23 de set de 2010

Lula é indicado para disputar Oscar

A cinebiografia do atual presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva tentará concorrer a uma das cinco vagas na disputa pelo Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira. A inesperada escolha da Comissão de Seleção do MinC foi divulgada na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.
     Uma enquete realizada pelo Ministério através de seu site oficial havia indicado o filme "Nosso Lar" como o favorito do público para a corrida ao prêmio, seguido por "Chico Xavier", "Os Famosos e os Duendes da Morte", "O Grão" e "Antes que o mundo acabe".
     "Lula, o Filho do Brasil" estava apenas em sexto lugar na pesquisa, e era uma improvável escolha entre os 23 filmes selecionados para a disputa. A pesquisa foi realizada entre os dia 8 e 20 de setembro.
     A comissão de seleção era formada por membros do Ministério da Cultura, da Secretaria do Audiovisual, da Agência Nacional de Cinema do Brasil e da Academia Brasileira de Cinema.
     A lista dos indicados ao Oscar 2011 será divulgada no dia 25 de janeiro, e a cerimônia de entrega está marcada para 27 de fevereiro.
Assista trailer
De O estadao

Luis Nassif é contratado pela EBC por R$ 180 mil sem licitação

O jornalista Luis Nassif foi contratado há uma semana, sem licitação, pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC). O contrato de Nassif com a empresa, assinado pela presidente da estatal, Tereza Cruvinel, tem vigência de seis meses. O jornalista receberá R$ 180 mil para atuar como entrevistador e comentarista.
     Nassif é do conselho consultivo do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, um dos grupos que organizou o ato contra a imprensa – intitulado "Contra o Golpismo Midiático e em Defesa da Democracia" – que acontece nesta quinta-feira (23), em São Paulo.
     A EBC informou que o jornalista foi contratado sem licitação porque a legislação "prevê a dispensa de licitação para pessoas ou empresas de notória especialização".
     Nassif também justificou sua contratação, dizendo que o contrato tem como objetivo um "trabalho intelectual", com "pessoas com reputação em sua área e reconhecimento público, que ajudam a reforçar a cara da emissora”. Essa não é a primeira vez que Nassif presta serviços à EBC. Em julho, expirou um contrato de R$ 1,2 milhão que ele tinha com a empresa para fazer o programa Brasilianas.
Do Política Hoje

UOL não informa sobre pesquisas eleitorais no Maranhão e Pará

     Dos 26 estados da federação e mais o Distrito Federal, o Maranhão e o Pará são os únicos excluídos da relação de pesquisas eleitorais informadas pelo Portal UOL, pertencente ao grupo Folha de S. Paulo. O portal informa pesquisas realizadas pelo Datafolha, Ibope, Sensus e Vox Populi. Verifique aqui.

Metade dos eleitores desconhece motivo de saída da ministra da Casa Civil que substituiu Dilma Rousseff

     A última rodada da pesquisa Datafolha para a eleição presidencial apresentou que o nível de conhecimento do brasileiro a respeito da saída da ex-ministra Erenice Guerra da Casa Civil é muito baixo. Dos mais de 12,2 mil eleitores entrevistados, 48% afirmaram não saber que Erenice deixou o governo.
     Entre os 52% que souberam da demissão de Erenice, apenas 13% se dizem bem informados sobre o caso. Outros 13% afirmam estar "mal informados" e 27% se dizem "mais ou menos" informados. O Datafolha também questionou os eleitores sobre o conhecimento que Lula, Dilma e Erenice tinham das atividades que Israel Guerra, filho de Erenice, exercia junto ao governo federal.
     Quase metade dos eleitores (47%) disseram acreditar que Israel "pedia comissão para beneficiar empresas no governo", enquanto 13% disseram acreditar que ele não pedia comissão e 40% não souberam opinar. Para 48%, Erenice sabia das negociatas de Israel, enquanto 33% disseram avaliar que Dilma sabia do esquema de corrupção. Mais de um em cada quatro entrevistados - 27% - disseram acreditar que o presidente Lula sabia do esquema.

Museu de Tudo: Charles Melo e Geraldo Iensen em "O Sótão",de Ivan Sarney

Rádio Timbira vai fazer cobertura das eleições para EBC

A Rádio Timbira, emissora oficial do Estado do Maranhão, foi convidada pela Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), do Governo Federal, para integrar a rede de rádios públicas nacionais que farão a cobertura das eleições 2010. A EBC, com sede oficial em Brasília, gerencia nove rádios públicas ao redor do Brasil.
Da Secretaria de Comunicação Social do governo do estado

