10 de mar de 2011

Francisco Escórcio emplaca filha e mulher no Senado e aguarda assumir mandato na Câmara

Marca exata da política do suplente
     O suplente de deputado federal Francisco Escórcio (PMDB) — que dentre outros episódios rocambolesco deu carteirada na fila do restaurante da Câmara —, segundo suplente da coligação "O Maranhão não pode parar", encabeçada por Roseana Sarney (PMDB), esperava tomar posse nesta quinta-feira,10. Não deu já que o presidente da câmara, Marco Maia, decidiu dar posse ao suplente da coligação, contrariando decisão do Supremo Tribunal Federal em casos pontuais.
    Enquanto espera na fila resolveu dar um jeitinho na vida.o Diário Oficial publicou a nomeação da filha de Escórcio, Juliana, como assistente parlamentar do senador João Alberto Souza (PMDB-MA). Além da filha, sua mulher, Alba, também já estava empregada no Senado. Como assistente parlamentar do gabinete do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP).
Escórcio tem uma  folha corrida como suplente. Foi em 1996, 1997 e 2002.
    O suplente não considera as nomeações como nepotismo:
– A vida delas é a vida delas. Não tem problema. Eu só vou tomar posse na quinta-feira, desconversa.

Simproesema repudia campanha do governo

     A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) distribuiu nota oficial reafirmando a greve dos educadores (professores e funcionários de escola) e criticando a campanha de mídia desenvolvida pelo governo que estaria “tentado jogar a opinião pública contra os profissionais da educação”, a quem atribui uma eventual desorganização do sistema estadual de educação.

NOTA OFICIAL
À SOCIEDADE EM GERAL
Nós, educadores (professores, especialistas e funcionários de escolas), estamos desde 2009 empenhados na definição, aprovação e aplicação do Estatuto do Educador, necessário ao reconhecimento e valorização do profissional, que pode dar ao ensino público a qualidade que a sociedade maranhense exige e paga por ela.
Ao contrário do que diz a propaganda oficial, o governo de Roseana Sarney (PMDB) já demonstrou não ter compromisso com a qualidade do ensino público. E é por isso que estamos em greve geral por tempo indeterminado, desde o dia 1º de março. Vejamos o que tem acontecido:
1. Em 2009, conseguimos após muitos debates, estabelecer, com o Poder Executivo, um projeto de Estatuto do Educador. Logo em seguida, o governo Roseana Sarney (PMDB) rasgou esse projeto e tentou impor outro, construído exclusivamente pelo governo. Devido à resistência dos educadores, o governo recuou e disse aceitar o projeto estabelecido em consenso;
2. Demonstrando má-fé, o governo Roseana Sarney mente ao dizer ter “o compromisso de implantar integralmente, este ano, o Estatuto do Educador, contemplando, inclusive, revisão salarial para a categoria”. Mas o Orçamento do Estado para 2011, proposto por Roseana e assessores, não previu os impactos financeiros para aplicação do Estatuto. Mais ainda: a orientação que partiu do Palácio dos Leões foi que a bancada governista rejeitasse emendas parlamentares que destinavam recursos para vigência imediata do Estatuto;
3. Confirmando a irresponsabilidade do governo com a educação, temos hoje fechamento de turnos em escolas, professores aprovados e excedentes do último concurso à espera de nomeação, outros ministrando aulas de disciplinas para as quais não estão habilitados, abandono da estrutura física das escolas, falta de carteiras nas salas de aula, superlotação de turmas, extinção de vagas entre outros;
4. Agora o governo Roseana Sarney tenta manipular a opinião pública e mente para a sociedade ao dizer que agora está organizando a rede estadual, a começar pelo calendário escolar, e que tudo vai bem na educação. Vale dizer que o ano letivo começou, no dia 21, sem muitas escolas terem sequer carteira para os alunos sentarem;
5. O governo envereda por um caminho perigoso quando atribui aos educadores o não cumprimento de um acordo para regularização do calendário escolar que há anos está defasado, não pelos protestos dos trabalhadores, mas por falta de professores.
6. A governadora Roseana Sarney, que anunciou que faria “o melhor governo da sua vida” e que “a educação passaria por uma revolução”, tem a oportunidade de entrar para a história ao atender às reivindicações dos educadores.
7. Afinal, o Maranhão disputa os últimos lugares no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). A situação do ensino cada vez mais precária deve-se a política de sucessivos governos que não priorizaram a Educação. Sabemos da crise pela qual passa a educação pública no país, e no Maranhão não é diferente, com um agravante: aqui se encontram cinco das 20 piores escolas do Brasil.
8. Os educadores e educadoras, representados pelo Sinproesemma (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão) não recuarão diante das ameaças, chantagens e repressão vindas do governo do Estado e continuarão em greve até que o Poder Executivo se disponha a negociar e atender as reivindicações dos trabalhadores.
Educação pública de qualidade só com o estatuto aprovado e o educador valorizado.
São Luís, 4 de março de 2010
Sinproesemma

Entrevista de Gil Cutrim deve esclarecer gastos com carnaval

    O mínimo que se espera é que na coletiva que o prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PMDB), filho do presidente do Tribunal de Contas do Estado, TCE, Edmar Cutrim, concederá, nesta sexta-feira, dia 11, às 9h, sejam expostos os gastos com o carnaval e Lava-Pratos 2011 do município da região metropolitana.
    A referida entrevista coletiva será concedida na Prefeitura, situada na Rua Artur Azevedo, nº 48, Sede do município de São José de Ribamar, às 9 horas.

