16 de ago de 2010

Radar On-Line de VEJA: Governo contra Roseana

     Flávio Dino já definiu que, para combater Rosena Sarney, usará os dados estatísticos sobre o Maranhão produzidos por órgãos do governo Lula – que apoia Roseana.
     As estatísticas sociais, educacionais e de saúde produzidas pelo Ipea e pelos ministérios – sempre mostrando o estado nas últimas posições de desenvolvimento em todos os setores após 45 anos de controle do clã Sarney – permearão toda a campanha de televisão do comunista.
Por Lauro Jardim

Ex-diretora do UBS se recusa a falar sobre Roseana Sarney

Jamil Chade, de O Estado de S.Paulo
GENEBRA, Suiça - Assustada e visivelmente irritada com as perguntas, a ex-diretora do UBS em Zurique, Esther Kanzig, se recusou a dizer ao Estado se conhecia a governadora Roseana Sarney. Mas deu claras indicações que sabia sobre as informações reveladas pela reportagem do Estado no fim de semana. "Não vou falar nada sobre esse assunto e nem se eu a conheci", disse Esther, em declarações à reportagem do Estado. "Não tenho nada a dizer", repetiu, nervosa.
     Nos últimos anos, o UBS esteve envolvido em polêmicas e processos judiciais por ter ajudado clientes a driblar o fisco de seus países e lavar dinheiro na Suíça. Nos Estados Unidos, o banco foi condenado e teve de pagar uma multa milionária às autoridades americanas em 2009 por suas atividades consideradas como ilegais de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Um de seus banqueiros acabou preso nos Estados Unidos e as relações entre a administração de Barack Obama e as suíças chegaram a se estremecer.
     No fim de semana, o Estado publicou troca de e-mails em que se comunica um pagamento efetuado no exterior logo após a liberação dos recursos à família Sarney no Brasil. O email cita uma mulher de nome Esther, do banco suíço UBS. Trata-se de Esther Kanzig, diretora do banco suíço UBS em Zurique naquela ocasião.
     Esther se aposentou do UBS há um ano, deixando em seu lugar um funcionário que passou a atender clientes brasileiro com um português impecável. O banco tem ampliado sua atuação sobre o mercado brasileiros nos últimos anos, em busca exatamente de grande fortunas do País. Neste ano, gastou mais de U$ 100 milhões para ter uma base de operações no Brasil.
     A reportagem conseguiu o telefone residencial da ex-diretora, que continua vivendo em Zurique. Mas ela se recusou a seguir a conversa telefônica com a reportagem depois de saber do que se tratava, alegando que não tinha "nada a declarar sobre essa história". "Acho que não vou falar sobre esse tema", insistiu. "Estou muito ocupada", disse. Questionada se poderia atender a reportagem algumas horas depois ou uns dias depois, Esther apenas retrucou: "vou continuar estando ocupada".
     A assessoria de imprensa do banco suíço também indicou que não teria comentários a fazer sobre os documentos publicados no Estado citando o nome de uma ex - diretora. "Não temos nada a declarar", afirmou a assessoria de imprensa do UBS.
Da Agência Estado

Propaganda eleitoral começa amanhã com presidenciáveis

     A propaganda eleitoral gratuita para a divulgação das propostas dos mais de 20 mil candidatos às eleições de 3 de outubro começa a ser veiculada no rádio e na televisão amanhã,  terça-feira (17), e vai ao ar até 30 de setembro. Serão veiculados dois blocos de 50 minutos, de segunda a sábado, sempre às 7h e 12h no rádio e às 13h e 20h30 na televisão, considerado o horário de Brasília.
     Além dos programas em bloco, serão veiculados 30 minutos diários - seis para cada cargo - em forma de inserções de até 60 segundos, ao longo da programação das emissoras, entre 8h e 24h, inclusive aos domingos. De acordo com a legislação, é proibida a divulgação de propaganda paga nas emissoras de rádio e TV. A propaganda dos candidatos nesses veículos restringem-se ao horário eleitoral gratuito.
Cargos
     Às segundas, quartas e sextas-feiras será veiculada a propaganda dos candidatos a governador (18 minutos), seguida dos programas de deputado estadual/distrital (17 minutos) e senador (15 minutos).
  Já  às terças, quintas e sábados será transmitida a propaganda de candidatos à Presidência da República (25 minutos) e, logo depois, a de deputado federal (25 minutos).
Do TSE

