11 de jul de 2011

Dutra defende professor Wagner Cabral de ataques do senador José Sarney

    O professor e pesquisador Wagner Cabral (foto), da Universidade Federal do Maranhão(UFMA), foi acusado pelo Senador José Sarney, na Revista Veja, como desequilibrado após comprovar, por meio de números, na mesma revista, que o Senador é o verdadeiro causador de toda a miséria do Maranhão. O Deputado Domingos Dutra (PT/MA) foi ao plenário da Câmara para manifestar apoio e solidariedade a Wagner Cabral.
    "Wagner Cabral é um dos melhores professores da UFMA, é um pesquisador que se dedica a estudar a história do Maranhão. Como é da índole de qualquer educador honesto, Wagner Cabral tem revelado para o Brasil os indicadores sociais negativos do Maranhão depois de 57 anos de domínio do Sr. José Saddam Mubarak Kadaf Sarney", palavras proferidas pelo parlamentar em defesa do professor.
    Na matéria, o pesquisador aponta três motivos para o atraso no Estado do Maranhão. O primeiro é a distribuição de terras pelo clã Sarney nos últimos 60 anos a empresas privadas. A consequência foi a formação de latifúndios improdutivos, que, utilizados para atividades altamente subsidiadas, como a exploração de madeira e pecuária, resultaram em quase nenhum retorno financeiro para a economia maranhense.
     O esvaziamento dos cofres do Estado para levar indústrias que demandavam pouca mão de obra ao Maranhão colocou metade da população economicamente ativa hoje depende da pequena agricultura. A terceira contribuição de Sarney para a miséria do Maranhão é a corrupção desenfreada. "No Maranhão, ela é endêmica", diz Wagner Cabral o qual destaca que a República nunca chegou ao Maranhão.
    Para o Deputado Dutra, Sarney não tem moral política muito menos intelectual para questionar o professor Wagner. A agressão não é apenas ao pesquisador, mas a toda Universidade Federal do Maranhão.
Do Jornal Stylo

TRE-MA abre inscrições para estagiários

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão informa que estão abertas as inscrições para o seletivo de estagiários da modalidade “não-obrigatório” para ingresso neste Regional.
As vagas serão destinadas a estudantes regularmente matriculados e com freqüência efetiva em Curso de Graduação de Nível Superior nas áreas de: ADMINISTRAÇÃO, DIREITO, SISTEMA DE INFORMAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS, BIBLIOTECONOMIA, PEDAGOGIA e em Curso Profissionalizante de Nível Técnico na área TÉCNICO EM ELETRÔNICA E TÉCNICO EM INFORMÁTICA.
As inscrições deverão ser realizadas até o próximo dia 15 de julho de 2011, na sede do CIEE – CENTRO DE INTEGRAÇÃO EMPRESA-ESCOLA, situado à Rua dos Bicudos, n°02 – Renascença II – São Luís-MA.
As provas serão realizadas na Faculdade São Luis no dia 22 de julho de 2011.Maiores informações podem ser obtidas diretamente no CIEE pelo telefone (98) 3227-8300.

