20 de set de 2010

Caetano Veloso classifica Lula como "golpista" e diz que Serra "é burro"

     O compositor e cantor Caetano Veloso classificou como golpismo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva dizer que é preciso extirpar o DEM da vida pública nacional. “Golpista é dizer que precisa destruir um partido político que existe legalmente. O presidente da república não tem o direito de dizer isso”, criticou.
     Para Caetano, o candidato do PSDB, José Serra, é “burro”, por ter tentado associar seu nome ao do petista, no início do horário eleitoral. Caetano Veloso cobrou explicações sobre a quebra ilegal de sigilo fiscal na Receita Federal, que atingiu pessoas ligadas ao PSDB e a José Serra. À medida que falava, ele foi se exaltando e acabou sobrando para o próprio candidato tucano, criticado porque tentou vincular sua imagem à do presidente. “Serra é um idiota que apareceu com Lula, querendo dizer que tá do lado, que é igual a Lula. É burro”, decretou o polêmico artista baiano.
     Questionado sobre o atual momento político, Caetano disse enxergar risco de um populismo perigoso em torno do presidente Lula e sua candidata Dilma. Para ele, a aprovação a Lula é acrítica e isto é um atraso que remete aos anos 40 e 50, quando a América Latina teve lideranças populistas como Getúlio Vargas no Brasil e Perón (Juan Domingo Péron) na Argentina. “É um atraso. O Brasil não podia estar mais nessa”, lamentou. Apesar de tudo, fez a ressalva de que admira Lula e reconhece no presidente uma figura histórica importante no Brasil.
     As declarações do artista – que já manifestou preferência pela candidata Marina Silva e apareceu no programa do PV pedindo votos para ela – foram dadas em entrevista a uma emissora de rádio em Santo Amaro, onde esteve para comemorar o aniversário de 103 anos da mãe, Dona Canô.
De A Tarde

Tiririca é denunciado por falsidade ideológica

Francisco Everardo Oliveira Silva, conhecido como Tiririca, foi denunciado pela Justiça da 1ª Zona Eleitoral da Capital, em São Paulo, por falsidade ideológica. Tiririca é candidato a deputado federal pelo PR e é um dos que lidera as pesquisas de intenção de voto para o cargo.
     Numa entrevista concedida a uma revista semanal, Tiririca afirmou que não tem nenhum bem em seu nome pessoal, sendo tudo transferido para o nome de terceiros. Os motivos seriam ações trabalhistas, e de alimentos e partilha de bens movidas por sua ex-esposa.
     A Justiça também pediu a quebra de sigilo fiscal e bancário, além de cópias de processos que tramitam em segredo de justiça no Ceará contra o humorista e candidato para que o caso seja solucionado.

Historiador aponta distorções da pesquisa Ibope para o Senado

     Num comparativo feito em dez estados com pesquisas de intenções de votos para o Senado Federal, o Maranhão aparece com o maior número de indecisos. Segundo a pesquisa Ibope, 53% do eleitorado maranhense estariam indecisos. Um fenômeno comparado à tendência no restante do país. Nas palavras do historiador e analista Wagner Cabral, professor da UFMA, trata-se de uma aberração estatística, que aponta de forma inequívoca a manipulação das pesquisas.
     “Com a proximidade de realização do pleito, a tendência natural é que diminua o número de indecisos. No Maranhão, esse percentual é estratosférico comparado aos demais estados. Por exemplo, nas pesquisas realizadas pela Escutec houve o inverso aumentaram significativamente o percentual de indecisos”, analisou Wagner Cabral.
     Para o estudioso, o número excessivo de indecisos nas estatísticas divulgadas para as intenções de votos para o Senado Federal prejudica os candidatos de oposição, principalmente o ex-governador Zé Reinaldo (PSB), o mais competitivo entre os oposicionistas. “Isso falseia o resultado e prejudica os candidatos da oposição, já que eles aparecem com resultados menores que a realidade”, ponderou o professor.
     Outra observação feita por Wagner Cabral sobre a última pesquisa divulgada, diz respeito à redução drástica no número de entrevistados em Imperatriz. De 42 pessoas questionadas na anterior, esta entrevistou apenas 28 eleitores.
     Na pesquisa realizada pelo Ibope/TV Mirante, 53% do eleitorado estariam indecisos. Outra variação considerável na pesquisa foi quanto ao percentual de eleitores que votariam nulo ou em branco. Na pesquisa anterior, eram 12%. Na última, 17% disseram que pretendem votar nulo ou em branco.
     Em outros nove estados brasileiros, os índices de indecisos não ultrapassam a marca dos 30%. Veja o quadro abaixo:
Rio de Janeiro
Indecisos com relação a um dos votos 22% dos entrevistados; 10% não decidiram os dois votos.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
Rio Grande do Sul
Indecisos com relação a um dos votos 30%; 16% não decidiram nenhum dos votos.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
Pernambuco
Indecisos com relação a um dos votos 28% dos entrevistados; 20% não sabem em quem votar para as duas vagas.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro
Paraná
Indecisos com relação a um dos votos 35%; 19% não ainda não decidiram nenhum dos votos.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
Distrito Federal
Indecisos com relação a um dos votos 37% dos entrevistados; 22% ainda não decidiram nenhum dos votos para senador.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
São Paulo
Indecisos para uma das vagas 26%; 15% não decidiram os dois votos.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
Minas Gerais
Indecisos com relação a um dos votos 23%; 11% não sabem em quem votar para as duas vagas.
Pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 13 e 14 de setembro.
Piauí
Dos entrevistados, 31,9% disseram não ter nenhum candidato ao Senado.
A pesquisa Captavox.
Amazonas
Pesquisa Ibope, o percentual de indecisos é de 12%.

