7 de mar de 2010

José Reinaldo confirma candidatura de Alessandra nas eleições deste ano

     Em entrevista ao jornalista Egídio Pacheco,da Tribuna do Nordeste na edição deste domingo, o ex-governador do Estado, José Reinaldo Tavares (PSB), confirma  a participação da ex-Primeira Dama, Alexandra Tavares (foto) nas eleições deste ano como candidata. Não revela a qual cargo.

     "Ela me comunicou. Ela disse-me que seria candidada. Quem manda é ela. Mas se a Roseana não gosta, eu acho que é bom para nós. Muita gente a incentivou para que ela fosse candidata e acho que ela pode ter uma grande votação. É uma questão de opinião política, porque ela não vai contar com prefeitos e com estrutura partidária, mas ela tem uma forte penetração na sociedade e no voto de opinião", declara o ex-governador e ex-marido de Alexandra. Ela deve concorrer pelo PSB.

     José Reinaldo Tavares está confiante na segunda vitória das oposições sobre a filha do senador José Sarney (PMDB-AP). Líder da Frente de Libertação do Maranhão no processo eleitoral de 2006, José Reinaldo Tavares se apega aos números para apontar desvantagens de Roseana nas eleições de outubro deste ano.

     "Acho que a Roseana tem um pavor dela. Ele sempre temeua a Alexanfra, de forma que é bom para nós. Tudo que não for bom para eles, é bom para nós", prescreve.

     Tavares acha que pelo menos dois nomes devem concorrer ao governo do estado pela oposição: Jackson Lago e Flávio Dino.

     Para o ex-governador o Sarney "está na fase de decadência política" e "só não foi cassado porque o Lula intercedeu politicamente para evitar".

     José Reinaldo critica a gastança de Roseana no carnaval deste ano: "uma campanha política com recursos públicos antecipada",define. Diz ainda que o secretário Luiz Bulcão foi blindado e não deveria ter sido dispensado de prestar esclarecimentos sobre os gastos com a festa nababesca de Momo na Assembleia Legislativa. "Não deixaram, e isso já é um fato negativo para o governo, que esconde o secretário para não prestar contas, que é uma obrigação dele. Prestação de contas feita dentro do Palácio, não vale", conclui.

Lá vai o trem...e lá se foi o trilho da Estrada da Vitória na foto de Mobi


Registro da Estrada da Vitória,trecho da ferrovia São Luís-Teresina, feito pelo fotógrafo Mobi (já falecido) que fez parte de documentário realizado pela professora Nerine Lobão na década de 70. O filme feito em Super-8 está sendo recuperado pelo cineasta Murilo Santos e pertecente ao acervo do Departamento de Assuntos cultural da Universidade Federal do Maranhão.

     Ao fotógrafo Mobi é dedicado o filme "Em busca da imagem perdida", dirigido pelo cineastas maranhense Beto Matuck e paulista Joel Yamagi. "Em busca..." conta ainda com participação dos jornalistas Cláudio Farias, José Reinaldo Martins e Paulo Melo Souza. 

     Da Estação João Pessoa, à beira do Rio Anil em São Luís do Maranhão, até a Estação de Teresina no Piauí, a distância percorrida pela locomotiva era de 452 quilômetros.
O trem corria comendo lenha, soltando brasa, e, geralmente atrasava. João do Vale em parceria com Helena Gonzaga eternizou a viagem ainda registrada pelo poeta Ferreira Gullar em "`Poema Sujo":

"Saimos de casa às quatro
com luzes da rua acesas

meu pai levava a maleta
eu levava a sacola

Rumamos por Afogados
outras ladeiras e ruas.

O que para ele era rotina
pra mim era aventura.

Quando chegamos à gare
o trem realmente estava
ali parado esperando
muito comprido e chiava

entramos no carro os dois
eu entre alegre e assustado..."

Poesia de Fogo

* de Roberto Kenard


Nesta manhã
onde uma aranha tece
seu abandono. Onde
as nuvens são lentas
pela certeza de passar.
Descubro (calmu e lúcido)
o fogo de que me calço
me alimento e me faz
sorrer para outras pessoas:
pois que o inferno (para quem não sabe)
eu o tenho nos meus atos.

E o céu?E o céu.
Só que esse reside
por dentro e queima (não como fogo: como água quente)
numa clandestinidade incompreensível.

O inferno é fogo.
O céu: água
caso não me queime
morrerei afogado.

*Do livro "No meio da vida", poemas Edições Func/Sioge, de 1980

Folha de S. Paulo: Governo descobre conta de filho de Sarney no exterior

LEONARDO SOUZA
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA


     O governo brasileiro obteve documentos que comprovam que o filho do presidente do Senado, José Sarney, movimentou dinheiro no exterior sem declará-lo  à Receita Federal.

