9 de ago de 2010

Dado

Marina Silva*

Havia um pequeno Dado,
jogado sobre a mesa.
Ali, nada era certeza,
tudo era interrogar.
Mas, para minha surpresa,
na forma de um colosso, 
Dado era de carne
e osso,
e sabia até cantar.
Dado, meu pequeno
Dado jogado!
Que Plínio, Dilma, Serra ou Marina
ajude a mudar a sina de tantos
Dados jogados.

* Marina Silva é candidata a Presidència da República. O menino Dado, de cinco anos, foi o foco das atenções na favela do Coque, na periferia do Recife.

Ministério Público requer afastamento da prefeita Bia Venâncio

     A 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar ingressou com uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra a prefeita do município, Glorismar Rosa Venâncio, a Bia Venâncio. O motivo desta ação é o fato do Executivo Municipal ter publicado no Diário Oficial do Estado leis que não foram aprovadas pela Câmara de Vereadores.
     A denúncia partiu do presidente da Câmara, Alderico Jefferson Abreu da Silva Campos, e foi confirmada pelos vereadores Fernando Antonio Braga Muniz, Edson Arouche Junior, Antonio Jorge Lobato Ferreira e José Francisco Gomes Neto.
     Foram publicadas no Diário Oficial de 29 de dezembro de 2009 a Lei n° 425/2009, que trata da criação da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer, e a Lei n° 426/2009, que dispõe sobre a reestruturação da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. Já em 31 de dezembro foi publicada a Lei Complementar n° 001/2009, que dispõe sobre o Sistema Tributário Municipal e estabelece normais suplementares em matéria de legislação no município.
     No entanto, conforme foi apurado pela promotoria, os projetos de lei que deram origem a essas leis ainda não foram apreciados pela Câmara Municipal, ainda estando em análise pelas comissões competentes.
     De acordo com a própria Lei Orgânica do Município de Paço do Lumiar, as Leis Complementares somente serão aprovadas se obtiverem maioria absoluta de votos na Câmara. Além disso, depois de aprovados no Legislativo, é que os projetos deverão ser enviados ao prefeito, que pode sancioná-lo ou vetá-lo.
     “A prefeita ignorou os princípios constitucionais do Estado Democrático de Direito, da separação dos poderes e as disposições contidas na Lei Orgânica do Município relativas ao processo legislativo, o que implica na prática de ato de improbidade administrativa”, afirmou a promotora Gabriela Brandão da Costa Tavernard, titular da 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar.
     No pedido de Liminar protocolado pelo Ministério Público, pede-se que seja reconhecida a inconstitucionalidade das leis publicadas irregularmente no Diário Oficial do Estado e que todos os atos praticados com base nelas sejam tornados sem efeito. Além disso, foi pedido o afastamento imediato da prefeita Bia Venâncio.
     A promotora Gabriela Tavernard ressalta que esta é a quarta Ação Civil Pública por atos de improbidade administrativa proposta contra a prefeita de Paço do Lumiar. As outras referem-se a contratação irregular de servidores sem concurso público, prática de nepotismo e a não disponibilização da prestação de contas do município na sede do Poder Legislativo Municipal, como determina a Lei de Responsabilidade Fiscal.
     Ao final do processo, o Ministério Público requer a condenação de Glorismar Rosa Venâncio por improbidade administrativa, estando sujeita à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos pelo prazo de três a cinco anos e proibição de contratar ou receber qualquer benefício do poder público por três anos.
Da Assessoria do Ministério Público

