8 de abr de 2011

Prefeitura oferece salário mínimo para jornalista

Izabela Vasconelos
    A Prefeitura de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, abriu um concurso público em que oferece duas vagas para jornalistas formados na área, com salário de R$ 545 para 44 horas de trabalho semanal. Além deste cargo, o mesmo salário mínimo é oferecido para cargos de nível fundamental, médio e superior. No litoral e interior de São Paulo o piso salarial de jornalista é de R$ 1.593,00.
    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo decidiu entrar com mandado de segurança para suspender o concurso público até que correções sejam efetuadas. No entanto, a prefeitura informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não pretende alterar o edital do concurso.
    Segundo a administração municipal, o edital está dentro da legalidade, já que os jornalistas contratados trabalharão para a prefeitura e não em um órgão de imprensa. A prefeitura também alega que além do salário, os funcionários terão plano de carreira e receberão gratificações.



Do Comunique-se

Campanha contra aumento do combustível acaba em agressão


    A campanha contra o aumento do preço dos combustíveis, no microblog Twitter, acabou em agressão contra um dos idealizadores, em Natal, no Rio Grande do Norte. O coordenador do serviço @viacertanatal, que informa as condições do trânsito de Natal, Hudson Silvestre, foi ameaçado através do microblog por conta da hashatag #combustivelmaisbaratoja. Na tarde de quarta-feira, 6, ele foi agredido por um motoqueiro não identificado, segundo informações do Diário de Natal.
    O motivo da agressão seria a campanha, cuja hashatag teria alcançado mais de 28 mil replicas. A campanha, iniciada pelo perfil Via Certa Natal, chegou aos termos mais comentados de todo o Twitter.
    Após a agressão, Hudson Silvestre decidiu parar a campanha e publicou justificativa na rede. Segundo ele, é uma forma de preservar a equipe, de seis pessoas, que circula com identificação pela cidade, alimentando os perfis @viacertanatal, @transitonatal e @ViaCertaII.
Agressão
     Hudson, que anda com muletas para se locomover, registrava acidente de trânsito na avenida Lima e Silva. O motoqueiro o abordou, começou a surrá-lo e falou: “esse vagabundo tem que apanhar”, conta Hudson sobre o ataque. Depois do acorrido, ele voltou a receber ameaças no Twitter através de Direct Message (Mensagem Direta). Após o fato, ele e a equipe decidiram não seguir com a campanha.


Poema do dia

Antropológico
Fernando Abreu
Índio e poeta
só presta morto
De Relatos do Escambau(Exodus-1998)

Inscrição para concurso do TJ do Maranhão é prorrogada até dia 25 de abril

    O Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) divulgou edital de retificação prorrogando as inscrições e alterando as datas da realização das provas do concurso público para servidores do Poder Judiciário, no qual estão sendo oferecidas 58 vagas para cargos efetivos e preenchimento de cadastro de reserva para os níveis fundamental, médio e superior. Com a alteração, as inscrições poderão efetuadas até o dia 25 de abril. A prova objetiva será aplicada no dia 29 de maio.
    A prorrogação das inscrições ocorreu em função do edital do concurso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) que, publicado em data posterior ao do TJMA, estabeleceu para o dia 15 de maio a realização da primeira prova, coincidindo com a data da aplicação da prova objetiva do Tribunal.
Além da separação de datas de prova – que vai permitir o melhor fluxo logístico na sua aplicação – a medida evita a acumulação de eventos de grande porte em uma mesma data, possibilitando aos que buscam uma oportunidade de trabalho a participação nos dois concursos.
    As inscrições para o concurso do TJMA continuam sendo feitas no site www.servidor.tjma.ieses.org, no valor de R$ 75,00 para cargos de nível superior, R$ 60,00 para nível médio e R$ 45,00 para nível fundamental.
    Conforme o novo Edital, 25 de abril é a data limite para os pedidos de corrência às vagas reservadas à pessoas portadoras de deficiência e para solicitação de condições especiais de prova.
VAGAS - Para cargos de nível superior (analista judiciário) estão reservadas 55 vagas, sendo 50 para candidatos com formação em Direito e cinco em Psicologia. Para os candidatos de nível médio estão sendo oferecidas três vagas para o cargo de Comissário de Justiça da Infância e Juventude.
    O concurso – cujas provas serão aplicadas nos municípios de São Luís, Caxias e Imperatriz, pelo Instituto de Estudos Superiores do Extremo Sul – será realizado com a aplicação de provas objetiva, discursiva, de digitação e de títulos, em que serão avaliados os conhecimentos e/ou habilidades dos candidatos sobre as matérias relacionadas a cada cargo.
Da Assessoria do TJ

Sarney quer "tolerância zero em relação às armas"

    O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defendeu hoje (8) a revogação do Estatuto do Desarmamento em vigor desde 2004, após passar por um referendo popular, que decidiu contrariamente ao fim do porte de arma no Brasil. Com base nessa consulta à sociedade, o Congresso votou e aprovou uma lei restringindo o porte de arma no país, mas permitindo-o em casos especiais, como pessoas que residem em áreas isoladas, policiais e militares.
    “Acho que deveria ser um projeto de lei revogando a lei anterior e rediscutindo o assunto. A realidade hoje é inteiramente outra da que nós votamos a lei”, afirmou José Sarney. Ele defendeu a elaboração de lei mais rigorosa com “tolerância zero em relação às armas”.
    Na opinião do presidente do Senado, a permissão do porte de armas, mesmo que restrito a casos específicos, abre caminho para a aquisição clandestinas que dá margem à ocorrência de episódios como a chacina de ontem, na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio. Pela manhã, o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira entrou na escola armado de dois revólveres e disparou contra estudantes.
    José Sarney ressaltou que a proibição total do porte de arma não retirará da sociedade “os fanáticos, os desequilibrados de qualquer espécie”. Entretanto, ele destacou que é obrigação do Congresso tentar restringir ao máximo a capacidade de pessoas com o perfil de Wellington de Oliveira terem acesso a armamentos.

