26 de mar de 2011

Guanabara faz propagando enganosa para concorrer com empresas aéreas

    A empresa Guanabara faz propaganda enganosa na televisão. No comercial a empresa de transporte anuncia venda de passagens a partir de 10 reais. Na prática a Guanabara, por ter o monopólio da linha São Luís -Teresina abusa da condição cobrando até o dobro do preço em horários diferenciados ou impondo ônibus leito em horário exclusivo.
    A promoção anunciada de até 90% de desconto atinge 19 trechos atendidos pela maior empresa de transporte de passageiro do Norte e Nordeste. No site da empresa o trecho Teresina-São Luís/São Luís - Teresina é apresentado com custo de R$ 10,00.
    O passageiro que comprar passagem para a capital do Piauí, partindo de São Luís, desembolsa pouco mais de R$ 40,00 para tomar os ônibus convencionais no período da tarde nos dias de semana. Na última viagem, pouco mais das 23 horas, a empresa Guanabara cobra R$ 87,00 por passageiro. O preço da passagem de ônibus é inferior em pouco mais de R$ 60,00 da passagem de avião pela Gol.
    Na verdade a promoção perfaz a chamada miguelagem. Segundo informam no 0800 a promoção é por cota. Desta forma é reservado um número, mínimo para justificar a promoção, com valor de R$ 10,00. Esgotada a cota o valor da passagem é escalonado até atingir o limite máximo, preço normal.

Museu de Tudo: Comemoração do aniversário de São Luís em 1985

Caso das casas de Trizidela é grave, mas Jânio Balé é boi de piranha

Simplício Araújo
   Na última semana a Globo tem mostrado a forma escandalosa como se trata as enchentes no Estado do Maranhão, apontando o caso Residencial Monte Cristo e de mais dois conjuntos habitacionais que, segundo o Jornal Nacional, deveriam ter sido construídos, em Trizidela e outro na cidade de Pedreiras, que tiveram o montante de 25 milhões de reais destinados em convênio para tal fim pelo Governo Federal.
    Destaque nacional anualmente em todos os noticiários, o fato das enchentes chegou a ser considerado normal, pela mídia alinhada ao Governo Estadual, que fez pouco caso e tentou diminuir o efeito da situação que recorrentemente é vivida pelos maranhenses que moram as margens do Rio Mearim, não só em Pedreiras e Trizidela do vale, mas também Bacabal e demais atingidos.
    É muito azar da população, além de ser vitima da pobreza que atinge grande parte dos maranhenses, de ver seus lares submersos e suas vidas lançadas à sorte dentro de barracões improvisados ou escolas, ainda tem a má sorte de ser governados por Prefeitos e um Governo do Estado que só utilizam o fato pra fazer média com o eleitorado.
   A prova disso foi a “sobrevoada” que a Governadora deu com o então Presidente Lula em vistoria as áreas alagadas do Maranhão e que serviu apenas ao noticiário nacional e até internacional, ou das equipes dos Prefeitos fazendo média com os alagados retirando as pessoas até mesmo em carros que recolhem o lixo, como aconteceu em Pedreiras, vendendo a imagem de heróis, quando deveriam de fato ter evitado que a população fosse surpreendida pela água adentrando suas casas durante a madrugada.
    Mas para alguns, poucos mesmos, e pequenos, é melhor deixar a água entrar, e esperar o povo vim pedir ajuda nas casas das “autoridades competentes”, casas essas sempre construídas longe das áreas de risco.
    Mas dessa vez, o azar não foi só da população.
    O Prefeito de Trizidela do Vale, Jânio Balé, foi mais azarado que o povo.
    Jânio Balé já não consegue mais nem ouvir falar em Globo. Dizem as más línguas que ele mandou até proibir bingos no município, liberando depois de muita pressão apenas os que utilizassem “pedras” extraídas de sacos ou caixas, mas proibindo terminantemente tudo o que lembra o “Globo”.
    Jânio Balé é celebridade nacional. É o prefeito mais famoso do Estado do Maranhão nos últimos dias. Deu-se mal, pois no mínimo foi omisso ao receber casas destinadas ao povo do seu município em péssimas condições e que agora viraram destaque nacional quando ameaçavam cair em cima dos seus proprietários.
     No entanto, existem mais coisas no ar que os helicópteros, os urubus e os aviões de carreira.
    Jânio Balé, coitado, leva mais azar ainda porque é boi de piranha, está sendo usado para mascarar um fato mais grave ainda, pois o absurdo dessa história toda está sendo desvirtuado pelas casas caindo no Conjunto Monte Cristo. É que, incompetentemente, os governos municipais e estaduais perderam a chance de construir centenas de casas para a população atingida pelas cheias dos últimos anos nas cidades de Pedreiras e Trizidela do Vale.
    Vinte e cinco milhões de reais que foram destinados em convênio para tal fim, dinheiro que poderia tirar centenas de famílias das áreas de risco, além de movimentar todo o comércio e o setor de prestação de serviços das duas cidades, foram perdidos, pois o convênio foi cancelado e a população vai passar mais alguns anos à espera do benefício.
    No Jornal Nacional, Elias Bento, Secretário de Obras de Pedreiras, fez grave revelação: a culpa, segundo ele, seria do Governo do Estado, que não destinou os recursos que completariam o montante destinado às obras em contrapartida.
    A maior parte da mídia foca no problema das casas. Afinal, é chocante saber que não houve preocupação com a qualidade das casas e que as vidas das pessoas foram colocadas em risco. É isso mesmo. Isso é condenável, mas, mais condenável ainda é a perda deste convênio e as declarações de parte da mídia considerando normal o fato das enchentes e do sofrimento dessas pessoas.
    Em Trizidela do Vale começam a se definir aos fatos, o cenário e personagens. Já temos o monte, já sabemos que irão acontecer crucificações, só falta definir os ladrões.
Do blog Maranhão Livre

