30 de set de 2010

Apresentadora da oposição imiita Sarney e ironiza defesa de Roseana no programa eleitoral

     Distante do programa eleitoral de TV da filha e candidata Roseana, o ex-presidente e senador José Sarney, ambos do PMDB, apareceu de forma caricata no horário gratuito do concorrente Jackson Lago (PDT). A imitação foi feita por uma mulher. A apresentadora do programa do pedetista, Aline Pereira, de 27 anos, foi quem vestiu-se como Sarney, com paletó, gravata, cabelo grisalho e bigode. Para representar o gestual do senador no vídeo, Aline, estudou durante duas horas cópia de um discurso de Sarney recente no Senado, quando fez sua defesa sobre acusações de emprego do namorado de uma neta no serviço de saúde da Casa. Da época das denúncias dos atos secretos.
     Durante os 30 segundos de duração do vídeo, uma peça de humor da campanha de Jackson, "Sarney" aparece de punhos cerrados fazendo discurso em defesa de Roseana. A voz de Aline é dublada pelo apresentador do programa, Jeisael Marques. Na fala, é repetido um conhecido bordão da época de Sarney presidente da República:
     "Brasileiros e brasileiras. A partir de hoje está proibido falar mal da minha filha e das promessas que ela não cumpre. Quem reclamar dessas coisas é porque não gosta do Maranhão" - afirma o personagem.
     Aline contou que o principal desafio neste papel foi não deixar parecer que era uma mulher se passando por um homem.
 Acho que consegui cumprir bem a missão de encenar um personagem que é homem. Esta foi minha preocupação. Me concentrei bastante - disse Aline Pereira.
    -
     O vídeo com discurso encenado de Sarney foi exibido duas vezes no programa de Jackson durante a campanha eleitoral de TV, que terminou ontem. Desde a semana passada, essas cenas circulam na internet.
     No trecho final do discurso, o personagem Sarney diz que vai mandar para o Amapá, onde o senador tem seu domicílio eleitoral, os críticos e os opositores da família.
     "Para o Amapá, não! Lá, meus amigos da política são decentes e honestos" - afirma o personagem.
     Esta é a terceira campanha de Jackson Lago que Aline atua. Ela é cearense, mas frequenta o Maranhão desde criança e acompanha a política local.
     Durante a campanha eleitoral, Aline fez outras esquetes, que são essas pequenas peças de humor, no programa de TV de Jackson. Sempre com críticas a Roseana. Numa dessas aparições, a coligação da governadora recorreu à Justiça Eleitoral e conseguiu não apenas suspender a exibição do vídeo, mas impedir toda exibição de um programa do pedetista, cujo tempo de TV era de três minutos. Aline é estudante de artes cênicas, no Rio, ma já atua como atriz.

Dilma "era favorável depois mudou de posição" sobre aborto, diz Marina

     A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, afirmou ontem, quarta-feira (29), que a adversária do PT, Dilma Rousseff, faz "discursso de conviniência" quando fala sobre aborto. Defensora de um plebiscito nacional sobre a questão, a verde, que é evangélica, reiterou sua posição. Segundo ela, Dilma "já disse que era favorável depois mudou de posição". "Não acho que em temas como esse se deva fazer um discurso uma hora de uma forma e uma hora de outra só para agradar o eleitor", acrescentou. Para ela, o importante é "discutir com transparência".
     Marina  concedeu entrevista durante corpo a corpo na Central do Brasil, no Rio de Janeiro. A candidata afirmou que chegou à capital fluminense um dia antes do debate da TV Globo para "reforçar o trabalho da militância". Sobre a estratégia para o debate de amanhã na TV Globo, Marina declarou que vai manter a mesma "atitude de coerência" do anterior, na Record. "Vou debater o que interessa para o Brasil: saúde, educação e segurança pública, sem pegadinhas e ofensas pessoais. É assim que já estamos numa verdadeira onda verde. Na Amazônia, eu disse que é mais que uma onda, é uma pororoca verde.".

2º turno explicita dúvidas, diz Caetano

     Cabo eleitoral assumido da candidata Marina Silva, o cantor Caetano Veloso, 68, defende a importância do segundo turno nas eleições presidenciais para que "haja uma sensação de que há críticas, há gente de olho, há dúvidas na sociedade".
     Na entrevista a seguir, critica a campanha de José Serra ("não tem que botar Lula na propaganda dele") e faz um balanço de erros e acertos de Lula ("apesar de tudo isso, está no azul"). Leia os principais trechos.
Folha - Pesquisas recentes apontam queda de Dilma e abrem margem para um possível segundo turno. Como vê esse quadro?
Caetano Veloso - Eu torço para que tenha segundo turno. Porque o tom que Lula e Dilma estavam [usando] na campanha, ela insuflada por ele, era um pouco desmedido. E até irrealista. Eufórico demais. Não era bom que fosse uma eleição no primeiro turno, e uma presidente fosse empossada nesse tom.
Por quê?
Deve haver uma sensação de que há críticas, há gente de olho, há dúvidas na sociedade, que a vida é mais complexa. Aquele negócio de Lula pensar que pode dizer tudo quando chega no comício não é bom. Se a eleição se definisse nesse tom, seria um sintoma de que o Brasil realmente estaria em uma regressão populista primária, que eu suponho que o Brasil não tenha mais idade para estar.
A campanha de Serra está mais equilibrada?
Sempre achei errado Serra ficar esse tempo todo fingindo que não teria nada contra Lula, como se estivesse junto dele. Aquilo não funciona. O Brasil é um país grande. Quantos leitores tem a revista "Veja", por exemplo? É sinal de que o país tem várias forças se movendo dentro. Serra deveria ter se apresentado como outra coisa, não tem de botar Lula na propaganda dele. Precisava de um baiano lá para saber fazer a campanha dele [risos].
Qual seria a melhor estratégia para Marina, sua candidata, se houver segundo turno?
O ideal seria que ela subisse, passasse o Serra e fossem duas mulheres para o segundo turno. Ia ser muito bom.
E se isso não acontecer? Ela deve apoiar outro candidato?
Ela pode se abster de apoiar alguém. Mas, se apoiar, dirá claramente por que fez. Marina é a mais moderna. Está num estágio pós-Fernando Henrique e pós-Lula, com o que aconteceu de bom nesses governos. Tem as responsabilidades intelectuais, técnicas e morais que resultaram dos 16 anos de PSDB e PT.
Você se arrepende de ter votado em Lula em 2002?
Nunca me arrependi --nem no auge do mensalão, nem agora, quando ele falou em "extirpar o DEM" e nessa baboseira sobre "mídia golpista". Essas coisas não são aceitáveis, mas, apesar de tudo isso, Lula está no azul.
Por quê?
Ele é uma continuação do governo Fernando Henrique, com mais energia e mais brilho. Lula é uma figura histórica de grande importância, muito maior do que pôde aparecer no filme que foi feito pelo Fabinho [Barreto, "Lula, o Filho do Brasil"]. É um filme legal, mas teve pudor em fazer o que deveria ser feito: se deixar inebriar pela força mítica do grande herói épico e histórico que o Lula é. Se fizesse, seria um clássico.
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

AQUI -MA -  Será um milagre? Jesus aparece no Radional
ATOS & FATOS - Suspeitas das pesquisas: Roseana ingressa na justiça contra a Exata e a Constat
JORNAL EXTRA - Candidato do rabudo: Deputado é morto a bala na Jordoa
JORNAL PEQUENO - Sarney pede a prefeitos apoio para Roseana em "semana nervosa'
O ESTADO DO MARANHÃO - Pesquisas apontam vitória de Dilma em turno único
O IMPARCIAL - Fraudes eleitoral e previdenciária
TRIBUNA DO NORDESTE - Jackson faz arrastão na Rua Grande

29 de set de 2010

Coordenador de campanha de Roseana apoia arremedo do "Minha Casa Minha Vida"

Bandeira da candidata fincada no assentamento
     Filiado ao DEM, partido que Lula quer extinguir, o coordenador de campanha da governadora Roseana Sarney (PMDB) e prefeito licenciado de São José de Ribamar, Luiz Fernando Silva, para "bombar" a votação da aliada no município vai na contramão do lema "Minha Casa, Minha Vida" de Dilma Roussef.
     Despejadas do local em março do ano passado por força policial, desde o início de setembro inúmeras famílias retornam ao loteamento Costa do Atlântico rebatizado pelos ocupantes de Cidade Nóva (sic). O loteamento fica a menos de dois quilômetros das praias Ponta Verde e Panaquatira, polos turísticos de São José de Ribamar.
     Sem água encanada, mas contando com a complacência da Cemar, os assentados se multiplicam de dia e à noite.