TV Bandeirantes sob o risco de falir

O empresário João Saad, conhecido pela alcunha de Johnny

    Jornal do Brasil
 Um calote multimilionário da Rede Bandeirantes de Televisão é a origem dos ataques transmitidos desde segunda-feira passada pela emissora contra organizações empresariais, envolvidas em negócios legais e legítimos.
     Pertencente ao Grupo Bandeirantes, a TV Cidade comprou e não pagou uma rede de fibra ótica vendida pela Furukawa do Japão. Em consequência, foi executada judicialmente, há cerca de cinco anos.
     Meses atrás, a imprensa paulista publicou o Edital de Leilão judicial da rede de fibra ótica adquirida, e não paga, pela TV Cidade. Em razão do calote, o fornecedor recorreu ao Judiciário. O Grupo Bandeirantes perdeu em todas as instâncias. Foi condenado a pagar honorários de sucumbência ao destacado escritório Tozzini Freire, representante da companhia japonesa. Também não pagou o valor referente à sucumbência.
     Legitimamente, várias companhias, a exemplo da NET (de serviços de televisão a cabo), e do grupo liderado pelo empresário Nelson Tanure, interessaram-se em participar do leilão para adquirir a rede de fibra ótica.
     Contra os preceitos de um jornalismo sério, a mando de João Carlos Saad, conhecido pela alcunha de Johnny, a Rede Bandeirantes de Televisão assume um noticiário inescrupuloso, utilizado para ameaçar e chantagear interessados no negócio que Saad não soube conduzir. Ofende, assim, a credibilidade de reconhecidos jornalistas da emissora como Boris Casoy e Ricardo Boechat.
     A direção do grupo de comunicações, ao invés de tentar encontrar um meio para a quitação da inadimplência da TV Cidade, que certamente poderá arrastar a Rede Bandeirantes à falência, preferiu adotar um comportamento arrogante e desesperado, tentando, assim, ameaçar eventuais interessados em adquirir, legal e legitimamente, sua rede de fibra ótica. Ao estilo de praticante de jornalismo marrom, Johnny se propôs a dizer, por exemplo: “Vou passar o trator por cima”.
     As dívidas da TV Cidade, subsidiária da Rede Bandeirantes de Televisão, são estimadas em R$ 680 milhões. As da TV Bandeirantes envolvem também centenas de milhões de reais. Quando for efetivado o leilão, a TV Cidade perderá seu único ativo – a rede de fibras óticas – e ficará sem condições de fazer frente às obrigações que tem perante seus credores, indo, portanto, à quebra.
Briga de família
     As dificuldades de Johnny são antigas e vão além do ambiente empresarial. A disputa familiar que envolve os Saad é conhecida. Em 2002, a questão tornou-se pública quando as irmãs Marisa e Maria Leonor Saad publicaram em meios de comunicação um edital de ataque ao próprio irmão Johnny, como elas, neto do ex-governador de São Paulo Adhemar de Barros, famoso no mundo político brasileiro pelo slogan Rouba, mas faz. O Grupo Bandeirantes foi fundado pelo pai deles, João Jorge Saad.
     As irmãs argumentavam que, a pretexto de sanear o passivo da emissora, Johnny abriu negociação com o Deutsche Bank, que se tornaria o agente exclusivo da Rede Bandeirantes para uma operação de oferta internacional de títulos.
     Marisa e Maria Leonor sustentaram no documento que a operação representaria uma ilegalidade e que a legislação brasileira não estava sendo respeitada pelos negociadores. De acordo com as irmãs, outra instituição que estaria sendo assediada seria a Eurovest Global Securities Inc. para uma oferta de troca de notas promissórias da Rádio e TV Bandeirantes no valor de US$ 100 milhões. O processo tem o trâmite na 1ª Vara Cível do Foro Regional de Pinheiros, em São Paulo.
     O litígio entre os cinco irmãos Saad resultou na demissão, em fevereiro de 2001, do então diretor-executivo da TV Bandeirantes, Antônio Athayde. À época, tornou-se público que Athayde caíra por ter entrado em rota de colisão com Johnny, supostamente incomodado com a aproximação do principal dirigente do jornalismo da emissora com o irmão Ricardo, já seu desafeto.
Indignação com a Band.
     Os procedimentos jornalístico e empresarial do Grupo Bandeirantes – considerados ofensivos no meio jornalístico – são contestados por ex-funcionários e diferentes personalidades da vida brasileira.
     No ano passado, o governador do Paraná, Roberto Requião, disse em entrevistas que a emissora agiu com “canalhice” e “pilantragem” em relação a iniciativas de seu governo na área de transportes.
     O ex-deputado federal Clodovil Hernandez, falecido há dois anos, foi até mais explícito do que o governador paranaense, ao referir-se a João Carlos Saad. Trata-se de “um ladrão”, disse ele em entrevista ao Programa Amaury Jr transmitido em 14 de setembro de 2005.
     O jornalista Joelmir Beting, que leu o difamante, calunioso e injuriante editorial, e o publicou no jornal gratuito Metro, foi procurado via e-mail, mas não respondeu às perguntas do Jornal do Brasil.
     O Jornal do Brasil, que considera condenável a prática de Johnny Saad, trará amanhã nova reportagem sobre o tema, revelando o grave cenário de dificuldades empresariais da Rede Bandeirantes de Televisão e de seus acionistas. Este texto está disponibilizado para milhares de veículos de comunicação do país.