Na coluna do Ilimar Franco

Irritação
O presidente do Senado, José Sarney, ficou contrariado com o depoimento de Fernando Henrique Cardoso no livro “Sarney: a biografia”, escrito por Regina Echeverria. FH diz que assistiu ao discurso “veemente” de Sarney contra as Diretas Já. “As declarações de Fernando Henrique foram até generosas, mas eu nunca fiz nenhum discurso na tribuna contra as Diretas, embora eu não tenha apoiado a emenda Dante de Oliveira. Foi um lapso de memória”, disse Sarney.

Morros e Pedreiras aderem à Hora do Planeta desligando luzes durante uma hora

Igreja da Matriz, em Pedreiras
As cidades de Pedreiras e Morros são as únicas do Maranhão a partir do movimento Hora do Planeta, quando durante uma hora, entre 20h30 e 21h30, as pessoas desligarão as luzes em favor do debate sobre as mudanças climáticas e aquecimento global. A ideia e da organização não governamental WWF e mobiliza o mundo inteiro desde 2007.No ano passado reuniu 128 países e mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo.
    Em Pedreiras, a organização é dos alunos do 5º período do curso de Geografia da Faculdade de Educação São Francisco (FAESF) e pretende reunir centenas de pessoas na Rio Branco, principal avenida da cidade, que terá suas luzes apagadas no mesmo momento que dezenas de cidades de todo o Brasil, seguindo o horário oficial de Brasília.
    Seis capitais e 15 cidades dos nove estados do Nordeste aderiram ao ato simbólico. Quatro dessas cidades são do Estado do Ceará. A capital Fortaleza há quatro anos participa do Hora do Planeta. No Brasil 60 cidades vão participar, sendo 14 capitais, incluindo Brasília. 
    Os pedreirenses poderão participar, em frente ao Banco do Brasil, de uma programação variada, com direito a fogos de artifício, apresentações artísticas, vídeos e documentário sobre as enchentes que atingem a região e uma palestra sobre o aquecimento global.
   “Nós resolvemos aderir ao movimento por perceber que Pedreiras faz parte do contexto global e também vem sofrendo constantemente com as mudanças climáticas que assolam nosso planeta”, explicou um dos coordenadores do evento em Pedreiras, Valdemar Baima.
    O sargento Granjes, do Tiro de Guerra de Pedreiras, se comprometeu em enviar  40 Homens do Exército Brasileiro para juntamente com a Polícia Militar atuarão na segurança dos manifestantes, espalhados na Praça Cinqüentenário, Avenida Rio Branco e Praça Corrêa de Araújo.
HORA DO PLANETA NO NORDESTE:
Pedreiras, MA
Morros, MA
Alcantaras, CE
Fortaleza, CE
Groaíras, CE
Baturité, CE
Quixadá, CE
Castro Alves, BA
Salvador, BA
João Pessoa, PB
Patos, PB
Apodi, RN
Natal, RN
Aracaju, SE
Arapiraca, AL
Recife, PE
Teresina, PI

