16 de mai de 2011

Bulcão é vaiado na abertura da VI Semana de Teatro do Maranhão

   O secretário de estado da Cultura, Luiz Henrique Bulcão, foi vaiado pela plateia na abertura da VI Semana de Teatro do Maranhão na noite desta segunda-feira,16, no Teatro Arthur Azevedo. Antes, o diretor do TAA e cantor do Boi Barrica, Roberto Brandão, havia sido interrompido em seu discurso pelos protestos de um ator instalado na galeria do teatro.
    Na noite em que a principal atração seria o espetáculo "Quando ando em pedaços ou notas sobre minha mãe", da coreógrafa Paula Pi", Brandão e Bulcão se transformaram nos personagens principais de um cena grotesca.
    O script sofrível começou com a apresentação de um casal que no extremo do formalismo, lembrava as formaturas de colégios americanos em filmes B de hollywood, ou os antigos festivais da Record,lá atrás no anos de chumbo no Brasil. 
    Com direito a vestido preto sobressaindo detalhes cintilantes, a apresentadora esfaqueou a gramática na primeira frase: "Há três meses atrás", redundou, trilhando depois em boa dicção o texto pedrogoso conjugado na terceira pessoa do plural. Não na visão dos atores do teatro, mas dos gestores da cultura no estado. 
    Premeditadamente lançando faspas às edições anteriores da semana, o texto se aluvava mais a uma cerimônia de assinatura de convênio do naipe do Minhas Casa, Minha Vida que a arte de Baco, segundo passagem constante no mesmo. À propósito, no palco estavam perfilados o ex e o atual superintendentes da Caixa, patrocinadora do evento.
    Zé Carlos da Caixa, hoje deputado estadual pelo PT se esquivou das vaias, lançando uma campanha de recolhimento de abaixo-assinado para transformar o prédio de azulejo da esquina da rua de Nazaré, onde funciona a agência da Caixa, em um espaço cultural. Correligionário dos Sarney, sabe Zé Carlos da Caixa que a assinatura visível é aquela que tem voto de apoio no Congresso. De certa forma, não deixa de ser uma proposta alvissareira.
    Nan Souza, o criador e eterno presidente do São Luís Convention Bureau, caixa forte dos projetos da SECMA, foi hábil em apaziguar os ânimos.
    Sobrou mesmo foi para o crooner e o compositor do Barrica.
    Brandão superdimensionou o apoio da "sua" governadora Roseana Sarney (PMDB), realçando sua sensibilidade ao investir mais de R$ 500 mil na semana do teatro. Disparou o start do protesto e das vaias.Daí para frente a cena ganhou tonalidade felliniana. Contrangido o secretário de cultura de Açailândia buscava a invisibilidade no palco. Conseguiu diante de tamanha exposição de antipatia de Bulcão e Brandão. Podemos dizer que o bicho caiu por terra na solenidade.
    Depois de todo bafafá o espetáculo assistido pelo público presente perdeu o impacto. Seguindo a receita, o espetáculo não pode parar. E até domingo tem mais. 
Assista a vai a Bulcão:

