10 de nov de 2010

Quarta edição da Feira do Livro de São Luís abre na sexta

    A 4ª edição da Feira do Livro de São Luís abre as portas para o público nesta sexta-feira (12). Promovida pela Prefeitura, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func) e co-realização do Serviço Social do Comércio (Sesc), o evento tem como patrono o jornalista, escritor e cineasta ludovicense José Louzeiro, que também é o autor do tema da Feira: “O Livro é guia e instrumento da sabedoria”. A cerimônia de abertura acontece, na Praça Maria Aragão, às 19h. Veja mais no link IV FEIRA DO LIVRO DE SÃO LUÍS neste blog.

CCJ aprova projeto que flexibiliza horário da "Voz do Brasil"

    A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou nessa quarta-feira (10) um projeto que tem o objetivo de flexibilizar o horário de transmissão da “Voz do Brasil” pelas emissoras de rádio.
    Caso o projeto seja aprovado pelo plenário da Casa, pela Comissão de Educação do Senado e pela Câmara, as emissoras de rádio públicas e privadas poderão transmitir o programa entre as 19h e as 23h. Somente as emissoras educativas seriam obrigadas a transmitir o programa no horário atual.
    A legislação vigente determina o horário obrigatório da “Voz do Brasil”, das 19h às 20h. Mesmo assim, algumas rádios já conseguiram liminares na Justiça autorizando a mudança do horário de transmissão do programa. A “Voz do Brasil” foi criada durante a ditadura militar.

Lambe-lambe: Flagrante na 29ª Bienal de São Paulo

Orçamento da Prefeitura de São Luís para 2011 é de R$ 2,5 bilhões

    O prefeito João Castelo (PSDB) calculou em R$ 2.216.575.923,00 o orçamento para gastar em 2011 na capital. A mensagem do Executivo Municipal foi encaminhada esta semana à Câmara de São Luís.
    O orçamento foi fatiado da seguinte forma: Saúde ficará com R$553.772.865,00; Educação R$ 382.487.387,00;Saneamento BásicoR$ 198.321.075,00; Administração R$ 261.894.738,00;Transporte R$170.235.139,00: e Desportos e Lazer R$ 11.181.494,00. 
    A Mesa Diretora do Legislativo Municipal tem até o dia 15 de dezembro para colocar oa mensagem para apreciação dos vereadores.
Com informações do Jornal Extra

Em São Paulo: Menino com fimose tem prontuário trocado e é operado na boca

    Um menino de dois anos com diagnóstico de fimose foi submetido a uma cirurgia indevida na boca na última sexta-feira no Hospital Municipal M'Boi Mirim, na zona sul de São Paulo. O erro, confirmado pelo hospital, ocorreu devido à troca do prontuário médico do paciente. A equipe médica ainda iniciou um procedimento para operar uma hérnia umbilical, mas não o concluíram, já que a criança não tinha o problema. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
    Segundo o pai do menino, Carlos Eduardo da Silva, o paciente estava com outras duas crianças na sala para fazer a cirurgia. "Uma delas faria a operação de fimose, na boca e no umbigo", disse. Segundo a polícia, o responsável por trocar o prontuário foi o próprio menino que seria submetido a três intervenções cirúrgicas.
    Com isso, o filho de Carlos Eduardo teve o freio debaixo da língua e o frênulo labial (ligação entre o lábio e a gengiva) retirados. Segundo a mãe da criança, Eliane Amélia de Sousa Silva, ela percebeu o erro ao ver o filho deixar a sala de cirurgia com a boca inchada. Ela reclama que o médico que fez a cirurgia da criança não atendeu a família para explicar o que havia ocorrido. Carlos Eduardo ainda afirmou ter medo de que seu filho tenha alguma sequela na fala após as cirurgias. De acordo com especialistas, entretanto, a operação não deve causar nenhum problema.
Do Terra

