29 de dez de 2010

"Dormir num motel não significa fazer amor", diz futuro ministro sobre caso Pedro Novais

RIO - Futuro ministro das Relações Institucionais, o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) afirmou nesta quarta-feira que "dormir num motel não significa fazer amor", em referência à denúncia de que Pedro Novais (PMDB-MA), que assumirá a pasta do Turismo, usou dinheiro da verba indenizatória para pagar uma festa num motel. O presidente do PT no Rio, que chegou a ser cotado para o Turismo, disse ainda que é preciso ouvir a versão do deputado maranhense.
    - Eu tomei conhecimento que ele teria pago (o motel) para assessores e não para ele. Agora é preciso também caracterizar que o fato de alguém dormir num motel nem sempre significa que estão fazendo amor. Eu lembro que na região de Volta Redonda tinha uma placa: promoção para vendedor, caminhoneiro e convênios. Então, dependendo da situação, pode virar opção de estadia - disse, em entrevista ao portal iG.
    Aliado do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), Pedro Novais, de 80 anos, causou constrangimento na equipe de transição ao aparecer como protagonista de um escândalo sexual. Segundo denúncia do jornal "O Estado de S.Paulo", publicada em 22 de dezembro, o deputado teria apresentado uma nota de R$ 2.156 para pedir ressarcimento à Câmara. As despesas seriam relativas a uma festa para 15 casais na suíte mais cara do Motel Caribe, em São Luís, a Bahamas. A gerente do motel confirmou que a reserva havia sido feita pelo deputado. A festa teria ocorrido em junho passado. Novais apresentou também gastos de R$ 22 mil com diárias do Hotel Emiliano, um dos mais luxuosos de São Paulo.
     Na ocasião, Pedro Novais negou, em nota, ter oferecido a festa e disse estar indignado "como parlamentar e homem público, mas, acima de tudo, como cidadão e marido". O futuro ministro alegou que o pedido de ressarcimento foi apresentado por engano por um dos seus assessores.
    A assessoria de imprensa de Luiz Sérgio disse nesta quarta-feira que a afirmação ao iG foi feita "em tom de brincadeira". Na entrevista, o novo ministro defende que a denúncia sobre o colega ainda precisa ser apurada. Ele não descartou, no entanto, que o caso tenha arranhado a imagem de Novais.
    - Sempre arranha porque a vida e a política também são feitas com símbolos. Do ponto de vista simbólico não foi bom. Precisamos num primeiro momento ouvir sua versão. Isso mostra que a sociedade está cada vez mais mobilizada e exigente. Isso é importante para a democracia - analisou o deputado, conhecido como defensor ferrenho do PT no escândalo do mensalão e como relator da CPI dos Cartões Corporativos, em 2008.
De O Globo

1 comentários:

CARIBEAN DANCE disse...

Vai ver assistiram filmes eróticos, regados a pipoca, juntinhos claro, sabe como é né, naquele friozinho o assessor tem de cobrir o politico. Será que rolou beijo?

Postar um comentário

Comente aqui!!!