Presidente da ALPI cancela apresenta de peça com Marauê Carneiro depois de insulto ao Piauí


Marauê Carneiro

O ator Marauê Carneiro não só levou puxão de orelhas da população do Piauí por ter afirmado no Facebook que Teresina é o c. do mundo.
    Levou também do irmão, o diretor da peça “Fica Frio”, Raoni Carneiro, também se passou para ele com gosto de gás por ter ofendido o público da peça que encenavam.
Não é um chefe de Estado
    "Eu sou apenas um humorista, em ator que chamam para fazer coisas engraçadas”, tentou explicar Raoni Carneiro.
    Querendo deixar claro que seu papel na sociedade não é de um chefe de Estado.
Sem volta
    A produtora da peça “Fica Frio”, Soraya Guimarães, tentou sem sucesso fazer com que o presidente da Assembleia Legislativa em exercício, deputado Fábio Novo, voltasse atrás em sua decisão de suspender a apresentação do espetáculo no Teatro da Assembleia, ontem, hoje e amanhã.
    Mas Fábio Novo, que já foi ator de teatro.
Queixa
    O ex-vereador de Teresina e jornalista Pedro Alcântara chegou a prestar queixa na Delegacia de Polícia Civil contra o paulista Marauê Carneiro porque ele falou que Teresina é o c. do mundo.
    Na internet, os insufladores do ódio, queria jogar ovos não só em Marauê Carneiro, mas também em seus companheiros de elenco, os atores Kayky Brito e Germano Pereira.
Tribal
    Marauê Carneiro conseguiu com uma piada mexer com o sentimento tribal dos piauiense.
A Assembleia Legislativa censurou a apresentação da peça “Fica Frio”, que é de um dos maiores dramaturgos do Brasil, Mário Bortolotto, que tem uma grande influência da cultura pop.
Apoio
    O mais interessante da polêmica é que a peça tinha apoio do jornal “O Dia”, e da rádio Cultura, que é da Prefeitura de Teresina.
Até uma empresa que tinha contrato para os atores Kayky Brito, Germano Pereira e Marauê Carneiro cancelou a gravação do anúncio.
Repercussão
    O presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado Fábio Novo, disse que depois de ter sido veiculada pelo Portal Meio Norte a notícia de que tinha cancelado a pauta das três apresentações da peça “Fica Frio”, o jornal “Folha de S. Paulo”, Rede Globo, site G1 e Rede TV o entrevistando.
Querendo saber a motivação do cancelamento da peça.
Autoestima
    “Isso representa que o piauiense está com a autoestima elevada porque há muitos anos o cantor e humorista Juca Chaves usava a mesma frase utilizada agora por Marauê Carneiro e ninguém reclamava e dizia nada. Chegaram pessoas na Assembleia Legislativa pessoas dizendo que se o espetáculo fosse encenado no Teatro Assembleia iriam jogar ovos e tomates. Como é do patrimônio público, nós não poderíamos deixar que o teatro fosse depredado e destruído”, declarou Fábio Novo.
Do Meio-Norte

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Execução na Cidade Olímpica
O ESTADO DO MARANHÃO - Dilma assegura a Roseana parcerias com o Maranhão
O IMPARCIAL - DEM tenta evitar saída de deputados no Maranhão

NO PAÍS
CORREIO BRASILIENSE:Se você gosta de beber ou viajar ao exterior...
FOLHA DE SÃO PAULO:Contra alta de preços, gasolina terá mais água
O ESTADO DE S. PAULO:Irã desafia a ONU e diz que não aceita investigação
O ESTADO DE MINAS:Álcool encosta no preço da gasolina
O GLOBO:Bradesco cede a governo e aceita tirar Agnelli da Vale
VALOR ECONÔMICO: Novos governadores dão sequência à guerra fiscal
ZERO HORA:O segredo da cidade dos gêmeos
DIÁRIO DO PARÁ:Dia de quebra-quebra e revolta em Curralinho
JORNAL DO COMMERCIO:Imposto maior para compras no exterior
MEIO-NORTE: Reforma dará fim à reeleição e coligação
O POVO: UFC tem 94% das vagas ocupadas por cearenses