12 de abr de 2011

Aulas no Liceu Maranhense é para inglês assistir

    As aulas do Liceu Maranhense recomeçaram às 7h20 de segunda-feira, 11, com alunos em sala de aula, mas, sem a presença de 90% dos professores, não durou o tempo regulamentar. Bem que o diretor Deuvivan Rodrigues Sampaio tentou, mas somente os contratados compareceram à convocação voluntária.
    Mães de alunos ligaram para a rádio da família da governadora para denunciar a farsa nesta terça-feira,12.Segundo uma das mães, na escola houve apenas a primeira aula na segunda-feira. No restante dos horários os alunos foram dispensados por falta de professores.
    O diretor prenunciava na segunda que no decorrer da semaan tudo voltaria ao normal para os 2.400 alunos matriculados na escola da rede estadual de ensino.

Frase do dia

"O Regimento Interno não permite e eu não vou aceitar baderna aqui dentro da Casa, certo? Não vou aceitar."
Do deputado estadual Marcos Caldas (PRB) em protesto contra a manifestação na galeria da Casa do Povo dos professores da rede estadual em greve há mais de 40 dias por melhores salários e condições de trabalho.

Lei que proíbe uso de celular por clientes no interior de bancos tem dificuldade de "pegar" em São Luís

Computadores do Centro de Ensino Helena Antipoff são inutilizados em inundação

Centro de Ensino Helena Antipoff no bairro do Ipase (MA)
    Em maio do ano passado o governo do estado se comprometeu a concluir a reforma do Centro de Ensino Especial Helena Antipoff no prazo de 60 dias. Um ano depois a escola da rede estadual de ensino, que durante 15 meses da gestão da peemedebista Roseana Sarney esteve fechada, o prejuízo da educação não cessa. No final de semana passada parte dos computadores da escola localizada no bairro do Ipase, em São Luís, foi inutilizada devido à inundação em suas dependências. O forro de PVC cedeu e a água estragou tudo.
    Os professores da escola não aderiram à greve. A escola tem capacidade de atender até 250 alunos. Em maio de 2010 o promotor Ronald Pereira dos Santos, da Promotoria de Justiça Especializada na Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência,ameaçou mover ação civil pública caso os prazos não fossem cumpridos. Trezentos dias depois a reforma do Centro de Ensino Especial Helena Antipoff ainda não foi concluída. E as restaurações feitas não passaram de maquiagem insustentáveis. Mais um revés na educação do Maranhão em 100 dias do melhor governo da vida da governadora Roseana Sarney.

Roseana Sarney entre os dez que são alvo do TSE

Luiz Orlando Carneiro
    Advogados que militam na Justiça Eleitoral já estão se preparando para o que alguns chamam de “temporada de caça” aos governadores eleitos em outubro último. De 8 de fevereiro até o fim de semana passado, chegaram ao Tribunal Superior Eleitoral, oriundos dos tribunais regionais, nada menos que 11 recursos contra a expedição de diploma (Rceds) e pedindo a cassação dos mandatos dos governadores de dez estados: cinco do Nordeste, quatro da região Norte e um do Sudeste (Minas Gerais). Contra a governadora reeleita do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), há dois recursos.
    Reeleita no primeiro turno, com 50,8% dos votos válidos, à frente de Flávio Dino (PCdoB), Roseana é alvo de recursos impetrados, separadamente, pelo suplente de deputado estadual José Maria Fontinele (PRTB) e pelo ex-governador e ex-aliado José Reinaldo Tavares (PSB), candidato derrotado ao Senado. Ela é acusada de abuso de poder econômico e político, uso indevido de meio de comunicação social e compra de votos.
    Pelos mesmos motivos vão passar pelo crivo do TSE os governadores também reeleitos (no segundo turno) do Piauí, Wilson Martins (PSB), e Teotônio Vilela (PSDB), de Alagoas. A diplomação do primeiro é contestada pelo PSDB; a do segundo, pela coligação adversária (PT–PDT –PMDB).
Do Jornal do Brasil