Faça parte da campanha




As inéditas revelações do censo

João Ewerton Neto
Divulgados os dados do último censo realizado em 2010, pouca coisa chegou à maioria da população brasileira. Corrigindo essa falha eis alguns resultados, um tanto quanto inéditos:
1. Brasília é a capital que tem menos mendigos nas ruas. Em compensação é a que tem mais milionário pedindo dinheiro.
2. Cada vez se lê menos literatura no Brasil. No último censo a leitura preferida do brasileiro, no Sul do país era o catálogo telefônico e no Nordeste o classificado de empregos. Devido aos engarrafamentos a leitura preferida dos brasileiros, em todos os estados, passou a ser a de out-doors .
3. O censo constatou que o crescimento do número de marginais no Rio de Janeiro aumentou tanto que o Cristo Redentor , está levantando os braços, um grau e meio a cada década que passa.
4. O fluxo migratório – do Brasil para o exterior – retrocedeu na presente década. Atualmente, há muito maior volume de brasileiros que retornam ao Brasil, sendo que noventa e cinco por cento deles são jogadores de futebol em fim de carreira.
5. A profissão que mais cresce, no Brasil depende do lugar de origem. No Maranhão é a de guardador de carros, na Bahia é a de cordeiro de trio elétrico, no Ceará é a de cantor de forró, no Rio de Janeiro a de atiradores de bala perdida e em São Paulo a de ex-Big-Brothers.
6. A religião católica continua perdendo muitos adeptos para outras religiões como a espírita, mas a perda maior foi para as religiões flamenguista e corintiana. A flamenguista, como todos sabem tem por Deus Ronaldinho Gaúcho ou Vanderlei Luxemburgo, e a corintiana Ronaldo, o fenômeno.
7. Ao contrário do que se poderia pensar, a capital brasileira que tem mais buracos de rua deixou de ser São Luis. A cidade maranhense, que durante décadas foi a primeira nessa modalidade hoje só é campeã – absoluta - em ruas dentro de buracos.
8. São Paulo não tem tanto japonês como se imaginava! Detectou-se que a quantidade de gente com olho miúdo não tem nada a ver com a genética, mas sim com a evolução. É que todo paulista acaba ficando parecido com japonês de tanto espiar pelo buraco da fechadura ou pelo olho mágico, para ver a cara do assaltante.
9. O Censo comprovou, como alguns suspeitavam, que existem três espécies em extinção no Brasil: Árvores, índios e leitores.
10. A diferença de altura entre homens e mulheres está diminuindo em Alagoas (terra do aquilo roxo). Tem muito cabra da peste que deixou de usar salto alto porque caiu de moda.
11. A corrente migratória Nordeste x Sul está cada vez mais equilibrada, o que fez a população nordestina aumentar, proporcionalmente. Décadas atrás de cada três peões que o Nordeste mandava para São Paulo nenhum voltava. Hoje, para cada peão que o Nordeste exporta, em troca recebe dois marginais .
12. O ensino à distancia, graças aos esforços do Governo Federal, se tornou a principal fonte de aprendizado nacional Tanto é assim que a maior parte das profissionais do sexo aprende sem sair de casa, assistindo novelas e o BBBrasil.
13. O Ceará, embora continue sendo o Estado do país com maior concentração de cabeça-chata, agora é o primeiro, também, em mente-chata. É que, ao contrário de antigamente quando o cearense tinha a cabeça-chata porque quando nascia a mãe batia com a mão em sua cabeça dizendo “meu filho quando crescer vai para São Paulo” agora ela diz “ meu filho quando crescer vai ser cantor de forró”
João Ewerton Neto é escritor imortal da Academia Maranhense de Letras

Lobão Filho nunca falou na tribuna do Senado desde que assumiu a vaga do pai pela segunda vez

    O senador Lobão Filho (PMDB), internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo (SP), desde domingo após se envolver em um acidente automobilístico, vai passar seis meses fora do Senado Federal presidido por José Sarney (PMDB-AP).
    Desde que assumiu a vaga do pai como primeiro suplente,na 55ª legislatura iniciada em 1º de fevereiro de 2011, Edinho Lobão nunca ocupou a tribuna para fazer pronunciamento. Facilmente será superado pelo terceiro suplente, Pastor Bel, à beira de assumir a vaga do filho do ministro Lobão. 
    Entre 2008 e 2010, quando esteve no exercício do mandato em lugar do senador eleitor Edison Lobão (PMDB), Edinho fez sete discursos. O primeiro anunciando seu afastamento do DEM, partido que não o apoiou quando emergiu o escândalo dos laranjas supostamente utilizados pelo filho do ministro das Minas e Energia em negócios com cervejarias. Em março de 2010, se despediu prestando contas do mandato.
    Os senadores do Maranhão são canhengas em discurso. Lacônicos, Epitácio Cafeteira (PTB) e João Alberto (PMDB), os outros dois senadores do estado, ocuparam a tribuna para um único pronunciamento nestes três meses de funcionamento da Casa.
    Cafeteira falou sobre o problema do aeroporto do Tirirical, fechado em março depois da Infraero detectar perigo de desabamento da estrutura do terminal. João Alberto em 14 de abril fez discurso registrando homenagem ao transcurso dos 91 anos de fundação da cidade de Bacabal (MA).
    No único aparte consentido deste ano, o suplente filho do senador-ministro pediu explicações ao senador Roberto Requião (PMDB-PR) sobre o episódio em que o político conhecido como “Maria louca” tomou o gravador de um jornalista da Band. Foi só.

