25 de jan de 2011

Justiça liberta 20 trabalhadores escravos em São João do Caru

    Um grupo de 20 trabalhadores, sendo três menores, foram libertados do regime de escravidão em uma fazenda no município de São João do Caru interior do Estado do Maranhão. Os trabalhadores bebiam água de rio e se alimentavam de carnes que eram estendidas em varais.
    Eles atuavam no corte de capim e no roço de juquira (retirada de arbustos, ervas daninhas e outras plantas indesejáveis da plantação) desde o mês de dezembro do ano passado e eram submetidos à condições análogas a de escravo. Nenhum possuía registro em Carteira de Trabalho e Previdência Social.
    Os trabalhadores foram libertados pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel para Erradicação do Trabalho Escravo, do Ministério do Trabalho e Emprego.
    Os locais destinados ao alojamento eram compostos de barracos de lona plástica montados por eles mesmos dentro da floresta. Nas frentes de trabalho inexistiam instalações sanitárias, local para refeições e água potável.
    Segundo o coordenador do grupo de fiscalização, Klinger Fernandes Santos Moreira, os trabalhadores corriam risco de vida na fazenda.
    - A situação dos trabalhadores era de extrema precariedade. Estavam expostos, inclusive, a ataques de animais, pois os barracos eram montados no meio do mato.
    Os salários estavam atrasados. O grupo de fiscalização efetuou o cálculo e o pagamento de rescisão de contrato de trabalho a todos os trabalhadores, somando R$ 63 mil e também os encaminhou ao seguro-desemprego e as suas cidades de origem.
Do R7

Fotografia é história: João e José

1987. O encontro do então presidente da República José Sarney com o poeta e compositor João do Vale, autor de vários sucessos da música popular brasileira, entre eles Pisa na Fulô e Peba na Pimenta, e uma das estrelas do lendário show Opinião, ao lado de Nara Leão, em 1964.
Como foi – Sarney foi a Macapá inaugurar obras do governo federal. No aeroporto, centenas de populares disputavam espaço para um cumprimento. Estudantes, políticos locais, comerciantes e jornalistas o esperavam no desembarque. Para surpresa de todos, o presidente dirigiu-se para o lado oposto de onde todos o aguardavam. É que, de longe, ainda da escada do avião, identificou um antigo colega de banco da escola primária quando ambos, na década de 1940, foram estudar em São Luis. Era o já consagrado João do Vale, a quem não via fazia vinte anos e que estava na capital do Amapá para uma apresentação. Orlando Brito.

No claudiohumberto.com.br


Sarney não conta com Dilma na abertura dos trabalhos legislativos

    O presidente do Senado e do Congresso, José Sarney (PMDB-AP), praticamente descartou a possibilidade de a presidenta Dilma Rousseff participar da abertura dos trabalhos legislativos em 1º de fevereiro. Ele destacou que, tradicionalmente, cabe ao ministro-chefe da Casa Civil, no caso Antonio Palocci, entregar ao Congresso a mensagem presidencial que, entre outras coisas, elenca as prioridades do Executivo.
    “Não é da tradição do Congresso que o presidente venha entregar a mensagem do Executivo. Essa tarefa, geralmente, é do ministro da Casa Civil”, afirmou Sarney. Em 2003, no início de seu primeiro mandato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregou pessoalmente a mensagem do Executivo de abertura dos trabalhos legislativos.
    José Sarney também comentou o resultado da reunião da Comissão Representativa do Congresso, na semana passada, que avaliou as ações necessárias para evitar tragédias como a da região serrana do Rio de Janeiro decorrentes das mudanças climáticas. O objetivo, segundo ele, é acelerar a votação das duas medida provisórias do Executivo de repasse de recursos emergenciais para socorro às vítimas.
    Por outro lado, Sarney ressaltou que os deputados e senadores selecionarão os 116 projetos que estão na Câmara e no Senado que tratam de medidas para minimizar os efeitos das mudanças no clima. A finalidade, acrescentou o presidente do Senado, é dar celeridade na votação dessas matérias. Em nenhum momento ele admitiu a possibilidade de requerer a urgência na tramitação, o que colocaria os projetos automaticamente na frente de outros que aguardam votação.
Da Agência Brasil