Museu de Tudo: Foto da Avenida Magalhães de Almeida em São Luís

Quatro pesquisas registradas no TRE-MA aferem intenção de voto entre o eleitorado maranhense

     Ao menos quatro pesquisas de opinião registradas no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão estão sendo ou já forma aplicadas para aferir a intenção de voto entre o eleitorado maranhense. Dois levantamentos foram registrados em nome da Escutec - Pesquisas de Mercado e de Opinião Pública Ltda, dos empresários Antonio José Fernando Júnior Batista Vieira e Fabiano de Carvalho Bezerra. Das duas registradas na mesma data - 15 de setembro-, a de protocola 35260 contratada pela Canal Comunicação Ltda foi realizada nos dias 15 e 16 de setembro com levantamento restrito a 300 eleitores do município de Coelho Neto.
     A segunda pesquisa da Escutec, protocolada na Justiça Eleitoral com número 35261, tem como contratante a Gráfica Escolar, pertencente aos Sarney, editora responsável pelo jornal O Estado do Maranhão. O período de realização desta pesquisa teve início no dia 18 e se estende até terça-feira, 21, com questionários aplicados junto a 2 mil eleitores do estado.
     Uma terceira pesquisa, em nomes da Exata-Pesquisa de Opinião Pública - Lino Emiliano Praseres Silva, contratada por Luis Assis Cardoso Silva de Almeida, protocolada no TRE-MA sob número 35522/2010 em 16 de setembro não informa o número de entrevistados. O período de aplicação dos questionários se estendeu de 17 a 19 de setembro.
     Protocolada no dia 19 de setembro, a quarta pesquisa tem como contratante a Editora Gráfica Tribuna do Nordeste, responsável pela edição de diário em São Luís, será realizada entre 21 e 23 de setembro pela Opinare - Pesquisa de Opinião e Mercado Ltda. Segundo o protocolo o universo de entrevistado será de 1 (um) mil eleitores maranhenses.