     Autoridades da China informaram ao Ministério da Justiça que o empresário Fernando Sarney opera pessoalmente uma conta num paraíso fiscal, em nome de uma empresa "offshore" com sede no Caribe.

     No começo de 2008, Fernando usou esse canal financeiro para transferir US$ 1 milhão para uma agência do banco HSBC em Qingdao, na China. A autorização da transação contém a assinatura dele.

     Recursos no exterior não informados ao fisco podem ser fruto de sonegação de tributos, evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Empresas da família Sarney, que vão de emissoras de rádio e TV a shopping center, são investigadas pela Receita e pela Polícia Federal sob acusação desses crimes.

     A operação policial, que levava o nome de Boi Barrica e depois foi rebatizada de Faktor, já indiciou Fernando Sarney sob acusação de formação de quadrilha, gestão de instituição financeira irregular, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Ele nega as irregularidades.

     A remessa para a China é alvo da Faktor. Em 2009, Fernando negou a movimentação em entrevista à Folha. Laudo enviado pelo governo chinês para o Departamento de Recuperação de Ativos do Ministério da Justiça contradiz a versão do empresário.

     A partir de autorização assinada por Fernando, autoridades chinesas rastrearam a origem do dinheiro e confirmaram que os recursos foram creditados na conta da Prestige Cycle Parts & Accessories Limited (pelo nome, uma empresa de acessórios de bicicleta), conforme ordem bancária.

     Os investigadores brasileiros ainda não sabem qual a finalidade desse depósito. Acordos multilaterais permitem ao governo solicitar bloqueio e a repatriação de recursos enviados ilegalmente para fora do país.

     Procurado pela reportagem, Fernando disse que não se pronunciaria sobre o assunto por orientação de seus advogados, alegando que o inquérito policial está sob segredo de Justiça.

     Conforme a Folha publicou em 2009, as empresas da família Sarney passam por uma devassa feita pela Receita, iniciada a partir do trabalho da PF. Os auditores detectaram indícios de crimes contra a ordem tributária, como remessa ilegal de recursos para o extri or, falsificação de contratos de câmbio e lavagem de dinheiro.

     Segundo a reportagem apurou, não há nas declarações à Receita das pessoas físicas e jurídicas ligadas à família a menção a nenhuma conta corrente em paraíso fiscal no Caribe.

     Durante a Faktor, a PF interceptou com autorização judicial e-mails de Fernando, seus familiares e amigos. Em várias dessas mensagens havia referências ao envio de US$ 1 milhão para a China. Foi numa delas, entre Ana Clara e Teresa Sarney, filha e mulher de Fernando, que a PF capturou a autorização assinada por ele.

     Os policiais levantaram também indícios de que Fernando contava com a ajuda do empresário Gianfranco Perasso (chamado por ele de "China" ou "Chinaboy") para operar contas no exterior em seu nome.

     Perasso é apontado pela Polícia Federal como integrante do esquema comandado por Fernando que teria desviado dinheiro de obras e projetos do governo federal.


Outro lado

Empresário vê vazamento de dados "criminoso"
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

     O empresário Fernando Sarney disse à Folha, por e-mail, que a imprensa trata de suas movimentações financeiras de forma "truncada e dissociada da realidade" e que ele é alvo de "vazamento criminoso" de informações sob segredo de Justiça.

     "Por essa razão, seguindo orientação dos meus advogados, e até mesmo em respeito ao sigilo estabelecido pela própria Justiça, não me pronunciarei a respeito", disse.

     Fernando respondeu por ele, por sua mulher, Teresa Sarney, e por sua filha, Ana Clara. As duas também são citadas pela PF no inquérito da Operação Faktor, por participação nas transações financeiras da família.

     Procurada pela reportagem, a assessoria do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse que o assunto não lhe diz respeito e que por isso ele não se manifestaria. Acrescentou que seu filho Fernando é quem tem autoridade para falar sobre o tema.

     A reportagem não conseguiu localizar o empresário Gianfranco Perasso.



Manchetes dos jornais

CORREIO DE NOTÍCIAS - João Alberto prestigia novo empreendimento

DIÁRIO DA MANHÃ -"È preciso tirar o MA do atraso", diz Flávio Dino

GAZETA DA ILHA – Corretores na mira do crime

ITAQU-BACANGA - Seis bandidos mortos e três presos em confronto com a polícia em Santa Luzia

JORNAL EXTRA –Motorista é executado a bala

JORNAL PEQUENO - MPF descobre "caixa-preta" que abasteceu campanha de Lula
O ESTADO DO MARANHÃO – Investigação aponta desvio de R$ 720 mi no governo Jackson

O IMPARCIAL – Mulheres de Atenas (Brasileira)

TRIBUNA DO NORDESTE - Oposição marcha unida para ganhar as eleições