10 de jan de 2011

Poema publicado no Jornal Pequeno em 1975 vira livro no Ceará

Ilustração de Glauco Sobreira
     Dono de um dos maiores acervos de revistas e HQs do Brasil, o empresário Silvyo Amarante, proprietário da loja Revista & Cia, lançou nesta segunda-feira no Centro Cultural Oboé em Fortaleza (CE), o livro "Mundografia Moderna", ganhador do VI Edital de incentivo às Artes da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará.  Uma curiosidade: Todos as palavras são iniciadas com a letra "m".
    Ilustrado pelo médico e artista visual Glauco Sobreira, "Mundografia Moderna" foi publicado pela primeira vez em 1975, no Jornal Pequeno. À época, Silvyo tinha 23 anos e cumpria estágio de serviço no Exército. "Estava no quarto do quartel, em São Luís, acamado com hepatite. O local ficava em frente a uma praça que lembrava o Pirambu. Como não tinha hora para dormir ou acordar, ficava observando os movimentos pela janela. Assim escrevi o poema só com ´m´, fiz em mais ou menos uma semana", recorda.
    Fascinado pelas charges do Amigo da Onça e página do Millôr Fernandes da revista O Cruzeiro muito absorveu dessas leituras. A apresentação do livro é assinada por Chico Anysio, com quem colaborou com textos. Antes de "Mundografia Moderna", Amarante tinha escritos poemas com "s" e com "a" que Chico quis adaptar para seus espetáculos. 
Excerto de "Mundografia Moderna":
"Meu monólogo mudo/ mostra muitas mudanças/ mostra muitas maravilhas/ mas mentaliza misérias/ massacres/ materialismo/mas muitos migram maltrapilhos/ morarão modestamente/ moribundas malocas metropolitanas/ menos moral/ menos mantimentos/ mais menosprezo/ metade morre".

Serviço
"Mundografia moderna"
Silvyo Amarante
Expressão Gráfica
2010
80 páginas
R$ 45
Contato: (85) 3264-7038

Volume de crack apreendido em São Luís aumentou 540% em um ano

    Wilson Lima
    O volume de crack apreendido em São Luís em 2010 aumentou 540% em comparação com o ano de 2009. Segundo a Delegacia de Entorpecentes da capital do Maranhão, em 2010 foram apreendidos 64 quilos da droga. Em 2009, foram 10 quilos. Pesquisas recentes afirmam que, hoje, cerca de 10 mil moradores da cidade são usuários de crack. São Luiz tem cerca de 1 milhão de habitantes. Portanto, o número de usuários de crack chegaria a 1% da população.
    Segundo o titular da Delegacia de Entorpecentes de São Luís, Cláudio Mendes, o aumento expressivo da quantidade de droga apreendida reflete uma mudança de comportamento dos traficantes da capital maranhense. “Antes, a preferência era pela maconha. Mas, agora, muitos traficantes passaram a adotar o crack como principal fonte de renda”, declarou o delegado. “É um fenômeno que acontece em praticamente todo o país. No Maranhão, essa tendência acentuou-se a partir do ano passado”, complementou Mendes.
    Pelas investigações da Polícia Civil do Maranhão, a maior parte do crack que chega à capital maranhense vem por terra, por meio da BR-222, que cruza cidades como Imperatriz e Santa Inês. A droga, pelos dados da polícia, normalmente chega a São Luís por estados como Mato Grosso e Tocantins.
Mudança
    A invasão do crack em São Luís não somente trouxe um novo tipo de traficantes como também mudou o comportamento da violência urbana da capital maranhense. Os homicídios são mais violentos e a maioria deles tem ligação direta com o tráfico de drogas.
    Dados do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) de São Luís indicam que 80% dos assassinatos na capital têm ligação com o tráfico de drogas. Somente em 2010, foram registrados 498 homicídios em São Luís, uma média de 1,3 assassinatos diariamente. Esse número é 46% superior à quantidade de homicídios registrada em 2006. “Combater o tráfico de drogas é essencial para se reduzir os homicídios. Essa é uma realidade em todo o Brasil”, finaliza o secretário de Segurança do Maranhão, Aluísio Mendes.
    O psiquiatra Ruy Palhano, especialista no tratamento da droga, afirma que essa mudança no perfil do usuário de droga não se reflete apenas nas estatísticas da Secretaria de Segurança do Estado. “Até cinco anos atrás, a maior clientela de dependentes era predominantemente de viciados em álcool. Hoje, nós temos entre 30% e 35% de dependentes do crack”, assinalou o especialista.
Do Portal IG