Francisco Escórcio agride Dutra durante discurso na tribuna da Câmara Federal

    Durante discurso no Plenário da Câmara, nesta segunda-feira (11), o Deputado Domingos Dutra (PT) foi ofendido verbalmente e quase agredido fisicamente pelo suplente de deputado Francisco Escórcio (PMDB). A segurança agiu para proteger Domingos Dutra. Escórcio choramingava em tom agressivo: “Sarney é meu papai. Se você xinga meu papai eu xingo a sua mãe”.
    Escórcio se ofendeu após Domingos Dutra destacar o descaso na Segurança no Estado do Maranhão que possui 80 municípios sem delegados. Dutra disse que “a máquina de escrever é do século passado, onde o escrivão usa um dedo na tecla e o outro para puxar o papel com carbono emperrado”. Discorreu também sobre os delegados de polícia que lutam por 10% de reposição salarial correspondente há 2 anos sem nenhum tipo de reajuste. Pois, Roseana Sarney se recusa a negociar com os delegados que estão em greve há quase dois meses.
    “Estamos batalhando pela PEC 300, mas a Governadora do Maranhão é contra que se estabeleça um piso nacional para os policiais militares”, proferiu o deputado Domingos Dutra (PT) ao destacar que o único beneficiado com as greves dos delegados – que lutam por melhores salários e por melhores condições de trabalho – é o criminoso e quem perde é a população.
    Em resposta ao agressor, Dutra rebateu: “Eu discuto com o dono da fazenda [Senador José Sarney]. Eu não estou aqui para conversar com jagunço nem com vaqueiro. Estou aqui para discutir com o dono da fazenda que, infelizmente, desgraçou o Maranhão”, concluiu.
    No final do discurso, Escórcio saiu aos berros desenfreados, atrapalhando a sessão e ofendendo Domingos Dutra com palavras de baixo calão e desrespeitando a senhora Raimunda Dutra, de 94 anos de idade, mãe do Parlamentar.

Deputado vai propor medalha João do Vale para a dupla Criolina

    A dupla Criolina, formada por Alê Muniz e Luciana Simões, ganhadora do 22º Prêmio da Música Brasileira com o CD "Cine Tropical", produção selecionada pelo edital da Funarte em 2010, deverá ser a primeira a receber a comenda João do Vale, da Assembleia Legislativa do Maranhão.
    Requerimento nesse sentido deverá ser apresentado pelo deputado estadual Rubem Pereira Júnior (PCdoB) antes do recesso parlamentar.
    "Acho muito importante para o Maranhão. Além do mais eles saíram daqui com um trabalho e conseguiram conquistar um dos mais importantes prêmios da música brasileira", justifica o deputado comunista.
    Entende o parlamentar do bloco de oposição no legislativo que essa é uma forma mais evidente da classe política valorizar a cultura maranhense e seus talentos.
    A medalha João do Vale foi criada com a revisão do regimento interno do legislativo estadual.

Ficção de escritor brasileiro não tem preferência do leitor brasileiro

    Na semana que sucede a FLIP (Feira de Literária Internacional de Paraty) com participação de 34 escritores, entre eles atrações estelares com o ex-Talking Heads, o bissexto David Byrne, e a escritora argentina Pola Oloixarac a lista dos mais vendidos é desestimulante para o escritor brasileiro. Pelo menos em VEJA e Época, para ficar nas duas publicações semanais da Abril e Globo (ambas com selo de editora), na lista de ficção não há nomes de escritores brasileiros.
    Dos vinte títulos mais vendidos segundo levantamento do VEJA, a editora Novo Conceito ocupa espaço hegemônico. Sete tem o selo da editora, entre os quais os três títulos do escritor Nicholas Parks autor de "Querido John", há 61 semanas entre os mais vendidos no país, segundo a revista dos Civita e  62, segundo Época.
    Parks aparece está na lista de best sellers ainda com "Diário de uma paixão" e "O milagre".
     No considerado Não Ficção, as listas são encabeçadas pelo jornalista Leandro Narlock e seu "Guia politicamente incorreto da história do Brasil". Nesse gênero os brasileiros dominam. Laurentino Gomes ("1808" e "1822") disputa com a norte-americana Elizabeth Gilbert ("Comer, Rezar e Amar") a condição de mais longevo entre os Não Ficção mais vendidos.
    São as biografias que seduzem os leitores brasileiros para as letras brasileiras. Lobão ("50 anos a mil")  e o imberbe Restrart ("Restart-coração na mão- a história completa", da jornalista Fátima Gigliotti)  estão no mesmo patamar. Cabe ainda na preferência do leitor tupinquim as mal traçadas linhas do rolling stone Keith Richard ("Vida") e a vida bandida de Kai Herman em "Eu, Christiane F, 13 anos, drogada, prostituída".
     Entre os best-sellers não há nenhum clássico da literatura brasileira, recente ou do passado remoto. Ausente também estão os escritores nacionais que estiveram na FLIP.

