31 de dez de 2010

Receita de Ano Novo

Carlos Drummond de Andrade
Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
(mal vivido ou talvez sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?).
Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar de arrependido
pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar
que por decreto da esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um ano-novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Na agulha: Gilberto Gil no toque de mestre

Secom do município fecha ano mediocrizando o pestígio do prefeito João Castelo em títulos

    Pela enésima vez a Secretaria de Comunicação do município, Secom, repete um título com variação óbvia para dar ares de notícias a um ato rotineiro. "Castelo prestigia Culto de Missões da Igreja Batista Nacional de São Luís", encerra o ano a matéria, reprisando um clichê já gasto pela sextuagésima nona vez (um redondo 69), em dois anos de mandato do tucano João Castelo como prefeito de São Luís.
    Mais uma vez a Secom amesquinha a profissão de jornalista. No seu dia-a-dia a imprensa oficial do município tem corroborado com a ideia que prevaleceu no julgamento do Supremo Tribunal Federal, com destaque metafórico do ministro Gilmar Mendes, de que os jornalistas procediam como confeiteiros: "Produzem suas reportagens como quem executa uma receita de bolo". Portanto, um diploma não seria uma exigência indispensável para tal exercício profissional; concluíram os ministros do Supremo.
    Não obstante o diploma que os dirigentes da secretaria detêm, a miopia intelectual não os permite colaborar com o engrandecimento do jornalismo do Maranhão, notadamente o de São Luís, cidade com raízes tuberosas na área. Refletem com isso a arrogância de um governo medíocre e demagogo, onde o povo é mera figura de retórica. Vide as carências e ausências em todos os setores da administração pública municipal.
    Em 2011 Castelo deve prestigiar outros tantos eventos. Nas partes como mero espectador, como foi no caso do lançamento da pedra fundamental da fábrica da Votorantim, só restará à Secom se exprimir com criatividade extrema.

Frase de Lula que entra para história

"Nunca fiz concessão política. Faço acordo... Se Jesus viesse para cá, e Judas tivesse a votação num partido qualquer, Jesus teria que chamar Judas para fazer coalizão - Em 2009, ao ser questionado sobre suas relações com aliados como José Sarney, Fernando Collor e Renan Calheiros.

"Em alguma parte alguma" de Gullar entre os dez do ano de acordo com Segundo Caderno de O Globo

    Ferreira Gullar afirmou ter escrito "Em alguma parte alguma" (José Olympio) "no limite da desordem". Os magníficos poemas deste livro, de fato, levam ao extremo as possibilidades da língua, sem permitir, contudo - como nas experiências da vanguarda do século XX - que ela se destrua. É também um livro sobre a poesia, fluido objeto de desejo que não se encontra em nenhum lugar.
    Primeira publicação com poemas inéditos de Ferreira Gullar em mais de uma década, lançada no ano em que o poeta chegou aos 80 e ganhou o importante Prêmio Camões, "Em alguma parte alguma" é obra de um escritor comprometido com uma tarefa por ele mesmo considerada paradoxal: exprimir o caos da experiência vivida dentro do sistema organizado da linguagem.
O poeta Ferreira Gullar
    Entre os muitos "fracassos" que portanto constituem a obra do poeta, este livro reúne alguns dos mais belos, com poemas tocados pela reflexão sobre a morte - "o osso/ este osso/ (a parte de mim/ mais dura/ e a que mais dura)/ é a que menos sou eu?" - ou arrastados pelo chamado irresistível do mundo: "deflorou-me as narinas/ o veneno/ que o jasmineiro/ (disfarçado de arbusto)/ expelia/ como uma fêmea/ emite seu aroma de urina".
De O Globo

Três governadores tomam posse

Pretendem tomar posse nos primeiros minutos de 2011, os governadores, Tião Viana (PT), do Acre, Roseana Sarney (PMDB), do Maranhão, e Camilo Capiberibe (PSB), do Amapá. Eles vão assumir os cargos logo após a meia-noite desta sexta (31). Segundo as assessorias dos governos, eles tomarão a posse antes, pois embarcam na madrugada de sábado para Brasília, onde acompanharão a posse da presidenta eleita, Dilma Rousseff, no início da tarde.
No claudiohumberto.com.br

Manchetes dos jornais

ATOS & FATOS - Oposição derrota Eliseu nas eleições da Câmara
CORREIO DE NOTÍCIAS - Tudo pronto para a posse da governadora Roseana
JORNAL A TARDE -Tudo pronto para a posse da governadora na AL
JORNAL PEQUENO - Castelo: "2011 será o ano das grandes obras para melhorar a vida em São Luís"
O DEBATE -Tudo pronto para o reveillon 2011
O ESTADO DO MARANHÃO - Lula aprova mínimo de R$ 540,00
TRIBUNA DO NORDESTE - Roseana assume, nomeia secretários e vai para o DF