16 de fev de 2011

Enquete no Blog do Noblat

Quando Sarney deveria pendurar as chuteiras?
*Já deveria ter pendurado há muito tempo;
*Deveria ter pendurado há quatro anos quando se elegeu senador
*Deveria pendurar quando terminasse seu atual mandato
*Deveria pendurar já, de imediato
*Não deveria pendurar
*Não sei
E o resultado parcial
Já deveria ter pendurado há muito tempo; 86.90%
Deveria ter pendurado há quatro anos quando se elegeu senador 1.87%
Deveria pendurar quando terminasse seu atual mandato 2.29%
Deveria pendurar já, de imediato 3.95%
Não deveria pendurar 4.78%
Não sei 0.21%

Blogueiro no Rio Grande do Norte sofre três condenações a prisão

    Pra entrar no clima, só abrindo com pontos de exclamação. Treze, pra afastar assombração. O velho Aurélio aqui ao lado, deliciosamente jurássico em suas amareladas páginas de papel, esclarece:“exclamação. Ato de exclamar; voz, grito ou brado de prazer, alegria, raiva, tristeza, dor”.
    Tirando o prazer e a alegria, tudo a ver. Vontade de gritar. De tristeza, dor, raiva e, principalmente, de espanto. A história é uma aula de Brasil.
    Você acha que é ofensa alguém dizer de uma autoridade pública, eleita pelo voto, que ela “paga o preço por seu despreparo”? Ou que anda “empazinada de ansiolíticos e com vida em boa parte reclusa”? E se, sem citar nomes, o sujeito fala que o “sumo pontífice e sacerdotisa da Seita Songamonguista do Reino Azul-turquesa” devem “ajustar seus rituais”? Ofensa?
    A juíza Welma Maria Ferreira de Menezes, do Juizado Especial Criminal de Mossoró (Rio Grande do Norte), entendeu que as três afirmações eram ofensivas, sim. E, por causa delas, condenou a cadeia, em três processos diferentes, o blogueiro Carlos Santos, 47 anos de idade e 26 de atuação profissional como jornalista. As punições foram iguais: um mês e dez dias de detenção, em cada uma das ações penais, com permissão para cumprir a pena fazendo doações (no valor de R$ 2.040,00 por processo) a entidades filantrópicas.
Do Congresso em foco

Alcione fotografa com Kate Moss

    A top inglesa Kate Moss fotografou na terça-feira,16, pela manhã com o arquiteto Oscar Niemeyer, 103, no apartamento dele, em Ipanema, no Rio.
    Os dois foram clicados pelo fotógrafo peruano Mario Testino. O ensaio fará parte da edição de aniversário de 36 anos da revista "Vogue Brasil" de maio. Kate será a estrela da revista e aparecerá em 40 páginas.
Depois do encontro com Niemeyer foi a vez do ator Rodrigo Santoro posar junto com a top, no hotel Copacabana Palace. No domingo, a cantora Alcione foi quem participou de uma das sessões de fotos.
     Todas as personalidades brasileiras que aparecerão ao lado da inglesa nas fotos foram escolhidas por Testino. Ele optou por pessoas que "representassem o Brasil".

Governadora do Maranhão se submete a cirurgia no Hospital UDI em São Luís

Nota da Secom
A Secretaria de Estado de Comunicação Social (Secom) informa que a governadora Roseana Sarney passa bem, depois de ser submetida a um procedimento cirúrgico, nesta quarta-feira (16), pela manhã, sob os cuidados da equipe do médico Santiago Servin.
    A governadora permanece internada no hospital UDI, em São Luís, onde deve ficar em observação. O primeiro boletim médico foi divulgado agora há pouco.
Nota da UDI
16/02/2011
    A Governadora Roseana Sarney internou-se, no UDI Hospital, em São Luís, no dia de hoje, às 10h, para investigação de sangramento intestinal baixo.
Submeteu-se a uma Colonoscopia, que evidenciou sangramento retal, motivo pelo qual necessitou submeter-se a intervenção cirúrgica para correção do mesmo. O procedimento foi realizado pela equipe do Dr. Santiago Servin.
    A Governadora Roseana Sarney deverá permanecer no hospital durante o dia de hoje.
Dr. Carlos Gama
Diretor Médico

Na coluna da Dora Kramer

Vox populi.
José Sarney saiu-se com gracejo à mensagem postada indevidamente na página do Supremo Tribunal Federal no Twitter instando-o a "pendurar as chuteiras" por impossibilidade de reagir de outra forma.
Ou fazia piada ou se tornava ele próprio a piada, dada a identificação popular com o pleito da funcionária tuiteira.
De O Estado de S. Paulo

Maranhenses fazem viagem de volta em ônibus clandestinos do ex-deputado Hildebrando Pascoal

    O ponto de embarque é no Bairro Botafogo, em Campinas. Os passageiros aguardam nas calçadas para embarcar em um ônibus velho, sem cinto de segurança e com precárias condições de higiene. A situação se repete de terça-feira e de domingo, quando os transportes clandestinos oferecido por uma agência de turismo com destino ao Nordeste.
    A viagem em condições precárias é feita entre Campinas e São Luís (MA). Dentro do bagageiro vai de tudo, até uma moto foi flagrada sendo carregada. A diferença de R$ 125 no preço da passagem é que faz tanta gente procurar a agência de viagens que nem logotipo tem na fachada.Segundo a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), responsável pela fiscalização, o dono da empresa de transporte é o ex-deputado federal Hildebrando Pascoal ( que cortava gente com moto-serra), o político do Acre que foi cassado há mais de dez anos e cumpre pena por corrupção, tráfico de drogas e assassinato.
    O local tem alvará da prefeitura, mas não poderia vender passagens para uma linha regular que opera sem permissão e fora da estação rodoviária. Segundo a ANTT, a empresa nominada de TCB simula contratos de aluguel de ônibus e aluga trechos da linha para outras empresas ou pessoas físicas. A empresa procurada, mas o telefone que consta no registro da agência reguladora não existe.
    Há total falta de preocupação com a irregularidade na venda das passagens, a falta de fiscalização da Polícia Rodoviária e outros veículos que operam nas mesmas condições em outras linhas.
Da Emissora Pioneiras de Televisão

Terras dos índios Awá-Guajá no Maranhão foram mais devastadas na Amazônia Legal

Índio awá-guajá
    A organização britânica Survival International de defesa dos direitos indígenas teve acesso a um relatório da Fundação Nacional do Índio segundo o qual as terras dos índios Awá-Guajá, no Maranhão, foram as mais desmatadas entre todas as terras indígenas situadas na Amazônia Legal, em 2009. Ainda segundo a ONG, entre 60 e 100 deles conseguiram permanecer isolados da Ti Araribóia, território que também vem sendo destruído paulatinamente por madeireiros e colonos.
    A notícia da invasão das terras Awá-Guajá está no site da Survival International, e afirma que as autoridades brasileiras estão cientes do problema e nada fizeram para retirar os invasores e proteger os índios.
    De acordo com a Survival, o relatório da Funai, mostra que 31% da floresta na TI Awá (MA) foi ilegalmente derrubada. Os Awá-Guajá são considerados o último povo caçador-coletor da Amazônia.
Assista o depoimento dos índios:

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Governo qualquer valor do salário mínimo maior que R$ 545
O ESTADO DO MARANHÃO - Maranhão abriu 23 mil empresas em 2010
O IMPARCIAL - Câmaras de confusão