30 de ago de 2010

Eike Batista financia campanha de Dilma e Serra

     O empresário Eike Batista, presidente do Grupo EBX, afirmou nesta segunda-feira (30) que está financiando as campanhas dos dois candidatos que lideram as pesquisas de intenção de voto para presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), "em prol da democracia". "Escolhemos ter uma democracia", disse ele, em gravação do programa Roda Viva, que vai ao ar hoje, a partir das 22h, na TV Cultura.
     Questionado se tem medo de retaliação por parte de quem vencer a eleição caso ele tivesse financiado apenas o concorrente, Batista respondeu: "Também". "Não vão atrasar os meus projetos nos vários Estados por causa de política", afirmou. Batista instala no Maranhão uma usina termelétrica e sua empresa OGX descobriu gás natural no município de Capinzal do Norte.
     O empresário admitiu que não leu os programas de governo e disse que o Brasil está "bem colocado nos trilhos". "Foram 16 anos de acerto, as bases estão criadas."
Com informações da Folhaonline

Museu de Tudo: Trabalho do artista plástico carioca Ivan Marquetti em temporada em Alcântara

MPE considera Roseana Sarney 'ficha suja'

     A vice-procuradora-geral eleitoral, Sandra Cureau, encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer favorável ao recurso que pede a impugnação da candidatura ao governo do Maranhão de Roseana Sarney (PMDB).
     No recurso, de autoria do candidato à deputado estadual Anderson Lago (PSDB), é contestada a decisão do TRE-MA que no início deste mês aceitou o registro de candidatura de Roseana. Aderson é primo de Jackson Lago, adversário de Roseana.
     Na ocasião, os juízes do TRE avaliaram o pedido de impugnação contra Roseana por ela ser alvo de duas ações populares e por ter sido multada, no final do ano passado, por propaganda eleitoral fora de época.
     Os juízes consideraram, no entanto, que as ações populares são inconsistentes e que a multa não se enquadra nas restrições previstas na Lei da Ficha Limpa.
     No parecer, Sandra Cureau também avalia que as duas ações populares não têm vinculo com Roseana, mas enquadra a candidata como inelegível devido a aplicação da multa por propaganda eleitoral irregular.
     “Roseana Sarney foi condenada pela prática de desvirtuamento de publicidade institucional, com vistas à realização de propaganda eleitoral extemporânea. Portanto, acarreta inelegibilidade”, diz Cureau em trecho do parecer.
     O recurso segue para o ministro Hamilton Carvalhido, relator do caso no TSE.
No Blog do Noblat

"Não quero mais trabalhar em televisão", anuncia Jorge Kajuru

     O jornalista Jorge Kajuru anunciou que após 35 anos de carreira não irá mais trabalhar na televisão, mesmo tento contrato com o SBT. Ele, que atualmente não apresenta nenhum programa, disse que vai se dedicar ao seu blog.
     "Este é o último programa de televisão da minha vida", informou Kajuru, durante o "Programa Raul Gil", que foi exibido no sábado (28/08).
     Kajuru disse que está "enojado com a televisão". De acordo com o jornalista, que apresentou programas esportivos na Band, SBT, Rede TV e Esporte Interativo, o futebol é uma "podridão", além de ser "movido a negócio".
     "Estou fora de televisão, não quero mais trabalhar em televisão", afirmou Kajuru.
Do Comunique-se

