29 de jun de 2011

Flávio Dino: "Sarney deve compreender as razões de Dilma"

Adversário do clã Sarney, novo presidente da Embratur será subordinado a afilhado político do rival: "As decisões dela devem ser cumpridas e respeitadas"
Nenhum maranhense, muito menos o ex-deputado federal Flávio Dino (PC do B), empossado nesta quarta-feira como presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), poderia prever tamanha ironia do destino. Opositor ferrenho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), nas disputas regionais, Dino está bem mais cauteloso ao falar da família que ele tanto criticou.
    Na campanha eleitoral de 2010 – quando perdeu a disputa ao governo do Maranhão para Roseana Sarney (PMDB) –, Dino falava em "herança maldita” na política estadual. Agora, já admite a relevância de Sarney frente ao Senado. A mudança de postura parece estar diretamente ligada ao cargo: a partir desta quarta-feira o ex-deputado passa a ser subordinado ao ministro do Turismo, Pedro Novais. Esse, por sua vez, deve a Sarney sua vaga na Esplanada dos Ministérios.
    O novo presidente da Embratur diz que as divergências regionais continuarão - até porque ele não descarta disputar a prefeitura de São Luís (MA) em 2012, ou novamente ao governo do Maranhão, em 2014. O comando da Embratur pode servir de trampolim para a disputa ao governo, que ocorre no mesmo ano da Copa do Mundo de 2014. A Embratur está entre os órgãos que atuarão diretamente nas questões relativas ao turismo durante os jogos.
    Flávio Dino falou ao site de VEJA logo após tomar posse. Pareceu constrangido ao comentar sua relação com aqueles que há poucos dias eram considerados inimigos. Já sobre a Embratur, conversou com desenvoltura: os números relativos ao órgão estavam na ponta de língua do novo presidente. Dino também falou sobre o papel da Embratur na Copa do Mundo de 2014. Às vésperas de sua posse, ele já tinha se reunido com o ministro do Esporte, Orlando Silva, e do Turismo, Pedro Novais, para tratar do assunto.
Como será sua relação com o ministro Pedro Novais, seu adversário político no estado? No plano nacional, nós integramos o mesmo campo político, que apoia o governo da presidente Dilma. Essa aliança nacional é determinante para que eu transmita a certeza de que nós teremos uma relação cordial, produtiva, eficiente e alinhada com os grandes objetivos estabelecidos pela presidente.
Mas o ministro é ligado a Sarney, seu grande opositor. O presidente Sarney exerce um relevantíssimo papel no Congresso Nacional, isso é indiscutível. Evidentemente que ele próprio, como ex-presidente, deve compreender as decisões da presidente Dilma, que considerou pertinente minha presença na Embratur. As decisões dela devem ser cumpridas e respeitadas por todos.
E como ficam as disputas locais? As diferenças regionais estão mantidas, até porque elas fazem parte do jogo político. Nós não alteramos em nada nosso posicionamento na política regional. Nacionalmente o espirito é de compreensão de que fazemos parte do mesmo projeto. A boa política não nega as diferenças. Pelo contrário, as compreende como legítimas e as administra. As diferenças estão no plano regional: há tempo, espaço e modo de decidi-las lá na politica regional - o que, evidentemente, não contamina o nosso trabalho conjunto nacionalmente.
Como o senhor avalia o fato de Dilma ter apoiado Roseana Sarney em detrimento da sua candidatura ao governo do Maranhão? Não há ressentimentos, foi uma avaliação política nacional. Tanto que minha relação política com a Dilma continua a mesma relação de confiança e de fraternidade. O PC do B é um partido da base, integra o campo político que ajudou a conduzir os êxitos do governo Lula. Integramos o governo da presidente Dilma, não há nenhum desconforto em relação a isso. Nosso partido compreende a importância da heterogeneidade, da amplitude da base política que sustenta o nosso governo.
O senhor pretende ser candidato à prefeitura de São Luís no ano que vem? Por uma decisao partidária, deixamos o debate para 2012. Não posso cravar que serei candidato, como também não posso cravar que não serei. Nesse debate, eu tenho uma "vontade", mas ninguém é candidato a uma eleição majoritária porque quer ser, é preciso ter uma movimento político amplo. Em 2014, minha candidatura ao governo do Maranhão já é um objetivo colocado partidariamente.
Qual sua avaliação sobre a disputa entre Henrique Meirelles e Márcio Fortes no comando da Autoridade Pública Olímpica (APO)? São dois executivos de grandes qualidades, ambos testados, seja em atividades de mercado, seja em atividades públicas. Tenho certeza que esse desenho institucional, ainda em curso, de construção da APO vai chegar a um bom resultado, a uma divisão de papeis. Não há nenhum homem ou nenhuma mulher que dê conta da tarefa de realizar o maior evento esportivo do planeta. É importante ter tranquilidade, sem ansiedade. Ainda há tempo, o Brasil está dentro do cronograma para a realização do evento.
Qual seu objetivo à frente da Embratur? A palavra é avançar, porque temos um patamar já bastante bom, que conseguiu consolidar o Brasil como um dos dez principais destinos turísticos no seguimento de eventos. Temos hoje mais de 5 milhões de turistas estrangeiros, conseguimos trazer para a economia brasileira mais de 6 bilhões de dólares no ano passado. E temos uma imensa janela de oportunidades à nossa frente, representada por uma sequência de eventos, como os Jogos Mundiais Militares na próxima semana. Depois teremos Rio+20 em 2012, Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo em 2014, Copa América em 2015 e Olimpíadas em 2016.
E qual será o papel da Embratur na Copa do Mundo de 2014? A expectativa é de receber 600.000 turistas estrangeiros durante o evento. Nossa grande missão é fazer com os que os turistas voltem e, com isso, a gente atinja as nossas metas de dobrar o número de turistas e triplicar o número de divisas oriundas da atividade de turismo após os eventos esportivos.
De VEJA On-Line