Desvio da Funasa no Amapá reforçou caixa de campanha do PMDB de Sarney

    Mais de R$ 6 milhões foram desviados da Funasa, no Amapá, entre os anos de 2006 e 2008. Há indícios de que parte desse dinheiro reforçou o caixa do PMDB em campanhas eleitorais.
    Após dois anos de investigação a Polícia Federal começou a desmantelar semana passada a quadrilha que desviava o dinheiro que deveria ser aplicado em obras de saneamento nas aldeias indígenas, compra de medicamentos, transporte dos índios doentes para Macapá, atendimento médico e pagamento dos agentes indígenas de saúde.
    No período mais de 20 índios morreram por falta de remédios ou atendimento médico.
    Policiais federais e técnicos da Controladoria Geral da União constataram que nem mesmo o tão comum soro antiofídico foi comprado para as aldeias embora houvesse recursos para isso. “Constatou-se também a falta de medicamentos vitais. O serviço de assistência à saúde indígena foi encontrado em total abandono.
    Num último momento, não suportando mais a ausência de pagamento, os agentes de saúde indígenas paralisaram suas atividades”, informou hoje a Polícia Federal em nota à imprensa.
    De acordo com a Polícia Federal, Eli Soares Mendes, funcionário da Associação dos Povos Indígenas do Tumucumaque (Apitu) era o gestor de um convênio entre Apitu e Funasa. Ele recebia a verba para ser aplicada nos serviços das aldeias, atestava que os serviços estavam sendo executados, mas nenhuma obra ou serviços foram realizados no período. Eli foi preso quinta-feira, 7, em Macapá.
    Uma fonte do blog disse que ele estaria negociando a delação premiada. Se assim for feito ele, segundo a mesma fonte, dará nomes de políticos para os quais entregava o dinheiro que deveria ser usado em benefício dos índios.
    No sábado,7, a Polícia Federal prendeu em Salvador-BA, os empresários Henry Willians Rizzardi e Andréia Fernandes Gonçalves. No mesmo dia foram recambiados para Macapá.
    O casal é dono de uma empresa de consultoria, a AFG Consultores, que teria recebido mais de R$ 600 mil por um projeto na área de saúde indígena. Recebeu mas não executou o projeto.
    A AFG, segundo seu sítio na Internet, desenvolve projetos nas áreas de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, Preservação do Meio Ambiente, Energias Alternativas, Projetos Sustentáveis, Mercado de Carbono e demais atividades que promovam o desenvolvimento das sociedades, inclusão social, saúde pública e meio ambiente, atuando junto a organizações e empresas privadas, governamentais e do terceiro setor.
    Há informações de que Rizzardi costuma se apresentar em prefeituras do interior como representante de grandes empresas para abrir as portas para a AFG. A Organoeste, empresa especializada na aplicação de biotecnologia para degradação acelerada de resíduos orgânicos, chegou a entrar com uma ação Tribunal de Justiça em Brasília (Processo número 2009.01.1.123428-2 Sexta Vara Cível), para proibir Rizzardi de falar em seu nome.
    Eli Mendes, Henry Willians Rizzardi e Andréia Fernandes Gonçalves estão presos no Iapen. Denunciados pelo Ministério Público Federal pelos crimes de peculato e estelionato, se condenados eles podem pegar até 12 anos de prisão.
Do Blog da Alcinéa Cavalcanti