Policiais cumprem ordem judicial despejando famílias

     Na manhã de terça-feira vários automóveis particulares eram vistos no local. A poucos metros da rodovia que leva até a praia do Panaquatira, uma bandeira tremula por força da brisa com a estampa da candidata ao governo. O material de campanha é o salvo-conduto das famílias de ocupantes do loteamento reclamado pela família Cutrim, de políticos ligados ao prefeito licenciado.

     Carros de som com voz de sermão gravada por Luiz Fernando percorrem desde as primeiras horas da manhã as ruas do município. Ele pede voto para os aliados do partido da base de apoio a Dilma e também para oponentes do petista, e quase extirpados Nice Lobão e Max Barros, ambos do DEM. A eles, o prefeito credita as obras realizadas no município.
     Desde a semana passada Luiz Fernando desapareceu da coordenação de campanha da filha do Senador José Sarney (PPMDB-AP). Deu lugar a Hildon Rocha. Junto com o vice, Gil Cutrim, filho do presidente do TCE-MA e sobrinho do presidente do TRE-MA, inaugurou um parque botânico e entregou outras obras a pretexto da comemoração do aniversário da cidade.
     Por conta desse clima de tudo vale, o padre recém chegado à cidade modificou uma tradição secular da procissão do santo padroeiro no domingo passado, levando os fiéis a percorrer a cidade à noite.

Carta-denúncia do Forum Estadual pela Erradicação do Trabalho Escravo no Maranhão

     As entidades que compõe o FOREM – FORUM ESTADUAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO NO MARANHÃO, abaixo citadas, por decisão unânime no último Encontro da entidade, realizado nos dias 27 e 28 de agosto do corrente ano no município de Açailândia-MA, vem a público denunciar que a implantação dos CRDHs – Centro de Referência em Direitos Humanos no Estado do Maranhão, mais especificamente nos municípios de Açailândia e Imperatriz, não passam de uma estratégia político-eleitoreira da governadora Roseana Sarney para tentar se reeleger, fato que implica na distribuição de cargos a possíveis cabos eleitorais, beneficiamento seus apadrinhados com aluguéis de prédios particulares.
     Esclarecemos: o FOREM é uma organização que congrega e articula entidades dos movimentos sociais. Desde sua fundação em 2004 luta pela erradicação do trabalho escravo no Estado do Maranhão. Conseguiu estabelecer uma rede, envolvendo associações, sindicatos, pastorais sociais, centros de defesa, fóruns sociais, entre outros organismos sociais, fortalecendo a luta contra o trabalho escravo no Estado.
     Atuamos em favor das classes sociais pobres e excluídas de toda e qualquer política pública, pela ausência do Estado que, comprometido com os grandes empreendimentos econômicos, acabou por expulsar milhares de famílias do campo, rumo às cidades gerando assim todo tipo de mazelas sociais, principalmente o trabalho escravo, um dos mais perversos crimes praticados contra a dignidade humana.
     Fomos obrigados a escrever esta carta-denúncia, face aos descasos praticados no atendimento daqueles e daquelas que buscando ser atendidos nos CRDHs de Açailândia e Imperatriz e não tiveram um pronto atendimento. Assim se viram obrigados a procurar apoio junto aos organismos da sociedade civil, como se estes tivessem a função dos órgãos de Estados.
     Repudiamos a forma como os CRDHs têm atuado, ou melhor, deixado de atuar, haja vista os recursos destinados para sua finalidade, como bem diz o deputado estadual Davi Alves Silva Júnior em seu site: "são 2 milhões de reais de Emenda Parlamentar de sua autoria disponibilizados para equipar os Centros de Referências em Direitos Humanos no Estado do Maranhão e comprar veículos que ajudarão no transporte de pessoas com necessidades especiais; e no atendimento, orientação jurídica e psicossocial de 120 mil pessoas”.
     Entretanto, há muito que se questionar. Pois,na condição de parlamentar o dever deste deputado é fiscalizar o que está sendo feito com este dinheiro, afinal é dinheiro público. Esse dinheiro não passa de recursos públicos empregados de maneira irregular, já que não atende as diretrizes apresentadas pelo deputado.
     O precário financiamento das atividades sociais desenvolvidas pelos organismos sociais e a criminalização que sobrecai sobre os mesmos impossibilitam a continuidade de suas ações. Enquanto isso, nesses espaços públicos, a água e a energia são cortados por falta de pagamento, servidores contratados têm dificuldade de receber seus salários. E, pior ainda, se presta um desserviço às vítimas de violação de direitos.
     Questionamos às autoridades públicas: "Se há todo esse dinheiro disponível, por que um órgão de Estado que se entende como 'referência em direitos humanos' causa esses transtornos sociais e viola acintosamente os direitos de seus próprios servidores?
     Na certeza de que providências serão tomadas apresentamos às autoridades públicas, indignados votos de protestos, uma vez que não se pode brincar de fazer políticas públicas, principalmente quando se trata da escravização do ser humano.
Associação de Cultura Negra de Pedreiras-MA
Centro de Defesa da Vida e dos D. Humanos de Açailândia-MA
Centro de Defesa da Vida e dos D. Humanos de Bom Jesus das Selvas-MA
Centro de Defesa da Vida e dos D. Humanos de Santa Luzia-MA
Centro de Defesa de Santa Quitéria-MA
CPT – Comissão Pastoral da Terra/MA
Fórum Carajás
Fórum do Turi
Fórum Estadual Pela Moradia – Pindaré Mirim-MA

STF extingue recurso de Joaquim Roriz

     Diante da renúncia de Joaquim Roriz a sua candidatura ao governo do Distrito Federal, o Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) acaba de declarar extinto, sem análise de objeto, o Recurso Extraordinário (RE) 630147. O recurso foi ajuizado na Corte pela defesa de Roriz.
     Votaram pela extinção do feito sem a análise do objeto do recurso os ministros Marco Aurélio, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Ellen Gracie, Celso de Mello e o presidente, ministro Cezar Peluso. Pela prejudicialidade do recurso, por perda superveniente do objeto votaram, os ministros Cármen Lúcia, Carlos Ayres Britto, Ricardo Lewandowski e Joaquim Barbosa.
     Os ministros declararam, ainda, que o reconhecimento da repercussão geral da matéria fica mantido, valendo para quaisquer outros recursos que versem sobre a constitucionalidade da Lei Complementar (LC) 135/2010 – a chamada Lei da Ficha Limpa.
     O objeto do recurso era o deferimento do registro da candidatura de Roriz ao cargo de governador do Distrito Federal. Na sexta-feira passada, após a interrupção do julgamento, Joaquim Roriz desistiu da candidatura.
Do STF

Lei Seca ainda não foi decretada no Maranhão

     O Maranhão está entre os estados que ainda não adotaram a lei seca durante o dia do primeiro turno das eleições;  próximo domingo, 3 de outubro.
     Em alguns estados a lei que proibe a venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicas não vigorará. São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia não adotam a abstenção alcoólica forçada. Vai valer no Distrito Federal, Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Mato Grosso do Sul, Acre e Roraima.
     No Tocantins, Roraima e Mato Grosso dependerá do juiz eleitoral em cada município.