No claudiohumberto.com.br

PT boicota posse de Flávio Dino
A posse de Flavio Dino na presidencia da Embratur, nesta quarta-feira, foi muito concorrida, mas sem representantes do PT, parlamentares ou ocupantes de cargos no governo Dilma. Ex-deputado federal, Dino é filiado ao PCdoB e por pouco não venceu a disputa com Roseana Sarney ao governo do Maranhão. O PT apoiou o clã Sarney, do qual faz parte o ministro Pedro Novais (Turismo) e ao qual Dino se opõe.

Derrota petistaA nomeação de Flávio Dino para a Embratur, após Jose Sarney retirar seu veto, foi recebida pelo PT maranhense como (mais uma) derrota.

PT em seu labirinto
Em 2010, o deputado Domingos Dutra (PT) não apoiou Flávio Dino, "um burguês". Preferiu o tucano João Castelo, certamente proletário.

Nem te ligo
Em seu discurso na posse do presidente da Embratur, o ministro Pedro Novais, com os dias contados no cargo, não citou a presidenta Dilma.

Cataratas
Em visita recente a Foz do Iguaçu, o ministro Pedro Novais revelou seu sonho mais acalentado: conhecer as "cataratas de Nova Iguaçu". Os anfitriões, constrangidos, nem tiveram coragem de corrigir o abestado.

São João 2011: São Pedro em frente à capela de São Pedro na Madre Deus (SL-MA)