Ampem denuncia irregularidade na indicação de promotores eleitorais

     Em ofício à procuradora regional eleitoral Carolina da Hora Mesquita Hörn, a presidente da Associação do Ministério Público do Estado do Maranhão, Ampem, promotora Doralice Moreira Reis Santos denuncia “irregularidades na indicação dos Promotores de Justiça para exercerem função eleitoral no pleito que se avizinha”.
     Segundo ainda o ofício a lista elaborada por indicação da Procuradora-Geral de Justiça, Maria de Fátima Travassos, não obedeceu aos parâmetros estabelecidos pela Resolução 30, de 30 de maio de 2008, do Conselho Nacional do Ministério Público.
     De acordo com a resolução a indicação feita pelo Procurador-Geral de Justiça do Estado recairá sobre o membro lotado em localidade integrante de zona eleitoral que por último houver exercido a função eleitoral.
     No entendimento da presidente da Ampem, o critério de “proximidade” declaradamente adotado pela procuradora não corresponde à verdade. Cita como exemplos a indicação do Promotor de Justiça que atuará na 24ª. Zona Eleitoral. A indicação do titular da 1ª. Promotoria de Justiça da Comarca de Ribamar para o termo judiciário de Anapurus, da Comarca de Brejo/MA, distante da zona eleitoral que sempre atuou mais de 350km e do Promotor de Justiça da entrância final, que foi indicado para atuar na 17ª.Zona Eleitoral, São Domingos do Azeitão.
     A promotora Doralice Moreira Reis Santos conclui a denúncia oficializada, afirmando que as indicações violam ainda outros dispositivos da norma, sobretudo não atentado para o princípio da impessoalidade, igualmente, ignorou a legislação disciplinadora da matéria e pede providências nos termos do art. 77 da Lei Complementar n° 75, de 1993.

No Painel da Folha de S. Paulo

É o salário.Antes da divulgação do Datafolha, tucanoscreditavam sinais de alguma melhora na performance de Serra no Nordeste à promessa do salário mínimo de R$ 600. Ele oscilou de 18% para 20% na região.

Roseana Sarney diz não conhecer a esposa do primo Deco Soares presa pela Polícia Federal

     A candidata ao governo do Maranhao, Roseana Sarney, em nota distribuída pelo seu comitê de campanha rechaçou qualquer tentativa de ligação de sua candidatura ao episódio da prisão da médica Silvana Teixeira, esposa do seu primo Deco Soares. A médica maranhense foi presa sob acusaapo de prestar consultar em troca de votos" no bairro do Vinhais, em São Luís.
     Ao mesmo tempo Roseana Sarney afirmou quea referida médica não integra o Comitê de Campanha da Coligação "O Maranhão não pode parar", não tem "qualquer vínculo com sua campanha",e, sendo assim, não está autorizada a proceder em nome da candidata ou de qualquer membro da referida coligação.
     Na nota a filha do senador José Sarney (PMDB-AP)  ressalta ainda que "toda orientação de sua campanha é pautada no respeito à Legislação Eleitoral, e que a ninguém é dado o direito de ignorar as regras das eleições."
     Silvana Teixeira foi solta após pagar fiança. Filho do titular do cartório Tito Soares, Deco é ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal de São Luís.
Com informações do Tribuna do Nordeste

No Panorama Política de Ilimar Franco


Lula e Dilma (a original) tendo Lobão como papagaio de pirata

DESCOBRIDOR DOS SETE MARES. A campanha para a reeleição do senador Edison Lobão (PMDB-MA) está faturando em cima do pré-sal. Divulga que foi na sua gestão no Ministério de Minas e Energia que esse petróleo começou a ser explorado. “Com o petróleo do fundo do mar, nosso país vai ficar ainda mais forte, independente e respeitado em todo o mundo”, diz cartaz da campanha espalhado pelo estado e reproduzido na foto acima.

Manchetes dos jornais

ATOS & FATOS - Na Justiça: MP denuncia promotor por falsificação de documentos
JORNAL EXTRA - Ficha lenta: STF adia julgamento e Jackson ganha sobrevida
JORNAL PEQUENO - Governadora do MA diz não ter ligação com médica presa pela PF
O ESTADO DO MARANHÃO - Lobão e João Alberto se isolam na corrida ao Senado
O IMPARCIAL - Corpos achados e´m área militar
TRIBUNA DO NORDESTE - STF sinaliza que vai rejeitar Ficha Limpa