A prefeitos do MA, Sarney pede apoio para Roseana em "semana nervosa"

ELVIRA LOBATO
ENVIADA ESPECIAL AO MARANHÃO
     Embora diga que acompanha o pleito no Maranhão apenas como espectador, o ex-presidente e senador José Sarney (PMDB-AP) mergulhou de cabeça na campanha para reeleger a filha, Roseana, governadora do Estado.
     Em almoço fechado com dezenas de prefeitos anteontem, ele disse enfrentar uma das eleições mais importantes de sua vida e atacou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB.
      "O Fernando Henrique Cardoso não mandou um tostão para o Maranhão", disse Sarney, após alinhar todas as obras que realizou no Estado, ou para as quais viabilizou recursos, em seus mais de 40 anos de vida pública.
     O presidente do Senado convocou os prefeitos a buscar votos para Roseana nos próximos dias, que ele definiu como a "semana nervosa". Pesquisas locais de intenção de voto apontam para um segundo turno.
     O encontro foi organizado por Ricardo Murad, cunhado de Roseana, ex-secretário de Saúde e candidato a deputado estadual. Ele discursou antes de Sarney e pediu empenho dos prefeitos para impedir a "zebra".
    O encontro era fechado, mas um dos participantes gravou o discurso.
     Sarney, que se elegeu governador do Maranhão pela UDN, em 1965, (início do governo militar), disse que começou sua vida política no tempo da lamparina e listou as mazelas daquela época, para destacar seus feitos e os de Roseana.
     Segundo ele, o Maranhão era muito pobre, paupérrimo. Os presos ficavam amarrados a troncos porque não havia cadeias.
     Disse que sem as obras dele e as de Roseana, o Estado do Maranhão não teria nada.
     Sarney falou da sintonia de Roseana com Lula e Dilma, disse que ela "fascina o povo" e Brasília.
Da Folha de S. Paulo

Lula diz que Obama o chamaria hoje de "o cara do cara"

     Durante o evento de comemoração dos 60 anos da refinaria Landulpho Alves – Mataripe, em São Francisco do Conde (Bahia), o presidente Lula afirmou que terminará o mandato com mais de 80% de popularida. Lula disse ainda que, caso Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, soubesse dos seus índices de popularidade hoje, diria que ele “é o cara do cara”.
     "O Obama disse há dois anos que eu era o cara. Mas ele ainda não conhecia as pesquisas que estão saindo nesses dias. Nós vamos terminar o mandato com mais de 80% de aprovação, de bom e ótimo. Se colocar regular, vamos chegar a 96%. Ele iria falar: 'pô, não é que esse cara é o cara do cara?', declarou.
Da Folhaonline

Segundo via do título pode ser retirada até amanhã

     Aqueles que desejam retirar a segunda via do título de eleitor tem até amanhã, quinta-feira (30), para solicitar o documento na Central de Atendimento ao Público do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
     O atendimento ocorre das 8h às 18h e a segunda via é fornecida na mesma hora. É importante ressaltar que este ano é obrigatório, no momento da votação, apresentar o título de eleitor e um documento com foto.
     Para quem tirou o documento nos SACs, as unidades farão plantão no sábado – 8h às 17h – e domingo – 8h às 15h – para entrega dos títulos. Segundo o TRE, já foram impressas 70.775 segundas vias do título de eleitor desde o dia 6 de maio.

Marcos Silva se destaca no debate da TV Mirante entre candidatos ao governo do estado


     O candidato do PSTU, Marcos Silva, se destacou durante o debate da TV Mirante na noite de terça-feira, 28, entre os cinco candidatos ao governo do Maranhão. Silva, que tenta pela quarta vez chegar ao Palácio dos Leões desde o primeiro bloco do debate mostrou segurança e transparência em suas explanações sobre problemas do estado e programa de governo.
     Na antítese esteve a governadora Roseana Sarney (PMDB) que se assemelha a Silva na tentativa de chegar ao quarto mandato.
     Como uma senhorinha por várias vezes a aliada de Lula pediu respeito, demonstrando distanciamento com a função pública diante das críticas verdadeiras encetadas pelo também socialista Saulo Ancângeli, candidato do PSOL.
      "Isso é uma inverdade", iniciou sua fala a governadora ao dar resposta ao pedetista Jackson Lago sobre a paralisação do PAC-ANIL. Em seu programa de governo promete acelerar o projeto, iniciado em 2008 com menos de 20% das obras concluídas após modificação do projeto original.
     O candidato do PCdoB, Flávio Dino, no segundo bloco do debate tirou a muleta de Roseana, sublinhando a declaração da mesma de que quem faz as coisas no Maranhão é o presidente Lula através dos programas do governo federal. "O governo federal faz e a senhora bota a placa", alfinetou Dino.
     Roseana reconheceu que teve como aliado o presidente tucano Fernando Henrique Cardoso. "Na época de Fernando Henrique ele não olhava para o Maranhão como Lula olha hoje. Fui sua aliada, mas hoje posso dizer isso", rebateu a filha do senador José Sarney (PMDB).
     O modelo de governo proposto pela peemedebista foi consensual entre os outros candidatos. "A ideia dos grandes projetos, governar para os grandes, levando ao abandono a população" eis o rótulo do modelo.
     "O Maranhão é um estado pobre. Está situado na região mais pobre do país, que é o nordeste brasileiro. Assim como o Brasil que é um estado pobre", justificou a governadora diante da acusação de Flávio Dino sobre a responsabilidade do grupo político a que ela pertence sobre o estado de pobreza do estado.
     Roseana transferiu para o governador Pedro Neiva de Santana a autoria da Lei da Terra, processo de ocupação do território maranhense por estrangeiro desencadeado no governo Sarney.
     A governadora reclamou do retrovisor usado pelos candidatos da oposição. Por outro lado, puxou para si a autoria de projetos como a Ferrovia Norte-Sul, e o polo agroindustrial de Balsas.
     "Há uma torcida no Brasil para que o Maranhão se liberte da oligarquia de uma família", frisou Marcos Silva, sugerindo que a direção do governo seja entregue aos conselhos populares. "Só os trabalhadores organizados podem livrar esse estado domínio de uma família", concluiu.
     Saulo Arcangeli desferiu acusações contra os ex-governadores e o Flávio Dino. Emparedou o comunista na questão da saúde em Caxias, quando citou seus laços políticos com o prefeito de Caxias e proprietário de fundação de saúde, Humberto Coutinho. A questão levantada deixou Dino titubeante. Arcageli responsabilizou o pedetista Jackson Lago por inflar a especulação imobiliária na região das praias com a modificação do Plano Diretor que beneficiou construtoras. "Infelizmente o senhor não soube planejar a cidade de São Luís", afirmou o candidato do PSOL.
     A borduna na candidata da coligação "O Maranhão não pode parar" veio através de Marcos Silva já no quarto bloco. Ao indagar sobre um sentimento de remorso que poderia ter acometida a filha do senador José Sarney ao privatizar o BEM e a Cemar obteve a resposta de que a empresa de energia foi vendida para que o governo pudesse fazer os Vivas.
     No mesmo diapasão tratou a questão da cultura citando o descaso com a Biblioteca Pública Benedito Leite, fechada desde o início da terceira gestão de Roseana Sarney. Enfim, apesar de morno o debate - o único da campanha- procurou sede em todos, tanto candidatos como eleitores. Pena que no portal do Sistema Mirante de Comunicação não foi postado nem um compacto do debate.