Blind Guardian inclui São Luís na turnê At the Edge of Time

   A banda alemã Blind Guardian anunciou em seu site oficial que virá ao Brasil para apresentar a turnê At the Edge of Time, disco que foi lançado em junho de 2010.
    O primeiro show da banda acontecerá em Porto Alegre, no dia 6 de fevereiro. Já no dia 8 a banda se apresenta em São Luis, seguido por São Paulo (9) e Curitiba no dia 10.
    O Blind Guardian pode ter divulgado as datas de seus shows no Brasil, mas ainda não se sabe os valores dos ingressos.

"Tempo de Espera" é montada pelo GTN nas comemorações dos 45 anos do grupo cearense


O teatrólogo Aldo Leite

     A peça "Tempo de Espera",  montagem do grupo Tema - Teatro experimental do Maranhão, com texto e direção de Aldo Leite, está na programação " Mostra GNT 45 Encena, de aniversário de 45 anos do Grupo Teatro Novo (GTN) do Ceará, fundado em 1965. A programação inclui uma semana de apresentações dos espetáculos de repertório do grupo. O evento acontece de 25 a 30 de janeiro, no Teatro Dragão do Mar (Fortaleza), com entrada gratuita. 
    "Tempo de Espera" teve única exibição em 1975, cumprindo temporada em três anos de grande sucesso de público e crítica. Arrematou prêmios importantes e viajou por quase todo o Brasil, apresentando-se também na França, Holanda, Alemanha e outros países, onde a linguagem sem fala (muda) do espetáculo, facilitava a comunicação. Foi montagem em 2005 pelo GTN e exibida em festivais em Fortaleza e no Interior. Será exibida no dia 26.
     A "Mostra GTN 45 Encena" faz parte de projeto homônimo, agraciado com o prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2009 e o VI Edital de Incentivo as Artes da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará. Através dele projeto, o grupo pretende realizar, além da mostra, uma oficina de teatro no Centro Cultural Bom Jardim; o lançamento do site e do catálogo do grupo; e a homenagem a um dos fundadores do GTN, Aderbal Freire Filho, o qual virá a Fortaleza para um bate-papo.
Com informações do Diário do Nordeste

Lobão vai comandar substituição no comando de Furnas

A direção do PMDB desconfia que um grupo ligado ao PT de Minas Gerais é que anda produzindo dossiês contra a gestão do presidente de Furnas, Carlos Nadalutti Filho. Mas não pretende criar caso, pois o partido também quer trocar a cúpula da estatal. O partido já está passando um pente-fino nos quadros técnicos da empresa para fazer suas indicações. Os nomes serão apresentados ao ministro Edison Lobão (Minas e Energia), encarregado pela presidente Dilma Rousseff de promover a substituição no comando da empresa. O PMDB levantou todas as nomeações no setor elétrico e conclui que 60% dos técnicos são indicações do PT.
Na coluna do Ilimar Franco

Lambe-lambe: Haiti um ano após o terremoto na galeria de fotos do Blog do Planalto

No Painel da Folha de S. Paulo

Momo
A presidente disse a assessores ter a intenção de passar o Carnaval em Fernando de Noronha

