12 de jul de 2011

Celso Borges e DJ Beto Enhongue apresentam nesta terça "A palavra voando" no Espaço Impar

    Novo espetáculo do poeta Celso Borges tem participação especial do DJ Beto Ehongue e faz releituras poéticas de letras de Torquato Neto, Caetano, Chico Buarque, Capinam, Alceu Valença, Ronaldo Bastos, Gil, Josias Sobrinho e Vitor Ramil, entre outros.
    O recital A Palavra Voando leva ao palco uma releitura do cancioneiro popular brasileiro. Além de reler/recriar as letras de música, destacando o seu valor poético, o espetáculo mostra que — embora os versos das canções tenham ambiências sonoras e particularidades diferentes da poesia no papel —, podem alcançar um nível de qualidade idêntico ou superior ao discurso poético tradicional.
    “Criamos uma nova musicalidade para as letras a partir de sonoridades e trilhas construídas pelo DJ Beto Ehongue, ou utilizando apenas a ‘música da voz’ no ato da leitura”, afirma Celso Borges. Ehongue, líder das bandas Nego Kaapor e Canelas Preta, elaborou diferentes trilhas para cada uma das 20 letras do recital.
    "Transportar canções, algumas delas consagradas, para um universo musical distinto sem perder (e em vários momentos ganhar) o valor poético e atemporal das letras foi um grande desafio”, diz Beto.
    O show em São Luís é a quarta apresentação de A Palavra Voando, que estreou em junho nos auditórios do Centro Cultural Banco do Nordeste em Fortaleza, Juazeiro (CE) e Sousa (PB).
Letra de música é poesia? - O recital é também uma reflexão e ao mesmo tempo uma (não) resposta a uma das questões mais abordadas em seminários, mesas, oficinas e fóruns de literatura na atualidade: “letra de música é poesia?”. Celso Borges quer pôr fim a essa discussão privilegiando o discurso poético, qualquer que seja o seu meio. A Palavra Voando transforma alguns letristas em verdadeiros poetas, independentemente de sua obra ter sido ou não publicada em livros.
    O poeta argumenta que as letras nem sempre necessitam do suporte sonoro da canção. “A proposta do show é justamente criar uma nova “música” para essas letras a partir do som e da inflexão da voz falada sobre trilhas compostas especialmente para cada uma das letras. Em resumo, valorizar a letra de música sem o suporte da sua melodia original”, diz.
SERVIÇO
A Palavra Voando
Celso Borges & Beto Ehongue
Dias 12 de julho – 21h
Espaço Impar (Jornal O Imparcial)
Rua Assis Chateaubriand s/n - Renascença II – tel: 3212 2010
Apoio Cultural: Studio Amelia Reis, Restaurante Leve Vida
Da Assessoria

0 comentários:

Postar um comentário

Comente aqui!!!