30 de mai de 2010

Calendário eleitoral

JUNHO DE 2010



10 de junho – quinta-feira
1. Data a partir da qual é permitida a realização de convenções destinadas a deliberar sobre coligações e escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal, estadual ou distrital (Lei no 9.504/97, art. 8o, caput).
2. Início do período de 10 a 30 de junho de 2010, a partir do qual, dependendo do dia em que os partidos políticos ou coligações escolherem seus candidatos, é vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção (Lei nº 9.504/97, art. 45, § 1º).
3. Data a partir da qual os feitos eleitorais terão prioridade para a participação do Ministério Público e dos juízes de todas as justiças e instâncias, ressalvados os processos de habeas corpus e mandado de segurança (Lei nº 9.504/97, art. 94, caput).
4. Início do período para nomeação dos membros das mesas receptoras para o primeiro e eventual segundo turnos de votação (Resolução nº 21.726/2004).
5. Último dia para fixação, por lei, dos limites de gastos de campanha para os cargos em disputa, observadas as peculiaridades locais (Lei nº 9.504/97, art. 17-A).

11 de junho – sexta-feira
1. Data a partir da qual caberá a cada partido político fixar o limite de gastos de campanha para os cargos em disputa, comunicando à Justiça Eleitoral, que dará a essas informações ampla publicidade, desde que não fixado por lei (Lei nº 9.504/97, art. 17-A).

30 de junho – quarta-feira
1. Último dia para a realização de convenções destinadas a deliberar sobre coligações e escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal, estadual e distrital (Lei no 9.504/97, art. 8o, caput).

Poema de domingo

Bicho Urbano
Ferreira Gullar

Se disser que prefiro morar em Pirapemas
ou em outra qualquer pequena cidade
do país
estou mentindo
ainda que lá se possa de manhã
lavar o rosto no orvalho
e o pão preserve aquele branco
sabor da alvorada

Não não quero viver em Pirapemas
Já me perdi
Como tantos outros brasileiros
me perdi, necessito
deste rebuliço de gente pelas ruas
e meu coração queima gasolina (da
comum)
como qualquer outro motor urbano

A natureza me assusta.
Com seus matos sombrios suas águas

suas aves que são como aparições
me assusta quase tanto quanto
esse abismo
de gases e de estrelas
aberto sob minha cabeça.

Toots Thielemans em ensaio aberto no Festival de Jazz de Guaramiranga (CE)

Jackson Lago foi um dos primeiros a defender instalação da refinaria da Petrobras no Maranhão

PALAVRA DO GOVERNADOR
* A partilha do futuro
A decisão de instalar a nova refinaria da Petrobrás em São Luís convoca todos os maranhenses para uma tarefa inédita de nossa história: a de construirmos as bases de um novo modelo de crescimento, que seja partilhado e inclusivo.
     Nosso estado padece, há muitos anos, de não ter criado condições de fruição dos grandes projetos industriais que montaras verdadeiras economias de enclaves, incapazes de se conjugar com um projeto de desenvolvimento local. Esses investimentos, nascidos muito mais pelas necessidades estruturais do país do que por uma ação afirmativa regional, não forma capazes de promover a verticalização da produção, fator decisivo para o crescimento sustentado da economia.
     A refinaria da Petrobras, que terá capacidade de processar até 500 mil barris de petróleo por dia, será a maior usina petrolífera do país, com o dobro da capacidade das refinarias que operam hoje. Naturalmente, a sua construção, que pode levar até sete anos, dinamizará a economia maranhense com o aporte de investimentos estimados em até 10 bilhões de dólares. Quando pronta, será basicamente uma unidade exportadora, sobretudo para os Estados Unidos.
     Esse quando aponta para a necessidade de transformar esse grande investimento em uma alavanca para a atração de novos negócios, especialmente nas áreas de metalurgia, logística, geração de energia. È nesse sentido que, desde o início do nosso Governo, planejamos a montagem de um repertório de projetos estruturantes para os quais temos dedicado o melhor de nossos esforços.
     A própria refinaria insere-se nesse quadro e foi objeto de intensas discussões com o governo Federal e empresários. Contratamos o que há de melhor na inteligência brasileira no setor para nos embasar tecnicamente. O relatório conduzido pela Dr. Ilda Sauer, professora da USP e uma das maiores autoridades do país na área, apontou o Maranhão como território insuperável pelas vantagens comparativas que apresenta. Esse relatório foi encaminhado ao ministro Lobão e ao presidente Lula.
     Também posso anunciar que estão avançadas as negociações para que o Maranhão receba a planta industrial de uma das maiores empresas de construção naval do país. Esse investimento, forte gerador de empregos, se somará à refinaria, criando uma dinâmica da qual resultará, por necessário, a vinda de empresas de siderurgia.
     A notável condição do nosso estado, sua posição geográfica, o relevo e clima, a generosa costa, todo isso tem sido, até aqui, promessa de um futuro que nunca chega. É hora de fazer acontecer inaugurando um modelo de pactuação diferente; que beneficie nossas empresas, estimule os empreendedores locais e, principalmente, espalhe os benefícios do desenvolvimento por aqueles que mais necessitam.
     Para tal, temos a convicção de que o único caminho é através da educação. Preparar nosso povo, criar as condições para que o desenvolvimento seja também oportunidade de crescimento pessoal. Esse é o desafio que temos pela frente. Mais que tudo, é um imperativo que todos temos perante o flagelo da miséria que marcou a história do nosso estado.