Maranhão: mausoléu de João do Vale no cemitério de Pedreiras

Plano rodoviário de Roseana mantém ponte de madeira em MAs

     Roseana Sarney não mudou. Continua a mesma de antigamente, quando mandava pagar estradas fantasmas, sacrificando o erário e levando de rodo os pobres maranhenses. Foi assim com a estrada Paulo Ramos-Arame. E, continua sendo da mesma maneira, com as MA-008 e 119. Por coincidência, as rodovias que ligam Paulo Ramos a outros municípios a seu redor.
     Após ser nomeada pela Corte Superior Eleitoral, a filha do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), lançou um programa rodoviário batizado de Viva Infraestrutura, propagandeado como “verdadeira revolução nas estradas” através de campanhas publicitárias multicoloridas.
     No leme da revolução foi colocado o deputado democrata Max Barros, engenheiro civil formado pela UEMA (Universidade Estadual do Maranhão). Sabe ele muito bem o que é uma obra-de-arte em engenharia. Na pavimentação de rodovias, a obras são as pontes. Para evitar desperdícios devem ser feitas antes da estrada pacimentada com camada asfáltica.
     A intenção era vender em outdoors, busdoors, spots de rádio, filmetes de televisão, matérias de jornais e tudo que manda o marketing moderno que, até as portas das eleições, o programa fecharia a restauração e pavimentação de 1.550 quilômetros de estrada no estado. O slogan não podia ser mais grandiloqüente: ”A Sinfra está mudando o mapa rodoviário do Maranhão”.
     “Temos a certeza de que recurso não vai faltar”, torcia desde o início o artífice do Viva Infraestrutura. O dinheiro para as obras foi assegurado em empréstimo autorizado pela Assembleia Legislativa.
     Não é, portanto, a falta de dinheiro que vai justificar a manutenção de pontes de madeira -  que tanto azucrinam a população e o tráfego - nessas rodovias. Será esse é o pensamento revolucionário do Vivainfraestrutura: o paradoxo do atraso. Ou são apenas incompeensões de uma mutante.

PMDB tem mais e PSTU não tem candidaturas barradas pela Ficha Limpa

     Das legendas do campo de esquerda o PSTU é o único que não teve candidato barrado pela aplicação da Lei da Ficha Limpa em todo país. Ao menos 24 legendas, das 27 com registro no Tribunal Superior Eleitoral, TSE, registraram candidatos com "ficha-suja". O PSOL e PTdoB tiveram apenas uma candidatura indeferida pela aplicação da nova lei. O Partido dos Trabalhadores, PT, teve três candidatos barrados pela Ficha Limpa. A lista é encabeçada pelo PMDB.
     Entre os estados o Tribunal Regional Eleitoral do Ceará foi que mais indeferiu candidaturas. Foram 25 os barrados pela "ficha-suja". O Maranhão, Amazonas, Bahia, Rio Grande do Norte e São Paulo a nova lei não produziu cortes na relação de candidatos com pedido de registro junto à Justiça Eleitoral.

 
Barrados pela Ficha Limpa nos partidos:
PMDB-23
PP-15
PR-12
PTB-12
PSDB-10
PDT-8
PSB-8
DEM-6
PMN-6
PCdoB-5
PRTB-5
PV-5
PPS-5
PHS-5
PSDC-4
PRB-3
PSL-3
PT-3
PRB-3
PSC-2
PTC-2
PTN-2
PTdoB-1
PSOL-1

Tudo em casa

     Será o diretor do Teatro Arthur Azevedo, órgão da Secretaria de Estado da Cultura, Roberto Brandão, que fará a janela do show do mineiro João Bosco do projeto MPB Petrobras, no próximo dia 17 de agosto. Brandão é vocalista do Boi Barrica e do Bicho Terra, braços culturais da Cia Barrica.

Canal Brasil exibe "Sem Essa, Aranha"

     O Canal Brasil exibe hoje às 2h10 da madrugada um clássico do cinema brasileiro. O filme "Sem Essa, Aranha", dirigido por Rogério Sganzerla, produção de 1970, é uma comédia que ganhou notoriedade maior através da voz do baiano Caetano Veloso.
     A história gira em torno do conflito vivido por um banqueiro entre três mulheres: uma loira, uma morena e outra negra - essa a sua verdadeira paixão. O filme inspirou a música ''Qualquer Coisa'', de Caetano Veloso, que no refrão diz ''Sem essa, aranha/Nem a sanha arranha o carro/Nem o sarro arranha a Spaña''. Aranha é o personagem interpretado por Jorge Loredo, também conhecido por Zé Bonitinho.
     Considerado um dos mais experimentais da safra de Sganzerla - também diretor de "O bandido da luz vermelha" - o filme tem presença de Luiz Gonzaga, o rei do baião, engolidadores de cobra, strip teaser,músicos e outros bichos.  "Sem Essa, Aranha" é uma referência cultural de uma época.

Conjugação de múltiplos

Luís Augusto Cassas
Somos feitos de nós
Nós na garganta,
Nós no peito,
Nós nas tripas,
Múltiplos nós,
Todos os nós,
Todos nós,
Nós todos.

Luís Augusto Cassas é poeta maranhense. Do livro "O Shopping de Deus & A Alma do Negócio" (Imago 99).

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - Sexo e porrada no inferninho
O ESTADO DO MARANHÃO - Multidão acompanha Roseana em caminhada
O IMPARCIAL - 2008: As eleições que não acabaram