25 de jul de 2011

Na agulha: Chico Buarque em "Sinhá", parceria com João Bosco em Chico

Refinaria de Bacabeira que era promessa de Roseana Sarney e Dilma Rousseff fica para 2016


Lula, Dilma e Roseana ludibriando os maranhenses
    A estatal de petróleo brasileira Petrobras vai atrasar a construção de uma grande refinaria no Nordeste e pretende vender participações em campos de petróleo, buscando garantir o financiamento de seu novo plano de investimentos.
    O presidente da petroleira, José Sergio Gabrielli, disse a jornalistas que a venda de fatias em áreas de petróleo faz parte do programa de desinvestimento de US$ 13,6 bilhões que a companhia anunciou na última sexta-feira, dentro de seu novo plano de projetos para o período de 2011 a 2015.
    Segundo Gabrielli, participações nos blocos poderão ser vendidas para os próprios parceiros nos projetos, que assim elevariam suas fatias nos consórcios.
    Ele preferiu não dar mais detalhes, além destes, sobre o programa de desinvestimento, mas afirmou que a companhia já está avaliando como ele será executado e que poderão ocorrer vendas de ativos também no exterior.
    No caso das refinarias, a estatal decidiu postergar a entrada em operação da fase 1 da refinaria Premium do Maranhão de 2014 para 2016. Assim, uma boa parte dos gastos no projeto sai do plano atual, que vai até 2015, reduzindo o valor global do pacote.
    "A Premium 1 foi feita a revisão... E a proposta que a diretoria fez foi não ter nenhum corte e sim postergação. Teve postergação dentro da avaliação maior dos objetivos da companhia, foi apenas uma postergação de prazo", disse o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa,
durante o evento.
    A Petrobras anunciou na sexta-feira um plano de investimentos de cinco anos no valor total de US$ 224,7 bilhões, praticamente estável ante o plano anterior.
    A estatal acabou reduzindo o valor global do programa após pedidos do governo, que busca reduzir os gastos da estatal buscando não aquecer demasiadamente o setor e evitar pressões inflacionárias.
Do Terra

Charge do dia - Cesar Teixeira

Castelo descobre o "povo" depois de dois anos e 200 dias de governo

    Faltando 526 dias para encerrar o mandato iniciado em 1º de janeiro de 2008 o prefeito João Castelo (PSDB) deixou seu gabinete no Palácio La Ravardière para dar a largada à campanha de reeleição. Há dois anos e 201 dias desde que assumiu a prefeitura de São Luís, o tucano se revezava entre compromissos oficiais, sua residência no Olho d´Água, viagens oficiais e extras, hoteis da cidade, de preferência distante do "povo" (palavra doce na boca do político). Refratário às cobranças das lideranças comunitárias que o buscavam com um feixe de problemas cotidianos, se fechava em copas como convém aos déspotas.
    Aprendiz de feiticeiro, João Castelo se aboletou no caminhão do Programa "Cidadania para Todos", carregado de peixe para distribuir à população que o acolhe como "pai dos pobres", para ir aonde o povo está. É a velha, caquética, mas ainda eficaz de fazer política nos rincões maranhenses ou nos centros urbanos pretensamente mais politizados desse estado esfacelado pelas oligarquias e maus gestores.
    Castelo foi acompanhado da primeira-dama, a ex-prefeita de São Luís Gardênia Gonçalves, símbolo de uma triste história do nosso passado em 400 anos de existência como cidade.
    No papo de interação com a comunidade do Caratatiua e adjacências, Castelo disse que primeiro organizou as finanças. Deixou velado se as suas ou da prefeitura. A segunda vai de mal a pior, lembremos da falta de recursos para fazer quase tudo, desde a melhoria da coleta de lixo ao pagamento de brincadeiras contratadas pela Fundação Municipal de Cultura.
    O "cumpade" do senador José Sarney (PMDB-AP) tem suas felpas encravadas no poder. Não é à toa que se ajuntou aos pedetistas quando estes eram inquilinos dos palácios dos governos e assumiu ares de socialista moreno. É esse mesmo perfil que tenta vender à população carente de discernimento político. Na contramão da história Castelo tenta vender a imagem de oposição. Só não tem palavras claras para explicar porque sua filha, a deputada estadual Gardênia Castelo (PSDB), eleita com a ajuda de rios de dinheiro, compartilhou de mesmos cabos eleitorais da governadora Roseana Sarney (PMDB) nas eleições de 2010.