Da Agência Brasil

PDT de Trizidela do Vale convida para missa de sétimo dia para Jackson Lago

Missa - Convite
   O PDT- PARTIDO DEMOCRÁTICO TRABALHISTA, AMIGOS E MILITANTES CONVIDAM OS ADMIRADORES E A POPULAÇÃO EM GERAL PARA A MISSA DE SÉTIMO DIA EM HOMENAGEM AO EX. GOVERNADOR JACKSON KEPLER LAGO.
    A MISSA SERÁ REALIZADA DIA 10 DE ABRIL, PRÓXIMO DOMINGO, NA IGREJA DE SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA EM TRIZIDELA DO VALE AS 19:00hs.

No Painel da Folha de S. Paulo

contraponto
Guerra dos gêneros
Dias depois de receber no Senado executivas do Paraná em companhia de Gleisi Hoffmann, José Sarney fazia o mesmo com um grupo de São Paulo levado pela também petista Marta Suplicy. Quando uma das visitantes se referiu a Dilma Rousseff como "presidente", o peemedebista provocou Marta:
-Está vendo? Elas estão comigo: "presidente"!
Marta, que já repreendeu Sarney em plenário por não usar "presidenta", como Dilma prefere, retrucou:
-Estamos em fase de adaptação...
Por Renata Lo Prete

Assassino do Rio injetou a realidade no faz-de-conta

 Josias de Souza
   O maior crime do maluco que matou 11 crianças e feriu 18 no Rio de Janeiro foi o de ter injetado realidade no faz-de-conta nacional.
    O assassino inesperado conspurcou o último templo sagrado da classe média: a escola, espécie de reserva ambiental urbana (no vídeo acima, o instante em que o atirador entrou na sala de aula).
    Ao disparar dois revolveres contra alunos da escola que já frequentara, o jovem sem antecedentes criminais criou a neochacina, uma tragédia inclusiva.
    Vem daí, sobretudo, o frêmito de horror que eletrifica a nação. Isso era coisa de filme, era coisa de birutas norte-americanos, era coisa de Primeiro Mundo.
    As chacinas brasileiras só ocorriam nos fundões da periferia. Os mortos eram estatísticas que a rotina confinou no rodapé das páginas de jornal.
    O sangue que escorre na escola pública de Realengo é diferente. Poderia manchar o piso de escolas chiques de Higienópolis, de Ipanema, do Plano Piloto.
    Nas velhas chacinas, o país assistia ao genocídio em conta-gotas como uma espécie de processo de auto-regulação da criminalidade e da pobreza.
    A neochacina da escola violou a regra do jogo. Os cadáveres são palpáveis. Têm nome e sobrenome. São brasileiros como nós.
    São crianças como nossos filho. Despejados no tapete do living pelo noticiário da TV, os corpos tocam os bicos dos nossos sapatos.
    O tubo de imagem da TV, refúgio sempre tão seguro, suga o país para o centro da cena, num hediondo processo de inclusão.
    Antes que o telespectador possa zapear, vira parte da cena. Percebe-se dentro daquela escola. Súbito, a tragédia somos nós.
    Dilma Rousseff, avó recente, chorou. No Congresso, não se fala em outra coisa. “Temos de tomar providências”, diz uma senadora. “É preciso deter o tráfico de armas”, ecoa um deputado.
    Da tribuna do Senado, Cassildo Maldaner (PMDB-SC) lembra que costuma buscar a neta na escola. E se fosse ela?
    O sentimento de inclusão não é propriamente novo. Coisa semelhante já havia ocorrido em novembro de 1999.
    Um jovem estudante invadiu, em São Paulo, um cinema de shopping, outro templo da classe média. Metralhou três e feriu cinco.
    Exibia-se na tela o violento “Clube da Luta”. A audiência queria ver Brad Pit, estrela da fita. Deparou-se com um inesperado Freddy Krugger.
    Passado o susto, o cinema do shopping paulistano trocou o filme. Pôs para rodar a comédia idiotizante “American Pie”. E a vida seguiu o seu curso.
    A mortandade na escola dificulta a virada de página. Não há comédia capaz de apagar as marcas da neochacina.
Da Folhaonline.com

Manchete do dia

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL A TARDE - Sancionada lei que determina divulgação de fotos de crianças desaparecidas em bares, hotéis e restaurantes
JORNAL PEQUENO - Ex-aluno mata 12 estudantes e se suicida
O ESTADO DO MARANHÃO - Massacre em escola choca Brasil e mundo
O IMPARCIAL - Massacre de Realengo - Sem respostas
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Columbine à brasileira
FOLHA DE SÃO PAULO:Ex-aluno mata 12 estudantes, na pior tragédia em escolas do país
O ESTADO DE MINAS: Pesadelo americano
O ESTADO DE S. PAULO:Massacre no Rio
O GLOBO:Massacre em Realengo
VALOR ECONÔMICO:Inflação resiste, dólar cai e governo tenta conter crédito
ZERO HORA:O país em choque
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Luto e dor em todo país
JORNAL DO COMMERCIO:Massacre no Rio
MEIO-NORTE:Massacre interrompe 13 vidas
O POVO:Como falar sobre a tragédia do Rio com as crianças

Tiros em Realengo