24 de fev de 2010

Lobão visita Usina Hidrelétrica de Estreito nesta sexta

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, visita, nesta sexta-feira (26), as obras da Usina Hidrelétrica de Estreito, no estado do Maranhão. Ele desembarca no aeroporto de Imperatriz às 9h30, de onde segue para o município de Estreito, onde visita o canteiro de obras de Estreito, hoje uma das maiores obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

A usina deve entrar em operação comercial ainda este ano, antecipando todo o seu cronograma de obras. A UHE Estreito é um dos maiores projetos de geração de energia elétrica em construção no Brasil, com capacidade para gerar 1.087 megawatts. Está sendo construída pelo Consórcio Estreito Energia (Ceste), formado pelas empresas GDF Suez, Vale, Alcoa e Camargo Corrêa.

Somente durante a fase de implantação do empreendimento estão sendo gerados cerca de 6.500 empregos diretos e 16.500 indiretos, totalizando 23.000 postos de trabalho. Além disso, tem sido priorizada a contratação da mão-de-obra local.

De acordo com o ministro, um total de R$ 92 bilhões de investimentos em grandes obras, como a Usina Hidrelétrica de Estreito e outros empreendimentos nas regiões Norte e Nordeste, até 2013, vão representar aumento de mais de 35% no setor elétrico em relação ao período entre 2005 e 2008. Lobão comemorou essas estimativas porque, segundo ele, mostram o acerto da política adotada pelo governo federal para a área que ele comanda há dois anos.

Nos próximos quatro anos, as usinas de Estreito, no Rio Tocantins, de Jirau e Santo Antonio, no Rio Madeira, vão representar investimentos de aproximadamente R$ 23 bilhões. Lobão já havia anunciado na última segunda-feira (22) projeções do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de que os grandes projetos nas áreas de energia elétrica vão liderar a expansão da infraestrutura do País. De um total de R$ 274 bilhões previstos para investimentos nos próximos quatro anos em energia e telecomunicações, 33,6% virão de projetos de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Bulcão devaneia em números e diz que orçamento também é poesia

O advogado e apresentador de programa na Rádio Capital, César Bello, encetou um bate-boca nesta quarta-feira pela manhã com o secretário de Cultura, Luiz Bulcão. Bello inquiriu o gestor da cultura estadual se o mesmo se considerava sério, ao comprometer mais da metade do orçamento da pasta para promover uma festa com duração de uma semana. A festa referida é o “Carnaval de volta à alegria”, patrocinado pelo governo do estado, com recursos titubeantes.


     Antes de iniciar o embate verbal, Bulcão deitou falação sobre o que cria ser sua prestação de contas do evento bancado pelo erário. Lançando chamas na oposição e no governo de Jackson Lago, deposto no TSE por um processo encabeçado pelo grupo Sarney, faltou pouco para que o auto-intitulado poeta transformasse a coletiva à imprensa em mais um exercício de devaneio contumaz.


     Para Bello, o secretário elucubrava com intenção clara de anuviar os números oficiais do carnaval. Responsável pelo confete publicitário da festa, o secretário Sérgio Macedo explicou que o fato de ter sido divulgado pela própria Secom números superlativos de gastos com a festa tradicional de Momo, justificava-se diante da intenção de divulgar a farra em rede nacional. Macedo afirmou que pouco mais de dez por cento da verba gasta com o carnaval alimentou a publicidade interna.


     Bulcão rotulou Bello de defensor nato do governo passado que fechou praças esportivas e até mesmo a Biblioteca. Seletivo na amnésia, o secretário esqueceu que foi ele quem mandou lacrar a Biblioteca Pública Benedito Leite. Afinal de contas, ninguém nesse estado precisa ler ou pesquisar, já que mais de 90 por cento afirma aprovar a utilização de milhões e milhões com a promoção do carnaval. Ao menos foi isso que aferiu pesquisa da Escutec, instituto comandado pelo ex-radialista Fernando Leite, nome ligado à rádio Timbira ainda no primeiro mandato de Roseana Sarney (1995-98). A mesma Escutec que dava como certa a eleição da filha do senador José Sarney em 2006, quando ela foi derrotada nas urnas pelo pedetista Jackson Lago.

     A certa altura do debate sobre responsabilidade fiscal, Bello lançou o desafio ao travestido secretário: conheces a obra do poeta Nauro Machado? ! Bulcão balbuciou. Bello citou a obra “O Anafilático desespero da esperança ” (Edições Antares), em que Nauro Machado registra:
Os Mandarins
Com o poder do povo não conto,
para traduzi-lo em meu canto,

embora o tenha em fome e carne


Embora o sofra em minha boca,

abrindo igual a qualquer outra,

com sua metáfora e seu sêmen.


O poder do povo tem-no outros,

como o tem do poder de esgotos,

como o tem da aura do Poder.


Rodrigo Comerciário será fiel da balança na decisão sobre alianças no PT estadual

Rodrigo Comerciário (foto) será o fiel da balança no encontro estadual do Partido dos Trabalhadores que decidirá sobre alianças nas eleições de outubro deste ano. Comerciário, ex-candidato a vice-prefeito na chapa do deputado Flávio Dino (PCdoB) na eleição município de 2008 de início era defensor da aliança com os partidos do campo de esquerda.

Aparentemente a matemática petista é cartesiana. Dos 175 delegados, o deputado Domingos Dutra tem 38 delegados; Bira do Pindaré, 29; Augusto Lobato, 14, perfazando um total de 81.  Na tabuada do partido de Lula no Maranhão, a soma se completa com os 80 delegados, divididos entre o deputado Washington Luiz que possui 54; o secretário estadual de Trabalho, José Antônio Heluy detentor de 14 votos dos delegados e Fransuíla, com apenas 9. Eles pregam a aliança com o PMDB de Roseana Sarney (PMDB). Os outros 14 delegados (as) são de Rodrigo Comerciário. Dependerá destes a aliança ou não com o grupo peemedebista orientado pela Família Sarney.

