22 de ago de 2011

Prefeito de Vargem Grande reclama do caos no aparelho estadual de Segurança Pública

    Com direito a transmissão ao vivo pela TV Difusora de Vargem Grande(SBT-Canal 7, em pleno horário do programa Sílvio Santos, no domingo,21), o prefeito do município do Baixo Munim, Miguel Fernandes, cobrou à governadora Roseana Sarney mais sensibilidade com o grave problema de segurança na cidade.
    "Segurança não é um problema que podemos solucionar amanhã, é um problema para ser resolvido ontem", discursou Miguel Fernandes,  na inauguração do Portal de Entrada da cidade. O prefeito fez o desabafo logo após o discurso do deputado federal Gastão Vieira (PMDB), convidado especial do evento.
    Segundo Fernandes a prefeitura vem bancando há meses, "com os poucos recursos do município", o aluguel de veículos para atender às necessidades mais prementes da delegacia do município. O prefeito afirmou quie por diversas vezes procurou o secretário Aluízio Mendes, de Segurança do Estado do Maranhão, e não obteve resposta sobre seus pleitos. "É preciso governar com sensibilidade"
    No município com mais de 50 mil habitantes só há um veículo a serviço do Sistema Estadual de Segurança Pública na Delegacia de Polícia Civil da Regional de Vargem Grande. Três carros que ora servem aos policiais civis e militares são alugados. Durante os festejos de São Raimundo Nonato dos Mulundus, que se estende por nove dias consecutivos, a cidade recebe ao menos 100 mil visitantes. Na véspera do início da festa dois acidentes automobilístico e duas vítimas de violência tiveram registro na delegacia do município. Uma viatura da Polícia Militar do município vizinho de Nina Rodrigues prestava assistência à população e turistas.
    Miguel Fernandes reclamou também sobre a falta de abastecimento no município. Para solucionar o problema a prefeitura tem perfurado poços em bairros de Vargem Grande e no centro da cidade. Um poço com mais de 250 metros de profundidade perfurado pela prefeitura foi interditado pela Fundação Nacional de Saúde, FUNASA, que considerou a água imprópria para consumo.
Emendas
    A inauguração do Portal fez parte da agenda de obras do prefeito. A obra, no entanto, tem conflitos de informações sobre a origem dos recursos. De acordo com o deputado Gastão Vieira, o governo federal planeja implantar portais em todas as 5.656 cidades do país, através do famigerado Ministério do Turismo ocupado pelo peemedebista maranhense Pedro Novais. Para isso está transferindo recursos através de emendas parlamentares aos prefeitos.
    O portal de Vargem Grande, construção no valor próximo a R$ 200 mil, pela placa de inauguração está fora do programa no governo Dilma. O crédito da emenda identifica apenas o deputado estadual Fábio Braga.
    A construção do portal atendeu a um requerimento de um vereador da base de apoio do prefeito Miguel Fernandes na Câmara Municipal de Vargem Grande.

Sarney usa helicóptero do MA em viagem particular

Reprodução/TV Folha
Sarney usa helicóptero do Maranhão em viagem particular
Sarney usa helicóptero do Maranhão em viagem particular
Aeronave adquirida para a Polícia Militar do Estado leva senador e amigos a ilha
Presidente do Senado diz que viajou a convite da filha governadora e afirma ter direito a transporte oficial