Corrente quer tirar Stallone do ramo

     Uma corrente contra o ator Sylvester Stallone e seu filme "Os Mercenários" circula na internet.  O start da corrente foi as piadinhas feita pelo ator norte-americano sobre o filme rodado no Rio de Janeiro.
     Durante a feira Comic-Con 2010, em San Diego, Stallone teria dado depoimento sobre as filmagens no Brasil. "Pudemos matar pessoas, explodir tudo, e eles (os brasileiros) ainda diziam obrigado", disse o ator, afirmando que os produtores tiveram aqui liberdade para gravar sequências mais agressivas, usar armas mais perigosas e até destruir propriedades. Stallone debochou ainda mais dizendo que os brasileiros agradeciam, oferecendo um macaco para eles levarem para casa.
     O lançamento do filme aconteceu na sexta-feira,13, passada. A idéia da corrente era provocar "bilheteria zero", nesse dia, no Brasil. O que não aconteceu. No entanto, a corrente segue em todo país.

Roseana Sarney mistura agendas de governadora e candidata na caça aos votos

     A governadora Roseana Sarney (PMDB) confunde agendas premeditadamente em busca de votos. Na semana passada com intenção de afastar suspeitas do uso da máquina administrativa em prol de sua reeleição ao mesmo cargo, a governadora informou através de sua assessoria (de governo-SECOM), aos veículos de comunicação de circulação nacional, que de segunda a quarta-feira cumpria agenda de chefe do Executivo estadual. No restante da semana se dedicava à campanha em busca do quarto mandato.
     Na agenda distribuída pela assessoria de campanha nesta segunda-feira, a candidata do PMDB,  Roseana (sem o Sarney - como manda o marketing eleitoral), informa  que tem encontro com atletas que participam dos JEMs 2010, no Estádio Castelão (Vila Palmeira).
     A mesma agenda é distribuida pela Secretaria de Comunicação Social - SECOM, como sugestão de pauta. O que as diferenciam é que a da Secom chama atenção para o cancelamento da visita de vistoria que a governadora Roseana Sarney realizaria, nesta segunda-feira (16), às 10h, a UPA Itaqui-Bacanga.
     Se ela vai com duas roupas não se sabe. Talvez duble a dupla de irmãs Ruth e Raquel em mais um remaker da novela global "Mulheres de Areia", na qual Glória Pires interpretava a dupla de manas boa e maléfica, concomitantemente. Tudo conforme o script do marketing eleitoral.

Fernando Sarney, Edinho Lobão e Pedro Fernandes foram beneficiados na farra de concessões de rádio

     Os filhos dos senadores José Sarney (PMDB-AP) e Edison Lobão (PMDB-MA), Fernando Lobão e Edison Lobão Filho, respectivamente, foram alguns dos beneficiados pelos decretos de renovação ou autorização de funcionamento de emissoras de rádio no país em 2010.
     Fernando Sarney é dono das rádios Mirante AM e Mirante FM - em São Luís-, pertencentes ao Sistema Mirante de Comunicação que a família detém no estado. O empresário das comunicações e de um leque enorme de negócios comanda ainda outras emissoras de rádio e TV no Maranhão. O filho do senador Sarney é indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, desvio de dinheiro público no setor elétrico, onde mantém amigos em cargos de direção, entre outros crimes.
      Edison Lobão Filho, conhecido como Edinho, controla através de auxiliares diretos e da mulher, Paula Lobão, a Difusora AM, alugada para a Igreja Universal do Reino de Deus, IURD. Antes de assumir a vaga do pai, deslocado por Lula para o Ministério das Minas e Energia, emergiu contra o suplente de senador denúncias sobre a utilização de uma empregada doméstica como laranja em negócios de uma distribuidora da Schincariol.
     Segundo levantamento realizado pela Folha de S. Paulo, publicado em reportagem da edição desta segunda do jornal, antes de deixar o governo para ser candidato ao governo de Minas Gerais, o ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB), beneficiou os filhos dos senadores e alguns deputados estaduais.
     Entre os beneficiados da Câmara está o deputado federal Pedro Fernandes (PTB-MA), irmão do deputado estadual Manoel Ribeiro, dono da TV Maranhense (Canal 12 - Band) e de uma penca de rádios no interior do estado. Dentre elas a Rádio Maracu, de Viana.
     Dos 143 decretos de renovação e concessão assinados este ano, a maioria teve como destinatários políticos aliados do governo Lula. Desde 26 de junho deste ano a Presidência da República e o Ministério das Comunicações, em conjunto, publicaram 74 decretos, renovando ou concedendo novas autorizações para funcionamento de emissoras de rádios no país.

Manchetes dos jornais

AQUI-MA- Virou cinzas
O ESTADO DO MARANHÃO - PMDB lidera a corrida ao Senado