Rebeliões em cadeias superlotadas deixam 18 mortos no Maranhão

Wilson Lima
 

Resgate. O monitor Raimundo de Jesus Coelho, baleado por presos, é levado para hospital
     A maior rebelião já ocorrida no superlotado Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís (MA), terminou ontem à tarde, com 18 mortos. Foram 30 horas de tensão e de horror, em um motim "sem motivos", segundo o Estado.Dos mortos, 15 cumpriam pena no Presídio São Luís e 3, na Penitenciária de Pedrinhas.
    O secretário de Segurança do Maranhão, Aluísio Mendes, classificou o motim de "barbárie dentro do presídio". Segundo ele, não houve motivos para que os detentos promovessem a rebelião. Tudo era pretexto para execuções. "Foi uma situação estranha. Nenhuma reivindicação ocorreu antes com relação a maus-tratos, deficiência na alimentação, nada. Foi uma rebelião que começou simplesmente para cometer uma série de crimes", ressaltou.
    O complexo de Pedrinhas, em São Luís, é a principal penitenciária do Estado do Maranhão e abriga 4 mil presos, quando ali deveriam estar apenas 2 mil, conforme dados fornecidos pelo próprio governo do Estado. Há projetos para mais quatro cadeias, aguardando aprovação federal.
    Iniciada na manhã de segunda-feira, a rebelião no Presídio São Luís foi encerrada às 13h15 de ontem, depois que cinco reféns que estavam em posse dos presos foram libertados. A liberação só aconteceu após a intervenção de representantes do Ministério da Justiça e do pastor Marcos Pereira, da Igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias, do Rio, conhecido nacionalmente por libertar traficantes jurados de morte. Um culto evangélico encerrou oficialmente a manifestação.
Início. A rebelião começou depois que o monitor Raimundo de Jesus Coelho, o Dico, entrou no Anexo 3 para autorizar o banho de sol dos detentos. Nesse momento, os presos o dominaram, tomaram a arma e iniciaram o motim. Coelho foi baleado duas vezes e, socorrido por colegas, segue internado em um hospital de São Luís - ele não corre risco de morte.
    Na segunda-feira, houve nove mortes. Três vítimas tiveram as cabeças decapitadas. Os demais também tiveram membros decepados. Ontem pela manhã, foram confirmadas mais seis mortes dentro do São Luís. A negociação ocorreu sempre sob clima tenso.
    Já cansados, os detentos xingavam os negociadores e diziam querer matar mais companheiros de cela. "Só pensavam em matar. Nós que impedimos", descreveu o pastor Marcos Pereira. Havia informações, não confirmadas, de que os líderes também ouviam notícias no rádio sobre o horror na penitenciária e gostaram do clima de tensão que havia sido criado.
Reação em cadeia. O motim ainda causou uma reação em cadeia no complexo penitenciário. Na matriz, a Penitenciária de Pedrinhas, iniciou-se nova rebelião ontem - colchões foram queimados, celas quebradas e policiais tiveram de intervir com tiros e bombas de efeito moral.
    Em Pedrinhas, onde houve três mortes, o motim também não tem motivação clara. Sabe-se que, na segunda-feira, um detento identificado como Gaguinho foi morto e isso teria sido o estopim para uma briga entre os detentos especiais e os de uma ala chamada de "fundão".
    Ao contrário da rebelião no Presídio São Luís, a polícia interveio rapidamente na matriz e a Tropa de Choque conseguiu controlar os detentos por volta das 11h30. Em Pedrinhas não foram feitos reféns.
AS ÚLTIMAS REBELIÕES VIOLENTAS
Abr. de 2004
Motim em Porto Velho mata 15
Mai. de 2004
31 morrem em Benfica, no Rio
Jun. de 2005
Cinco são degolados em Pres. Venceslau
Mai. de 2006
Rebeliões em todo o Estado de São Paulo deixam 15 mortos
De O Estado de S. Paulo