Neta de ex-prefeito de cidade do Mato Grosso do Sul morre em Imperatriz


Neta do ex-prefeito de Ivinhema morreu no acidente
    Bianca Kunenh, de um ano e nove meses, morreu na manhã desta segunda-feira (10), em um acidente automobilístico na BR-010 próximo da Fazenda Campo Limpo na cidade Imperatriz, perto de Açailandia, no Maranhão. Bianca era neta do ex-prefeito de Ivinhema, interior de Mato Grosso do Sul, Neri Kuhnen (PSB).
    Wagner Kuhnen, filho de Neri, estava dirigindo a carreta Volvo (HRO-1616 de Ivinhema/MS) e viajava acompanhado da esposa Gisele e da outra filha Lorena, de cinco anos. Wagner Kunenh.
     Segundo informações do ex-prefeito, o acidente foi causado após a tentativa frustrada de ultrapassagem. O caminhão caçamba de placas (MQC-9087/Imperatriz/MA) tentou ultrapassar outro veículo e invadiu a pista contrária.
    Wagner tentou desviar para direita, porém bateu no meio fio, vindo a tombar e se arrastando por mais de 100 metros. O motorista da caçamba Vicente Filomeno de Sousa, fugiu do local e não prestou socorros.
    Alguns metros distantes ele ligou para Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Os pais e a irmã da Bianca foram encaminhados para um hospital da cidade de Imperatriz/MA, onde Lorena ficou em observação mas já foi liberada.
Do Midiamaxnews

Na agulha: Jimmy Hendrix com Bob Dylan na veia

Escutec: Nem Sarney nem Castelo

Do Blog do Cesar Bello
    Sarney e Castelo são políticos ultrapassados, ambos tem origem nas entranhas da ditadura. O povo do Maranhão cansou rejeitando-os na sua maioria, conforme a ultima pesquisa da Escutec.
    Sarney e Castelo continuam unidos contra o Maranhão, embora em trincheiras diferentes, atirando contra o desenvolvimento e mirando o crescimento dos seus patrimônios, ambos têm a intragável postura autoritária, disfarçando-a com a ajuda da imprensa comprada.
    Sarney e Castelo usam as mesma práticas políticas que caracterizam os coronéis revanchistas, perseguindo os desafetos mesmo que de forma camuflada.A intolerância as opiniões contrárias chegam as raias da ira, preterindo o trabalho daqueles que por competência e habilitação, poderiam contribuir para o desenvolvimento do Estado.
    Sarney e Castelo ungiram as filhas à liderança pela compra do voto, dobrando lideranças autênticas pela barganha dos cargos na administração pública, que por via de consequência transformam-se em trampolim das pretensões eleitoreiras.
    Assim juntos mais em casas separadas, estão casados há 40 anos. Fingindo-se desafetos conseguem reunir afetos das forças políticas que gravitam nas suas órbitas, conjugando os verbos da corrupção, fraudes, falcatruas, desvios, tráfico de influência e tudo que a lei não permite.
    A mistura do conceito "ruim" com "péssimo", atinge Castelo em 39,5% (Fonte-Escutec).
    Segundo a mesma Escutec, 40% do Maranhão disse que "nada vai mudar" no atual governo de Roseana Sarney.
    O recado foi dado pelo povo, em repúdio a monarquia de Sarney e a oligarquia de Castelo.