Algumas ideias de Marcos Silva
Sobre Segurança
"Lamentavelmente parte de nossos jovens e mulheres e são jogados a drogas, ao desemprego, sem esperança no futuro em função da situação social que vive nosso estado. Um estado que deixa mais de 19% da população com mais de 15 anos sem saber ler ou escrever, é um estado que sem dúvida alguma trata de forma perversa"

Sobre desenvolvimento econômico
"Nosso estado tem muitas riquezas naturais. Sem dúvida nenhuma há uma grande quantidade de água, de recursos naturais e uma população com muita vontade de trabalhar. Ele precisa de um processo de desenvolvimento econômico. Historicamente nosso estado tem se vinculado aos grandes projetos. Primeiramente no final da década de 60 quando o governador José Sarney aplicou no Maranhão a lei da terra, trazendo grandes empresários para tomar conta das terras, expulsando o homem do campo. A segunda questão passa pelo processo de liquidação de empresas, feita exatamente pelo FHC e pela ex-governadora Roseana Sarney. Esse processo vai de 95 até 2002. Liquidaram toda a agricultura, a Copema, privatizaram o Banco do Estado e a Cemar, fazendo com que nossa economia reduzisse e que o nosso povo ficasse no desemprego".

Sobre a Lei da Terra
"Na verdade a candidata foi mal orientada pelo Duda Mendonça traz uma questão que não é o Marcos Silva que afirma isso, porque na verdade eu era apenas uma criança na época. Mas a senhora pode pegar os estudiosos, pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão - Wagner Cabral e Fátima Gonçalves-que vão demonstrar quando foi esse processo em 69 através da Lei da Terra que criou a violência no Maranhão através do latifúndio.
Desenvolvimento econômico também o Marcos Silva não ensinou para ela. Desenvolver economia significa gerar alimentos, no setor primário, com incentivo à agricultura. Da mesma forma no setor secundário, industrializar o nosso estado. Não como a Kao I de Rosário, que não deu certo, mas trazer indústria de calçados, vestuários e de alimentação. “Assim você constrói uma economia forte, baseada na pequena e média produção”.

Manchetes dos jornais

ATOS E FATOS - Complicou: Dilma cai em todas as faixas e eleição pode ir ao 2º turno
JORNAL PEQUENO - Roseana é alvo de críticas e fica na defensiva no debate da TV Mirante
O DEBATE - Dilma não tem vitória garantida no primeiro turno
O ESTADO DO MARANHÃO - Debate deu o tom final da campanha para o governo
O IMPARCIAL - Eleições 2010: 2 Pesquisas, 2 Turnos, 2 Apostas

Roseana é alvo dos candidatos da oposição

EUGÊNIA LOPES - Agência Estado
     Líder nas pesquisas de intenção de voto, a atual governadora e candidata à reeleição do governo do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), foi o alvo dos dois principais candidatos de oposição que disputam a corrida estadual.
     Tanto Flávio Dino, do PC do B, como o ex-governador Jackson Lago, do PDT, tentam levar a eleição no Maranhão para o segundo turno. Para se defender das acusações que seu grupo político, apesar de comandar há décadas o Maranhão, não fez nada pelo Estado, Roseana se valeu de seu cabo eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
     "Há dez anos não tínhamos o Lula como presidente", disse a governadora. Ela aproveitou ainda para renegar sua parceria com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. No período em que foi governadora, entre 1996 e 2004, Roseana foi aliada do tucano. "O Fernando Henrique não olhava para o Maranhão como o Lula olha", alegou.
     O debate entre cinco candidatos ao governo maranhense foi morno. Os candidatos do PSOL, Saulo Arcangeli , e do PSTU, Marcos Silva, atacaram todos os candidatos. Do lado de fora da repetidora da TV Globo do Maranhão, que pertence ao grupo Sarney, foi montado um forte esquema de segurança, que teve até tropa de choque da Polícia Militar. Centenas de partidários de Flávio Dino e Roseana Sarney tomaram conta das ruas ao redor da televisão.
De oesatadao

28 de set de 2010

Lei proíbe prisão de eleitores a partir de hoje

     A partir desta terça-feira (28), nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, a não ser em casos de flagrante, desrespeito a salvo-conduto ou prática de crimes inafiançáveis como tortura, tráfico de drogas e crimes hediondos. A determinação está no Código Eleitoral e será válida até a próxima terça-feira (5), 48 horas após as eleições.
     A lei é a mesma para candidatos, membros da mesa na sessão eleitoral e fiscais de partido. A não ser em casos de flagrante delito e com a análise do juiz competente para verificar a legalidade do ato.
     Segundo o calendário eleitoral, hoje também é o último dia para os partidos políticos e coligações indicarem aos juízes eleitorais representantes para o Comitê Interpartidário de Fiscalização. Quinta-feira (30) é o último dia para a realização de comícios, carreatas e debates.

Zé Reinaldo esclarece sobre inquério da Operação Navalha

O ex-governador e candidato ao Senado, José Reinaldo Tavares
     Incluído na lista dos candidatos que foram barrados pela Lei da Ficha Limpa ou são réus em ações penais, o ex-governador do Maranhão e candidato ao Senado Federal, José Reinaldo Tavares (PSB), respondeu ao site Congresso em Foco:
     "No inquérito, produzido com tanto estardalhaço, em que fui preso e algemado, é evidente o modo descuidado com que foi feita a investigação, o que fica demonstrado em vários pontos. O primeiro deles é o meu próprio nome que ora é grafado como José Reynaldo Tavares (com y) e ora como José Reinaldo Tavares e o meu nome correto é José Reinaldo Carneiro Tavares. Descuidados.
     No inquérito em que a ministra Eliana Calmon decreta a prisão preventiva de 47 pessoas, no item 10, em que resume os motivos para a minha prisão, diz: “José Reinaldo Tavares, ex-governador do Estado do Maranhão, recebeu vantagens indevidas no exercício do cargo, entre as quais se destaca, como presente de Zuleido Veras, um veículo Citroën ano 2005, modelo C5, placa JGV 7326, no valor de R$ 110.350,00, em junho de 2006. Sua participação diz respeito à medições fraudadas e ilícito direcionamento de processo de licitação à empresa Gautama nas obras de pavimentação da BR-402/MA”.
     Diz mais: “no dia seguinte ao pagamento, em 1º de setembro de 2006, Zuleido Veras, Geraldo Magela e o governador José Reinaldo Tavares reúnem-se em São Luís do Maranhão para tratarem sobre as medições e sobre as obras de pavimentação da BR-402, cujo processo de licitação o grupo pretendia fraudar para direcioná-lo à Gautama.
     Concomitantemente, o grupo criminoso tratava de uma outra obra, a pavimentação da BR-402 e, em 29 de junho de 2006, o Governador do Estado do Maranhão, com a interveniência da Secretaria de Infra-Estrutura, celebrou com o DNIT, do Ministério dos Transportes, o convênio número 564440, no valor de R$ 153.144.970,00, visando a implantação e pavimentação da BR-402/MA, havendo indícios de que a minuta do convênio tenha sido elaborada por Geraldo Magela e por Carlos Oliveira, representante da construtora Queiróz Galvão”.
     Tudo errado. O carro foi comprado em março de 2006. Nada a ver com junho ou setembro. Só foi escrito assim para fazer ilações sobre propina. Relação de causa e efeito. E a prova maior da corrupção, conforme se encontra na decretação da prisão preventiva, era o conluio em que eu teria tomado parte ativamente para direcionar e entregar as obras avaliadas em R$ 170 milhões para a Gautama, fraudando, sob meu comando, o edital de licitação. Por mais incrível que pareça, em 17 de maio de 2007, quando fui preso, as obras já haviam sido licitadas. Isso aconteceu no dia 19 de março de 2007 e o resultado, homologado, foi publicado no Diário Oficial da União e no Diário Oficial do Estado em 21 de março de 2007, portanto praticamente dois meses antes da prisão que, assim, não teria de fato motivos para acontecer. Nem se deram ao trabalho de verificar... Mas usaram-nos para me prender.
     Releva notar que a prova substancial utilizada pelo Ministério Público se restringe a interceptações telefônicas. Nenhuma delas realizada em diálogos travados por mim ou comigo, mas sempre referências de terceiros a minha pessoa, e sendo, todas elas, anteriores à autorização judicial para interceptar os referidos contatos telefônicos, que é de 29 de novembro de 2006."
Do Congresso em Foco