Pastor Porto deve ser nome do PPS à sucessão de Sebastião Madeira em Imperatriz

Willian Marinho
     Em café da manhã realizado nesta segunda-feira, 11, em um hotel da cidade, o ex-vice-governador Luiz Carlos Porto assinou a ficha de filiação do Partido Popular Socialista (PPS). O encontro, comandado pelo presidente estadual da legenda, Paulo Matos, contou com as presenças dos dirigentes do partido em Imperatriz e da imprensa. Matos informou que o PPS deverá mesmo participar com nome próprio na disputa pelo comando de Imperatriz.
    Segundo ele, o objetivo do partido, com a chegada de Luiz Porto, é exatamente o de oferecer opção para os eleitores, e mais: "Pelo que estamos acompanhando, a tendência é de que as eleições do ano que vem serão disputadas por dois grupos: Madeira com Roseana e Lobão, e o nosso partido pretende apresentar Porto como candidato do grupo do ex-governador Jackson Lago".
    Ele justificou esta decisão ao fato de que o novo filiado esteve por todos os momentos ao lado do ex-governador, sendo seu vice. "Não que Luiz Porto esteja pretendendo tirar proveitos do cacife eleitoral do ex-governador, mas em Imperatriz ele representa exatamente este perfil".
     Para Paulo Matos, a aproximação de Madeira com Roseana vai confirmando o afastamento do PPS do prefeito. "Não há como ficar ao seu lado, caso seja realmente feita esta aliança. Por isso, estamos iniciando a pavimentação de um candidato próprio".
    O ex-vice-governador cassado pelo TSE, Luiz Carlos Porto, informou à imprensa que ele vai, sim, trabalhar determinado para viabilizar seu nome. "Sou neste momento o único pré-candidato evangélico à prefeitura de Imperatriz, cidade que possui trinta por cento da sua população evangélica. Fui parceiro de todos os momentos do ex-governador e juntos realizamos um trabalho positivo em Imperatriz. Portanto, me considero com potencial para disputar e vencer a eleição", frisou.
    O distanciamento do PPS da base do governo municipal ainda está sendo amadurecido, mas a continuar os entendimentos com o PMDB, o partido sairá de vez da base e irá trilhar seus próximos caminhos, como afirmou Francisco Carvalho, presidente municipal do PPS. "Na verdade, não foi cumprido nada do que foi acordado com o prefeito Madeira. Nem mesmo entendimentos ou explicações sobre a forma como o partido está sendo tratado. Portanto, no governo municipal a impressão é de que não estamos participando e, quanto ao secretário, este foi indicação pessoal do próprio prefeito", afirmou Carvalho.
De O Progresso

PDT de Imperartriz rechaça notícias sobre rompimento com PSDB

Imperatriz – Em nota, o presidente do diretório municipal do Partido Democrático Trabalhista (PDT-Imperatriz), Fernando Teles Antunes, rechaçou comentário sobre o possível rompimento do PDT com o PSDB, em Imperatriz.
    Ele afirma que “contrariando a essência do ser humano e em alguns momentos sem explicação coletiva, somos surpreendidos com posicionamentos que contrariam os princípios basilares do Partido Democrático Trabalhista (PDT), que reza na essência do espírito social e coletivo do ser humano”.
    Noutro techo, Fernando Antunes diz que “algumas atitudes isoladas de se falar ou decidir em nome do partido, não refletem o pensamento do Diretório Municipal de Imperatriz”. “No momento, ressente-se a família pedetista, a perda de seu líder maior – Dr. Jackson Lago, referência incontestável de uso da ética e da moral na política partidária e vida pública”, disse.
    Ele finaliza que, para efeito de esclarecimento, informa que “esses posicionamentos pessoais de membros do PDT não correspondem à consciência de atitude deste diretório”.
    Fernando Antunes afirma que “permaneceremos fieis a nossa aliança em apoio a atual gestão do Município e, caso haja mudança das estratégias políticas para salvaguardar a população de Imperatriz, este diretório se pronunciará”.

Comunidade quilombolas fazem caravana a São Luís para garantir posse da terra

    O Movimento Quilombola da Baixada Ocidental Maranhense realiza nesta terça-feira,12, a I Caravana com destino a São Luís com objetivo de discutir com os órgão fundiários do estado e da união, Iterma e Incra, respectivamente; procedimentos para regularização de seus territórios. As audiências no órgão do Ministério do Desenvolvimento Agrário está agendada para às 9 horas; enquanto no Iterma será às 15 horas. A caravana realiza às 16 horas em frente ao Palácio dos Leões um minuto de silêncio pelo fim da impunidade.
    O estado do Maranhão está entre as unidades da federação com maior número de comunidades camponesas em conflito para garantir a posse das terras tradicionalmente ocupadas. Em 2010 foram mais de 170 comunidades em conflito com latifundiários, dessas pelo menos 51 quilombolas. Os registros são uma amostra de realidade conflitiva. Somente Na Superintendência estadual do Incra estão abertos mais de 250 processos com pedidos de titulação de territórios quilombolas.
     A Baixada Ocidental Maranhense é um grande território étnico de comunidades tradicionais a ser reconhecido e titulado pelo Governo Brasileiro em cumprimento ao art. 68 do ADCT: “os remanescentes das comunidades dos quilombos que estejam ocupando suas terras é reconhecida a propriedade definitiva, devendo o Estado emitir-lhes os títulos respectivos”.