Procurado notificará Governo do Estado por desrespeito à Lei Eleitoral

     A procuradora regional eleitoral, Carolina da Hora Mesquita Horn, irá notificar o governo do estado sobre casos concretos de desrespeito às normas da Lei Eleitoral (12. 034/2009). “Certos candidatos têm usado de muita criatividade para violar a norma eleitoral”, comentou a procuradora durante reunião com promotores de justiça do Maranhão.
     Segundo Carolina da Hora, órgãos públicos estaduais estariam utilizando propaganda institucional neste período, contrariando o que permite a lei. A procuradora pediu colaboração dos promotores para agir nas comarcas onde são observadas situações semelhantes.
     “É exatamente neste momento da campanha, ou seja, um mês antes da eleição, que as irregularidades aumentam”, destacou o procurador Juraci Guimarães Júnior, que solicitou aos promotores que redobrem os cuidados nesta fase da eleição.
Veja o que diz a Lei12.034/2009:
§2o Em bens particulares, independe de obtenção de licença municipal e de autorização da Justiça Eleitoral a veiculação de propaganda eleitoral por meio da fixação de faixas, placas, cartazes, pinturas ou inscrições, desde que não excedam a 4m² (quatro metros quadrados) e que não contrariem a legislação eleitoral, sujeitando-se o infrator às penalidades previstas no § 1o.
§ 4o Bens de uso comum, para fins eleitorais, são os assim definidos pela Lei no 10.406, de 10 de janeiro de 2002 - Código Civil e também aqueles a que a população em geral tem acesso, tais como cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios, estádios, ainda que de propriedade privada.
§ 5o Nas árvores e nos jardins localizados em áreas públicas, bem como em muros, cercas e tapumes divisórios, não é permitida a colocação de propaganda eleitoral de qualquer natureza, mesmo que não lhes cause dano.
§ 6o É permitida a colocação de cavaletes, bonecos, cartazes, mesas para distribuição de material de campanha e bandeiras ao longo das vias públicas, desde que móveis e que não dificultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos.
§ 7o A mobilidade referida no § 6o estará caracterizada com a colocação e a retirada dos meios de propaganda entre as seis horas e as vinte e duas horas.
§ 8o A veiculação de propaganda eleitoral em bens particulares deve ser espontânea e gratuita, sendo vedado qualquer tipo de pagamento em troca de espaço para esta finalidade.”
Com informações do Ministério Público

Professores da rede estadual aprovam paralisação de 144 horas a partir do dia 1º de setembro

     O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) realiza assembleia regional de São Luís hoje (segunda-feira), às 15 horas, no auditório da Fetiema (praça da Bíblia). Na oportunidade, os educadores da rede estadual – professores e funcionários de escolas – decidirão, mediante discussão, os rumos que serão tomados com relação à política unilateral do governo que engessa a aprovação e conseqüente implantação do Estatuto do Educador.
     Durante esta semana foram realizadas várias assembleias regionais. Todas – Codó, Pedreiras, Imperatriz, Santa Inês, Caxias, Barra do Corda, Timon e Itapecuru – aprovaram a paralisação de 144 horas, a partir do dia 1º de setembro. Outras assembléias serão realizadas no fim de semana, e devem tomar a mesma decisão, na avaliação do presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro. Em relação de São Luís, a expectativa também é a mesma. Segundo o sindicalista, não está descartada a realização de greve em toda rede estadual de ensino por tempo indeterminado.
     Os trabalhadores em educação de Viana e Bacabal serão os últimos a se reunirem – de acordo com tabela estabelecida pelo SINPROESEMMA -, para debaterem sobre a necessidade de paralisação das atividades nas escolas da rede pública de ensino. No município de Viana, o encontro está previsto para amanhã a partir das 9. Já em Bacabal, os educadores realizarão assembléia à tarde (15h).
     No fim de semana passado, a diretoria do Sinproesemma divulgou nota oficial “informando que, em total desrespeito aos educadores da rede estadual, o governo do Estado decidiu unilateralmente apresentar um anteprojeto de lei de Estatuto, que rasga mais de um ano de debates – internos da categoria e desta com o próprio governo –, alegando principalmente a necessidade de respeito à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e as restrições do período eleitoral”.
     Os sindicalistas também denunciam que o anteprojeto de Estatuto ameaça a carreira profissional, conquista histórica, ao limitar e não fixar uma tabela salarial e deixar vago as diversas formas de gratificações. No documento é relembrado que a categoria aprovou na última rodada de assembleias o estado de greve.