Hackers brasileiros criam site para fiscalizar gastos públicos

    Reunidos em Brasília para o IV Consegi (Congresso Internacional Governo ,Eletrônico e Software Livre), hackers de todo o país encararam o desafio de criar ferramentas que contribuam na fiscalização de gastos e atos públicos.
    Um dos primeiros produtos é o projeto “Otoridades – você sabe com quem está falando?”. Já no ar, o site permite denunciar abusos de autoridade em todas as esferas de governo. Compilados, os dados serão objeto de orientação e discussão pública, com espaço para os denunciados se retratarem. “Pretendemos criar uma plataforma onde as pessoas possam conhecer os casos de abuso de autoridade e onde eles ocorrem. Com isso, queremos orientar a população sobre esse aspecto problemático de nossa cultura política para que possam saber a que meios legais podem recorrer”, explica Luciano Santa-Brigida, um dos responsáveis pelo projeto, que veio de Belém para o encontro hacker em Brasília.
    Segundo Pedro Markun, um dos fundadores do movimento “Transparência Hacker”, a metodologia do encontro é milimetricamente desorganizada, “caótica”. Em círculos, os hackers trabalham desenvolvendo aplicativos com dados e informações públicas que possam ajudar o cidadão na hora de se informar, fiscalizar ou participar do processo político. Os grupos dividem-se na produção de diferentes projetos, mas cada programador trabalha do seu jeito e na hora em que deseja.
    “Esse pessoal é fantástico, trabalham bastante e tem muita energia e tudo isso para produzir melhorias para sociedade. É muito bom estar aqui”, disse o ciberativista inglês Rufus Pollok, um dos fundadores da Open Knowledge Foundation, que veio para o Consegi 2011.

Posto que vende combustível mais caro em São Luís abastece viaturas da PMMA


   O Posto Nova Aliança, da bandeira Ale, de venda de combustíveis, situado na avenida da Vitória, no bairro Parque Vitória, parte pertencente ao município de São José de Ribamar, abastece as viaturas da Ronda da Comunidade da Secretaria de Estado da Segurança.
    Recém inaugurado o posto está em local de difícil acesso devido a situação da pista que dá acesso ao estabelecimento. Mesmo assim nas primeiras horas da manhã é grande o número de viaturas utilizado pela Polícia Militar do Maranhão.
    A compensação deve ser o preço do combustível, principalmente o óleo diesel, o mais alto praticado em toda a ilha de São Luís. O produto é vendido a R$ 2,19, cerca de R$ 0,20 acima do menor preço da praça. A gasolina no posto Ale é vendida a R$ 2,72. Não há venda de etanol. O combustível é quase exclusivamente para consumo da SSP do Estado do Maranhão.
    As viaturas da PMs utilizam também o serviço de lava-jato do Nova Aliança. Não há placa identidficando a razão social do estabelecimento. Os frentistas não sabem ou não informam o nome do proprietário.