Cine Praia Grande reabre com filme de Coppola

Sindicato divulga agenda da greve dos professores

    A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) fez uma avaliação da primeira semana de greve dos profissionais de educação, iniciada no dia 1º de março, por tempo indeterminado. Na reunião, os diretores também definiram a agenda do movimento, com várias atividades que iniciarão logo após o período de carnaval.

    A agenda foi retomada hoje (10) com blitzes nas escolas da rede estadual , pela manhã, e reunião de avaliação da greve, à tarde, na sede do SINPROESEMMA. Destaque para a grande passeata marcada para o dia 15 de março, às 15h, com percurso da Praça Deodoro até a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), no bairro Monte Castelo. Acompanhe, abaixo, a agenda de atividades completa, do dia 10 ao dia 16 de março.
Agenda da greve
10 de Março – quinta-feira
Manhã – De 8h ao meio dia: Blitz nas escolas. Concentração no Sinproesemma
Tarde – Às 16h - Reunião de avaliação da greve, no SINPROESEMMA
11 de Março – Sexta-feira
Manhã – ÀS 8h: Blitz nas escolas e visita às empresas de comunicação.
Concentração no SINPROESEMMA.
Tarde – Às 14h: Reunião com os funcionários de escolas
15 de Março – Terça-feira
Tarde – Às 15h - Passeata, da Praça Deodoro até a Seduc, no Monte Castelo.
Concentração na Praça Deodoro.
16 de Março – Quarta-feira
Manhã – De 8h às 12h: Blitz nas escolas.
Concentração no SINPROESEMMA

Pereirinha inicia campanha eleitoral para vice-prefeito

O próprio
    A festa carnavalesca não deve servir de palanque eleitoral. A promoção pessoal mediante superexposição da imagem ou nome de políticos e gestores fere o princípio da impessoalidade, como dispõe no art. 37, caput, e §1º, da Constituição Federal, assim como, art. 36, §3º, da Lei 9.504/97, o que caracteriza a propaganda eleitoral antecipada.
Propaganda explícita
    Embora não seja ano eleitoral, na passarela e circuito carnavalesco de rua em São Luís faltou espaço para tamanha promoção. O campeão foi o presidente da Câmara Municipal de São Luís, Antonio Isaías Pereirinha (PSL).
    O vereador desfilou em duas escolas, Mangueira e Flor do Samba. Na primeira desfilou em carro alegórico com chumbo no pé. Na Flor participou do desfile como membro da diretoria. Com eufismo de apoio partocinou um balde de brincadeiras carnavalescas e colocou nome em abadás de blocos tradicionais, organizados e selou bandas como a do Botafogo do Anil.


A propaganda subreptícia

    Pereirinha trabalha para emplacar como vice em uma chapa na disputa pela prefeitura da capital maranhense em 2012. Além de Pereirinha foram notadas as presenças do vereador de São Luís, Ivaldo Rodrigues (PDT), do deputado estadual Roberto Costa (PMDB) e do secretário de estado do Trabalho e Economia Solidário, o petista José Antonio Heluy, em estado de euforia "lulista" no desfile da Flor do Samba. Na estampa outros nomes desfilaram, como do deputado estadual Eduardo Braide.
    No Ceará e Bahia, promotores eleitorais se movimentaram nesse sentido durante o carnaval, presumindo a superlotação do palanque carnavalesco no próximo ano, quando acontecem as eleições municipais.

Manchetes dos jornais

AQUI-MA - CPF de graça
JORNAL EXTRA - Vale aciona Lobão para não perder mina de Carajás
JORNAL PEQUENO -Favela ganha hexa e Marambaia é vice no carnaval de São Luís
O ESTADO DO MARANHÃO - Em São Luís deu Favela;Beija-Flor venceu no Rio
O IMPARCIAL - Favela ganha pela sexta vez seguida

NO PAÍS
CORREIO BRASILIENSE: Pressionada, filha de Roriz sai de comissão
FOLHA DE S. PAULO: USP é preferida por 25% dos alunos selecionados
O ESTA DE S. PAULO: BNDES já empresta três vezes mais que o Banco Mundial
O GLOBO: Rei dá à Beija-Flor recorde de títulos no Sambódromo
VALOR ECONÔMICO: Custos de Jirau sobem e obra já atinge R$ 13 bi
ZERO HORA: SEC estuda selecionar professores pela nota em exame nacional
DIÁRIO DO PARÁ: "Fogo amigo" mata policial
JORNAL DO COMMERCIO:Mortes pela água e pelo fogo
MEIO-NORTE: Trânsito mata 20 no carnaval
O POVO: Sem PV e Castelão, Vovô terá que jogar em outro estado