FELIPE SELIGMANENVIADO ESPECIAL A ALCÂNTARA (MA)
JOÃO CARLOS MAGALHÃES
DE BRASÍLIA
    O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), usou um helicóptero da Polícia Militar do Maranhão para passear em sua ilha particular duas vezes neste ano.
    A aeronave foi adquirida no ano passado para combater o crime e socorrer emergências médicas. Foi paga com recursos do governo estadual e do Ministério da Justiça e custou R$ 16,5 milhões.
Numa das viagens até a ilha de Curupu, onde tem uma casa, o senador foi acompanhado de um empresário que tem contratos milionários no Maranhão, que é governado por sua filha Roseana Sarney (PMDB).
    No fim do passeio, o desembarque das bagagens de Sarney atrasou o atendimento de um homem com traumatismo craniano e clavícula quebrada que fora socorrido pela PM e chegara em outro helicóptero antes de Sarney.
    Um cinegrafista amador registrou imagens que mostram Sarney e seus amigos desembarcando no heliponto da Polícia Militar em São Luís em dois domingos, 26 de junho e 10 de julho. A Folha obteve cópias dos vídeos.
    Em nota de sua assessoria, o senador disse que tem "direito a transporte de representação em todo o território nacional" e afirmou ter viajado no helicóptero a convite da "governadora do Estado".
Políticos que usam bens públicos em "obra ou serviço particular" podem ser punidos com a perda da função e suspensão de direitos políticos, conforme a Lei de Improbidade Administrativa. Uma lei estadual de 1993 proíbe "a utilização de veículos oficiais em caráter pessoal" no Maranhão, mas não deixa claro se a restrição pode ser aplicada aos helicópteros da polícia.
    Ao discursar na entrega da aeronave em 2010, a governadora Roseana disse que a aquisição era "uma demonstração [de] que estamos investindo em uma polícia moderna, [...] afastando de vez a bandidagem" do Maranhão.
    A gravação feita no dia 10 de julho mostra Sarney e sua mulher, Marly, saindo da aeronave. O senador usa roupas claras e uma boina.
    Os primeiros a desembarcar foram o empresário Henry Duailibe Filho e sua mulher, Cláudia. Primo do marido de Roseana, Jorge Murad, Duailibe é dono de uma construtora e de concessionárias de automóveis que têm contratos de pelo menos R$ 70 milhões com o Estado.
    Os vídeos obtidos pela Folha não têm cortes, mas as imagens são pouco nítidas em alguns momentos, porque foram captadas por uma câmera amadora a mais de 500 metros de distância.
    Mesmo assim, é possível ver com clareza a saída dos passageiros e os funcionários da base da PM descarregando a bagagem depois.
ACIDENTE
    Dez minutos após a chegada de Sarney e seus amigos, os funcionários retiraram numa maca o paciente que esperava no outro helicóptero.
    O homem socorrido é o pedreiro Aderson Ferreira Pereira, 40, que sofrera um acidente e estava sendo transportado para um hospital em São Luís. Ele vive em Alcântara, a 53 km de São Luís, e viajou acompanhado pela irmã, Rosângela Pereira, 45.
    Localizado pela Folha na semana passada, o pedreiro disse que teve de esperar algum tempo até ser retirado do helicóptero. "Me disseram que a ambulância não tinha chegado", afirmou Pereira, que já se recuperou do acidente e voltou ao trabalho. Sua irmã disse ter visto "o pai e a mãe da governadora" enquanto aguardava na base aérea da PM. Ela contou que a ambulância que levaria seu irmão ao hospital já estava à espera quando o helicóptero que o socorreu aterrissou.
    Rosângela acertava detalhes do transporte do irmão quando uma funcionária alertou-a para a chegada de Sarney. "Ela disse: "Querem olhar os pais da governadora?" Aí eu disse: "Quero". E nós olhamos rapidinho."

OUTRO LADO
    Sarney, afirmou, por meio de sua assessoria, que o uso pessoal do helicóptero da Polícia Militar do Maranhão se justifica porque ele tem "direito a transporte de representação e segurança em todo o território nacional, seja no âmbito federal ou estadual, sem restrição às viagens de serviço".
    A assessoria afirma que os voos particulares do senador estão em consonância com a Constituição, mas não se pronunciou sobre a presença do empresário no voo e a demora no atendimento do pedreiro ferido.
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

Maranhão
O ESTADO DO MARANHÃO - Produtor musical é assassinado no Turu
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Assalto final
FOLHA DE S. PAULO:Rebeldes acuam Ghadafi na Líbia
ESTADO DE MINAS:Carteira de motorista para poucos
O GLOBO:Prisões de filhos de Kadafi põe regime perto do fim
ZERO HORA:Batalha pela capital da Líbia registra mais de 3 mil mortes
Regional
JORNAL DO COMMERCIO:Sorrisos comprometidos
MEIO-NORTE:Confrontos na Líbia matam 3 mil em 24 horas
O POVO:Procon vai aumentar valor de multa em até 94%