TV Meio-Norte demoniza professores do município de Coelho Neto no Maranhão

Derrota de Sarney: Flávio Dino toma posse na Embratur

Luciana Marques
    O ex-deputado federal, Flávio Dino (PC do B), tomou posse nesta quarta-feira em Brasília como presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), no lugar de Mário Moysés. A nomeação dele ao cargo representa uma derrota do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que é adversário político de Dino no Maranhão. Em contrapartida, o novo presidente será subordinado ao ministro do Turismo, Pedro Novaes, também é maranhense, mas ligado à família Sarney.
    A escolha de Dilma Rousseff vai na contramão da posição da presidente durante a campanha eleitoral de 2010, quando ela apoiou a candidatura de Roseana Sarney (PMDB) ao governo do Maranhão. O comunista também era candidato ao cargo e ficou revoltado na época com a aliança entre PT e PMDB no estado. Agora, Dino ganhou um prêmio de consolação do Planalto, já que a Embratur é uma das estatais menos cobiçadas pelos políticos. Em seu discurso, Dino afirmou que não se distanciará da política estando à frente da Embratur. “Sou politico, sim, com muito orgulho e por opção".
    Ironicamente, na mesa principal da cerimônia de posse, estavam sentados, ao lado de Dino e Moysés, quatro peemedebistas. Eram eles: Pedro Novaes, ministro do Turismo; Nelson Jobim, ministro da Defesa; Moreira Franco, ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos; e Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB na Câmara. Dino citou o nome de alguns deles, como o de Jobim: “Será muito bem-vindo no nosso gabinete, não apenas por cortesia, mas sobretudo por dever como servidor público”.
    O presidente da Embratur falou rapidamente sobre Novaes, seu chefe. Já o ministro, apesar das divergências políticas, fez questão de elogiar o subordinado. “Flávio Dino: um garoto, amigo e companheiro no Legislativo chega para se somar à grande missão de desenvolver o turismo brasileiro. O ministério se sente honrado em recebê-lo como presidente."
Embratur - A Embratur, criada em 1966, é a autarquia do Ministério do Turismo responsável pelo marketing dos produtos turísticos brasileiros no mercado internacional.Com a criação do Ministério do Turismo, em 2003, perdeu funções e ficou com a responsabilidade exclusiva de promoção do turismo no exterior.
De VEJA On-Line

São João 2011: Programação dos arraiais de São Luís desta quarta-feira,29

Arraial da Maria Aragão (Av. Beira - Mar, Centro)
18h Cacuriá mirim Sonho de Criança
19h Dança Portuguesa Mensageiro de Portuguesa
20h Bumba-meu-boi de Guimarães (Z)
21h Show de Mákina du Tempo
22h Bumba-meu-boi Lendas e Magias do Centro Histórico (O)
23h Bumba-meu-boi de São José dos Índios (M)
00h Bumba-meu-boi Brilho da Juventude (O)
01h Bumba-meu-boi Famosão de Humberto de Campos (M)
Arraial do Anjo da Guarda
Chegança da Vila Embratel
Grupo Abanjá Gogô
Boi Mocidade de Rosário (O)
Show de Josias Sobrinho
Boi da Maioba (M)
Boi de São Cristóvão de Viana (B)
Boi de Arari (O)
Parque Folclórico da Vila Palmeira (Av. do Franceses - Vila Palmeira)
19h Tambor de Crioula Um Canto de Amor a São Luís
20h Show de Chico Saldanha
1h Boi Mimoso Sonho da Terra de São Bento (O)
22h Boi Oriente (B)
23h Boi de Axixá (O)
00h Boi de Matinha (M)
01h Boi de Nina Rodrigues (O)
Praça Nauro Machado (Praia Grande, Centro)
18h Tambor de Crioula de Gracilene
19h Barriquinha
20h Show de César Teixeira
21h Boizinho Barrica (A)
22h Boi de Guimarães (Z)
23h Boi de Presidente Juscelino (O)
00h Cacuriá de Dona Teté
01h Boi da Maioba (M)
Canto da Cultura (Rua Portugal - Praia Grande, Centro)
19h Tambor de Crioula de Ubaldo
20h Boi Encanto do São Cristóvão (O)
21h Boi Novilho Branco (A)
22h Show de Ronald Pinheiro
23h Boi Unidos Venceremos (Z)
00h Boi Mimoso Sonho da Terra de São Bento (O)
01h Boi de Ribamar de Matraca
Casa do Maranhão (Praia Grande, Centro)
18h Dança Portuguesa Tradição de Portugal da Liberdade
18h30 Dança Portuguesa Nóbile Arqueza do São Francisco
19h Dança Portuguesa Adolescente de Portugal do Sá Viana
19h30 Dança Portuguesa Caravelas de Portugal do Araçagy
20h Dança Portuguesa Flor do Campo do Cururuca
20h30 Dança Portuguesa Esplendor Português de Ribamar
21h Dança Portuguesa Realeza de Portugal da Raposa
21h30 Dança Portuguesa Beleza e Sedução do Porto Grande
22h Dança Portuguesa Estrela de Portugal da Vicente Fialho
22h30 Dança Portuguesa Majestade em Portugal de Ribamar
23h Dança Portuguesa Rainha de Portugal do João de Deus
23h30 Dança Portuguesa Nobre de Portugal do Monte Castelo
00h Dança Portuguesa Alegria de Portugal do Maracanã
00h30 Dança Portuguesa Estrela de Bragança da Vila Nova
01h Dança Portuguesa Aliança Portuguesa do Bairro de Fátima
01h30 Dança Portuguesa Imperatriz de Lisboa do João de Deus
Ceprama (Av. Vitorino Freire - Madre Deus)
19h Tambor de Crioula de Simei
20h Show de Betto Pereira
21h Boi São Cristóvão de Viana (B)
22h Cacuriá de Dona Teté
23h Boi de Morros (O)
00h Boi da Madre Deus (M)
01h Boi de Axixá (O)
Vila Junina (São Luís Shopping - Av. Carlos Cunha, Jaracaty)
19h Quadrilha Nova Esperança
20h Tambor de Crioula de Mestre Apolônio
21h Boi de Morros (Orquestra)
22h Boi de Maracanã (Matraca)
23h Boi Barrica (Alternativo)
00h Boi da Madre Deus (Matraca)
01h Boi de Axixá (Orquestra)