Peça de Campinas abre VI semana de teatro do Maranhão


Cena de "Quando ando em pedaços ou notas sobre minha mãe"
   "Quando ando em pedaços ou notas sobre minha mãe", peça inspirada na vida e obra de Adelina Gomes, paciente de Nise da Silveira no Hospital Psiquiátrico de Engenho de Dentro (RJ), abre a VI Semana de Teatro do Maranhão nesta segunda-feira, 16, às 20 horas, no Teatro Arthur Azevedo.A produção éd e Campinas (SP).
    Idealizada e dirigida pela coreógrafa Paula Pi, "Quando ando em pedaços ou notas sobre minha mãe". A artista retoma o tema de sua pesquisa – a relação mãe e filha – potencializada pela vida e obra de Adelina Gomes, que trouxe à tona com grande força de expressão em suas mais de 17.500 pinturas, desenhos e esculturas, a temática do arquétipo materno.
    A semana acontece até domingo (22), em São Luís, e de 28 de maio a 3 de junho em seis municípios do interior: Cantanhede, Miranda do Norte, Rosário, Açailândia, Humberto de Campos e Vargem Grande.
Desagravo - Na abertura da VI Semana do Teatro, na noite de segunda-feira (16), às 20h, a direção do TAA, artistas maranhenses e convidados jogarão flores das galerias sobre a platéia da casa. Será um ato de desagravo ao episódio ocorrido na noite da sexta-feira (6) e que foi lamentado pela classe artística e toda a sociedade maranhense.
    Os espetáculos serão apresentados pela manhã (10h), tarde (16h e 17h) e noite (a partir das 18h), nos palcos dos teatros e praças. As mesas-redondas, seguidas de debates acontecerão sempre às 16h, nos auditórios do Ecimuseum e do Centro de Artes Cênicas (Cacem).
   A primeira mesa-redonda, que acontecerá na quinta-feira (19), no Ecimuseum (rua 14 de Julho, Centro), vai discutir a produção teatral no Brasil e no Maranhão. Os convidados da mesa são Ferdinando Martins, Ubiratan Teixeira e Paulo Melo e Sousa, tendo como mediadora Michele Cabral.
Ficha técnica:
"Quando ando em pedaços ou notas sobre minha mãe"
Idealização, pesquisa, atuação e direção: Paula Pi; Assistên de direção: Clarissa Sacchelli; Orientação cênica: Lily Curcio e Abel Saavedra (Seres de Luz Teatro); Direção de movimento: Holly Cavrell (assistente: Sara Mazon); Direção musical e música original: Edith de Camargo; Cenografia e desenho de luz (1ª versão): Abel Saavedra; Montagem e operação de luz: Hugo Cacilhas; Produção geral: Paula Pi

No Painel da Folha de S. Paulo

Bate-pronto
Em mais um esforço para demonstrar "transparência", José Sarney (PMDB-AP) decidiu criar uma ouvidoria no Senado. Escolhido para exercê-la, Flexa Ribeiro (PSDB-PA) diz que a ideia é "esclarecer a população" quando a Casa e/ ou seus integrantes forem atacados. "Vamos evitar mal entendidos e informar como funcionam as coisas aqui", afirma o tucano.
Por Renata Lo Prete

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL PEQUENO - Professores enfrentam tropa de choque da PM e continuam em greve
O ESTADO DO MARANHÃO - Começa hoje entrega de carnês do IPTU
O IMPARCIAL - Lobão Filho é transferido para hospital em São Paulo
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Implosão falha duas vezes...... E o Mané resiste
FOLHA DE SÃO PAULO:SP tem 2.700 mortos na sua lista de procurados
O ESTADO DE MINAS:A festa é azu
O ESTADO DE S. PAULO:Série de protestos contra Israel deixa pelo menos 15 mortos
O GLOBO:MEC não vai recolher livro que aceita erro de português
VALOR ECONÔMICO:'Tolerância' provoca perda de mercado na Argentina
ZERO HORA: Inter é campeão
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Avião some com três pessoas
JORNAL DO COMMERCIO:Ressurreição Tricolor
MEIO-NORTE:Santos é bicampeão
O POVO:Muitas denúncias;poucas condenações