27 de mai de 2010

Campanha dos 100 anos da ABI (Associação Brasileira de Imprensa)

Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere...

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode criar heróis..
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.
ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

"Breganejo Blues" pode ganhar versão no cinema

A novela trezoitão "Breganejo Blues", de Bruno Azevêdo, lançada pela editora Pitomba no ano passado em São Luís pode ir para a tela grande. A ideia de transformar a obra de 132 páginas do escritor maranhense em filme é do produtor e diretor Flávio Tambellini. O longa terá co-roteiro do autor.
     "Breganejo Blues"conta a "história de uma dupla sertaneja que para alavancar a carreira decide armar a morte de um de seus integrantes". A dupla é formada por Adailton e Adhaylton. Como muitas das duplas sertanejas, a Blues tem um integrante viado que "por sua vez tem uma mulher de fachada, que por sua vez é comida por outro integrante da dupla, que por sua vez às vezes come inclusive o companheiro".
     O livro foi parar nas mãos do diretor de "Buffo & Spallanzani", filme baseado na obra de Rubem Fonseca que assim como "Breganejo" tem um detetive puxando o fio condutor da história.
     Bruno Azevedo usa balões do Tex Willer, o ranger mais temido do oeste, RQ em branco e preto com longa vida nas bancas de revistas do mundo inteiro, para enriquecer a trama. O livro chegou a ser premiado pela Secretaria de Estado da Cultural, mas o autor dispensou a distinção. Temeu o tratamento quadrado dado ao pacote editoral chapa branca.

     Ex-integrante da banda Catarina Mina, uma lenda como Ana Jansen no mundo musical, Bruno Azevêdo ousou em escrever algo inédito, colando informações e confundindo o mundo real e ficção com letras.
     Aficionado pelo brega, o autor transita confortável pelo universo da vida trepidante dos artistas populares, aqueles responsáveis pelas trilhas sonoras dos cabarés do mundo e das horas de corno.
     Depois de tudo acertado, entre autor e diretor, o filme deve ser rodado em São Luís. O mesmo lugar aonde transcorre a verossímil história da dupla "Breganejo Blues". Sem pretensão de ser dono do mar, o ainda imberbe de bigode Bruno Azevêdo vai conquista seu devido espaço.

Caravana da Anistia concede reparação econômica à viúva de Glauber Rocha

Por unanimidade, a reunião da 37ª Caravana da Anistia do Ministério da Justiça, realizada ontem, em Salvador, decidiu conceder reparação econômica ao cineasta baiano Glauber Rocha, falecido há 29 anos. O diretor registrou no filme "Maranhão 66" (foto) a posse do governador José Sarney.
     A reparação é uma forma de anistia política, conforme pleiteado pela família do artista. A indenização se deve à perseguição e exílio políticos que Glauber rocha sofreu no período da ditadura militar. Conforme a decisão dos quatro conselheiros que apreciaram o processo, a beneficiada é a viúva de Glauber, Paula Gaettan, que passa a ter direito a uma pensão mensal no valor de R$ 2 mil, além de uma indenização retroativa a 2001, estimada em R$ 234 mil.
     O julgamento do processo se realizou no Teatro Vila Velha, no centro da cidade. O processo foi iniciado pela filha do cineasta, Paloma Rocha, em 2006. Segundo os autos, Glauber Rocha foi alvo de perseguição e censura por causa da criação de seus filmes, na década de 60. Defendendo a concessão da indenização, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, destacou a importância da produção de Glauber para a cultura brasileira. Ressaltou também as dificuldades enfrentadas pelo cineasta durante o período do exílio - na década de 70, por ocasião do recrudescimento do regime militar - quando esteve impedido do exercício da sua atividade artística no Brasil.
     Durante a sessão, que foi aberta ao público, foram exibidas cenas de filmes que notabilizaram o cineasta baiano, além da realização de um ato do Bando de Teatro Olodum, que faz parte do Vila Velha. Glauber Rocha nasceu na cidade de Vitória da Conquista, sudoeste baiano, em março de 1939. Começou suas atividades artísticas, com audiovisual em 1959, embora tenha iniciado os estudos superiores na Faculdade de Direito da Bahia. Pouco tempo depois, porém, desistiu do Direito para dedicar-se à atividade jornalística, com foco no cinema.
     Entre os seus filmes mais conhecidos estão "Deus e o Diabo na Terra do Sol" (1964), "Terra em Transe" (1967) e "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro" (1969). Gláuber morreu em agosto de 1981, vítima de septicemia, no Rio de Janeiro.

