13 de jan de 2011

Caetano Veloso teria embolsado R$ 714 mil de cachê pelo show do réveillon em Fortaleza

    O presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), conselheiro Manoel Veras, enviou ofício à Secretaria Municipal do Turismo de Fortaleza, com pedido de informações sobre o Réveillon 2010/2011 promovido pela Prefeitura Municipal de Fortaleza.
    Moacir Soares, que responde pela pasta - a titular Patrícia Aguiar foi exonerada antes da campanha eleitoral do ano passado -, terá prazo de 15 dias para fornecer dados completos sobre os aspectos formais de contratação dos serviços.
    Chama a atenção os valores dos contratos de artistas convidados para a festa, como o do cantor e compositor Caetano Veloso, que teria embolsado mais de R$ 714 mil pela apresentação.
    O TCM quer saber todos os detalhes dos contratos, inclusive da participação das produtoras que intermediam a prestação do serviço.
    Com base nesse detalhamento, a Corte de Contas pretende realizar análise técnica, a fim de verificar se foram cumpridos todos os aspectos legais necessários em eventos de tal natureza.

Dilema shakespeareano de Pindaré

"Ou seja, terei que enfrentar essa contradição de fazer parte de um partido e de um bloco da base do governo sem me comprometer com o mesmo”.
Do deputado estadual eleito e diplomado Bira do Pindaré (PT), integrante da banda do PT que apoio a candidatura de Flávio Dino (PCdoB) para governador no Blog do Roberto Lobato.

Prefeito de Rosário que invasão à rádio comunitária não passou de visita de cortesia mal compreendida

    O prefeito do município de Rosário, Marconi Bimba (PRP), através de sua assessoria de imprensa,  deu nova versão sobre a acusação de que teria invadido a rádio FM Rosário 106,3 MHz na segunda-feira, 10.
    "Foi o próprio apresentador do programa que veio pessoalmente recebê-lo na portaria da emissora e fez questão de abrir a porta para o prefeito e sua comitiva adentrar nos estúdios", afirma a assessoria. Segundo Bimba, sua "visita" à rádio foi de cortesia, mas, "com objetivo de esclarecer alguns fatos que estavam sendo noticiados contra a minha administração”.
    O prefeito afirma que ainda tentou pedir um espaço para se defender, sendo vetado pelo locutor do programa. Para Bimba uma rádio comunitária não pode ser usada como palanque político, mas pelo e para povo.
    Bimba conta que  o radialista Jefferson de Jesus, âncora do programa ‘100% vida’, disse "que não iria abrir o espaço no programa para ele se defender das acusações, porque a emissora não era casa de 'Mãe Joana' para qualquer político se apossar do horário sem ser convidado".
    De acordo com o prefeito o radialista acumula frustrações desde o resultado das eleições de 2008, quando disputou uma vaga na Câmara, conquistando apenas 17 votos. “Não houve agressão, nem ameaça, muito menos usei palavras de baixo calão”, jura Bimba.

Na coluna do Ilimar Franco

Tiririca e a reputação da Câmara
A criação de um tour para orientar os novos deputados sobre o trabalho da Câmara está sendo desenvolvida pelas coordenadorias de Relações Públicas e de Divulgação Institucional da Casa. Eles foram inspirados pelo slogan de campanha do deputado Tiririca (PR-SP) e, por isso, o nome do piloto era “O que faz um deputado?”. Mas o nome foi vetado pelo setor de Comunicação Social, sob a alegação de que prestigiar a frase de Tiririca poderia abalar a reputação da Casa.

No Painel da Folha de S. Paulo

contraponto
Caiu do céu
Na campanha de 2006 a deputado federal, Flávio Dino (PC do B-MA) foi procurado por um cidadão que dizia possuir 500 votos no interior para "transferir" ao candidato que quisesse. A explicação era a seguinte:
-São do meu sogro, ex-vice-prefeito, já falecido. Antes de morrer ele disse que eu podia ficar com todos os votos dos eleitores dele.
Dino preferiu encerrar a conversa:
-Amigo, cabo eleitoral no além só Deus. E tenho certeza de que você não é o genro dele.