Conselhos tutelares da capital param nesta quarta e protestam contra o prefeito João Castelo

     Integrantes dos seis conselhos tutelares de São Luís param as atividades por tempo indeterminado a partir desta quarta-feira, 29, em protesto por falta de estrutura no funcionamento dos órgãos comunitários. Sem condições mínimas de funcionamento, faltando até mesmo água e material de expediente, os conselheiros irão até a porta da prefeitura de São Luís manifestar seu repúdio do prefeito João Castelo (PSDB).
     A maior parte dos conselhos está sem telefone por falta de pagamento. Com isso o atendimento à comunidade está sendo precário. Os conselheiros se reuniram nesta terça-feira e deliberaram por buscar o apoio da Promotoria da Infância e Juventude da capital. Há dois meses os seis conselhos entraram com oficio pedindo uma reunião com o prefeito e nenhuma resposta foi dada.
     O Conselho Tutelar é um órgão público comunitário encarregado de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente
     O marco legal do Conselho Tutelar (CT) é o Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA (Lei 8069/90), que completo 20 anos neste ano, que estabelece a concepção da garantia dos seus direitos como prioridade absoluta, sujeitos de direitos e proteção integral. Conselheiro tutelares têm o papel de porta-voz das suas respectivas comunidades, atuando junto a órgãos e entidades para assegurar os direitos das crianças e adolescentes.
Áreas dos Conselhos
1 - Itaqui-Bacanga
2 - Coroadinho
3 -Centro - Alemanha
4 -Vila Luizão-Turu
5 - Cidade Operária-Cidade Olímpica
6 - Zona Rural

Câmara fará cobertura das eleições neste domingo

A TV, Rádio e Agência Câmara farão uma cobertura ampla das eleições neste domingo (3), acompanhando desde o andamento da votação até o resultado da apuração, com foco especial na nova composição do Legislativo e os desafios para os novos parlamentares. Para comentar as notícias, o sistema de comunicação da Câmara convidou uma equipe experiente de cientistas políticos e analistas.
A partir das 17 horas, a bancada da TV Câmara (www.camara.gov.br/internet/tvcamara) terá a companhia dos professores de Ciência Política da Universidade de Brasília David Fleischer, Ricardo Caldas e Leonardo Barreto; e do Centro Universitário do Distrito Federal Valdir Pucci. Também participarão como comentaristas o sócio e diretor de Análise Política da consultoria Arko Advice, Cristiano Noronha; e o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral Torquato Jardim.

Lago e Roseana são julgados em tempos diferentes

Por Marília Scriboni
     A velocidade com que o ministro Hamilton Carvalhido, do Tribunal Superior Eleitoral, examinou os recursos contra o registro de candidatura de Rosena Sarney (PMDB) não é a mesma dada ao caso de Jackson Lago (PDT). Os dois são adversários na corrida ao governo do Maranhão.
     Relator nos dois casos, Carvalhido deferiu o registro de Roseana e pôs fim ao processo em apenas quatro dias. Já o caso de Jackson chegou à Corte Eleitoral em agosto e, até agora, o candidato espera a decisão do ministro. Ele não decide monocraticamente, nem leva o caso à análise do plenário.
     O caso de Jackson é, aparentemente, mais complexo. Ainda assim, advogados experimentados afirmam que a celeridade de um recurso e a morosidade do outro chamam a atenção. A dúvida sobre a validade da candidatura do adversário da família Sarney no Maranhão, certamente, enfraqueceu sua campanha.
Do Consultor Jurídico

No Panorama Política de Ilimar Franco

O continuismo - Sem Roseana SarneyAs pesquisas indicam, a uma semana das eleições, que os governos bem avaliados vão triunfar. Os bons governantes, independentemente de partido, estão se reelegendo ou fazendo o sucessor. O presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, diz que essa lógica beneficia Dilma Rousseff, Geraldo Alckmin, Antonio Anastasia, Sérgio Cabral, Marcelo Déda, Jaques Wagner e André Puccinelli, entre outros; e prejudica Ana Júlia e Yeda Crusius.

Aliado livra irmã de Sarney de dívida

FILIPE COUTINHO
DE BRASÍLIA
     A irmã do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não terá de pagar dívida de R$ 9.200 arbitrada pelo Tribunal de Contas da União graças à atuação do ministro Raimundo Carreiro, indicado ao tribunal pelo senador.
     O ministro foi secretário-geral do Senado por 12 anos, período em que Sarney, amigo e conterrâneo, presidiu a Casa por duas vezes.
     As relações da família de Carreiro com o senador envolvem também nepotismo. A mulher, dois filhos e uma sobrinha do ministro trabalharam no órgão até a proibição do nepotismo. Foram demitidos, mas Sarney já recontratou a mulher do ministro.
     A irmã de Sarney, Ana Maria da Costa Bastos, também traz em seu currículo um caso de nepotismo. Foi a única parente de Sarney que já trabalhou em seu gabinete.
     Antes de Carreiro atuar no processo do TCU, Ana Maria recorreu e perdeu duas vezes no tribunal, nas câmaras que não têm como membro o ministro indicado por Sarney.
     No terceiro recurso, o relator Benjamim Zymler anunciou que iria votar contra Ana Maria, mas mudou o voto após Carreiro pedir vista e se tornar o revisor do processo.
     "O processo foi incluído com a proposta de não conhecimento do recurso. Entretanto, após pedido de vista, destaco a valiosa contribuição do eminente ministro Raimundo Carreiro, pois as linhas principais de argumentação constantes de seu voto revisor foram adotadas neste voto", relatou Zymler.
     O ministro afirma que não vê "conflito de interesse" e Sarney nega interferência. Ana Maria não respondeu aos telefonemas.
     O pagamento havia sido imposto pelo TCU em razão de irregularidades no período em que Ana Maria foi superintendente substituta do INSS no Maranhão, em 1989.
     Ela liberou o pagamento integral, R$ 177 mil, a uma construtora que entregou apenas 54% de uma obra.
     A dívida de R$ 9.200 refere-se ao valor que Ana Maria teria lesado os cofres públicos ao autorizar o pagamento. O montante foi atualizado monetariamente, mas não estão embutidos juros.
A irmã de Sarney conseguiu com a decisão do TCU que seu nome fosse retirado do Cadin, o cadastro de inadimplentes do governo.
     No julgamento, Carreiro argumentou que Ana Maria era substituta e apenas assinou a liberação. Portanto, não poderia ser responsabilizada. Os demais ministros o acompanharam para rejeitar a avaliação do TCU, que se manteve contra Ana Maria.
     "O mínimo exigível do ordenador de despesas, ainda que em exercício eventual de substituição, para a autorização de pagamento, era o termo de recebimento da obra, o que não ocorreu", diz parecer de secretaria do TCU.
Da Folha de S. Paulo

Dutra: "Sarney quer me derrubar,mas eu não caiu"

O deputado federal Domingos Dutra (PT), candidato à reeleição, afirma que o senador José Sarney (PMDB-AP) reuniu recentemente uma tropa de cabos eleitorais e lideranças políticas e deu-lhe a missão de impedir que o petista vença as eleições em 3 de outubro.
     “O Sarney disse à sua tropa que o Dutra não pode vencer, não pode ser eleito. Ele está até 'turbinando' a campanha de dois candidatos do PT também a deputado federal, na tentativa de me derrotar. Imagine só: o Sarney está apoiando dois candidatos petistas que concorrem ao mesmo cargo que eu só prá me derrotar! O Sarney está com medo de mim!”, ironizou o deputado Dutra.
     O deputado fez greve de fome em protesto à determinação da direção nacional do PT de impor ao partido aliança com o PMDB de Sarney no Maranhão. Em congresso realizado no mês de maio a maioria dos delegados do PT do estado havia aprovado aliança com o PCdoB do deputado federal Flávio Dino.
     Em sua campanha Dutra já percorreu 390 quilômetros a pé e foi a 67 municípios maranhenses. “Como muita banana com pão e camarão seco com farinha e vou em frente... Não adianta o Futi tentar me derrubar que eu não caio! E também não adianta a Roseana Sarney se agarrar nas barbas do Lula e nem na saia da Dilma porque o candidato ao governo Flávio Dino está subindo nas pesquisas e vamos ter segundo turno”, afirma Dutra.
     Ouça aqui o sucesso "Vamos vencer o futi"