Campanha de Roseana Sarney esconde sobrenomes do pai e do marido

     Líder nas pesquisas de intenção de voto para o governo do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB-MA) esconde o sobrenome que dominou a política do estado nos últimos 45 anos. Ela é apenas Roseana — não pronuncia também o sobrenome Murad, de seu marido, flagrado ao lado dela no escândalo da Lunus em 2002.
     A candidata contratou o publicitário Duda Mendonça, tem a campanha mais cara ao governo e conta, em todas as peças da propaganda eleitoral, com a imagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, pedindo votos para ela e os dois senadores da legenda, Edison Lobão e João Alberto, do PMDB.
     A presença de Sarney na campanha da filha limita-se a reuniões reservadas com aliados políticos. "Não posso desprezar a experiência que ele tem. Mas eu tenho um eleitorado fiel que conhece o meu trabalho", alegou. Roseana também quer manter distante do Maranhão escândalos nacionais que envolvem o nome da família, como a Operação Boi Barrica da Polícia Federal, que investiga o irmão, Fernando Sarney, acusado de fazer caixa dois na campanha da irmã em 2006. "Rezo para que o Fernando não tenha nada a ver com esse caso. Mas não posso responder pelos problemas de meu irmão", declarou.
     O clã comanda o estado de maneira quase ininterrupta desde 1965. À exceção de Jackson Lago (PDT), eleito em 2006, todos os demais governadores tiveram o aval dos Sarney, embora alguns tenham feito um rompimento posterior. O mais evidente foi José Reinaldo Tavares (PSB), eleito governador em 2002 após ser vice de Roseana. No cargo, ele rompeu com a família e usou todo a máquina política para eleger Lago. Hoje, concorre ao Senado pelo PSB, aparecendo em terceiro lugar nas pesquisas.
     Jackson Lago foi afastado do poder em abril de 2009, por uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em julgamento de denúncias da campanha eleitoral anterior. Está novamente ameaçado pelo mesmo tribunal, que julgará sua candidatura com base na Lei da Ficha Limpa. "É a mesma luta que travo há 40 anos. Meus inimigos são os mesmos — e a minha disposição, também", afirmou.
     Lago, contudo, luta contra a baixa arrecadação da campanha e a falta de apoio político no estado. Em 2008, quando estava no governo, seu grupo político elegeu dois terços dos prefeitos de um estado com 217 municípios. O candidato de Roseana à Prefeitura de São Luís, o deputado Gastão Vieira (PMDB), teve menos de 25% das intenções de voto.
     Roseana conseguiu retomar o poder no TSE e o quadro mudou. Quando muito, Lago conta hoje com dez prefeitos a apoiá-lo. Os demais se aliaram ao governo estadual, em busca de convênios e prestígio político. "Voaram com rapidez, como pássaros em busca de novos campos de alpiste".
     Jackson aparece na pesquisa Ibope divulgada no sábado (18) com 21% das intenções de voto. Ainda é forte no interior, especialmente em cidades onde deixou alguma marca importante, como Presidente Dutra, no qual inaugurou um grande hospital público. Mas na capital, São Luis, tem apenas 13% das intenções de voto, prejudicado pela fraca administração do prefeito João Castelo (PSDB), a quem apoiou em 2008.
     Apesar do apoio do PSDB local, o candidato do partido à Presidência, José Serra, apareceu apenas uma vez ao lado de Jackson no Maranhão e não faz parte do material de campanha do pedetista. O que é considerado um erro por alguns aliados, pois poderia gerar votos na classe média maranhense que mora no interior do estado e tem aversão completa ao PT por sua parceria histórica com o MST.
     Mas a baixa mais expressiva da oposição maranhense foi justamente o PT. O diretório nacional do partido impôs o apoio a Roseana e não a Flávio Dino (PCdoB), que teria chances com o apoio do partido do presidente Lula. Roseana deu ao partido três secretarias — Educação, Ação Social e Trabalho — e ainda aceitou o vice indicado, Washington Luis, que, de tão inexpressivo, sequer vai ao estado, permanecendo durante toda a campanha em Fortaleza.
     "A intervenção no Rio foi para apoiar o Brizola. No Ceará, para uma aliança com o PCdoB. Aqui, tivemos que abraçar um inimigo de décadas", reclamou o deputado Domingos Dutra (PT), isolado na tarefa de criticar a família Sarney.
     Empatado com Jackson na última pesquisa do Ibope, Flávio Dino foi o que mais sofreu com a adesão do PT à campanha de Roseana. Perdeu um tempo expressivo no horário eleitoral e não pode usar a imagem de Dilma Rousseff na propaganda. Tem 30% das intenções de voto na capital, mas não decola no interior — onde o discurso antisarney tem pouco efeito junto a um eleitorado dependente dos programas sociais e dos convênios oferecidos pelos prefeitos alinhados ao clã Sarney.
Do Valor Econômico

Hoje eu vou tomar um Ibope, não me socorre, eu tô feliz!