Best seller a caminho

A trajetória política de Dilma Rousseff vai virar livro. O jornalista Ricardo Amaral, que assessorou a presidente na Casa Civil, na campanha e na equipe de transição, começa a se dedicar ao projeto. A obra vai retratar desde a articulação da candidatura até a vitória de Dilma, além dos bastidores da campanha e da relação dela com o ex-presidente Lula. Amaral pediu exoneração do governo para escrever o livro, já disputado por duas editoras. O lançamento está previsto para meados do ano. Não se trata de uma biografia, embora o texto pretenda abordar também a trajetória pessoal da presidente.
Na coluna Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo

Em carta à presidenta Dilma Rousseff alcantarense mostra o lado medonho da plataforma do Cyclone 4

    Ana é irmã de David, um jovem que acabou de completar 18 anos e afundou no crack. Têm sobrenomes comuns entre pobres. São alcantarenses. E pobres. Ambos são sobreviventes de um quadro de miséria que não faz parte dos planos do Cyclone 4, o projeto espacial tema de recente conversa telefônica entre a presidenta Dilma Rousseff e o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich. 
    Há poucos dias David conseguiu escapar de um cerco policial que teve como saldo dois jovens mortos. Fugiu. Alguns acham que para São Luís. Ana ficou na península, escrevendo poesia.
    Mas, temendo o previsível, a alcantarense resolveu pedir socorro à presidenta. Por carta quer transportar todo o problema enfrentado pela juventude alcantarense, degredada em pleno século XXI.
   Ana não sabe como fazer a carta chegar às mãos da presidenta Dilma. Resolveu então pedir auxílio aos amigos da imprensa do Maranhão e de todo o país para que o mundo enxergue as bordas da plataforma de lançamento do foguete Cyclone 4, desenvolvida pela empresa ucraniana Deprotiazhmash, em Alcântara. Sua órbita é outra, mas espera merecer o foco de atenção da nova era.

Festival de reggae na Jamaica Brasileira tem preço mais caro do circuito

   
    Será nesta quinta-feira,13, em São Luís no Bar Trapiche o Jamaica Brasileira Festival!, festival que reúne  Duane Stephenson , The Wailers – Banda de Bob Marley, Kymani Marley (Filho de Bob Marley), Calton Coffie (Inner Circle), Pato Banton, Big Mountain e Papa Winnie.
    O mesmo elenco se apresenta no Festival Sunsplash One Life, em Fortaleza na sexta-feira, na barraca Biruta, sendo que o ingresso de lá é mais barrato que o da Jamaica Brasileira. A diferença de preço chega a ser de R$ 20,00, já que o preço cobrado por um ingresso da pista na capital cearense será de R$ 30,00.
    Afora essas questões regionais, o festival é bom por reunir grandes do reggae contemporâneo e da raiz do ritmo jamaicano, como a banda The Waillers.Preço dos Ingressos:
1º Lote - R$ 40 (acabou)
2º Lote - R$ 50