Com R$1,2 milhão no bolso, Bulcão pagou cachê de R$ 4 mil para artistas e resistiu em incluir "balaios"

     O vice-governador do estado, Washington Luiz (PT), quis inaugurar um modelo de governo ao qual a turma de Roseana Sarney além de não estar habituada não tem qualquer apreço. Procurado por artistas excluídos da programação do réveillon patrocinada pelo Governo do Estado, o que significa bancado pelo erário, o vice petista ainda não investido no cargo e ressabiado pelo exíguo espaço concedido ao PT no “melhor governo da minha vida”, quis testar sua autoridade.
    Dominado por um surto republicano  Washington Luiz ligou para o secretário de estado da Cultura, Luiz Henrique Bulcão, e solicitou a inclusão dos nomes dos cantores Tutuca e Daffé. Um e outro são identificados como “balaios” (termo que em tradução livre denomina os adesistas à oposição ao grupo Sarney no período em que esta esteve no poder) pelos sarneistas de carteirinhas.
    Houve relutância da parte de Bulcão. Quem ouviu o telefonema afirma que Bulcão retrucou: “mas esse pessoal é de outro lado!”.
    O magnata da Madre Deus acabou cedendo ao pedido do vice, mas agiu conforme a cartilha do grupo dando um jeito para que os dois fossem os únicos a não receber o cachê antes mesmo da realização dos shows. Foram incluídos no “restos a pagar” do “melhor governo da minha vida”.
    Na divulgação da festa “Reveillon 2011 - Prosperidade e Paz. Boas Festas” pela Secretaria de Estado de Comunicação, SECOM, os nomes dos dois pupilos de Washington Luiz foram excluídos.
    Estipulado inicialmente em R$ 5 mil, o cachê dos quase 40 artistas que se apresentaram em palcos instalados na avenida Litorânea na última hora foi rebaixado para R$ 4 mil. Para realizar a festa a Secretaria de Estada da Cultura fez um convênio com a Fundação São Luís Convenções e Eventos no valor de R$ 1, 258 milhão.
    A fundação é também conhecida como São Luis Convention & Visitors Bureau – SLCVB, com sede na Av. Dom Pedro II, Praça Benedito Leite, 264, presidida pelo ex-deputado e empresário da hotelaria, Nan Souza. Somados os cachês dos pobres dos artistas não chega a R$ 200 mil a despesa. Vai ver o resto foi todo na queima de fogos.



Dilma discute base de Alcântara com presidente da Ucrânia

   A presidente Dilma Rousseff recebeu, por volta das 10h desta segunda-feira, um telefonema do presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich. Em cerca de 20 minutos de conversa, os mandatários discutiram o principal projeto de interesse dos dois países, a plataforma de lançamento de foguetes Cyclone 4, desenvolvida pela empresa ucraniana Dneprotiazhmash na base de Alcântara, no Maranhão, e trocaram intenções de fazer visitas oficiais a Brasília e Kiev.
    No telefonema, o governante ucraniano, que relembrou que o projeto de Alcântara é a principal parceria entre os dois países, reforçou ainda a defesa para que a base se torne comercialmente um ponto para lançamento de satélites. O Cyclone 4, que em 2010 passou por testes de lançamento de satélites, é capaz de levar 1,6 t a órbitas de 35 mil km de altitude.
    Yanukovich manifestou a intenção de visitar o Brasil no próximo mês de maio e convidou Dilma a visitar Kiev. Ele tem defendido, desde que tomou posse no início do ano passado, que o governo ucraniano utilize sua política externa para conseguir "os resultados máximos e vantagens mútuas" com governos estrangeiros.
Do Portal Terra

No claudiohumberto.com.br

SP: morre diretora do 'Jornal Pequeno'

JOSILDA TINHA 51 ANOS
Faleceu nesta segunda-feira no Hospital AC Camargo, em São Paulo, Josilda Bogéa Anchieta, diretora do tradicional Jornal Pequeno, de São Luís (MA). Ela estava internada desde o final do ano passado, para realizar um transplante de medula óssea. Josilda era a única filha do saudoso José Ribamar Bogéa, fundador do jornal. Ela tinha 51 anos.

Último dia para participar de sete editais

    Serão encerradas hoje as inscrições para sete editais do programa ProCultura, abertos em outubro pelo Ministério da Cultura, por meio da Fundação Nacional de Artes e da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura.
    Os processos seletivos contemplam projetos culturais de diferentes setores como circo, dança, teatro, artes visuais e música. O encerramento das inscrições se dá depois de prorrogação do prazo inicial, previsto para 10 de dezembro.
    No total, R$ 300 milhões serão destinados a oito fundos setoriais: acesso e diversidade; ações transversais e equalização de políticas culturais; artes visuais; circo, dança e teatro; incentivo à inovação audiovisual; livro, leitura, literatura e língua portuguesa; música; patrimônio e memória.
    Os recursos provêm do FNC (Fundo Nacional da Cultura), destinado exclusivamente à execução de programas, projetos ou ações culturais. A previsão é de que novos editais sejam divulgados até o fim de novembro. Mais informações podem ser acessadas na internet (www.cultura.gov.br, www.funarte.gov.br ou blogs.cultura.gov.br).
Do Diário do ABC