De  O Estado de S. Paulo

Prefeituras ainda têm dúvidas sobre transparência

Lúcio Lambranho
Apesar do lançamento nesta quinta-feira (27) da consulta “Informações Diárias” no Portal da Transparência, o governo federal deixou para publicar na última hora o decreto que deve regulamentar as regras para o cumprimento da Lei Complementar 131, de 27 de maio de 2009, a chamada Lei da Transparência.
     A ferramenta anunciada hoje, desenvolvida pela Controladoria-Geral da União (CGU) em parceria com a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e o Serpro, faz com que a União cumpra a Lei da Transparência, mas ainda provoca dúvidas sobre a aplicação da norma, principalmente entre os municípios.
     A alteração na Lei de Responsabilidade Fiscal, sancionada no ano passado pelo presidente Lula, prevê que a União, os Estados, o Distrito Federal e os municípios com mais de 100 mil habitantes devem publicar os seus gastos e despesas em tempo real na internet.
     O prazo para que a legislação seja cumprida começa a valer a partir de amanhã (28), mas até agora a STN não definiu o que será classificado como tempo real nem o prazo para publicação dos dados na web. A única confirmação até agora é de que o decreto será publicado ainda hoje, já que a lei prevê que o prazo começa a vigorar nesta sexta-feira.
     Mesmo sem estabelecer o que deve ser definido como tempo real, o governo diz que estados e municípios que não cumprirem a lei serão punidos. "A regra é autoaplicável, e a sanção por descumprimento é aquela já prevista na lei", disse o ministro Jorge Hage, da CGU, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo no último dia 18.
Corte automático
     O descumprimento da regra pode gerar corte automático nas transferências voluntárias não só dos municípios, mas também de câmaras municipais, assembléias legislativas e tribunais de Justiça nos estados. A lei complementar também define que o cidadão comum pode exigir que a lei de transparência seja cumprida por meio de denúncias.
     Em reuniões com entidades que defendem transparência pública, a STN aceitou o modelo apelidado de D+1, pelo qual despesas e receitas geradas devem ser publicadas em portais da transparência 24 horas após terem sido efetuadas as transações e transferências bancárias.
     Mesmo assim, a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) solicitou ao governo federal a regulamentação da norma, para evitar possíveis contradições em sua interpretação. Em nota publicada hoje, a FNP informa que a STN acolheu a solicitação da entidade ao garantir, no texto que será publicado hoje, "que, em 180 dias e depois de ouvidas as entidades municipalistas, o Ministério da Fazenda publicará um ato no qual serão estabelecidos os requisitos tecnológicos e contábeis adicionais". “Essa é uma grande vitória do diálogo federativo”, afirma o presidente da FNP, o prefeito de Vitória (ES), João Coser (PT).
     A FNP afirma, porém, que os 180 dias servirão apenas para ajustes técnicos e que os municípios que não cumprirem a lei a partir de amanhã, estarão sujeitos a cortes nas transferências de recursos formalizados por meio de convênios entre os ministérios e as cidades previstos por meio de emendas parlamentares.

Do Portal Congresso em Foco

Plenária pró-Dilma dá início a mobilização no Maranhão

Integrantes do PCdoB, PT e PSB promovem nesta quinta-feira, 27, no auditório do Sindicato dos Bancários, na Rua do Sol, uma plenária de apoio à candidatura da ex-ministra Dilma Rouseff à presidência.
Tem presença confirmada na plenária todos os integrantes da chapa majoritária consolidada no encontro estadual do PT realizado nos dias 21 e 22 de maio: o pré-candidato a governador, Flávio Dino (PCdoB), a pré-candidata a vice-governadora, Terezinha Fernandes (PT), e os pré-candidatos a senador Bira do Pindaré (PT) e José Reinaldo Tavares (PSB), além de diversas lideranças partidárias e de movimentos sociais.
O evento marca o início oficial da organização da campanha pró-Dilma no Estado, e a continuidade das discussões do programa de governo que será apresentado pelas três legendas.
Compromisso
Para o pré candidato ao Senado e secretário de formação do PT no Maranhão, Bira do Pindaré, ao largar na frente com as discussões do programa de governo e no apoio à ex-ministra, a chapa majoritária construída no Maranhão reafirma o seu compromisso com o presidente Lula.
"Aqui no Maranhão, a Dilma tem um palanque ético, cujo apoio é histórico, comprometido com o país e com o estado. Isso é fundamental para a candidatura da Dilma, para que no futuro governo se possa garantir a continuidade das políticas do governo Lula”, avaliou Bira.
José Reinaldo Tavares, também pré-candidato ao Senado, ressaltou que o avanço das discussões é um demonstrativo da seriedade do pré-candidato Flávio Dino. “Com isso, o Flávio vem mostrar que está muito preocupado com os péssimos indicadores apresentados pelo Maranhão, e em condições de propor uma solução nova para o Estado”, pontuou José Reinaldo, para quem a ampla participação popular no governo é a garantir para conseguir atender aos anseios da população. “Será um programa muito abrangente, em condições de atender aos anseios do povo”, garantiu.
Programa de governo é participativo
As primeiras discussões sobre o programa de governo que será apresentado por PCdoB, PT e PSB iniciaram há cerca de um mês, com as caravanas organizadas pelos aliados do deputado Flávio Dino para o interior do estado.
Acompanhado de diversas lideranças políticas e de integrantes de movimentos sociais, Flávio Dino participou de reuniões em diversos municípios do estado, nas regiões central, tocantina e do baixo Parnaíba. Nas reuniões, foram discutidas perspectivas de desenvolvimento para o Maranhão e apresentadas sugestões para compor o futuro programa de governo da chapa.
De acordo com Cristiano Capovilla, um dos organizadores da campanha, a idéia é construir um programa de governo interativo e participativo, algo até então inédito no Maranhão. “Não é hábito que se coloque em discussão quais serão as propostas de governo. Além de diferente, é interessante porque se tem a oportunidade de descobrir as necessidades dos municípios e ouvir a população sobre o que ela precisa”, explicou Capovilla.
Do Portal Vermelho