José Sarney: "A política tem porta de ENTRADA, mas não de SAÍDA

Hélio Fernandes
     É o que ele diz, depois de mais de 40 anos em que assumiu no Maranhão para acabar com a dinastia Vitorino. E implantar a sua.Deu entrevista à Organização Globo. Jornalisticamente, a idéia é ótima. Mostrar como vivem os quatro últimos presidentes. Mas não esclareceram nada, deixaram de mostrar as incongruências, que palavra, dos quatro. Não depois que deixaram a Presidência. Mas como chegaram a essa Presidência.
    Dois erros gravíssimos: Conquistaram (?) a Presidência pelo voto, pela preferência popular, pela aclamação do povo, pela escolha popular? E segundo: tentaram esclarecer como vivem fora do poder, digamos de forma sentimental, se o isolamento influencia no dia a dia. Mas e os recursos financeiros, em alguns casos, vieram de onde?
    E como os quatro foram escolhidos (e muito bem escolhidos) por serem os que vieram depois da ditadura, a pergunta que não fizeram: qual foi o seu comportamento nos 21 anos da ditadura?
    Como o primeiro foi José Sarney, vamos ver o que não precisou responder porque não perguntaram. Servilmente subordinado à ditadura, começou a carreira política, eleitoral e financeira, com o patrocínio dos generais.
    Em 1965, quando os golpistas (auto-intitulados de revolucionários) cuidavam de tudo, destruindo os que resistiam e promovendo os que se submetiam, Sarney foi feito governador do Maranhão. A eleição ainda era chamada de direta, mas o Poder dos generais era incontrastável e incontrolável.
    Como em três estados o mandato dos governadores era de 5 anos, ficou até 1970, se desincompatibilizou, foi eleito senador. Não parou mais até agora, quando está completando 80 anos. Subiu toda a escala política, mas sempre se preocupando com a geografia de suas contas bancárias.
    Segundo suplente de deputado em 1954. Pobríssimo, assumiu em 1956 já sem muitos problemas, Logo, logo sócio de Abreu Sodré, que recompensou com o cargo de "governador" de São Paulo, virou mais do que rico, e sim riquíssimo.
    Pouco depois da mudança da capital, ainda no limiar (lá e aqui), tinha quatro mansões. Rio, Brasília, São Paulo, Maranhão. No seu estado, então, era um exagero de luxo e prazer. Tinha mansões, ilhas e fortunas. E a exuberância do Poder.
    Quando a ditadura se encaminhava para o fim, Sarney, que tinha notável intuição, dominava o PDS (o partido do Poder, além da Arena), ficou atento ao futuro e à sucessão, que sabia que seria indireta.
    Tinha a certeza de que não poderia ser candidato a presidente e sim a vice, "continuaria no jogo". Tentou ser vice de Maluf, pediu a um amigo, grande jornalista, que fosse conversar com o paulista. Maluf reagiu violentamente: "De maneira alguma, não quero perder". O jornalista (infelizmente já morreu) veio com a negativa.
   Como o candidato da oposição era Tancredo, certo, fundou o PFL (Partido da Frente Liberal), conseguiu a vice com Tancredo. A história, a partir daí, conhecidíssima. Sua carreira sempre ascendente. Mas sua fortuna cresceu muito, mas muito mais do que a carreira política.
    Está com 5 (cinco) mandatos no Senado, o último termina em 2014, com a Copa do Mundo, "presidida" pela patrão do filho, Ricardo Teixeira. No meio da campanha de Dilma, admitiu, não tão abertamente, ser vice-presidente. Nem cogitaram , não por causa da idade dele, mas por lembrarem da referência: Tancredo foi para o hospital e não saiu. Motivo: Sarney era o vice.
    Não podendo mais ser candidato pelo Maranhão, foi para o Amapá. Comprou ações do estado, dos majoritários Eliezer e Eike Batista, que haviam DOADO todo o manganês de lá, a preços inacreditáveis. Não cumpre a Lei do Domicílio Eleitoral. Quem esperava que fosse MORAR 8 ANOS naquela "lonjura"?
Faz até frase, que a política não tem porta de saída. Para ele e para muitos outros, não tem mesmo. Aí a culpa é da legislação e não dele. Nos EUA a vida pública se resume a 8 anos. Depois disso, mais nada. Sarney já faz política, perdão, politicalha, há 56 anos.
PS " Quando Tancredo foi eleito, dei um jantar para ele. E quem era quem, estava lá. Não pude deixar de convidar o vice-presidente, da mesma forma que Leonel Brizola, governador, tinha que estar presente.
PS2 " Está completando 25 anos. Ninguém falava com Sarney. Em determinado momento, Brizola me disse, praticamente perguntando: "O que esse Sarney faz aqui?" Esse era o Brizola, estava furioso.
PS3 " Assim que chegou, Tancredo me disse; "Helio, primeiro quero conversar um pouco, sem compromisso, depois me arranja um lugar para a política".
PS4 " Quando levei o primeiro, (era o governador do Ceará, Gonzaga da Motta, estava com avião fretado), Tancredo disse que ele tinha urgência.
PS5 " Aproveitei e disse ao presidente: "O governador Brizola está uma fera, que falar com o senhor". E Tancredo: "Eu te falo".
PS6 " Na entrevista, Sarney risonho e feliz, como disse o humorista, "nenhuma ruga na face da madame". Ninguém fez carreira mais rica do que a sua. E ainda não acabou. Em raros momentos passageiros, é atingido pela depressão dos 80 anos. Mas lembra de 2014, pelo menos mais um mandato de senador, a felicidade não se compra, como no filme famoso.
Da Tribuna da Imprensa

Manchetes dos jornais

AQUI-MA- Desaparecimento: Mistério no Santo Antonio
ATOS & FATOS - Apostando no esquecimento: Castelo usa R$ 300 milhões para conquistar a sua reeleição
CORREIO DE NOTÍCIAS - 56 bairros de São Luís ficam sem água
JORNAL A TARDE - Obra de drenagem na Avenida dos Franceses entra na reta final
JORNAL EXTRA - Fim dos tempos: Mortes na tragédia do Rio pode passar de 400
JORNAL PEQUENO - Adeus a Josilda  reúne multidão em São Luís
O DEBATE - Oposição vai defenser salário mínimo de R$ 600
O ESTADO DO MARANHÃO - SES anuncia medidas para evitar epidemia de dengue
O IMPARCIAL - 56 bairros sem água
O QUARTO PODER - 56 bairros de São Luís sem água por 48 horas
Tribuna do Nordeste - Tragédia no Rio causou  240 mortes