25 de ago de 2011

Bumba-meu-boi será avaliado como patrimônio cultural brasileiro no dia 30 de agosto

     A tradicional festa realizada no Maranhão e que tem conteúdo de várias manifestações culturais será avaliada no próximo dia 30, em reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural. O seu registro poderá acontecer neste encontro que terá como palco a nova sede do IPHAN, em Brasília, localizada no Edifício Lucio Costa SEPS Quadra 713/913 – Bloco D – Asa Sul
     A proposta do Bumba-Meu-Boi foi apresentada em 2008 ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional pela Comissão Interinstitucional de Trabalho, integrada por vários organismos maranhenses. A celebração múltipla, mística e religiosa, congrega diversos bens culturais associados, divididos entre plano expressivo, composto pelas performances dramáticas, musicais e coreográficas, e o plano material, pelos artesanatos, como os bordados do boi, confecção de instrumentos musicais artesanais, entre outros. Em todo seu universo, destaca-se também a riqueza das tramas e personagens. O auto do Bumba-meu-boi é apresentado como a morte e a ressurreição de um boi especial.
     Profundamente enraizado no cristianismo e, em especial, no catolicismo popular, o Bumba-meu-boi envolve a devoção aos santos juninos São João, São Pedro e São Marçal. Os cultos religiosos afrobrasileiros do Maranhão também estão presentes, como o Tambor de Mina e o Terecô, caracterizando o sincretismo entre os santos juninos e os orixás, voduns e encantados que requisitam um boi como obrigação espiritual.
     Como complexo cultura, na região Norte do País ocorrem no período junino. Já nos outros estados do nordeste, os festejos se concentram próximo do Natal. A festa comporta diversos estilos de brincar – chamados de sotaques – praticados por homens e mulheres.
     O Conselho que avaliará os processos de tombamento e registro de bens do patrimônio cultural brasileiro, presidido pelo presidente do Iphan, Luiz Fernando de Almeida, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições, do Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil.
Do Brasilturis Jornal

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!