Manchetes dos jornais

AQUI-MA- Imperatriz: Achado macabro
CORREIO DE NOTÍCIAS - Oposicionistas pressionam Jackson a desistir da eleição
JORNAL EXTRA - Tirando da reta: Caema culpa prefeitura pela falta de água no centro
O DEBATE - Monumentos de São Luís sofrem com o descaso
O ESTADO DO MARANHÃO - Debate põe frente a frente cinco candidatos ao governo
O IMPARCIAL - Raposa: Uma história com final feliz
TRIBUNA DO NORDESTE - "Ninguém vai roubar a soberania popular"

27 de set de 2010

Sarney reúne um magote de prefeitos cassados e mal avaliados para pedir votos para a filha Roseana


Sarney se diz velho em reuniao com prefeito

    Deu para contar nos dedos os prefeitos que atenderam à convocação do senador José Sarney (PMDB-AP) para uma reunião nesta segunda-feira, 27, na residência do deputado federal Clóvis Fecury (DEM), candidato a primeiro suplente na chapa do candidato ao Senado João Alberto (PMDB). O número não confirmava o apoio que tem alardeado a candidata ao governo e filha do senador, Roseana Sarney (PMDB), com percentuais unânimes.
     O ex-presidente da República e presidente do Senado sabe que do resultado desta eleição dependerá sua perspectiva histórica, ou pelo menos do grupo político que lidera no estado há quatro décadas. Afirmou isso com aos presentes na reunião com os prefeitos e aliados: "E eu, já velho, estou aqui para ajudar e bater palmas”. Os aplausos imaginários de Sarney são para a reeleição de Roseana.
     Preso ao passado, Sarney enaltece ainda obras de seu governo como a BR-135, hoje campeã em acidentes com mortes entre as rodovias federais no estado, e o Porto do Itaqui, que aguarda modernização há décadas.
   Sarney pediu emprenho a prefeitos como Irene Soares, de Presidente Dutra; e Osmar Leal, o Manim, de Santa Quitéria, dois que escaparam fedendo da garras da Justiça Eleitoral. Com contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União, TCU, Manim safou-se por um triz, no voto de minerva do presidente do TRE-MA, desembargador Raimundo Cutrim, de ser ejetado do cargo. Irene Soares, cassada no ano passada pela juíza Rosa Maria Duarte, da 54ª Zona Eleitoral é apelidada de prefeita 31 por passar se ausentar regularmente por 30 dias do município, permanecendo em São Luís, e um na residência em Presidente Dutra.
     É ao lado de gestores desse naipe que Sarney quer promover uma virada no Maranhão já no próximo domingo.




Cinesystem Rio Anil vende ingresso antecipado para "Tropa de Elite 2"

    Já estão à venda no Cinesystem Rio Anil, os ingressos para a continuação do filme “Tropa de Elite 2", com estreia nacionalmente no dia 8 de outubro. Os ingressos para qualquer uma das sessões da primeira semana em cartaz já podem ser adquiridos nas bilheterias do cinema ou através do site www.cinesystem.com.br. Consulte os horários no nosso site.
Da Assessoria de imprensa

Dilma e Serra ainda não apresentaram programa de governo

     A seis dias das eleições, os candidatos à Presidência que lideram as pesquisas de intenção de voto ainda não divulgaram programa de governo detalhado e direto. Dilma Rousseff (PT) protocolou no dia 3 de julho no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um documento intitulado Diretrizes do Programa 2011/2014, "em caráter provisório".
     Após divergências internas, a coordenação de campanha da petista alegou que o programa definitivo seria elaborado a partir de um consenso entre todos os partidos que integram a coligação "Para o Brasil Seguir Mudando". PT e PMDB, os principais partidos da coligação, elaboraram em seguida pelo menos quatro versões de um novo programa de governo que, até o momento, não foi mostrado à sociedade.
José Serra (PSDB) respondeu à exigência da Justiça Eleitoral de protocolar um programa apresentando dois discursos feitos por ele, com 14 páginas. O tucano criou um mecanismo interativo na internet para colher propostas para seu programa de governo, mas, até o momento, o material ainda não foi tornado público.
     Aliados de Serra garantem que o programa, com 270 páginas, será divulgado nesta última semana antes da eleição. Mais de 300 propostas da sociedade teriam sido acolhidas e analisadas pela equipe do tucano. O candidato, porém, impediu a divulgação oficial antes que ele próprio fizesse uma revisão de todo o material. Informações do Estadão.
     Aliados de Serra garantem que o programa, com 270 páginas, será divulgado nesta última semana antes da eleição. Mais de 300 propostas da sociedade teriam sido acolhidas e analisadas pela equipe do tucano. O candidato, porém, impediu a divulgação oficial antes que ele próprio fizesse uma revisão de todo o material.
De oestadao

Roseana Sarney confirma presença no debate da TV Mirante

     A candidata ao governo pela coligação "O Maranhão não pode parar", Roseana Sarney (PMDB), confirma através de sua agenda de campanha divulgada pela sua assessoria de imprensa que vai participar do debate promovido pela afiliada da Rede Globo no Maranhão, a TV Mirante, entre candidatos marcado para esta terça-feira, 28, à noite.
     Durante a manhã de hoje especulava-se que a candidata poderia se ausentar do debate alegando problemas de saúde. "Vamos enfrentá-lo falando ao eleitor das nossas propostas”, despistou a desistência Roseana Sarney, na manhã de domingo.

Movimento Fora Roseana Sarney acontece nesta terça-feira,28, em Pedreiras

     Nesta terça-feira o "Fora RoseanaSarney" será realizado na Praça da Sucam em Pedreiras. O movimento em repúdio à oligarquia foi realizado na semana passada em São Luís e já percorreu vários municípios do inteiror do Maranhão, como Urbano Santos e Imperatriz. Caravanas de toda a região se organizam para prestigiar a passeata que está sendo considerada um marco na luta contra o empobrecimento do estado.

José Reinaldo Tavares é incluído na lista suja do Congresso em Foco

     O site Congresso em Foco incluiu o ex-governador do Maranhão e candidato ao Senado Federal, José Reinaldo Tavares (PSB), na lista dos candidatos do Maranhão que foram barrados pela Lei da Ficha Limpa. Segundo o site eles são réus em ações penais, foram denunciados como integrantes do esquema dos sanguessugas ou presos em ações das polícias Civil e Federal.
     Além de Reinaldo está na lista o deputado federal Cleber Verde (PRB) afastado do Instituto Nacional de Seguro Social, INSS, a bem do serviço público. Verde sofre de mimetismo político. Nas eleições de 2006 esteve na coligação "Frente de Libertação do Maranhão". Dois anos depois o ex-feirante concorreu a prefeito de São Luís. No segundo turno das eleições foi um dos primeiros a aderir à candidatura do tucano João Castelo. Nas eleições deste ano Verde levou seu partido para a grande coligação de apoio à reeleição de Roseana Sarney.
     O ex-governador José Reinaldo Tavares teve sua candidatura deferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. Foi beneficiado pela interpretação da corte eleitoral no estado que entendeu que a lei da Ficha Limpa não deveria ser aplicada no pleito deste ano, por ferir um princípio constitucional. A interpretação também livrou o deputado federal Sarney Filho (PV) que também teve seu registro impugnado pelo Ministério Público Eleitoral.
O que diz o site Congresso em foco sobre:
1- Cleber Verde (PRB) – candidato a deputado federal – réu na Ação Penal 497 (Crime contra a administração em geral, inserção de dados falsos em sistema de informações. Data de autuação: 05/09/2008)
2- José Reinaldo Tavares (PSB) – candidato a senador – preso em 2008 na Operação Navalha, acusado de envolvimento com quadrilha que fraudava licitações de obras públicas.

