1 de ago de 2010

A Indesejada

Luis Augusto Cassas

3 da manhã.pound!pound!pound!
a poesia baixa em mim
cmo um santo em seu cavalo
mas eu não sou baudelaire
que o mundo ama e ninguém quer.
nem sou coronel
pra sustentar bordel
te sai dessa, menina.
poesia e vaselina
só em festa de grã-fina.
escrita fina.
estou meio deprê.
depois a gente se vê.
edgar allan,pô, que tralha,
vê se enxota essa gralha!

Luis Augusto Cassas é poeta maranhense. Do livro "Rosebud" (MassaoOhno Editor), de 1990

Manchete do dia

JORNAL PEQUENO - Pesquisa revela que está indefinida a eleição para o governo no Maranhão
O ESTADO DO MARANHÃO - Roseana avança em São Luís e promete 3 obras importantes