Brasileiros adquiriram mais de meio milhão de armas em cinco anos

    Dados da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército mostram que o número de armas de fogo regularmente vendidas no Brasil quase dobrou de 2005 para cá. Daquele ano, quando em consulta popular foi referendado o uso legal de armas, até março deste ano, 635.251 delas foram comercializadas.
    Um 32 roubado de seu proprietário foi um dos revólveres usados no massacre de Realengo, que reacendeu a discussão sobre o tema. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, antecipou para 6 de maio o início de nova campanha de desarmamento no país.

Charge do dia - Sponholz

Justiça em sucupira

Fernando de Barros e Silva
SÃO PAULO - "Enquanto os tribunais superiores ordenam o fim das algemas e a ilegalidade de provas legais obtidas a partir de denúncias anônimas, vejo a polícia do Rio apresentar algemados os dois vendedores de uma das armas do atirador de Realengo. E a prisão ocorreu após uma denúncia anônima."
    A carta acima foi publicada ontem no "Painel do Leitor". Liliam Rosalves Ferreira, a autora, faz menção velada à decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que anulou a validade das provas reunidas pela PF na Operação Castelo de Areia. Trata-se da maior investigação já realizada no país envolvendo fraudes em obras públicas. Atinge a cúpula da Camargo Corrêa e algumas dezenas de políticos.
    Quando a PF começou a prender figurões com mais frequência, alguns anos atrás, houve uma grita de advogados de uma certa elite contra os abusos espetaculosos das operações. Na onda contra o "Estado policialesco", o STF disciplinou o uso de algemas, restringindo-o a "casos excepcionais". Na prática, acontece o seguinte: quando o suspeito é pobre, algema nele! Ninguém reclama. Estamos no Brasil.
    O que está em jogo aqui não é a defesa desses dois pobres-diabos acusados de vender o calibre 32 ao assassino. Eles certamente pagarão pela enormidade do que aconteceu. O que está em jogo é o que o desembargador Fausto De Sanctis, em entrevista recente à Folha, chamou de "Justiça dual, que trata diferentemente pobres e ricos".
    Não há, de fato, nada em comum entre a Castelo de Areia e o massacre de Realengo. Inclusive porque a primeira não emociona ninguém. A leitora que escreveu ao jornal teria, então, apenas juntado "alhos e bugalhos"? Ou explicitou a desfaçatez de uma Justiça que atua com "dois pesos e duas medidas"?
    Como diz De Sanctis: "O grande desafio do nosso Judiciário é reafirmar o princípio da igualdade, e não fazer reafirmações que passam de forma concreta a ideia de que o crime compensa para alguns".
Da Folha de S. Paulo

Manchetes dos jornais

Maranhão
AQUI-MA- Água urgente
ATOS E FATOS - Desembargadores brigam e fazem denúncias ao CJN
CORREIO DE NOTÍCIAS - Sistema de transporte de São Luís deve ser licitado
JORNAL A TARDE - Secretário de saúide visita prédio que abrigará maternidade em Ribamar
JORNAL EXTRA - Miolo de pote
JORNAL PEQUENO - Protesto contra falta d´água fecha avenidados Portugueses
O ESTADO DO MARANHÃO - 90% das escolas da rede estadual já voltaram às aulas
O IMPARCIAL - Postos: MPE acha indícios de formação de cartel
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Depois do temporal, a chuva de prejuízos
FOLHA DE SÃO PAULO:Oposição deve desistir de buscar o 'povão', diz FHC
O ESTADO DE MINAS:Pátria armada
O ESTADO DE S. PAULO:Congresso vai discutir novo referendo sobre armas
O GLOBO:Referendo para proibir venda de armas já divide Congresso
VALOR ECONÔMICO:Salários em alta corroem a produtividade na indústria
ZERO HORA:Massacre no Rio faz governo antecipar o desarmamento
Regional
DIÁRIO DO PARÁ:Governo vai processar An Júlia
JORNAL DO COMMERCIO:Lentidão nas ruas e medo nos morros
MEIO-NORTE:Dinheiro do Piauí abastece o tráfico
O POVO:Prefeitura anuncia que vai dividir superlicitação