     O título desta postagem refere-se ao samba enredo da União da Ilha de 1991, Franco é o autor. Naquele ano, a Escola tinha como enredo, De bar em bar, saudades de você Didi. A letra completa está aqui. O Ibope é mesmo um porre.
     Como demonstrei noutra postagem, ele, o Ibope, dança com os números assim como Kevin Costner em seu surpreendente Dança com Lobos, de 1990, vencedor de sete oscars.
Instituto afirma que fez sorteio das cidades.
     Na pesquisa anunciada na sexta-feira, 17, pelo JMTV - Edição da Noite, o Ibope entregou ao TRE-MA o detalhamento das cidades pesquisadas. Dizendo, o Ibope, que fez sorteio! Vamos acreditar, dar uma chance, afinal, um porre não pode ser tão ruim assim. Ou pode?
     O detalhamento está no fim desta postagem. Quem usar o linque, perceba que no navegador ele vai para página no TRE, escolha Consulta de Pesquisas Registradas e depois Ibope. A seguir clique em 34465 que é mesmo do registro.
Manobra para confundir a oposição
     Teve blogueiro apressado que vaticinou: Balsas não foi pesquisada (o grifo é nosso). A cidade foi pesquisada. Quatorze entrevistas conforme o própio Ibope apresentou em sua planilha ao Tribunal Regional Eleitoral. A região sul também foi contemplada na pesquisa do Ibope. O erro é outro, como veremos a seguir.
     Está certo que São Luís (196) tenha 7 vezes mais pesquisados do que Imperatriz (28). Afinal, Imperatriz tem, de acordo com o TSE, 156.922 eleitores, ou seja, 3,2% do eleitorado do Maranhão que é de 4.324.696 de eleitoras e eleitores. Nossa capital, São Luís, tem 668.817 mil eleitoras e eleitores, isto é, 15, 5% do eleitorado. Certo, portanto, seria São Luís ter, em torno de, 5 vezes mais pesquisados do que a segunda maior cidade do Maranhão.
     Porém, é uma diferença pequena, de 7 para 5. Do ponto de vista estatístico, pode nem fazer muita diferença. Mas, faz!
Veja este erro grosseiro do Ibope
     Agora, o danado mesmo é quando efetuamos a comparação de Imperatriz com Centro do Guilherme que tem 5.643 eleitores, ou seja, 0,1% do eleitorado. Naquela cidade foram aplicados 14 questionários, como a tabela abaixo indica. Perceba que Imperatriz tem, praticamente, 28 vezes o número de eleitores em relação a Centro do Guilherme. 27,8 vezes com precisão de uma casa decimal. Porém, apenas o dobro de entrevistados na pesquisa do Ibope.
     E sem dizer, conforme a tabela abaixo que Pinheiro (52.288), Viana (34.324), Buriticupu (39.693), Santa Inês (54.965) e Balsas (50.312) possuem, para o Ibope, o mesmo peso do que Centro do Guilherme, Lago do Junco (7.279) e São João do Paraíso (8.091). Os parênteses são o eleitorado.
É por isso que o Ibope faz a pesquisa, registra e não há possibilidade de punição. Todo o "desdobro" é feito dentro da lei, como no caso do arredondamento.
O que eles fazem na reta final
     Na reta final, na última pesquisa, eles cedem mais um pouco e confirma claramente a tendência, mas "desdobra" os números e depois afirma que a eleição não estava decidida e que a curva da candidata era descendente e de outros, ascendente e pronto: haja balcão.

Municípios - Entrevistas

SÃO LUÍS 196
PAÇO DO LUMIAR 28
SÃO JOSÉ DE RIBAMAR 14
BACABEIRA 14
ICATU 14
BARREIRINHAS 14
HUMBERTO DE CAMPOS 14
ITAPECURU MIRIM 14
PRESIDENTE VARGAS 14
VARGEM GRANDE 14
BEQUIMÃO 14
CAJAPIÓ 14
BELA VISTA DO MARANHÃO 14
CAJARI 14
MONÇÃO 14
PEDRO DO ROSÁRIO 14
PENALVA 14
PINHEIRO 14
SANTA HELENA 14
VIANA 14
CÂNDIDO MENDES 14
CENTRO DO GUILHERME 14
TURIAÇU 14
BURITICUPU 14
PINDARÉ-MIRIM 14
SANTA INÊS 14
SANTA LUZIA 14
SANTA LUZIA DO PARUÁ 14
SÃO JOÃO DO CARÚ 14
ZÉ DOCA 14
AÇAILÂNDIA 28
CIDELÂNDIA 14
IMPERATRIZ 28
JOÃO LISBOA 14
LAJEADO NOVO 14
SENADOR ALEXANDRE COSTA 14
BARRA DO CORDA 14
ITAIPAVA DO GRAJAÚ 14
SÍTIO NOVO 14
TUNTUM 14
GOVERNADOR EUGÊNIO BARROS 14
SÃO DOMINGOS DO MARANHÃO 14
BACABAL 28
LAGO DO JUNCO 14
POÇÃO DE PEDRAS 14
SANTO ANTÔNIO DOS LOPES 14
SÃO MATEUS DO MARANHÃO 14
ARAIOSES 14
SÃO BERNARDO 14
BREJO 14
CHAPADINHA 14
MATA ROMA 14
CAPINZAL DO NORTE 14
CODÓ 28
COROATÁ 14
ALDEIAS ALTAS 14
CAXIAS 28
MATÕES 14
TIMON 28
COLINAS 14
MIRADOR 14
SÃO FRANCISCO DO MARANHÃO 14
ESTREITO 14
SÃO JOÃO DO PARAÍSO 14
BALSAS 14
FORTALEZA DOS NOGUEIRAS 14
TOTAL 1204
Do Blogue do Frederico Luiz

