investe US$ 3 bi em eixo de expansão no Norte
ZERO HORA: Piratini propõe R$ 610 para mínimo regional
JORNAL DO COMMERCIO: Golpe na venda ilegal de remédio no interior
DIÁRIO DO PARÁ: Falta de leito causa duas mortes
MEIO-NORTE:Justiça pede fim da greve dos professores
O POVO:Passagem custará R$ 2