Jackson Lago participa de entrevista em TV e reafirma sua candidatura

     O candidato ao governo do estado pela coligação “O Povo é Maior”, Jackson Lago (PDT), concede nesta segunda-feira,27, entrevista à TV Cidade (Record - Canal 6) ao meio-dia, onde discorrerá sobre suas impressões do eleitorado maranhense depois de percorrer mais de 60% dos municípios em campanha.
     No sábado,23, Jackson Lago realizou mais uma grande carreata no município de Zé Doca, percorrendo mais de três quilômetros das ruas onde foi intensamente saudado pela população e demonstração de apoio ao seu retorno ao Palácio dos Leões. Ele retornou a São Luís no domingo onde permaneceu durante o dia conversando com correligionários e assessores.
     Segundo informações da coordenação de campanha está descartada qualquer possibilidade de retirada da candidatura de Jackson Lago ao governo do Maranhão. Em inúmeras ocasiões Jackson Lago afirmou que sua candidatura é um compromisso ético e moral com a população do Maranhão e com os mais de 1,3 milhão de eleitores que o escolheram como governador do estado em 2006.
     O pedetista se reúne ainda pela manhã com sua coordenação de campanha e prepara os últimos programas para o horário de propaganda eleitoral gratuita de rádio e televisão. Jackson Lago afirmou que está preparado para o único debate entre candidatos marcado para esta terça-feira, 28, na TV Mirante, afiliada da Rede Globo e integrante do Sistema de Comunicação do grupo Sarney.

Lobão e Nice superfaturam inserção de santinhos em jornais aliados

     O senador Edison Lobão, ex-ministro das Minas e Energia do governo Lula e candidato à reeleição tendo como primeiro suplente o filho, Edison Lobão Filho, inflaciona os valores das inserções de santinhos.
     Ao menos em dois dos jornais de circulação diária em São Luís; em O Estado do Maranhão, fundado por José Sarney e Bandeira Tribuzzi; e no Correio de Notícias, de propriedade de Gioldo Moraes, assessor do vice-governador e candidato ao Senado, João Alberto, o senador faz publicar propaganda de campanha paga no valor de R$ 1.000,00 por inserção.
     Os valores dos anúncios de Lobão espelham o de sua mulher, a deputada federal Nice Lobão (DEM), candidata à reeleição. O casal optou pelos mesmos veículos na publicação dos santinhos. Nice não faz campanha para Dilma Rousseff nem para João Alberto (PMDB), o segundo senador da coligação "O Maranhão não pode parar".
     A média entre os jornais não supera R$ 200,00. No jornal de maior circulação diária na capital maranhense, o Aqui-MA pertencente aos Diários Associados, também inscrito no Instituto de Verificação de Circulação, IVC, como O Estado dos Sarney, uma inserção no mesmo tamanho (duas colunas de largura por 15 centímetros de altura, com pequena variação nesta última) sai por cerca de R$ 163,00.
     No Jornal Extra, um dos doze matutinos de São Luís, há uma confusão de preços. Ao mesmo tempo em que informa que o valor da inserção é de R$ 20, 00, no total de dez inserções o valor da publicação soma R$ 1.000,00. No Extra e no Correio as publicações são em preto e branco.

Rita Lee: "Já pedi perdão de joelhos"

*Mônica Bergamo
Ao comentar a escolha de Itaquera para abrigar o estádio do Corinthians, Rita Lee disse no Twitter: "Para quem não conhece, Itaquera é o c... de onde sai a bosta do cavalo do bandido". A mensagem repercutiu e apareceu no "Fantástico". A cantora disse que foi ameaçada e deixou o Twitter. Depois, voltou. Ela falou por e-mail à coluna:
Folha - O que achou da frase sobre Itaquera parar na TV?
Rita Lee - Disse merda e recebi merda de volta. Com relação ao "Fantástico", me convidaram para gravar "Repórter por Um Dia" em Itaquera e recusei, porque não sou boba. A última vez que participei do programa foi numa entrevista sobre maus tratos de animais. Fui processada pela "tchurma" de Barretos. Ganhei nas duas instâncias, mas foi um saco não poder fazer meus discursinhos. Estou sabendo que o jornalismo do "Fantástico" quis se vingar jogando gasolina no fogo. É duro ser cigarra no meio de formigueiros. [A assessoria do "Fantástico" diz que "não existe vingança"."Ela fez um comentário público e reproduzimos."]
Qual a pior ameaça recebida?
Uma bala na cabeça foi o mais bonzinho. O pior foram ameaças de morte à família.
Continua corintiana?
Eu já pedi perdão de joelhos a Itaquera, sei quando faço uma cagada homérica, mas jamais disse algo desprezível sobre o Corinthians! Acho mesmo é que o novo estádio será uma baita de uma roubalheira sem tamanho.
Por que voltou ao Twitter?
Os amiguinhos tuiteiros me pediram pra voltar. E me divirto pra "carai". Meu mestre João Gilberto me disse que nessas alturas do campeonato posso dizer o que bem entendo, quando bem entendo. Sou apenas o gafanhoto...
Você tuita muito sobre a novela "Passione". Qual o segredo de Gerson?
Primeiro pensei que Gerson nutria um tesão por Mauro desde a infância. Instalou uma câmera escondida no banheiro do outro e ficava espiando pelo computador. Depois, que tinha tesão em ver gente estraçalhada em desastre, tipo Lady Di. Agora, acho que tem tesão pelo computador, um "Macintófilo".

Ficha Limpa: STF só decidirá se lei é válida após as eleições

     Não há previsão de data para o Supremo Tribunal Federal (STF) tomar uma decisão sobre a validade da Lei da Ficha Limpa para as eleições deste ano. Sabe-se, entretanto, que a Corte não baterá o martelo até o dia das eleições, no próximo domingo.
     A decisão deverá ser tomada no julgamento do caso de Jader Barbalho (PMDB) ou de Paulo Rocha (PT), candidatos ao Senado no Pará. Ambos foram barrados pela Justiça Eleitoral porque renunciaram ao mandato para fugir de processo, conduta reprovada pela nova lei.
     No julgamento, o STF fixará um parâmetro a ser seguido na análise de outros políticos na mesma situação, sejam candidatos a cargos do Executivo ou do Legislativo.
     Como a definição virá apenas após as eleições, os candidatos barrados em definitivo pela Justiça não serão conhecidos do eleitor.
     Por isso, o risco de haver eleições extras persiste.
     São comuns eleições suplementares para cargos do Executivo. Além da Lei da Ficha Limpa, outros motivos podem impedir alguém de obter o registro de candidatura, como a falta de quitação com a Justiça Eleitoral, filiação partidária inferior a um ano, falta de incompatibilização com o serviço público no prazo certo e a condenação por crimes eleitorais.
Nas eleições de 2008, mais de uma centena de candidatos ganharam a disputa para prefeito no primeiro turno. Porém, como não conseguiram obter o registro em recursos judiciais, foram impedidos de tomar posse.
     Desde 2008, foram realizadas eleições suplementares para prefeito em 113 municípios brasileiros.
     O estado com o maior número de eleições extras foi Minas Gerais, com 23.
     Outras seis votações estão marcadas para ocorrer ainda neste ano, em cidades de Rio de Janeiro, Piauí, Mato Grosso e Bahia.
De O Globo

Marajá, mas com vala de esgoto e sem médicos: município maranhense tem os piores indicadores sociais do país