Roseana engana eleitor sobre a verdadeira história dos centros de cultura

    
     Incomoda o silêncio da classe artística diante das inverdades propaladas pela candidata à reeleição Roseana Sarney (PMDB) em pelo menos dois pontos de seu material de campanha. No panfleto que enumera obras realizadas em suas duas gestões passadas, compreendendo o período de 1995-2002, no qual afirma ter melhorado a vida da população de São Luís, Roseana recorre a inverdades.
     O Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho foi vinculado à criação da Fundação Cultural do Maranhão, em 1971. Depois de passar por dois endereços, instalou-se no casarão de três andares da Rua do Giz,221, adquirido pelo próprio folclorista Domingos Vieira Filho onde está até hoje.
    Já o Centro de Criatividade Odylo Costa, filho é derivado do extinto Cenarte. O nome foi dado em homenagem ao jornalista e escritor falecido em 1979 no Rio de Janeiro. O prédio onde funciona hoje foi adquirido em 1980 na gestão do governador João Castelo, quando presidia a ainda FUNC a escritora Arlete Nogueira da Cruz.
     Uma passagem durante o governo Epitácio Cafeteira entrou para a história do órgão. Frequentado por artistas rebeldes, o Odylo era dirigido pela pesquisadora Joila Moraes, irmã do imortal Jomar Moraes. Em uma visita inesperada ao órgão da Secretaria de Cultura o governador foi às panelas do restaurante do Centro na caça às drogas. O episódio chamuscou a então secretária Laura Amélia, demitida depois por Cafifa por não informá-lo da existência de um Museu dos Paramentos em São Luís.

Ex-presos no Amapá cumprem agenda de campanha

     Solto na noite de sábado,18, o governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), candidato à reeleição, é aguardado amanhã no Centro de Convenções da CEAP para participar de debate entre os candidatos com transmissão ao vivo pela TV Tucuju às 21 horas. Dias passou nove dias preso na Polícia Federal em Brasília.  O período de prisão temporário se esgotaria à meia-noite do domingo,19.
     Já o candidato ao senado e ex-governador Waldez Góes(PDT), também preso pela Operação Mão Limpas, tem agenda hoje no mesmo debate promovido pelo Jornal do Dia. A esposa do ex-governador aliado do senador José Sarney (PMDB-AP), Marília Góes (PDT) é candidata a deputada estadual.
     Segundo as coordenações de campanha ainda há tempo para a recuperação dos candidatos Pedro Paulo e Waldez Góes que se mantém firmes para as disputas, mesmo reconhecendo os prejuízos que a campanha tomou com o afastamento dos mesmos.

Flávio Dino, Jackson Lago e Saulo Arcangeli respondem a OAB-MA

     Três dos seis candidatos ao governo do estado nas eleições deste ano responderam ao ofício da Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional do Maranhão, OAB-MA, sobre propostas elencadas pela entidade: Flávio Dino, Jackson Lago e Saulo Arcangeli.  
     Os temas apresentados  a todos os candidatos foram: Defesa dos Direitos Humanos; Sistema Carcerário; Remuneração dos defensores dativos; Amplicação da Defensoria Pública; Procuradoria Geral do Estado; Condições Salariais dos Advogados Públicos do Estado; Segurança Pública; Controle pela probidade administrativa; Saúde e Educação.
     As propostas dos candidatos que responderam às questões está disponível no portal da OAB-MA no endereço www.oabma.org

Manchetes dos jornais

O ESTADO DO MARANHÃO – Consórcio abre seleção para iniciar as obras da refinaria
O IMPARCIAL- Tio acusa sobrinho de saquear prefeitura