É a segunda vez em que o sindicalista ocupa a posição de minerva. Na primeira, durante o Processo de Eleição Direta, PED, no ano passado, Rodrigo Comerciário manteve uma dubiedade obscura na disputa entre Augusto Lobato e Raimundo Monteiro.

Depois da resolução do 4.º Congresso Nacional do PT que deliberou que a palavra final será dada pelo Diretório Nacional em concordância com as Direções Estaduais; a não priorização da aliança com o PMDB e afirmou a necessidade de fortalecer o bloco da esquerda (PCdoB,PSB e PDT) haja vista que todos são da base apoio do Governo Lula.

Para o petista Silvio Bembem, cumprirá aos petistas maranhenses fazer a parte deles aprovando a tática com PT, PCdoB, PSB, PRB liderado por Flávio Dino - Governador e Bira -Senador no Encontro Estadual do PT/MA.

A primeira reunião do Novo Diretório do PT está marcada para o próximo sábado, 27. Na oportunidade será eleita a Comissão Executiva Estadual e marcada a data do Encontro Estadual, previsto para os dias 20 e 21 de março.

“Estamos trabalhando nesses dias para não deixar serem cooptados por Sarney. Essa deverá ser a nossa principal estratégia, para derrotar a turma da oligarquia dentro do PT/MA. Se ganharmos o Encontro de delegados(as) não terá intervenção com vem pregando a mídia da oligarquia”, conclui Bembem.

Frase do dia

"A política e o crime são a mesma coisa". Dom Tomazino (Vittorio Duse), em "O Poderoso Chefão", filme dirigida por Francis Ford Coppola.

Manchetes de hoje

Aqui- Cohatrac: Celular vale uma vida?
Atos & Fatos - Jovem morre morta a tiros por assaltantes no Cohatrac
Correio de Notícias – Flávio Dino contesta redução da bancada
Gazeta da Ilha – Morte no Cohatrac: Latrocínio ou crime passional?
Jornal Extra –Bicho soltou!!!: Louro Bill em liberdade
Jornal A Tarde – Mineradora vai investir R$ 280 milhões no Maranhão
Jornal Pequeno – Deu na Folha: Zé Dirceu é acusado de receber propina de telebras
O Estado do Maranhão – Mineradora investirá em extração de ouro no MA
O Debate - Mineradora Jaguar vai investir R$ 280 milhões no Maranhão
O Imparcial – A morte... sem compaixão

Flávio Dino pede rejeição de minuta sobre recomposição do legislativo

O deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA) entrou com uma petição no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por meio da qual pede que seja rejeitada a minuta de resolução que trata da redefinição do número de deputados da Câmara dos Deputados, das Assembleias Legislativas e da Câmara Legislativa do Distrito Federal.
Para o deputado, aplicar esta regra para as eleições 2010 seria uma medida “inconstitucional, geradora de insegurança jurídica e inconveniente”. Isso porque o artigo 16 da Constituição Federal estabelece que a lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência. Em sua opinião, o dispositivo se aplica não só às leis em sentido restrito, mas também às resoluções do TSE.
Além disso, o deputado destaca que a lei que permite ao TSE enunciar o número de vagas a serem disputadas nas eleições (Lei Complementar 78/93) determina que a quantidade de cargos será sempre estabelecida de acordo com atualização estatística demográfica dos estados, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano anterior às eleições.
“No caso, não se evidencia que tais providências tenham sido adotadas no ano de 2009, como seria imperativo para cumprir-se os comandos constitucionais acima transcritos”, argumenta.
Flávio Dino afirma que a resolução se baseou em estimativas populacionais produzidas pelo IBGE em 2009 com a finalidade de se calcular as cotas do Fundo de Participação dos Estados e Municípios, entretanto, “tais dados são insuficientes para se estabelecer, com a segurança necessária, o número de membros da Câmara dos Deputados e do Poder Legislativo estadual”. Ele defende que essas estatísticas são produzidas de acordo com métodos próprios, com a finalidade única e específica de se calcular as cotas do FPM.
Destaca, por fim, que em 2010 haverá o censo demográfico que, “ao contrário das mencionadas estimativas populacionais, é instrumento apto a guarnecer o Congresso Nacional e o TSE das estatísticas necessárias para estabelecer o número de representantes de cada unidade da federação, seja no âmbito federal, estadual ou distrital".
Pede, portanto, que o TSE rejeite a minuta e que a recomposição seja reexaminada após concluído e divulgado o resultado do Censo 2010.
Reunião com o presidente
O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ayres Britto, recebeu no início da noite de hoje o deputado Flávio Dino e outros parlamentares que representam os oito estados que perdem cadeiras nas casas legislativas com a redefinição do número de deputados no país.
O deputado Flávio Dino argumentou que a revisão neste momento vai causar instabilidade política, por causa da proximidade das convenções partidárias, e acrescentou que os líderes de todos os partidos políticos estão solidários e não querem que essa alteração ocorra agora.
O presidente Ayres Britto informou que o ministro Arnaldo Versiani vai colher amanhã, em audiência pública, todas as contribuições para a proposta de resolução que será levada para a apreciação do Plenário do tribunal.
“Somos todos sensíveis a esse tipo de postulação. E isso é muito sério mesmo”, disse o presidente.
O ministro Arnaldo Versiani, também presente à reunião, destacou que a alteração se baseia em dados oficiais do IBGE relativos ao censo de 2000 com atualização estatística de 2009.
Assessoria de Comunicação do TSE
23/02/2010