Brejo completa 141 anos de fundação nesta segunda-feira,11

   
    Em 1684, os índios anapurus, que se dividiam em meri e assu, já viviam no território do atual Município, onde, em 1709, mataram o povoador portugues Manuel da Silva. Desde então, expediram-se várias ordens oficiais para que se fizesse guerra aos índios, considerados bárbaros tapuias pelas autoridades, até que, em 1770, lhes foram cedidas tres léguas de terras pelo Governador da Província.
Onde fica no Maranhão
    O vocábulo anapurus é uma corruptela de muypurás - índios que viviam às margens do rio Parnaíba - e significa fruta do rio. Em 1729, Brejo era ainda um sítio que, a 11 de julho desse ano, foi doado a Francisco Vasconcelos seu primeiro povoador efetivo. Entretanto, a principal povoadora foi a portuguesa Euzébia Maria da Conceição, possuidora de grande fortuna e de muitos escravos que, acompanhada de seus colonos, chegou á localidade, em data desconhecida. Mais tarde, foi vitimada por ocasião da guerra da Balaiada, que causou graves prejuízos econômicos e sociais a Brejo.
    Segundo o historiador Astolfo Serra, Brejo foi o último reduto dos balaios, finalmente vencido em dezembro de 1840. Em 1820, foi elevado à categoria de vila, com a denominação de São Bernardo do Brejo, pela alvará de 29 de janeiro de 1820, desmembrado de Caxias.
    No mesmo ano, passou a Distrito, criado com a denominação de Brejo, pelo decreto de 18 de abril de 1820, subordinado ao município de Caxias. Foi elevado à condição de cidade, com a denominação de Brejo, pela lei provincial nº 899, de 11 de julho de 1870. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município aparece constituído de 8 distritos: Brejo, Porto da Repartição, Milagres Santa Quitéria, Angical, Ponte Nova, São Francisco e Lagoa. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: Brejo, São Bernardo, Santa Quitéria e Curador. Não figurando os distritos de Porto da Repartição, Milagres, Angical, Ponte Nova, São Francisco e Lagoa. Em divisões territoriais datadas de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937, o município é constituído de 2 distritos: Brejo e Magalhães de Almeida. Não figurando os distritos da divisão de 1933.
    No quadro fixado, para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído do distrito sede. Não figurando o distrito de Magalhães de Almeida. Pela lei estadual nº 269, de 31 de dezembro de 1948, é criado o distrito de Estrela dos Anapurus e anexado ao município de Brejo.
   Em divisão territorial datada de 1 de julho de 1950, o município é constituído de 2 distritos: Brejo e Estrela dos Anapurus. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1 de junho de 1960. Pela lei estadual nº 2378, de 9 de junho de 1964, desmembra do município de Brejo o distrito de Estrela Anapurus. Elevado à categoria de município com a denominação de Anapurus, em divisão territorial datada de 1 de janeiro de 1979, o município é constituído do distrito sede, assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.
Do Wikipédia

No claudiohumberto.com.br

Demissão imediata
No velório de Itamar Franco, Lula pediu a Michel Temer e José Sarney para dar um recado a Dilma: "Demita o Alfredo logo, para não ter crise".

Boca fechada
Sarney ouviu o recado de Lula para Dilma, sobre Alfredo Nascimento, e depois cochichou com um amigo: "Eu não sou de levar recados..."

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL PEQUENO - Infraero afirma que obra em aeroporto começará em agosto
O ESTADO DO MARANHÃO - Obra no aeroporto recomeça em agosto
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Descaso público com o crack
FOLHA DE S. PAULO:Dinheiro público domina parcerias em obras da Copa
O ESTADO DE MINAS:Interior surfa na onda do consumo
O ESTADO DE S. PAULO:Empresa diz ter alertado Petrobrás sobre fraude
O GLOBO:TCU apontou irregularidades em contratos para obras
VALOR: Indústria perde investimento e vira deficitário
ZERO HORA:Alerta em escolas tenta barrar avanço da gripe A
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Fim de semana termina com seis mortes
JORNAL DO COMMERCIO:Recife dos buracos
MEIO-NORTE:Políticos emperram reforma do aeroporto
O POVO:Um PM expulso por semana em 2011