Dublê de prefeito continua sendo motorista em São Domingos do Azeitão

Onde fica São Domingos do Azeitão
   O Maranhão tem um cenário político digno de Macondo, a cidade fantástica inventada pelo escritor colombiano Gabriel Garcia Marquez. Em São Domingos do Azeitão, por exemplo, existe um dublê de prefeito.
     Eleito com 2. 375 votos em outubro de 2008, correspondente a 56,82% dos votos válidos, Sebastião Fernandes Barros (PV), nunca sentou na cadeira de prefeito. Em seu lugar quem despacha normalmente é o ex-prefeito, José Cardoso da Silva Filho.
     Licenciado com carteira de habilitação do tipo C, Sebastião que é ex-motorista de Cardoso se satisfaz dirigindo hoje seu próprio carro: uma caminhonete Toyota Hilux modelo 2010, modelo preferido de dez entre dez prefeitos maranhenses.
     Em 2008, Cardoso usou de uma artimanha com ajuda de uma brecha da lei eleitoral. Até 24 horas antes da eleição fez campanha com seu nome. A população votou nem Cardoso e elegeu Sebastião, substituto de última hora do ex-prefeito que teve registro impugnado pela Justiça Eleitoral. Mesmo com diploma de prefeito, Sebastião não se destituiu da antiga função.
     Para eleger Sebastião, Cardoso anunciou a realização de concurso para preenchimento de 126 vagas em abril do ano eleitoral. Na cidade centenas de jovens aguardam o resultado do concurso para níveis médio e superior, realizado pela Congerplan, empresa maranhense sediada em São Luís.
     As provas foram aplicadas em 25 de julho de 2010. Até agora somente o resultado para o cargo de professor foi divulgado. Pessoas que foram conferir o endereço da Congerplan em São Luís, na área do Renascença, deram com a cara em porta diferente. Enquanto isso, pilotando seu carro, Sebastião nem está nem ligando para concurso. Para ele, isso é coisa de loteria.

Maranhão: Imagem de São José em Duque Bacelar

Nordeste dita tendência do eleitor na sucessão 2010

José Roberto de Toledo
As tendências costumam partir dos centros em direção à periferia. É assim no vestuário, na tecnologia, no design. O que é moda em Milão hoje, será moda em São Paulo amanhã, e em Xiririca da Serra no dia seguinte. E na hora de votar? Onde fica o centro e quem está na periferia?
     Na eleição 2010, quem dita a tendência é o Nordeste. Quando José Serra (PSDB) ainda liderava sozinho as pesquisas sobre a sucessão presidencial, os eleitores nordestinos já preferiam Dilma Rousseff (PT). À época, era comum atribuir esse comportamento ao assistencialismo do governo Lula na região.
     O tempo mostrou que essa explicação é reducionista e insuficiente. Reducionista porque desde sempre a preferência por Dilma incluiu os nordestino ricos e pobres, escolarizados ou não, com e sem bolsa federal. E insuficiente porque ela não explica o fato de essa tendência ter extrapolado as fronteiras do Nordeste.
     A mais recente pesquisa Ibope/Estado/TV Globo dá pistas importantes para se entender melhor o porquê de a “onda vermelha” ter se espalhado de lá para o Norte/Centro-Oeste, para o Rio de Janeiro, depois para Minas Gerais, para São Paulo e finalmente chegar ao Sul do Brasil.
     Tudo aponta para a ideia da continuidade. Mas por que o eleitor quer mais do mesmo, em vez de variar um pouco? A fila andou e incluiu dezenas de milhões no mundo do consumo. Mas, tão importante quanto, os eleitores avaliam que ela continua andando. Principalmente no Nordeste.
     Na era Fernando Henrique, o controle da inflação trouxe estabilidade e evitou a corrosão da renda de praticamente todos os brasileiros. O efeito lhe rendeu duas eleições presidenciais, mas acabou se esgotando. A economia voltou à letargia. Após oito anos, o eleitor preferiu a ruptura à continuidade.
     As políticas sociais e de crédito massificados no governo Lula dão a impressão de que o movimento de inclusão é persistente. Coincidência ou não, o ritmo da economia como um todo se acelerou. Ao gosto nordestino, saiu de um arrastado bolero para um rápido xote.
     Na semana passada, o CEO de um dos maiores bancos brasileiros exortava, em um seminário para os principais executivos da instituição: “Precisamos olhar para o Nordeste. O crescimento lá é mais rápido. É onde estão as oportunidades”.
     Como exemplo, ele contou a história de um dono de supermercado no Piauí que montou 60 lojas, comprou 300 caminhões e fundou sua própria construtora para garantir a expansão da rede. Tudo nos últimos anos. É um novo mercado se formando. Novos atores emergindo.
     Esse movimento foi traduzido pelo marqueteiro João Santana no “seguir mudando”, o mote e o xote da campanha de Dilma. É o gerúndio no poder, mas parece ser também o ritmo da eleição. Como diriam em Milão, o Nordeste é “trendsetter”.
De O Estadao

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Procurado da República pede cassãção de Roseana no TSE
O ESTADO DO MARANHÃO -Ibope mostra que 98% aprovam governo Lula no Maranhão
O IMPARCIAL -Maranhense na família de Osama Bin Laden