No claudiohumberto.com.br

PMDB discute substituição
    A cúpula do PMDB já discute, em caráter reservado, a troca do ministro Pedro Novais (Turismo), diante dos sinais de que sua presença no governo constrange a presidenta Dilma, que desde o início do governo evita recebê-lo. Novais ficou conhecido pelo pagamento de despesas de motel com verbas públicas. A nomeação do ex-deputado Flávio Dino (PCdoB-MA) na presidência da Embratur foi o alerta definitivo para que o PMDB iniciasse as tratativas a fim de sugerir outro nome a Dilma.

Espaço
O PMDB acha mais importante preservar o Ministério do Turismo para o partido a uma luta inglória pela permanência de Pedro Novais.

Vexame
Dirigentes do PMDB temem um vexame: Dilma receber Flávio Dino e continuar se recusando a despachar com o chefe dele, Pedro Novais.

Briga regional
Flávio Dino, que assume a Embratur nesta quarta, lidera a oposição ao clã Sarney no Maranhão, do qual participa o atual ministro do Turismo.

Obstáculo
Para substituir Pedro Novais no Ministério do Turismo, o PMDB precisa da concordância do senador José Sarney, e esta é a parte mais difícil.

Assembleia Legislativa do Maranhão tem 42 deputados, mas paga salários para 46

Por Célia Lima
    Quatro parlamentares deixaram a Assembleia Legislativa do Maranhão para integrar os secretariados do governos Roseana Sarney e João Castelo, mas, entretanto, continuam recebendo os salários de deputados
     O custo de um deputado estadual no Maranhão é de aproximadamente R$ 60 mil por mês. A Assembléia Legislativa estaria gastando mais de duzentos mil reais para manter os suplentes na Casa.
    Os quatro deputados suplentes – Edvaldo Holanda (PTC), Magno Barcelar (PV), Fabio Braga (PMDB) e Tatá Milhomem (DEM) – custam pouco mais de R$ 240 mil mensais, aos cofres da AL. LEIA MAIS CLICANDO AQUI.