Estado tem quase o dobro de presos em relação ao número de vagas em presídios

    O estado do Maranhão ocupa a sexta posição com o maior percentual de defasagem no número de vagas. O percentual de presos a mais que as vagas no sistema penintenciário é de 96, 74%, segundo o Ministério da Justiça. Isso quer dizer que o estado tem quase duas vezes o número de presos que a capacidade de abrigo em presídios.
     De acordo com dados do Ministério da Justiça no estado existem 5. 798 presos quando o número de vagas oferecidas são apenas 2.947.
    Mesmo assim o secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, nega que exista superpopulação no Complexo Penintenciário de Pedrinhas. Daí acreditar que a rebelião que resultou em 18 mortes de detentos foi articulada do lado de fora dos muros dos presídios. Mendes assinalou em entrevista à TV Mirante que uma das soluções apontadas seria a regionalização dos sistema, impedindo a concentração na capital, como acontece atualmente.

Maranhão perde verba federal para presídio

Silvia Freire
O governo do estado do Maranhão devoilveu para o Ministério da Justiça R$ 4,1 milhões disponível desde 2004 para construção de um presídio de 168 vagas em Pinheiro (a 340 quilômetros de São Luís).
    A demora do governo estadual em iniciar a obra fez com que o Depen (Departamento Penintenciário Nacional), órgão do Ministério da Justiça pedisse a devolução do dinheiro.
    O contrato de repasse dos recursos terminou no final de agosto e não foi prorrogado pelo grupo de trabalho criado para acompanhar a construção de presídios com recursos do governo federal.
    A Secretaria da Segurança Pública do Maranhão disse que enfrentou resistência da população de Pinheiro para a instalação da unidade e que o dinheiro voltará na execução de outros projetos.
    De acordo com o Depen desde 2004 foram firmados outros três contratos de repasse com o Estado do Maranhão que totalizam R$ 21,6 milhões.
    O Estado alega que desde abril de 2009 foram criadas 412 vagas e inicou a construção do Presídio de Imperartrz, com 210 novas vagas.
Da Folha de S. Paulo

Léo Magalhães grava DVD em Goiània

Vítimas do massacre no Compexo de Pedrinhas

Presídio São Luís
Eromar de Sousaa Ferreira
José Ricardo Vieira Pereira
Cleiton Costa Soares (Quequé)
José Ribamar dos Anjos Filho (Dragão)
Milson Silva Carvalho  (Spike)
José Antonio Ribeiro (Bigode)
Reris Angelo Santos Silva (Panzo)
José Francisco de Sousa (Chiquinho)
Izaquel Barbosa de Miranda

Presídio de Pedrinhas
Enedes de Jesus Santos (Gaguinho)
Romuel Antonio Sousa Santos (Bruce Lee)
Francisco Wellington Pinto da Silva (Cagão)

Cai parte do teto do fórum em Montes Altos

    Parte do teto do prédio onde funciona o Fórum Des. Mário Barros Ferraz, em Montes Altos, a 699 quilômetros de São Luis, desabou na terça-feira,9. Antes as salas da Forum foram inundadas pelas águas da chuva que cai na região. Com o desabamento a secretaria judicial teve os serviços suspensos.
    Vários processos ficaram completamente molhados, embora estivessem preventivamente protegidos por sacos plásticos. Segundo o secretário judicial Pedro Michel, não houve prejuízo nos processos.
    O fato foi comunicado por telefone à juíza titular da comarca, Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis. Ela estava em Sítio Novo, termo judiciário, realizando audiências.
    Os processos foram transferidos da secretaria judicial do Forum para o gabinete da juíza. Os processos conclusos que estavam no gabinete foram para o salão do Júri Popular.
    Segundo informações da secretaria existe um processo de licitação para a reforma do prédio em fase de conclusão no Tribunal de Justiça do Maranhão à espera da assinatura da ordem de serviço pela empresa vencedora.
Com informações da Assessoria da Corregedoria Geral de Justiça

