1 de nov de 2010

Zeca Baleiro lança livro em São Luís

    Apesar de pouco dado a comemorações de aniversários, o cantor e compositor Zeca Baleiro resolveu celebrar seus 13 anos de carreira discográfica (seu primeiro disco, "Por Onde Andará Stephen Fry?", foi lançado em 97) com o pacote "Vocês vão ter que me engolir". “Tenho um carinho especial pelo número 13” – diz. O pacote inclui o lançamento de dois cds - "Concerto" e "Trilhas", e o livro "Bala na Agulha (reflexões de boteco, pastéis de memória e outras frituras"). Lançamento em São Luís será no Buteko, na Lagoa, dia 4 de novembro, e terá leitura de trechos do livro por artistas e amigos do compositor
    O livro "Bala na Agulha – reflexões de boteco, pastéis de memória e outras frituras" reúne textos que Baleiro escreve desde 2005 em seu site, “mais à guisa de blague que de blog”, como costuma brincar. Música, literatura, cinema, comportamento, religião e gastronomia são alguns dos temas abordados no livro, que também traz memórias sentimentais da infância e da adolescência. Completam o livro dois capítulos de poemetos, aforismos e provocações, Bestiário Pós-Moderno e Curtas, Grossas, Algumas Infames, onde Baleiro se mostra um crítico implacável da sociedade contemporânea, sem todavia perder a necessária ternura.
    "Concerto" e "Trilhas" são os primeiros discos do artista a serem lançados por seu próprio selo, o Saravá Discos, fato que inaugura uma nova fase na carreira de Zeca. Concerto foi gravado ao vivo em março de 2010, no teatro Fecap/SP, depois de um pequeno test-drive em Belém e Recife e de permanecer em cartaz em São Paulo por três semanas consecutivas. Neste novo álbum, Zeca Baleiro é acompanhado de apenas dois músicos que se revezam em vários instrumentos: Swami Jr., violonista de formação mais clássica e emepebista, e Tuco Marcondes, músico de pegada mais rock’n’roll, que integrou quase todas as bandas e turnês do artista.
    Baleiro desfila repertório que vai de Cartola a Camisa de Vênus, e de Assis Valente a Foo Fighters. Concerto traz ainda algumas canções inéditas, como ‘A Depender de Mim’, ‘Mais um Dia Cinza em São Paulo’ e ‘Canção pra Ninar um Neguim’, esta última composta em 1993 para Michael Jackson, e só agora gravada pelo autor.
    "Trilhas" é uma coletânea das trilhas que compôs para cinema e dança (e que tem participação especial da atriz Rosi Campos). São canções dos espetáculos ‘Mãe Gentil’, ‘Cubo’ e ‘Geraldas e Avencas’; do curta ‘Flores para os mortos’ e do filme ‘Carmo’.
SERVIÇO
LANÇAMENTO DO LIVRO ‘BALA NA AGULHA’  E CDS ‘CONCERTO’ E ‘TRILHAS’ - Dia 4 de novembro (quinta-feira).Buteko – Lagoa, a partir das 19h30 C/ discotecagem de Pedro Sobrinho e leitura de trechos do livro por Alê Muniz Celso Borges, Fernando Abreu, Luciana Simões, Joãozinho Ribeiro, Josias Sobrinho e Júlia Emília.

No twitter a SS Paulista contra os Nordestinos

Aviso de Utilidade Pública

Abstenção no Maranhão chegou perto de 30%, novamente a maior do país

    Subiu de 23,28% no primeiro turno para 29,52% no segundo turno o índice de abstenção nas eleições no Maranhão. No primeiro turno o estado liderou o ranking de abstenção no país.  O posto continuou a ser ocupado neste segundo turno.
     Dos 4.320.222 eleitores aptos a exercer o direito do voto 1.275.532 deixaram de comparecer às 14.243 sessões eleitorais espalhadas pelo território maranhense. No país o índice de abstenção foi de 21,5%´. Ao menos 29 milhões de brasileiros com inscrição na Justiça eleitoral deixaram de votar.
     Tanto a governadora reeleita Roseana Sarney (PMDB) quanto o vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral e corregedor da Justiça Eleitoral, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, acreditavam que haveria queda no número de ausentes. Desta vez não houve liberação de transporte para eleitores.

Dilma foi eleita com 79,09% dos votos válidos no Maranhão

    A petista Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil nas eleições de segundo turno com 56,05% dos votos válidos. No Maranhão a candidata recebeu 79,09% dos votos válidos, referente a 2.294.146 votos, uma variação de 11,96% acima da votação recebida no primeiro turno que foi de 70,65% da votação contável.
    O crescimento da votação da candidata do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no estado foi o quinto menor entre as 27 unidades da federação. No ranking de crescimento da votação de Dilma Rousseff no segundo turno o Maranhão ocupou a 23ª posição. Superou apenas os estados do Pará, Alagoas, Rio Grande do Sul e Piauí.
    O candidato derrotado à presidência da República, o tucano José Serra também elevou sua votação no segundo turno. No primeiro turno ele recebeu 15,09%. Na eleição de ontem, dia 31 de outubro, que decidiu a disputa, teve 20,91¨%, referente a 606.449 votos, elevando em 38,58% a votação recebida na primeira votação em 3 de outubro.
    A variação da votação de José Serra no Maranhão foi uma das maiores do país. No ranking nacional do crescimento dos votos ao tucano o estado ocupou a décima primeira posição. O Amazonas foi o estado onde o crescimento do candidato obteve a mais expressiva elevação, com taxa de 129,40% em relação ao primeiro turno.

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Dilma ganha eleição e vira primeira presidente do Brasil
O ESTADO DO MARANHÃO - Dilma presidente