Bene Camacho e Costa Ferreira são suplentes do Maranhão durante o recesso na Câmara Federal

    O médico cardiologista nascido em São Paulo Bene Camacho, quarto suplente de deputado federal pelo PDT, desde quarta-feira,5, ocupa a vaga aberta pelo deputado federal Pedro Fernandes (PTB) nomeado secretário de Cidades do governo Roseana Sarney (PMDB).
    Enquanto isso, o secretário aspone Francisco Escórcio(PMDB-MA), aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal para ejetar Costa Ferreira da suplência de Pedro Novais (PMDB), desginado pelo partido para o ministério do Turismo.

Morre a jornalista Josilda Bogéa coordenadora de O Guesa Errante

A jornalista maranhense Josilda Anchieta Bogéa, 52, morreu nesta segunda-feira,10, no Hospital A.C. Camargo, em São Paulo, onde se encontrava internada, lutando contra um câncer. Josilda Bogéa era diretora administrativa do Jornal Pequeno e coordenava o suplemento cultural e literário O Guesa Errante.

Lambe-lambe: Parada de ônibus na "nova" avenida Santos Dumont

Condal põe máscaras de Sarney, Dilma e Tiririca à venda no carnaval

    Sarney, Dilma, Palocci, Tiririca são as máscaras de carnaval que a tradicional fábrica Condal vai distribuir até março em todo país.
    Desde 1959 a Condal vem reproduzindo rostos de personalidade do cenário político e artístico aos foliões durante o período carnavalesco. O maior fenômeno de venda foi o rosto de Lula em 2002. Vendeu mais de 15 mil unidades foram vendidas, inclusive para o exterior.
   A fábrica recebeu encomenda de 6 mil máscaras da presidente Dilma Rousseff. É a terceira versão de Dilma. Se na de 2008 ela ainda usava óculos e tinha corte de cabelo pouco moderno, na mais recente ela já aparece “repaginada” e com rosto “mais assentado”, nas palavras da diretora da empresa, a espanhola Olga Valles, viúva do artista plástico Armando Valles, fundador da fábrica.
    Não há traços de fio preto nos cabelos da máscara de Sarney. Na estampa do rosto o senador pai da governadora Roseana Sarney (PMDB-MA) está sem óculos.

Pedro Novais também solicitou passaporte especial para mulher

O ministro do Turismo, Pedro Novais
    Quatro dias antes de pedir ressarcimento à Câmara por despesas em um motel, o agora ministro do Turismo, Pedro Novais, solicitou um passaporte diplomático e um visto para sua mulher ir a Miami, nos Estados Unidos. De acordo com registros da Segunda Secretaria da Câmara, no dia 24 de junho de 2010, quando era deputado, Novais enviou o ofício 106/2010 requerendo a emissão do passaporte especial para sua "companheira", Maria Helena Pereira de Melo.
    Uma semana depois, outro ofício, o 110/2010, tratou da emissão de visto de "turismo", para Maria Helena ir a Miami (EUA) entre 30 de agosto e 30 de setembro do ano passado. Outro ofício, de número 109/2010, requereu passaporte e visto também para Pedro Novais. "Isso é uma vergonha. Esse documento deve ser usado para fins diplomáticos, para missão do Congresso Nacional", disse ontem o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcanti.
    Os documentos estão registrados nos relatórios de "sistema de passaporte" da Segunda Secretaria, órgão da Câmara responsável por cuidar dos documentos dos parlamentares. O Estado mostrou no sábado que os deputados e seus parentes aproveitam os passaportes diplomáticos para viajar a turismo. Quem tem esse documento recebe privilégios em aeroportos, como fila e atendimento especiais - inclusive em alfândegas, prioridade em bagagens e, dependendo do país, fica até dispensado da necessidade de visto.
   Pelo menos dois terços desses passaportes especiais solicitados ao Itamaraty, nos últimos dois anos, foram para mulheres, maridos e filhos dos parlamentares. E cerca de 87% dos vistos internacionais para esses documentos tiveram motivação turística.
    O deputado Eunício Oliveira (PMDB-CE), eleito senador em outubro, pediu o passaporte diplomático para sua mulher e mais três filhos no ano passado. Em seguida, foram solicitados vistos de "turismo" para viajar a Nova York (EUA) entre 10 de novembro e 11 de dezembro, de acordo com o relatório da Segunda Secretaria da Câmara.
    No dia 20 de dezembro, o petista João Paulo Cunha (SP) solicitou o documento e o visto de "turismo" para ele, a mulher e a filha também irem a Nova York, só que agora em janeiro.
    Por meio da assessoria, o ministro Pedro Novais alegou ao Estado que sua mulher tem o passaporte diplomático desde 1991, dentro da lei que permite ao cônjuge do parlamentar ter o documento especial. Novais disse que a permissão para entrar nos EUA também havia expirado para ele e sua mulher. Pediram então um novo visto.
    Para isso, segundo a assessoria, tiveram que informar uma eventual viagem aos EUA. Mas, segundo ele, o processo não foi concluído e os dois não viajaram. A reportagem procurou Eunicio Oliveira e João Paulo Cunha. Eles não responderam.
De O Estado de S. Paulo