No Painel da Folha de S. Paulo

Na prancheta do PMDB
Na esteira da tesa, defendida por Michel Temer, de que cada partido da coalizão dilmista mantenha sua quota atual na Esplanada, o PMDB passou a trabalhar com um desenho no auql o ex-governador do Rio Moreira Franco, antes trabalhado como possibilidade para Cidade, tornou-se opção para Comunicações.
No plano pemedebista, Wagfner Rossi (SP) seguiria na Agricultyura, Edison Lobão (MA) retornaria a Minas e Energia e Eunício  OLiveira (CE) iria para a Integração Nacional, com Eduardo Braga (AM) como alternativa. Por fim, o governador Sérgio Cabral indicaria o ministro da Saúde. Falta só combinar com Dilma Rousseff.

Roseana Sarney trabalha para emplacar Lobão no MInistério das Minas e Energia

    Os seis governadores aliados da presidente eleita Dilma Rousseff que saíram fortalecidos das urnas já têm uma lista de nomes para engrossar o balcão de apostas para o Executivo de 2011.
    Eduardo Campos (PSB-PE), Cid Gomes (PSB-CE), Jaques Wagner (PT-BA), Sérgio Cabral (PMDB-RJ) e Roseana Sarney (PMDB-MA) terão influência na formação do governo da petista.
    Soma-se a esse grupo Tarso Genro, que levou o PT pela segunda vez ao governo do Rio Grande do Sul.
    O poder de cada Estado na repartição das vagas no governo Dilma está associado, principalmente, ao resultado da petista nas eleições locais.
    A presidente eleita também deve fazer um corte regional para ocupação de espaços nas pastas, além dos cortes partidário e de gênero.
    A petista começará a discutir diretamente os indicados à sua equipe a partir da próxima segunda, quando volta da Coreia do Sul, onde participa da reunião do G20.
    Como base inicial das conversas, receberá o relato do presidente nacional do PT, José  Eduardo Dutra, que nesta semana conversará com os 12 partidos aliados.
    Apesar da pressão, o ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) disse que nenhum atual ministro ou partido político é "dono" de sua pasta.
    "O baralho mudou de mãos. Acabou a rodada, agora o baralho está na mão da presidente eleita."
NOMES
    Sérgio Cabral, do Rio, trabalha por seu secretário Sérgio Côrtes para o Ministério da Saúde e pelo seu vice, Luiz Fernando Pezão, para o Ministério das Cidades.
    No Nordeste, Dilma obteve suas quatro maiores votações proporcionais nos Estados de Roseana, Cid, Campos e Wagner.
    O governador de Pernambuco, que é presidente do PSB, pretende reaver o Ministério da Integração Nacional.
    Wagner, amigo de Dilma, trabalha por José Sérgio Gabrielli, também para a Integração Nacional. Presidente da Petrobras, Gabrielli é cotado por Wagner para ser seu sucessor na Bahia.
    Aliados do clã Sarney deverão pressionar pelo nome do senador Edison Lobão para a pasta de Minas e Energia.
    No Rio Grande do Sul, Genro já ventilou os nomes do ex-governador Olívio Dutra (PT) e do deputado Beto Albuquerque (PSB-RS).
Da Folhaonline

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Mortim: Fim da carnificina
ATOS & FATOS - Rebelião acaba com 18 mortos e ameaça de "outro" motim
CORREIO DE NOTÍCIAS - Massacre entre presos termina com 18 mortos
JORNAL A TARDE - Sexta básica tem acréscimo de 3,1% em outubro
JORNAL EXTRA -Sndicalista avisa: Cabeças podem rolar novamente
JORNAL PEQUENO - Termina com 18 mortos a maior rebelião de presos do Maranhão
O DEBATE - Justiça proíbe a divulgação do gabarito do Enem 2010
O ESTADO DO MARANHÃO -Rebelião em Pedrinhas termina com 18 mortos
O IMPARCIAL - Nunca antes na história deste estado: Rebelião termina com 18 mortos, três decapitados