Jackson Lago
Governador do Maranhão

* Publicado na imprensa do Maranhão em 18 de maio de 2008

Liga ficará com maior fatia dos recursos do São João 2010 do governo do Estado

Definitivamente os R$ 20 milhões destinados pelo governo do Estado ao projeto São João 2010 irão carburar a candidatura da governadora Roseana Sarney (PMDB) à releição.
      Se havia alguma dúvida, esta se diluirá na planilha da divisão dos recursos do erário. Mantida sob subterfúgios até mesmo para seus interessados diretos, a divisão discricionária atenderá aos ditames políticos da dona da festa.
     Dos R$ 7 milhões destinados ao pagamento das brincadeiras juninas, a maior parte vai rechear as burras da Liga Independente de Bumba-meu-boi, uma entidade engendrada pelo macará cheio de moedas do cunhado da governadora, o deputado estadual Ricardo Murad (PMDB), que agrega 17 grupos de bumba-meu-boi.
     À Liga, presidida pelo amo do boi de Morros, Lobato (foto), está destinado um reforço de caixa especial. Algo em torno de R$ 2 milhões, não computados no rateamento dos recursos do erário destinados às demais brincadeiras.
     Pelo projeto do governo do Estado, às brincadeiras foram concedidos cachês referentes a uma média de dez apresentações no período da festa junina. O preço dos cachês dos bumba-meu-boi foi estipulado em cerca de R$ 3,5 mil por cada apresentação nos arraias da programação oficial.
     Os grupos da Liga contam com um palanque especial: o arraial da Lagoa da Jansen, organizado por Ricardo Murad.
     De salto alto, os bois de Morros e da Maioba chegaram a insuflar uma corrente contrária à Prefeitura de São Luís. Não foram atendidos pelos demais membros da Liga que concordaram em participar da programação da Fundação Municipal de Cultural de São Luís, Func. Os dois grupos são tidos como carros-chefes da campanha da reeleição. E haja toada de pique para imantar a branca, catirina mimosa na matança dos bois da liga dependente.

No Painel da Folha de S. Paulo

contraponto

Solidariedade
     Convidado especial do evento de 1º de Maio da Força Sindical, Lula aproveitou o tempo de espera antes de entrar no palco para, numa sala reservada, tentar convencer Paulinho (PDT-SP), autor da emenda que elevou o reajuste dos aposentados para 7,7%, a reconsiderar sua posição. Sem interesse em discutir com o presidente, o deputado serviu-se de uma dose de cachaça e ofereceu-lhe outra. A primeira-dama reagiu:

-Lula, ainda não são 11h da manhã...

-Marisa, nunca deixo companheiro beber sozinho!

E não se falou mais em reajuste de aposentados.

Manchetes dos jornais

CORREIO DE NOTÍCIAS - Lula usa Morales e provoca Serra
ITAQUI-BACANGA - Polícia investiga morte de homem achado dentro de poço na C. Olímpica
JORNAL A TARDE - Posse na Fecomércio na segunda, mesmo com eleição sub-judice
JORNAL PEQUENO - Roseana faz vontade de Ricardo e exonera secretário de saúde
JORNAL EXTRA - PM Larga barga em PM
O DEBATE - SL scolhe Nossa Senhora
O ESTADO DO MARANHÃO - Revolução na saúde está em construção de todo Maranhão
O IMPARCIAL - Porque eles brigam pelo PT
TRIBUNA DO NORDESTE - Cabo da PM é morto em confronto com colegas