Concurso escolhe música-tema para os 80 anos do Cristo Redentor

    De braços abertos, sobre a Guanabara, uma das sete maravilhas do mundo moderno, celebrará seus 80 anos no dia 12 de outubro. E para antecipar as merecidas comemorações da data tão especial para o povo carioca, uma série de eventos estão sendo organizados.
    Desde 1 de março deste ano, o monumento já conta com um novo sistema de iluminação, totalmente baseado no conceito de sustentabilidade. Para completar, agora haverá um concurso musical para escolher uma música-tema inédita com enfoque no Cristo e nas belezas da cidade e do povo carioca.
    A música deve ser escrita em língua portuguesa e pode ser de qualquer gênero. Compositores, poetas, cantores e intérpretes maiores de 18 anos, de qualquer nacionalidade, podem concorrer, inscrevendo-se individualmente ou em parceria, com até duas composições, até 10 de agosto, no site www.cristo80anos.org.br.

Tudo por fazer

Ruy Castro
RIO DE JANEIRO - Reportagem de Breno Costa, de Brasília, na Folha de domingo, informa que o ministro do Turismo, Pedro Novais Lima, precisou completar seis meses no emprego para assinar, há dias, seu primeiro ato oficial. Não por acaso, dois convênios (no valor de R$ 22,6 milhões) com o governo do Maranhão, seu Estado, governado por Roseana Sarney (PMDB), cuja família foi responsável por sua nomeação pela presidente Dilma.
    O fato de o ministro Novais Lima ter 80 anos não o desabilita para controlar uma área tão moderna como o turismo. Se ele for uma autoridade no assunto, com vasta experiência internacional, qual é o problema? Acontece que o ministro, renitente deputado e quase contemporâneo de Gonçalves Dias, nunca foi do ramo. Sua única relação com o turismo se deu há pouco, quando, ao assumir o cargo, pediu reembolso ao Tesouro de R$ 2.000 gastos num motel.
    No futuro, os historiadores nos dirão tudo sobre a dívida que o Estado brasileiro deve ter com a família Sarney e que parece impossível de pagar -ou não se justificaria sua inesgotável influência, sai década, entra década, para pôr tanta gente de sua confiança nos postos mais surpreendentes. Um desses, o Ministério do Turismo. Para Sarney, o Brasil é um enorme Maranhão.
    Seria interessante saber o que o ministro Novais está fazendo pela modernização da indústria hoteleira, pelo incremento do turismo gay -a grande novidade no setor- ou pela divulgação do Brasil no exterior. Ou de seus planos para a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016.
    Países como a Espanha e a Grécia, hoje pulando miudinho para fechar as contas, têm no turismo uma de suas principais receitas. Acontece que, neles, o turismo já pode ter atingido o seu limite de excelência. No Brasil, não. O potencial é enorme e -com ministros como este- literalmente resta tudo por fazer.
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL EXTRA - Empresário é morto na porta do trabalho
JORNAL PEQUENO- Empresário é executado a tiros no Renascença
O ESTADO DO MARANHÃO - Empresário é assassinado com 3 tiros no Renascença
O IMPARCIAL - Empresário é morto a tiros no Renascença
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Servidor só pode ganhar até R$ 26.713
FOLHA DE S. PAULO:BNDES libera R$ 4 bi para Abílio comprar o Carrefour
O ESTADO DE S. PAULO:Fusão de Pão de Açúcar e Carrefour pode ter até R$ 4,5 bi do BNDES
O ESTADO DE MINAS:Uma multa por minuto
O GLOBO:Com R$ 4 bi do BNDES, surge 3ª maior empresa
VALOR:Diniz busca R$ 3,9 bi no BNDES para megafusão com Carrefour
ZERO HORA:Piratini reconquista base e aprova reforma na previdência gaúcha
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Traficante acusado de matar policiais morre em tiroteio
MEIO-NORTE: "Mortos" do Piauí recebem R$ 2,9 milhões dop INSS
O POVO:Políciaaprende outro grupo acusado de fraudar licitações