Em tribo no Maranhão, índias amamentam animais

Awa-guajá é um dos últimos povos nômades da América.
Eles mantêm tradição de contato próximo com a natureza

Os awá-guajá são uma das últimas tribos nômades das Américas. Em sua reserva, no noroeste do Maranhão, eles mantêm a a tradição de contato próximo com os animais. O filhote de cutia é alimentado com o fruto do babaçu. E o de macaco é amamentado pelas índias.   
    "O awá-guajá é um povo muito único. E essa relação que eles têm com o bicho, ele passa a ser membro da família", conta Bruno Fragoso, coordenador de Índios Isolados da Funai. A índia Tapanií explica que quando o macaco órfão que ela adotou ficar maior e mais agressivo, ela o soltará na mata. É na floresta que a vida dos awá-guajá se renova e também corre risco no encontro com invasores.
    "O maior medo que eles têm é a doença que às vezes contraem no contato com a gente. E o segundo medo é pensar que é inimigo, pistoleiro, esse povo que vem invadindo as terras.", explica Patreolino Garreto Viana, auxiliar de campo da Funai. Imoin tem o medo estampado no rosto e, no braço, uma marca de bala. O filho dela conta que a emboscada aconteceu quando ela fazia coleta na mata.
    O perigo do encontro com invasores, caçadores e madeireiros é grande, mas o espírito nômade dos awá-guajá é muito forte e mesmo os que moram nas aldeias passam boa parte do tempo na mata.
    Uma família que passou dias na floresta volta trazendo caça e vários litros de mel. Macaripitã conta que foi ela que enxergou a colméia. Aqui é assim, mulher boa para casar é aquela que sabe ver e ouvir a natureza. Ser prendada também conta, dizem os rapazes da aldeia.
    "Aí a mulher sabe fazer a saia dele também, como ele usa, como ela usa, sabe cozinhar também, como a gente come”, descreve Manaxika, líder da aldeia. A sabedoria dessas mulheres é fruto da relação que elas têm com a natureza e com as tradições: o melhor jeito de subir na árvore, de limpar e preparar o peixe, de cortar o cabelo com lascas de taquara afiada. Os cestos, os enfeites, as redes e roupas da palha do tucum. Dar conforto e beleza para a tribo é função das mulheres awá-guajá.
    As jovens se casam assim que menstruam. Novinhas já tem muitos filhos. Parapiñam tem quatro e mais um a caminho. O isolamento da aldeia awá só é vencido quando aparece alguém de carro. Foi a sorte de uma índia grávida com hemorragia, que Bruno Fragoso, o novo coordenador do grupo de índios isolados da funai a levou para a cidade de santa inês. No hospital precário nasceu mais um awá-guajá.
    A ameaça é terrivelmente visível para os awás e para as outras etnias da região. Imagens de satélite mostram que os 820 mil hectares de terras indígenas demarcadas no Maranhão estão sendo devastadas sem dó.
    “Os awá-guajá, no processo de aceleração de invasão em que se encontram, se não houver ação rápida e emergencial, o futuro desse povo é a extinção”, explica Bruno Fragoso, da Funai .
Do Globo Natureza