Saltur lança site do carnaval 2011 de Salvador

    A Empresa de Turismo de Salvador, SALTUR, acaba de lançar o site do Carnaval 2011, no endereço eletrônico www.carnaval.salvador.ba.gov.br. Através deste site, o internauta poderá votar na pré-seleção de um dos 14 candidatos a Rei Momo. A escolha final acontecerá em evento pré-carnavalesco com participação de júri.
    O presidente da Saltur, Cláudio Tinoco, afirmou que este site “é mais uma ferramenta de divulgação e serviços do Carnaval de Salvador, com informações relevantes para todos os foliões, sejam soteropolitanos ou turistas. O site também terá notícias sobre as últimas novidades do Carnaval de Salvador”.
    Nos dias da folia de Momo o site oficial do Carnaval realizará a transmissão em tempo real via Web TV do Carnaval. Esta ferramenta também traz informações úteis para as pessoas brincarem o Carnaval, como a necessidade de alimentação leve e hidratação, assim como dicas de segurança. O turista também tem acesso a informações como o Calendário Oficial de Festas Populares da Cidade e o mapa dos circuitos Osmar (Grande- Praça Casrto Alves), Dodô (Barra-Ondina) e Batatinha (Pelourinho).
Com informações da Saltur

Um cavalo com a "cara do nordeste"

"Baixadeiros" nos campos da Baixada Maranhense
    O nome "Baixadeiro" vem da baixada, Baixada Maranhense, região de origem da raça, que abriga cerca de 21 municípios. O material genético é herdado de cavalos que vieram de Portugal e Espanha em séculos passados.
    Assim como outras raças brasileiras, o Baixadeiro formou-se através de séculos de seleção natural sob regiões ecológicas diversas. É o caso também de Cavalo Pantaneiro, originário do Pantanal do Mato Grosso e do Cavalo Marajá, originário da Ilha de Marajó, PA.
    Segundo o veterinário Osvaldo Serra, autor de uma dissertação de mestrado sobre o cavalo Baixadeiro, para conseguir sobreviver esses animais precisam se adaptar."Foram anos e anos de seleção natural.Foram selecionados aqueles animais resistentes ao ecossistema encontrado, como já dizia o cientista Charles Darwin. Os que não resistiram acabaram perecendo. Então, por isso, hoje temos essa raça adaptada", comenta.
    Outra adatalção muito importante foi a do casco. No caso do Baixadeiro, essa parte do corpo é muito forte. Então, pode estar no alagado ou no torrão, na época seca, ele se adapta bem, às duas condições. Nesse ambiente, um cavalo de raça comercial, por exemplo, em  pouco tempo sofreria de podridão do casco por excesso de unidade.
Manejo
    O trato dos animais foi sendo passado de pai para filho. Orientação veterinária pelas propriedades rurais da região é coisa rara.  A lida com esses cavalos fica por conta dos tratadores. De acordo com o Pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Arthur Mariante, o que mais impressiona na raça realmente é o manejo. "O Baixadeiro, na sua região de origem, só recebe tratamento de quatro a cinco vezes ao ano, quando animais de vários donos são agrupados para um trato coletivo. É uma verdadeira reunião entre criadores. O manejo é rústico. Os peões cortam a crina no facão, pois há tratadores que acreditam que a crina enfraquece o animal. Enquanto uns cuidam da crina, outros tratam o carrapato com óleo queimado e creolina. Eles acreditam que o Baixadeiro tem uma tolerância maior a parasitas e realmente estão certos, pois raças comerciais sucumbiram mais rapidamente diante das infestações", afirma.
Estudos
    A Universidade Estadual do Maranhão, UEMA, está realizando diversos estudos sobre como se alimenta, vive, reproduz, entre outras características. Segundo o professor Afrânio Gazolla, a universidade estuda a raça desde 2002. "Há quase uma década nos interessamos em descobrir as peculariedades do Baixadeiro. Podemos dizer que esta é uma raça que tem a cara do Nordeste. Agora, em 2011, estamos enviando um projeto aos orgãos públicos para que, já no próximo ano, comecemos a fazer uma espécie de censo sobre esse cavalo", ressalta.
Do jornal Agrovalor

Google faz homenagem ao 84º aniversário do maestro brasileiro Tom Jobim

Manchetes dos jornais

JORNAL PEQUENO - Desembargador anula eleição de reitor da UEMA
O ESTADO DO MARANHÃO - Justiça decide anular eleição do reitor da UEMA
O IMPARCIAL - Saque e invasão no Minha Casa, Minha Vida