PT do Maranhão avança no ninho tucano e preserva PMDB de Sarney

     A direção nacional do Partido dos Trabalhadores quer sair das urnas no próximo ano com mais de mil prefeitos eleitos pelo partidos. No país os prefeitos com estrela no peito são 558, menos da metade do que tem o PMDB, principal aliado do partido da presidente do país, Dilma Rousseff, e duas centenas menos que o PSDB, adversário mais forte do PT no planalto central.
    No Maranhão o PT sob o comando de Raimundo Monteiro quer contribuir com o aumento do bolo. Conta com o prestígio do vice-governador Washington Oliveira, defensor intransigente da aliança com o PMDB de Sarney de cabo a rabo, para fermentar a participação dos petistas nas administrações municipais. 
     Atualmente são apenas nove os petistas no comando das 217 prefeituras do estado. Menos da metade que tem o PMDB do grupo Sarney, com 16 prefeituras. Com exceção de Timon, colégios eleitorais mixurucas. 
    Numericamente superior no estado são os tucanos. Além de estar no comando das duas principais cidades, a capital São Luís e Imperatriz, o PSDB administra 23 prefeituras maranhenses. Em franco declínio desde a eleição de 2010, o partido tem dificuldades de manter os dois maiores colégios eleitorais do estado em 2012.
     A corrente adversária interna a Monteiro e Oliveira autodenominada rebelde trabalha para eleger petistas puros, sem aliança com o PMDB da governadora Roseana Sarney. A força propulsora dessa proposta seria a candidatura do deputado estadual Bira do Pindaré à prefeitura de São Luís. No outro maior colégio eleitoral, Imperatriz, o PT rebelde pretende apresentar nomes competitivos. O foco adversário então se concentra no PSDB, se desviando estrategicamente de alvejar o PMDB de Sarney. 

Prefeituras sob o comando do:
PSDB
Açailândia: Ildemar Gonçalves
Alto Parnaíba: Ernani Soares
Araioses: Luciana Trinta
Carolina: João Alberto
Coelho Neto: Soliney Silva
Fernando Falcão: Moacir
Formosa da Serra Negra: Dr. Enésio
Governador Edison Lobão: Lourencio Moraes
Imperatriz: Sebastião Madeira
Jatobá: Ednaura
Palmeirândia: Eliberto
Paulino Neves: Raimundinho Lídio
Poção de Pedras: Dr. Gildásio
Porto Rico do Maranhão: César Mendes
Ribamar Fiquene: Dioni
Santo Antônio dos Lopes: Eunélio
São Feliz de Balsas: Socorro Martins
São João do Sóter: Luisa Rocha
São Luís Gonzaga: Dr. Emanuel
São Pedro dos Crentes: Luiza Coutinho
São Raimundo do Doca Bezerra: Davi Rodrigues
Tuntum: Chico Cunha
Tutóia: Diringa

PMDB
Água Doce:José Eliomar
Alto Alegre do Maranhão:Dr. Lione
Barão de Grajaú:Raimundo Silva
Buritirana:Zé do Mundico
Graça Aranha:Edivânio
Joselândia:Marcelo Queiroz
Lagoa do Mato:Aluizio Duarte
Magalhães de Almeida:Neto Carvalho
Presidente Sarney:Dr. Edison
Primeira Cruz:Sérgio Albuquerque
Sambaíba:Dea
São João do Sóter: Luisa Rocha
São João dos Patos:Zé Mário
Sucupira do Riachão:Juvenal Leite
Timon: Socorro Waquim
Vargem Grande:Dr. Miguel

PT
Altamira do Maranhão:Arnando Gomes
Coroatá:Luiz da amovelar
Feira Nova do Maranhão:Hitlher do Brasil
Belágua:Sargento Adalberto
Brejo:Zé Farias
Governadora Nunes Freire:Idalécio
Lagoa Grande do Maranhão: Dr. Jorge
Timbiras:Nonato da Casa Lima
Turiaçu:Costinha

Pitágoras fecha compra da FAMA em R$ 28,5 milhões

    A Kroton, dona do sistema de ensino Pitágoras, concluiuna semana passada a compra do Ceama (Centro de Ensino Atenas Maranhense), anunciada em maio.
    A companhia é dona da Fama (Faculdade Atenas Maranhense), localizada em São Luís e com filial no município de Imperatriz, no Maranhão. O negócio foi fechado por R$ 28,4 milhões e incluiu também o imóvel de propriedade da Ceama, com uma área total de 24,5 mil metros quadrados e uma área construída de 14 mil metros quadrados.
    O montante foi deduzido do endividamento líquido da instituição, apurado em R$ 18,6 milhões. Quando foi anunciada a compra, o valor do negócio era de R$ 31,6 milhões, mas foi reduzido após uma revisão da dívida líquida da Ceama, inicialmente estimada em R$ 15,4 milhões.
    A Kroton manteve ainda a opção de compra de um terreno contíguo ao do Ceama, com área de 5,5 mil metros quadrados, pelo prazo de 24 meses.

Manchetes dos jornais

Maranhão
JORNAL PEQUENO - Colisão causa incência na avenida dos Portugueses
O ESTADO DO MARANHÃO - Câmara de São Luís pode ter mais seis vereadores
Nacional
CORREIO BRASILIENSE:Polícia mata uma pessoa no Brasil a cada cinco horas
FOLHA DE S. PAULO:População carcerária sobe com lei antidrogas
O ESTADO DE S. PAULO:EUA ainda buscam saída para a dívida pública
ESTADO DE MINAS:TCE anula 190 concursos
O GLOBO:Atentado na Noruega expõe direita radical da Europa
VALOR:CNJ fecha cerco contra o calote de precatórios
ZERO HORA:Horror na Noruega
Regional
JORNAL DO COMMERCIO:O primeiro teste de Agamenon
MEIO-NORTE:Piauí adere a pacto Brasil sem miséria
O POVO:Êxodo rural agora é por medo