Quatro municípios do Maranhão terão verbas para construção de creches e quadra poliesportivas

    Apenas quatro municípios do Maranhão vão receber recursos Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para a construção de creches e quadras poliesportivas, na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2): Açailândia, Codó, Coroatá e Imperatriz.
Nessa etapa 223 muncípios do país serão contemplados com verbas para construção de 520 creches e 98 para 213 quadras. Os valores ainda não estão definidos. Das cinco unidades previstas para o Maranhão, Imperatriz é que vai receber o maior número: duas. O restante terá apenas um projeto atendido. 
Grupos
    Os primeiros contemplados fazem parte dos grupos 1 e 2 do PAC 2. O grupo 1 é formado pelas 12 maiores regiões metropolitanas do país e por municípios com mais de 70 mil habitantes nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e com mais de 100 mil habitantes nas regiões Sudeste e Sul. Este grupo atinge cerca de 60% da população brasileira. Neste grupo estão os municípios de Imperatriz, Codó e Açailândia. 
    No grupo 2 estão os municípios com 50 mil a 70 mil habitantes no Norte, Nordeste e Centro-Oeste e 50 mil a 100 mil habitantes no Sudeste e Sul. Coroatá faz parte deste grupo.
    Os processos do grupo 3, dos municípios com até 50 mil habitantes, ainda estão em análise. Até abril, o FNDE deve divulgar outras duas listas com os demais municípios a serem beneficiados este ano.

Poesia do Maranhão

REZA COM VASSOURINHA
Edson Vidigal

Nada de ser bonzinho com o dominador,
De ser simpático,
De ser gentil,
Nada de gracinhas com o dominador.

Lembrai-vos de Rimbaud:
- Por gentilezas, perdi minha vida.

Nada de tréguas,
Fiquemos em léguas,
Muitas léguas distantes
Desse tipo de gente.

Porque reparando bem, gente,
Eles não se assemelham à gente,
Eles não vivem que nem a gente,
Eles têm é raiva da gente.

Sejamos chatos se preciso, chatos
No sentido de insistentes,
Mais insistentes que os grilos
Em suas cantigas, que incomodam...

Com a fé em Deus, incomodar,
Com a fé no Povo, incomodar
Até que se o dominador se retire,
Se retire ou se vá. Se retire ou se vá.

Herança maldita do governo Lula aparece no MINC

Contas a pagar
A ministra Ana Hollanda encontrou despesas a pagar no Ministério da Cultura que beiram a casa dos R$500 milhões.
Do Ancelmo Góis

Trabalhadores rurais ocupam fazenda improdutiva no MA

    Na tarde de ontem, dia 9, cerca de 300 famílias organizadas pelo MST ocuparam a Fazenda Salgador, no município de Presidente Vargas (MA). A Fazenda tem 45 mil hectares e é considerada improdutiva pelo Movimento Sem Terra. Por isso, uma das reivindicações do MST é a vistoria imediata da área pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para que a mesma seja desapropriada.
    A ocupação que começou com 300 famílias hoje já soma 750. No Maranhão cerca de 3.000 famílias estão acampadas às margens de estradas em todo o estado. A área da fazenda corresponde a 45 mil campos de futebol o que daria para assentar pelo menos 500 famílias.
    Com a ocupação, o MST no Maranhão dá início à Jornada Nacional de Luta pela Reforma Agrária. Durante a Jornada o MST realizará uma série de ocupações de terras e mobilizações em todo o Brasil em protesto pela lentidão do processo de Reforma Agrária e pela impunidade dos crimes cometidos pelo latifúndio e pelo agronegócio.
    A Jornada é realizada no mês de abril em função do Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, que aconteceu no dia 17 de abril de 1996, quando a polícia militar assassinou 19 trabalhadores rurais Sem Terra. A data foi instituída como Dia Nacional de Luta pela Reforma Agrária.
Da Agência do MST

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO- Fundação Sarney busca patrocínio de órgãos estatais para se manter
O ESTADO DO MARANHÃO - Partidos se articulam para eleger mesa na AL
O IMPARCIAL - Acidentes provocam seis mortes no final de semana