Evandro Éboli
de O Globo
MARAJÁ DO SENA (MA) - Cravada num belo vale de serras formadas por palmeiras de babaçu, Marajá do Sena, a 350 quilômetros de São Luís, não acompanha a exuberância de seu entorno. Com os piores indicadores sociais do país, sua população tem água encanada dia sim, dia não. Não há médico na cidade, cujas ruelas de terra têm esgoto a céu aberto. O acesso a Marajá é por uma estrada de terra esburacada. Para ir a outras cidades, a população usa o pau de arara.
     Na Câmara Municipal e no posto de saúde, um aviso: no dia 10 de outubro estará na cidade um "médico oculista": "Falar com o senhor Reginaldo na farmácia básica do centro de saúde". As consultas serão no pequeno plenário da Câmara, cujos nove vereadores só se reúnem três vezes por mês. O salário é de R$ 1.200.
     - Abrir a Câmara para atender à população com consulta médica é uma maneira de ajudar as pessoas. É um local público - diz Celestino de Jesus, vereador pelo DEM e presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da região.
     O centro de saúde oferece poucos serviços: dentista, exames de fezes e urina, suturas e parto normal, este realizado por enfermeiras. Não há condições para uma cesariana. Dois clínicos gerais, de fora, revezam-se no atendimento à população, um dia da semana.
     As condições de saneamento são péssimas. O esgoto é a céu aberto, sem canalização ou tratamento. Maria Aneila Silva - cozinheira do prefeito, Manoel Edivan (PMN) - mora numa casa de taipa com a filha Jessicleia. Seu banheiro é um quadradinho cercado de palha de babaçu, no quintal, e o vaso sanitário é um buraco na terra. Chuveiro é luxo. Quem tem energia puxou um "gato" do poste da rua. A água encanada é usada para lavar louça, cozinhar e beber. Poucas casas têm filtro.
     - A situação é essa. A gente fica pelejando para mudar as coisas, mas não é fácil - diz Maria Aneila, que isenta o patrão-prefeito de responsabilidade. - As pessoas ficam condenando ele, mas é um homem bom que tá tentando melhorar a cidade.
     Evandro Rodrigues de Lima, dono de um pau de arara, pode ser considerado um empresário. Gastou R$ 100 mil para ter o caminhão. Ele tem 30 anos e desde os 18 trabalha com pau de arara - antes, era cobrador. Todo dia, faz um percurso de 110 quilômetros, em sete horas. Segundo Evandro, se o trecho fosse asfaltado o percurso levaria três horas. Quando o caminhão atola, os passageiros ajudam, conta ele, que não revela quanto ganha:
     - Mas não sou um marajá de Marajá. Sobrevivo.
     Josafá Alves, um dos mais antigos moradores da cidade, está ciente de que Marajá do Sena sempre aparece nas listas dos piores índices de desenvolvimento. E diz que já foi pior:
- Para levar um doente até a cidade era preciso caminhar dez horas carregando ele numa rede até o rio mais próximo. De lá, ia de voadeira (barco com motor) até a cidade para ser atendido em hospital. Isso recentemente, nos anos 80 e 90.
Hoje há duas ambulâncias. Mas uma estava no conserto.
     Nesse quadro se destaca a Unidade Escolar Teixeira Santos, único colégio da cidade: as instalações são espaçosas e há até sala de computador. São 500 alunos no ensino fundamental, em três turnos. Por causa do acesso difícil, a merenda às vezes não chega. Na última semana, isso ocorreu duas vezes.
     A cidade foi emancipada em 1994. As ruelas têm os nomes de políticos que participaram da sua criação. Ignorada pelo poder público, Marajá só não é esquecida em época de eleições. Com 6.500 eleitores, ela está repleta de cartazes de candidatos que nem aparecem lá. Voto, em Marajá, eles mandam buscar.

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Candidatos saem às ruas e partem para o "tudo ou nada" na campanha
O ESTADO DO MARANHÃO - Roseana é saudada em grande carreata
O IMPARCIAL -Polícia Federal fecha o cerco contra compra de voto

26 de set de 2010

Às vésperas do pleito

Ferreira Gullar
     A PROXIMIDADE do dia das eleições, quando iremos às seções eleitorais exercer nossa cidadania, votando nos candidatos de nossa preferência, tem inevitavelmente acirrado os ânimos, não só dos candidatos, como os nossos, de eleitores.
     Isso pode ser bom ou mau. É bom quando indica empenho em escolher os melhores para legislarem e governarem -e é mau quando nos leva a perder a capacidade de discernir o certo do errado, a mudar a convicção política ou ideológica em fanatismo.
     Sem pretender me dar como exemplo de isenção, verifico, não obstante, como algumas pessoas passam dos argumentos objetivos -ainda que impregnados de paixão- a afirmações que mitificam a personalidade deste ou daquele candidato.
     Como já escrevi aqui, repito agora que não pertenço a partido político nem tampouco estou engajado na campanha de nenhum candidato. Ao opinar sobre qualquer deles, faço-o na condição de articulista que, assim como discute questões culturais e sociais (arte, política psiquiátrica, inoperância da Justiça, ficha suja etc.), discute também a conjuntura política que, neste momento, interessa à maioria dos leitores.
     Podem meus comentários, eventualmente, influir na decisão de um ou outro leitor, mas não é essa minha intenção prioritária e, sim, contribuir para que sua escolha se faça da maneira mais lúcida e autônoma possível. Acresce o fato de que outros comentaristas opinarão em sentido diverso, trazendo à baila outros argumentos e, com isso, contribuindo para que o debate se amplie e se aprofunde. Situo-me no polo oposto àqueles que aspiram chegar a uma sociedade de uma opinião só.
     É com esse propósito que tenho abordado aqui alguns aspectos polêmicos da conjuntura eleitoral e política. Procuro, igualmente, refletir a preocupação de outras pessoas que, mantendo-se à margem da disputa eleitoral, manifestam preocupação com o rumo que as coisas estão tomando, sendo que alguns deles temem pelo futuro da própria democracia brasileira.
     Para estes, a vitória de Dilma Rousseff, por implicar o prosseguimento no poder do mesmo partido, poderia ter consequências imprevisíveis, dado o crescente aparelhamento da máquina do Estado por petistas e sindicalistas, que a utilizam partidariamente.
    Isso poderia levar à crescente privatização do Estado, em benefício de um mesmo grupo político e, em última instância, ao cerceamento da ação política divergente.
     Faz parte deste processo a mitificação da figura de Lula que, no curso de sua história pessoal, passou de líder raivoso a Lulinha paz e amor e agora -para meu espanto- à categoria de grande estadista, que teria mudado a face do Brasil.
     Nessa linha de raciocínio, vem se formando a teoria segundo a qual quem se opõe a Lula opõe-se na verdade ao povo brasileiro, uma vez que ele é o primeiro presidente, "que veio do seio do povo".
     Trata-se de um argumento curioso, que busca qualificar o indivíduo -no caso, um líder político- por sua origem social de classe. Digo curioso porque os que assim argumentam consideram-se obviamente de esquerda, mas não se dão conta de que, com esta postura, repetem as elites do passado, que também qualificavam os indivíduos por sua classe social de origem.
     Naquela visão -que a esquerda definia como reacionária-, quem tivesse origem nobre era tacitamente superior a quem não o tivesse. Agora, na sua inusitada avaliação, superior é quem nasce do "seio do povo" e, por isso, quem critica Lula coloca-se, na verdade, contra o povo. E povo -entenda-se- é só quem for pobre. Mas atrevo-me a pergunta: e quem não recebe Bolsa Família é o que?
     Não resta dúvida de que a ascensão de um operário à Presidência da República brasileira é uma importante conquista de nossa democracia, mas não porque quem nasce no seio do povo venha impregnado de virtudes próprias aos salvadores da pátria. Do seio do povo também veio Fernandinho Beira-mar.
     Lula chegou onde chegou não por sua origem e, sim, por sua capacidade de liderança e sua sagacidade política; a origem social e a condição de operário, que certamente influíram na decisão do eleitor, não devem servir de pretexto para transformá-lo num líder a quem tudo é permitido, acima de qualquer juízo crítico.