Santa Ceia de Uimar Júnior registra inquietação isolada no Salão de Artes Plásticas

Santa Ceia - Desequilíbiro Social, performance do ator Uimar Júnior na abertura do 1º Salão de Artes Plásticas de São Luís. Premiado nas versões da Coletiva de Maio realizada em 1991, com Escultura Viva; em 1992, com Busto Vivo e em 1993 com "Chega de meio ambiente, lute por um inteiro", Uimar Júnior com sua sátira do universo político brasileiro, parodiando a obra de Da Vinci à moda de Brasília, foi a principal atração da primeira noite em que poucos artistas prestigiaram o evento.
     Entre os trabalhos apresentados não há surprensas: nem de proposta de arte, muito menos de nomes.
     Bastante frisado pelos organizadores que a edição deste salão quebra um jejum de 14 anos - desde que deixou de ser realizada a Coletiva de Maio - , o que se observa é que talvez tenha sido a falta de diálogo coletivo que tenha provocado o estacionamento das artes plásticas na cidade, entre outras questões inumeráveis.
     Das telas de Jesus Santos exalam puro dejá vú, uma sensação de já vi isso em algum lugar. Bem provável seja em alguma sala e saguão de repartição pública abastecida pelo trabalho do artista plástico maranhense.
     Miguel Veiga com sua crítica ao tratamento descuidado com o patrimônio histórico e público é direto, mas direciona para outras leituras plásticas quando coloca um anjo alegórico límpido no centro de visão.
     No mais, o salão é a prova de que precisamos nos intercambiar com outros planetas e deixarmos nossa órbita desgastada por políticas personalísticas. Prova disso foi o agradecimento do presidente da Fundação Municipal de Cultura à presidente da Comissão Permanente de Licitação da Prefeitura numa clara demotração de troca de favores.
    Também em ziguezague para o recuo é o pensamento do prefeito João Castelo. Decalcando seu discruso recorrente, Castelo em todas as solenidades de cultura lembra que foi "ELE" quem criou a Secretaria de estado da cultura, quando governador há 36 anos atrás (nauseantemente redundate). Afirma que está disposto a dar o dinheiro que for necessário para tocar os projetos de cultura da FUNC. Só não mostra a mesma disposição em criar a Secretaria Municipal de Cultura, um "projeto" de campanha que pelo visto vai para a galeria das promessas não cumpridas. Mas, apesar de tudo, vale ver o Salão. Nem que seja para se decepcionar.

Enquete aponta baixo desempenho do prefeito João Castelo

Enquete realizada pelo jornal O Quarto Poder revela que o prefeito João Castelo (PSDB) tem a menor avaliação entre os três últimos administradores de São Luís. Com um ano e cinco meses de administração, Castelo não corresponde às perspectivas dos cidadãos de São Luís.
     O tucano aparece em último lugar numa lista que inclui os nomes dos ex-prefeitos Tadeu Palácio e Jackson Lago. Este último lidera a lista de avaliação do desempenho à frente da Prefeitura de São Luís. A diferente entre os dois pedetistas é de quase 50% dos votos manifestados. Até o momento 298 internautas já participaram da enquete.
A ENQUETE
Entre Jackson Lago, Tadeu Palácio e João Castelo. Qual deles teve melhor desempenho como prefeito de São Luís?
Jackson Lago  - 71,48% (213 votos)
Tadeu Palácio - 25,17% (75 votos)
João Castelo  - 3,36% (10 votos)
Total: 298 votos

Manchetes dos jornais

CORREIO DE NOTÍCIAS - Caravana da anistia visita o Maranhão
JORNAL PEQUENO  - J. Castelo concede progressão a mais 621 professores de São Luís
O ESTADO DO MARANHÃO - Caxias pode sofrer intervenção
O IMPARCIAL - São João mais curto
O QUARTO PODER - Garoto leva tiro brincando